terça-feira, 8 de Maio de 2018

Compartilhe

A temporada se aproxima e as previsões começam, já falei sobre possíveis candidatos aos títulos das conferencias, hoje falarei sobre jogadores que podem decepcionar nessa próxima temporada. Vale lembrar que muitos desses jogadores são “ultrahypados”, são colocadas altas expectativas sobre um jogador, mesmo se ele jogar razoavelmente, ainda haverá o sentimento de decepção. Isto acontece com calouros, que foram escolhas arriscadas, e que necessitam de lapidação para ir bem na liga, existem alguns nomes desse Draft que se encaixam nessa situação.

Outro caso que acontece muito e quando um atleta tem uma performance inacreditável, que nunca mais vai repetir, alô Alex Smith! Ajustes técnicos de sistema podem ajudar na performance individual, só que quando isso acontece, os coordenadores responsáveis se tornam head coaches na temporada seguinte, alô Matt Nagy e Pat Shurmur! Por isso temos que ter calma ao avaliar o desempenho, muitas vezes houve um favorecimento do sistema, para que aquele jogador se destacasse. Mas chega de introdução, e vamos aos nomes

1 – Case Keenum

A melhor história da temporada passada. Desacreditado, foi contratado pelo Vikings para ser reserva de Sam Bradford, mas quando o titular machucou na semana 2, Keenum teve que assumir o rojão, e com ajuda da comissão técnica conseguiu levar Minesota à pós-temporada. Você viu né? Case teve um sistema construído para esconder seus defeitos, claro que jogou bem, mas isso não tira o fato dele está longe de ser um elite QB. Sem quarterback para 2018, Denver foi ao mercado e contratou o ex-camisa 7. Keenum não vai ser a salvação para o Broncos, e essa contratação pode ser uma armadilha no caminho da equipe do Colorado, pois sabemos que será difícil repetir o que jogou no ano passado.

2 – Alex Smith

Após ver seu subistituto em Kansas ser selecionado na primeira rodada do Draft de 2017, Smith teve uma das melhores temporadas da carreira, mas tenho certeza que isso não se repetirá. Além sempre foi um QB limitado, teve seus momentos de glórias em San Francisco, porém todos conhecem o teto de produtividade do camisa 11. O principal agente responsável pela melhora repetina de Alex não estará mais com ele, estou falando de Matt Nagy, ex-coordenador ofensivo no Chiefs, e hoje técnico do Chicago Bears. O ataque que rodeia o QB em Washington é fraco, Jordan Reed não consegue ficar saudável, Josh Doctson e Jamison Crowder não são confiáveis e Paul Richardson não é o melhor WR1 da liga. Aos torcedores de Washington que estão esperando o Alex Smith de 2017, sinto muito, mas muito provavelmente vocês ficarão decepcionados.

3 – Marcus Davenport

Como dito anteriormente, se coloca muita expectativa em calouros, por isso pode gerar decepção da torcida sobre o jogador. O Saints subiu no Draft para selecionar Davenport, trocando a escolha de primeira rodada de 2019 para subir da 27 a 14. O preço da troca foi alto, pois New Orleans podiam ter esperado um pouco para trocar, conseguindo assim uma troca mais barata. Marcus é um jogador explosivo e forte, porém, ele jogou em uma conferência fraca no College, por causa disso, sua habilidade é questionada, pois muitos pensam que ele foi favorecido pelo “fácil” calendário de UTSA.

No Saints ele contará com a “colaboração” de Cameron Jordan, um dos melhores pass rushers da liga, há muito potencial par uma boa performance, mas o piso de talento de Davenport é questionável, por isso coloco-o como uma possível frustação em 2018.

4 – Terell Edmunds

A necessidade de um Safety em Pitsburgh era clara, mas a escolha foi errada. Edmunds é muito atlético e consegue cobrir bem o passe, porém a inconsistência predomina. Por causa disso, Terrell era cotado para ser escolhido na terceira ou quarta rodada, mas acabou saindo na vigésima oitava escolha. Por não valer a escolha, o ex-Hookie pode acabar frustrando a massa amarela e preta. A defesa do Steelers já não conta com Ryan Shazier, que quase ficou paraplégico após se lesionar durante um jogo em 2017. As perspectivas não são boas, poderia colocar a defesa inteira como uma potencial decepção, mas a escolha de Terrell o coloca como foco, foi um reach absurdo, que nunca será pago

5 – Patrick Mahomes

O nome mais polêmico dessa lista. Selecionado na primeira rodada do Draft de 2017, o quarterback vindo de Texas Tech, chegou para aprender e suceder Alex Smith em Kansas. Agora, a franquia está nas mãos de Mahomes, mas, ele pode decepcionar, e não será culpa dele. No ano passado, o Chiefs vinham denominando até a semana 6, quando começaram uma sequencia de quatro derrotas, e os questionamentos começaram a cerca de Andy Reid e suas chamadas ofensivas, buscando uma solução para esse problema, Matt Nagy (a época coordenador ofensivo) ficou responsável por chamar as jogadas, e isto durou até os playoffs, quando Kansas City perdeu após uma virada milagrosa do Titans. Vale lembrar que, o ataque do Chiefs foi inútil no segundo tempo, muito por causa de não ter Trevis Kelce em campo, ele saiu machucado no fim do primeiro tempo, e não regressou, causando uma completa disfuncionalidade da unidade ofensiva. Pensando nisso, Kansas contratou Sammy Watkins (WR), mas lesões circundam a carreira de Watkins, e podem atrapalhar ele nesta nova jornada. O ataque de Kansas me transmite incertezas, podendo decepcionar muitos na próxima temporada. Se o ataque não for bem moldado, estará sendo jogada fora uma escolha de primeira rodada, e Patrick será lembrado como bust, quando não terá culpa nenhuma da desorganização técnica da franquia.

Compartilhe