terça-feira, 31 de julho de 2018

Compartilhe

Os Training Camps já estão pegando fogo e alguns dos jogadores que anunciaram suas greves já entraram em acordos com suas equipes para retornar aos treinos. Não é o caso de Earl Thomas. O safety do Seattle Seahawks segue irredutível, ou tem seu contrato renovado ou busca uma troca. A equipe, no entanto, está deixando a situação correr. Os treinos seguem rolando e pouco tem se falando sobre o jogador. Uma das estrelas da equipe e um dos pilares da unidade defensiva que já sofreu tantas perdas, o caso do camisa 29 está dando o que falar e pede um resolução o quanto antes.

Primeiro devemos analisar o cenário. O jogador já deixou claro que não se apresentará nessas condições e já deu a solução ao Seahawks, cabe agora à equipe escolher. Renova o contrato ou troca o jogador?

A troca me parece o cenário mais provável no momento. Após toda uma novela envolvendo o Dallas Cowboys durante o Draft, o jogador que é natural do Texas já declarou que adoraria jogar pela equipe. Segundo repórteres, por muito pouco o negócio não foi concretizado durante o segundo dia do evento de recrutamento. O preço especulado teria sido de uma segunda rodada. Proposta essa que acabou sendo recusada e a escolha aplicada no OL Connor Williams. O insucesso dessa troca abre margem para discussão, por que não foi aprovada? Por quem foi reprovada? Me parece razoável afirmar que foi o Cowboys que acabou declinando o negócio, a questão que buscamos aqui é o motivo. Talvez estivessem prontos para apertar o gatilho da troca, porem não esperavam a queda de um atleta que estavam apaixonados (Connor Williams) e assim o negócio desandou. Ou talvez tenham pedido algo em retorno além do safety pela sua segunda rodada. O que nos leva a outro ponto interessante, o atual preço do jogador.

Não acredito no Seahawks trocando Earl Thomas por menos do que uma terceira rodada. Apesar de estar com 29 anos e apenas mais um ano de contrato, o jogador ainda é discutivelmente um dos 3 melhores da posição. Na pior das hipóteses, a equipe segura o safety nesta temporada apesar da greve e aplica uma franchise tag em 2019, garantindo 2 anos do atleta. Depois deixa ele ser livre na free agency e acaba com uma terceira rodada compensatória. No entanto, é importante dizer que esse seria o pior cenário possível também para Thomas, que não ficaria nada satisfeito.

A outra opção é renovar o contrato do jogador. Mesmo após toda essa situação e a greve do atleta, que inclusive pediu abertamente para ser trocado em seu Instagram, ainda existe a possibilidade dele permanecer. A questão que entramos agora é por qual valor e pelo que ele brigaria atualmente com o Seahawks. A equipe está claramente em reconstrução e não pretende ficar amarrada a grandes contratos nesse momento. É claro, quando se tem um Franchise QB do nível de Russel Wilson, tudo fica mais fácil e o processo mais rápido, porém, acredito que Thomas queira vencer agora. Então, que valores seriam suficientes para satisfazer o atleta a ponto de não se importar com o momento da equipe? Difícil saber… Essa é uma pergunta que somente o jogador poderia nos responder.

Como podemos ver, essa atualmente tem sido uma das novelas mais complexas da temporada, porém, devemos ver seu desfecho em breve, provavelmente no meio dos Training Camps. O GM da equipe, John Schneider tem uma bomba nas mãos, e deve tomar cuidado para não deixa-la estourar. Devemos lembrar que talento nem sempre vem em primeiro lugar. Em um momento de reconstrução e novos talentos chegando na equipe, o vestiário e as influencias dos atletas devem ser prioridade para que o aprendizado e a ambientação venham  ser as mais saudáveis possíveis.

Compartilhe

Leave A Reply