quinta-feira, 5 de julho de 2018

Compartilhe

Nas últimas semanas, falei sobre o surgimento da AFL, seu crescimento e sua inevitável fusão com a NFL. Em 1970, já tínhamos uma liga muito mais parecida com a de hoje, bem como o Super Bowl estabelecido. Mas ainda faltavam algumas das franquias que hoje conhecemos.

Quando a primeira temporada pós-fusão foi jogada, justamente a de 1970, eram 26 equipes na NFL. Mas no primeiro contrato assinado, o plano era que em menos de uma década esse número subisse para 28. Assim, começaram as buscas por empresários dispostos a investir nessas novas franquias e cidades que queriam sediá-las.

A região da baía de Tampa, na Florida, já queria uma equipe fazia um certo tempo. Ela assediava Patriots e Bills, que estavam em Boston e Buffalo, mas não tinham estádios considerados de bom nível para uma liga dessa proporção. Quando os dois times conseguiram os fundos para construir seus novos estádios nos mesmos lugares que já estavam sediados, ficou evidente que esse seria um dos lugares que receberiam uma expansão.

Hugh Cluverhouse era um advogado bastante rico que tentava comprar o Los Angeles Rams. Quando o comprador original da franquia, Tom McCluskey, desistiu do negócio, a NFL uniu o útil ao agradável ao passar a nova franquia para Cluverhouse. Para melhorar a situação, ele era de Jacksonville, já no mesmo estado onde o time seria criado.

LEIA MAIS: Existe racismo contra quarterbacks negros na NFL?

Uma votação local decidiu pelo nome de Buccaneers, fazendo referência aos bucaneiros que, lá no século XVII, aterrorizavam o golfo da Florida. Um estádio com capacidade para 72 mil pessoas seria construído na cidade de Tampa e o estado teria sua segunda franquia, somando ao Miami Dolphins.

Muitas outras cidades queriam uma expansão, mas nenhuma foi tão incisiva nessa busca como a de Seattle. Um grupo de empresários e executivos da cidade fundou em 1972 a “Seattle Professional Football, Inc”, visando negociar diretamente com a NFL a criação de uma equipe na cidade. Hermann Sarkovsky e Ned Skinner eram os líderes. Em 1974, um ano após a concessão da primeira expansão para Tampa, a NFL anunciou a segunda para o noroeste dos Estados Unidos.

Também foi um concurso entre moradores que definiu o nome da equipe – dentre mais de 1700 sugestões, Seahawks foi o escolhido. O acionista majoritário da franquia seria Lloyd Nordstrom, mas ele faleceu antes de ver a primeira partida ser disputada.

As duas franquias foram adicionadas oficialmente à NFL em 1976. Um draft suplementar foi feito, com os outros 26 times colocando jogadores à disposição. Infelizmente para Buccaneers e Seahawks, não havia muito talento disponível, com os principais nomes sendo obviamente protegidos. Os primeiros anos seriam muito complicados para as equipes novatas.

Um detalhe bizarro é que, nessa primeira temporada de 1976, Seahawks e Buccaneers jogaram em conferências trocadas – a primeira, na NFC Central, a segunda, na AFC West. Em 1977, a troca seria feita, seguindo a lógica, e esse alinhamento se manteria até que as novas expansões viessem.

Com um trabalho bastante ruim do técnico John McKay, vindo de USC, o Bucs sofreu demais em seu começo de existência. Escolhas ruins no draft e um elenco cheio de veteranos em final de carreira não ajudaram em nada a equipe, que terminou seu ano inicial com campanha de 0-14. Foi só na semana 13 da temporada de 1977 que veio a primeira vitória, um 33 a 14 sobre o New Orleans Saints. Foram absurdas 26 derrotas antes que esse triunfo viesse, uma sequência de dar inveja no Cleveland Browns dos anos mais recentes.

O Seahawks não era, nem de longe, um grande time, mas estavam bem acima do Bucs, Aliás, foi contra a equipe de Tampa que veio a primeira vitória: 13 a 10. 1976 terminou com campanha de 2-12, e 1977, com 5-9. A primeira classificação para os playoffs demoraria quase uma década, chegando em 1983, com o time parando só na final da AFC, com um 30 a 14 para o Oakland Raiders.

Depois do péssimo começo, Tampa Bay se recuperaria mais rápido e alcançaria os playoffs já em 1979. Foi uma grande escalada – de 0-14 para 2-12, de 2-12 para 5-11, de 5-11 para 10-6. Essa campanha também só pararia na decisão da conferência.

Mas Buccaneers e Seahawks só alcançariam um Super Bowl no Século XXI – o primeiro, em 2002, quando derrotou o Oakland Raiders para ficar com seu único Lombardi, o segundo, em 2005, perdendo para o Pittsburgh Steelers, mas também conseguindo o seu troféu alguns anos depois, em 2013.

A próxima mudança significativa na NFL moderna é a ida do Baltimore Colts para Indianapolis, e de forma muito polêmica. Esse será o tema da próxima coluna!

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe