terça-feira, 26 de junho de 2018

Compartilhe

Os Trainning Camps estão cada vez mais próximos, e as famosas batalhas de Quarterbacks devem se intensificar e começar as discussões entre torcidas e analistas logo logo. Isso acontece principalmente em equipes que selecionaram um QB alto no Draft, que é o caso do Arizona Cardinals. Josh Rosen veio de uma troca com o Oakland Raiders na #10 geral e Sam Bradford assinou com a equipe durante a free agency vindo do Minnesota Vikings. Quem será o titular? Quem deveria ser o titular? Essas são perguntas que nem sempre tem resposta certa.

Vamos começar analisando cada um dos jogadores. Sam Bradford é um atleta polêmico, mas não com relação a atitudes ou algo do tipo. Ele divide opiniões por causa da sua relação talento/saúde. O jogador já mostrou diversas vezes o seu talento e que é capaz de ser o franchise quarterback de alguma franquia, no entanto, com um grave problema de lesões nos joelhos, são raras as temporadas em que atua os 16 jogos. Em 2017 foi titular em apenas 2 jogos, na semana 1 e na 5, completando somente o primeiro jogo. Teve 382 jardas, 3 TDs e um rating de 124,4. No entanto, apesar dos números, a segunda partida que jogou, mostrou claros sinais de que não estava recuperado e saiu novamente, perdendo todo o resto da temporada. Assim perdeu seu espaço na equipe para Case Keenum e teve que testar o mercado de free agents.

O Arizona Cardinals resolveu lhe dar uma chance. Com Carson Palmer se aposentando, a franquia ficou sem nomes para a posição e precisava investir. Além de Palmer, o técnico da franquia, Bruce Arians, também se aposentou, o que deixou um vasto espaço para uma reconstrução. Bradford acreditou no projeto de Steve Wilks, novo HC e assinou. No entanto, era claro que a primeira escolha geral do Draft de 2010 não poderia ser a única opção para a equipe. Seu histórico de lesões e a incerteza se jogaria toda a temporada faziam com que a equipe tivesse que buscar pelo menos mais um nome. E foi ai que chegou Josh Rosen.

O polêmico Quarterback de UCLA, dito por muitos como o melhor da classe, viu seu alcance cair bastante no final do processo do Draft. Algumas declarações e questões sobre seu caráter parecem ter assustado alguns GMs. Nem mesmo Steve Keim, GM dos Cardinals que o selecionou, o tinha como principal nome para a posição. Algum tempo depois do Draft, vazou um forte rumor de que Josh Allen era o QB1 da franquia, mas em meio a troca dos Bills, “roubando” Allen dos Cards, a equipe decidiu subir por Rosen, numa troca com os Raiders, e a torcida parece ter gostado bastante desse fim.

Depois dos OTAs e Minicamps da equipe, Josh Rosen vem sendo bastante elogiado por todo o trabalho que vem fazendo e mostrando grande evolução. É claro que devemos sempre relativizar esses elogios pois em grande maioria são exercícios simples, sem equipamentos, contato ou linha ofensiva. Mas o fato dele ser elogiado já é alguma coisa, ao contrário de notícias de outros times por exemplo que dizem claramente que o QB calouro está bem atrás do veterano nos exercícios em questão.

Sobre a posição de titular, é complicado. Existe sempre aquele argumento de que QBs calouros devem ficar atrás de veteranos um tempo para aprender. No entanto, esse argumento vem diminuindo ano após ano. Josh Rosen era o QB mais pronto desse Draft e precisa jogar! O Arizona Cardinals não tem um elenco primoroso e não precisa vencer agora. É hora de deixar o calouro jogar e melhorar. É claro, ele precisa aprender o playbook, conhecer todas as nuances da posição e melhorar sua mecânica profissional. O problema é que sentar no banco e ficar vendo outro fazer isso não vai adiantar muita coisa. Eles precisam fazer. Ter um QB como Sam Bradford no elenco ajudando é primordial, ainda mais tirando a pressão de ter que assumir logo essa vaga. Ela deve vir de forma natural, e o melhor cenário possível é pós semana 4 da pré temporada, na semana de estreia da equipe na temporada regular.

Josh Rosen é um talento enorme, todos sabem. O que foi falado sobre ele e sua personalidade servirão apenas de combustível para alcançar o melhor de seu jogo o mais rápido possível. Os Trainning Camps que virão agora em julho serão primordiais. Cada snap vai contar e a batalha pela posição de titular será intensa. Sam Bradford entra como favorito, claro, mas a minha aposta para a posição e quem eu acho que deveria ser escolhido veste a camisa 3 e trocou o azul e dourado pelo vermelho e branco do deserto.

Compartilhe

Leave A Reply