quarta-feira, 9 de Maio de 2018

Compartilhe

Dando sequência ao texto sobre a NFC que pode ser acessado no link abaixo, hoje iremos destacar cinco jogadores da AFC que podem explodir em 2018. Para esta seleção, não incluiremos calouros. O foco aqui, da mesma forma que ocorreu na escolha dos jogadores da NFC, é destacar atletas que já estão liga, porém, que, por fatores diversos, ainda não demonstraram todo o seu potencial. Dito isto, vamos aos cinco candidatos a explosão na Conferência Americana.

LEIA MAIS: 5 jogadores da NFC que podem explodir em 2018

Myles Garrett – Cleveland Browns

Primeira escolha geral do Draft 2017, Myles Garrett é um daqueles atletas que nascem a cada 20 anos. Forte, alto, explosivo e com uma técnica de pass rush muito acima da média, o defensor cravou sua posição no topo do Draft ao impressionar – ainda mais – no combine. No entanto, em sua primeira temporada na NFL, Garrett não conseguiu demonstrar tudo o que se esperava deste que é um verdadeiro fenômeno. Após um começo de temporada lutando contra lesões, Myles fez sua estreia na temporada contra o Jets na semana 5 e, em seu primeiro snap na NFL, conseguiu um sack que pode ser observado em detalhes no vídeo abaixo.

É interessante notar, principalmente, na repetição do lance por um segundo ângulo, como Garrett consegue ser, absurdamente, ágil para alguém do seu tamanho. O DE passa no meio da OL do Jets e chega ao QB muito rapidamente, de forma que as reações dos jogadores do Jets parecem em câmera lenta. Em 2018, com um time, teoricamente, superior, Garrett tem tudo para impressionar ainda mais. Caso se mantenha saudável (perdeu 6 jogos por lesão em 2017), o talentoso pass rusher tem as ferramentas para ser peça fundamental na transformação que se espera do Browns. Levando em consideração que, em sua temporada de adaptação, e lutando contra lesões, foram 7 sacks em apenas 11 jogos, a próxima temporada tem tudo para ser impressionante para Myles Garrett.

LEIA MAIS: Três times que podem surpreender em 2018

Patrick Mahomes – Kansas City Chiefs

Algumas pessoas se surpreenderam quando o Chiefs subiu no draft para buscar Patrick Mahomes na escolha de número 10 no recrutamento do ano passado. Jogador com um estilo empolgante, Mahomes teve números, absolutamente, impressionantes em sua carreira no College. Como sabemos, as estatísticas no College precisam ser relativizadas, no entanto, alguns números de Mahomes são significativos, pois nos mostram o estilo de jogo do novo QB titular do Chiefs. Um bom exemplo disto são as 11252 jardas conseguidas pelo QB em apenas três temporadas no campeonato Universitário. Considerando que, em uma destas três temporadas, Patrick só jogou 7 jogos, estes números ficam ainda mais impressionantes. Trazendo para a realidade da NFL, o fato é que Mahomes é o oposto de Alex Smith em termos de estilo. Sem qualquer receio de arriscar, com bastante talento e um braço muito acima da média, Mahomes pode se tornar uma estrela da liga em pouco tempo.

Nesta temporada, Mahomes terá a oportunidade de ser titular e contará com ótimos alvos a sua disposição. Além de Tyreek Hill e Travis Kelce, que já estavam no Chiefs, a equipe ainda adicionou o WR Sammy Watkins. Contando ainda com o bom RB Kareem Hunt, que além de ser um corredor muito qualificado, possui capacidade para também auxiliar Mahomes no jogo aéreo, o novo QB do Chiefs terá a estrutura necessária para explodir em 2018. Caso consiga dosar sua ousadia, e utilize sua “agressividade” nos momentos corretos, Mahomes tem tudo para ser um dos destaques da próxima temporada.

Corey Davis – Tennessee Titans

Escolhido na 4ª posição geral do último draft, Corey Davis foi o primeiro WR da classe e, assim como seus companheiros selecionados na rodada inicial, decepcionou em 2017. Lutando contra lesões e também na adaptação ao jogo entre os profissionais, Davis teve apenas 9 jogos como titular na temporada regular. Draftado para ser o principal recebedor do Titans, Corey precisou de tempo para mostrar suas qualidades. No caso do WR, vale destacar que, apesar da classificação aos playoffs, o ataque da equipe de Tennessee estava longe de empolgar. Com ideias consideradas ultrapassadas por alguns analistas, a unidade comandada por Marcus Mariota foi apenas a 23ª da NFL no jogo aéreo, o que, obviamente, dificulta a adaptação de um novo jogador.

No entanto, como pode ser visto no vídeo acima, Davis demonstrou, principalmente, nos playoffs contra o Patriots, alguns lampejos de sua qualidade. A recepção para TD com apenas uma das mãos foi uma das mais bonitas da temporada. Em 2018, contando com uma nova comissão técnica, e mais adaptado a NFL, Corey Davis pode formar com Mariota uma das duplas mais talentosas de QB e WR da liga.

Leia textos exclusivos a cada semana sobre todos os times da NFL. Seja um assinante L32

Malik Hooker – Indianapolis Colts

Outra surpresa no draft 2017 foi a queda do ótimo Safety de Ohio State, Malik Hooker, até a 15ª escolha. Jogador de qualidade inquestionável, Hooker é um talento raro em sua posição. Capaz de leituras precisas, o Safety do Colts tem capacidade para mudar um jogo com sua habilidade acima da média de gerar turnovers nos adversários. Malik possui ainda algumas qualidades que não podem ser ensinadas; seus instintos apurados são um bom exemplo disto. Considerando que o jogador demonstra ter capacidade de evoluir tecnicamente ainda mais, Hooker pode ter em 2018 a temporada para já se colocar entre os melhores de sua posição.

Em 2017, após um começo bem interessante com alguns ótimos momentos – como pode ser visto no vídeo acima – Malik teve sua temporada encerrada após apenas 7 jogos. Podemos ter uma pequena noção do impacto que o Safety pode causar observando que, destas partidas, Hooker foi titular em 6 delas, onde conseguiu 3 interceptações, além de 22 tackles e 4 passes desviados. O único risco para o jogador é a sua recuperação, pois as lesões nos ligamentos do joelho foram, significativamente, graves. No entanto, caso esteja saudável, Hooker será um fator na defesa do Colts e um destaque na próxima temporada.

Malcolm Mitchel – New England Patriots

Jogador com um perfil diferente da maioria de seus colegas fora dos campos, Mitchel tem entre suas atividades um clube de leitura, que incentiva a alfabetização de jovens, e, recentemente, lançou seu primeiro livro. Escolhido no Draft de 2016, o WR chegou ao Patriots sendo muito elogiado por sua inteligência tanto fora, como dentro dos campos; mas, também, com questionamentos sobre sua durabilidade. Nestas duas temporadas com a equipe de New England, Mitchel comprovou ser um jogador muito inteligente, mas, infelizmente, também com muitas lesões.

Em sua temporada de calouro, o recebedor disputou 14 jogos e teve um desempenho interessante na reta final da temporada. Mitchel coroou a bom ano de estreia com uma importante participação na sensacional virada do Patriots sobre o Falcons no Super Bowl LI; onde conseguiu 6 recepções (algumas em momentos importantíssimos do jogo) para 70 jardas. Com destaque para a jogada que pode ser vista no vídeo acima, onde Brady procura Mitchel em uma 3ª descida fundamental para 11 jardas. Em 2017, no entanto, Mitchel, mais uma vez, sofreu com lesões e ficou de fora de todo o campeonato. Para a próxima temporada, com as saídas de Danny Amendola e Brandin Cooks, Malcolm terá uma grande oportunidade de se firmar como uma das referências no ataque do Patriots. O WR, que já mostrou que possui talento para isto, só precisa estar em campo para se destacar.

Estes foram os cinco jogadores que separamos como candidatos a, enfim, explodirem em 2018. Quem poderia entrar nesta lista? Comentem!


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Leave A Reply