terça-feira, 10 de março de 2015

Compartilhe

Finalmente a espera acabou e o caos teve início: O mercado da NFL está oficialmente aberto! No dia 10/03/15, mesmo antes da abertura do mercado, as franquias já se movimentavam e realizavam trocas de grande impacto. Foi um dia insano, enlouquecedor e que nos reservou algumas surpresas. Tivemos equipes fazendo suas primeiras contratações e outras fazendo trocas impressionantes. Alguns movimentos merecem um destaque maior por envolver jogadores importantes ou reforços pontuais para as franquias. Vejam aqui quais foram as principais contratações do dia e a nossa análise sobre cada acordo:

LEIA MAIS: Principais movimentações do mercado (Dia 2)

Jimmy Graham (New Orleans Saints) para o Seahawks /Max Unger (Seattle Seahawks) para o Saints

Os 5 minutos mais insanos do dia. Ninguém esperava que uma das referências do Saints poderia mudar de equipe. A negociação foi bem rápida: os jornalistas norte-americanos confirmaram que a franquia de New Orleans estaria interessada em trocar o TE Jimmy Graham e cinco minutos depois, o Seahawks concluía a negociação e mandava o C Max Unger mais uma escolha de 1ª rodada no Draft 2015 para o Saints. Para entender o motivo da troca, devemos primeiro olhar para o salary cap da equipe da Louisiana: por uma falta de organização e cálculos maus feitos, a franquia se colocou numa situação desastrosa e o seu teto salarial estava negativo. Em 2014, Graham firmou um acordo de 4 anos e 40M de dólares; com o problema de dinheiro em 2015, New Orleans foi “obrigado” a se desfazer de um dos seus principais talentos. Com a troca, a situação monetária do Saints deu uma leve aliviada, mas ainda é bem complicada.

Jimmy Graham é um dos melhores TEs da liga, isso é um fato. Seus números se assemelham aos de um WR. Desde que entrou para a NFL em 2010, o atleta tem 4752 jardas recebidas, 51 touchdowns em 386 recepções. Isso é MUITA coisa para um TE. Talvez ele e Rob Gronkowski (New England Patriots) sejam os dois melhores jogadores da posição hoje em dia. A sua habilidade de bloqueio pode até ser um pouco questionada, mas o seu trabalho recebendo a bola é impecável e compensa a tal deficiência.

O Saints não teve muita escolha. A saída de Graham tinha que acontecer para a equipe não ficar em situação pior do que já estava. Porém, não existem apenas más notícias em New Orleans. Olhando pelo lado bom, na troca, a franquia ganhou o reforço do C Max Unger. O atleta é um dos bons jogadores da NFL na posição e foi um dos responsáveis por bloquear os defensores para Marshawn Lynch poder entrar em seu Beast Mode. Quando se machucou, a produção terrestre de Lynch caiu e provou o quanto Unger era importante para o sistema de jogo de Pete Carroll. New Orleans tem agora uma arma para melhorar ainda mais o seu bom ataque terrestre comandado por Mark Ingram. Além disso, o Saints terá mais uma escolha na 1ª rodada no Draft desse ano, ou seja, oportunidade de escolher um jogador melhor logo de cara.

Para o Seahawks, Jimmy Graham foi uma grande aquisição ofensiva. Numa equipe sem um grande recebedor número 1, o atleta vem para suprir essa ausência. Para você ter uma idéia de como o ataque do Seahawks não confiava em seus TEs recebendo a bola: Durante o Super Bowl XLIX, Russell Wilson lançou nada mais nada menos do que ZERO passes na direção de seus TEs, ZERO!!! As equipes da NFL precisam ter um jogador de qualidade para a posição que está se reinventando durante os anos. Seattle ganha muito com a vinda de Graham e agora, além do efetivo ataque terrestre da equipe, o ataque aéreo merece ser observado com atenção e devidamente respeitado.

Shane Vereen (New England Patriots) contratado pelo Giants

A chegada de Vereen encaixa como uma luva na West Coast Offense de Ben McAdoo. O RB, campeão do Super Bowl XLIV com o New England Patriots, possui características diferentes do corpo de corredores do time, reforçando ainda mais o grupo que conta com Rashad Jennings e Andre Williams. A habilidade de fazer recepções de Shane Vereen não só tornará o ataque do Giants mais explosivo como também dará a Eli Manning uma nova arma que além de receber passes é um ótimo bloqueador.

Nick Foles (Philadelphia Eagles) para o Rams e Sam Bradford (St. Louis Rams) para o Eagles

Antes mesmo do mercado abrir, Philadelphia Eagles e St. Louis Rams fizeram uma troca surpreendente. O Eagles mandou o QB Nick Foles, uma escolha de 4ª rodada no Draft de 2015 e uma escolha de 2ª rodada em 2016 para o Rams em troca de uma escolha de 5ª rodada em 2015 e o QB Sam Bradford. É difícil imaginar o que passa na cabeça de Chip Kelly (técnico do Eagles). Foles foi o titular da equipe por 13 jogos em 2013, teve números fantásticos (27 touchdowns aéreos e apenas 2 interceptações) e ainda bateu o recorde de mais touchdowns lançados em um único jogo, com 7. Em 2014, o QB vinha alternando bons e maus momentos até a sua contusão na semana 9. Se ele não tivesse se machucado, possivelmente Philadelphia iria para os playoffs. Porém, isso tudo parece não surpreender o Head Coach do Eagles. Será que o ex-QB do Rams chegou para ser usado como moeda de troca e fazer a franquia subir no Draft para buscar o QB Marcus Mariota (Oregon)? Eu, sinceramente, não acredito. O Eagles arrisca bastante apostando em Sam Bradford para ser o seu titular. O questionado Mark Sanchez teve seu contrato renovado e também está no elenco para 2015, mas vamos combinar que ele não é lá uma grande opção. Se Bradford não estiver 100%, a caminhada do Eagles será complicada. Fica a pergunta: Por que o Eagles se desfez de Nick Foles mesmo ele já tendo demonstrado capacidade para liderar a equipe? O futuro nos responderá.

Sam Bradford, o vencedor do prêmio Heisman de 2008, foi escolhido pelo St. Louis Rams com a primeira escolha geral do Draft de 2010. No mesmo ano, o QB jogou muito bem e foi eleito o “Offensive Rookie of the Year”. Porém, logo depois o jogador enfrentou uma luta contra as lesões. Em 2011 perdeu 6 jogos da temporada e o Rams terminou com 2 vitórias e 14 derrotas. Dois anos depois, o primeiro grande baque na carreira de Sam: Uma lesão no ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo fez com que a temporada dele acabasse antes da metade. Recuperado em 2014, Bradford e o Rams estavam confiantes, mas antes mesmo da temporada começar, uma nova lesão no mesmo ligamento do joelho esquerdo jogou o ano de Bradford por água abaixo. Não sabemos como está a condição física do atleta e se o seu joelho ainda aguenta a pressão.

Num primeiro momento, quem ganha com a troca é o St. Louis Rams. A equipe tem uma das melhores defesas da NFL, um elenco jovem e só precisava de um QB decente para ser considerada uma aposta para os playoffs. Com Foles, agora não precisa mais. O jogador é perfeitamente confiável e levou a franquia de Philadelphia para os playoffs em 2013 e como titular na NFL tem 14 vitórias e 4 derrotas.

Observação: O St. Louis Rams só recebe a escolha de 2ª rodada do Eagles de 2016 se Sam Bradford for o titular na Philadelphia.

Torrey Smith (Baltimore Ravens) contratado pelo 49ers

O San Francisco 49ers finalmente deu uma boa notícia aos seus torcedores: Fechou com Torrey Smith para os próximos cinco anos! O jogador se junta ao seu ex-parceiro de Baltimore Ravens, Anquan Boldin. Desde que entrou para a NFL em 2011, o atleta sempre esteve acima das 700 jardas recebidas e na temporada passada recebeu 11 touchdowns (sua melhor marca na carreira). O WR é bem regular, vem de uma grande temporada e pode dar trabalho para as equipes que enfrentarão o 49ers em 2015. Foi campeão do Super Bowl XLVII contra o próprio 49ers em 2012, sendo um dos grandes responsáveis pela campanha de sua franquia. O atleta é uma ótima opção em profundidade para Colin Kaepernick; com a quase certa saída de Michael Crabtree, a contratação de Smith foi um bom movimento do 49ers no mercado. A dupla Smith/Boldin, assim como em 2012, será uma grande ameaça para qualquer equipe da NFL.

Haloti Ngata (Baltimore Ravens) para o Lions e escolhas de 4ª e 5ª rodada para o Ravens

Há algumas semanas já existiam rumores de que Baltimore poderia cortar o DT Haloti Ngata de seu elenco. O jogador foi campeão do Super Bowl XLVII com o Ravens em 2012, já foi eleito 5 vezes All-Pro e foi selecionado 5 vezes para o Pro Bowl, no entanto, já possui os seus 31 anos e ocuparia um total de 8,5M no salary cap do Ravens em 2015. Pelo lado do Detroit Lions, a equipe pode perder o melhor DT da liga, Ndamukong Suh e seu outro talentoso DT titular, Nick Fairley, também pode estar de saída. Dessa forma, o Lions ficaria sem muitas opções para a posição no atual elenco. Talvez Ngata tenha saído barato demais para Detroit. Sua produtividade e dominância demonstradas durante a temporada de 2014 da NFL ainda colocam o jogador como um dos grandes na posição. Entretanto, duas escolhas de meio de Draft é um bom prêmio para o Ravens, já que o time poderia cortar o jogador e não receber nada em troca. Em compensação, poderá escolher mais dois jovens atletas para o seu elenco.

Byron Maxwell (Seattle Seahawks) contratado pelo Eagles

byron-maxwell-554718

Apesar das tentativas de justificar essa contratação, os valores envolvidos não me permitem. Era do conhecimento de todos que a secundária do Eagles precisava urgentemente de talento. Além de ser um grupo considerado fraco, é sempre bom lembrar que na próxima temporada eles enfrentarão Dez Bryant, DeSean Jackson e Odell Beckham Jr. duas vezes por ano! A escolha do CB Byron Maxwell, ex-Seahawks, para ser o novo reforço do Eagles, de certa forma, deixa dúvidas. Quando olhamos para os valores financeiros do contrato de Maxwell (6 anos e 63M de dólares) e comparamos com os acordos de outros jogadores da posição, por exemplo, Brandon Flowers: 4 anos e 36M e Kareem Jackson: 4 anos e 34M, percebe se que o Eagles pagou caro demais pelo jogador. Falando de Maxwell em si, o atleta de 27 anos é fisicamente talentoso e na Philadelphia enfrentará um novo desafio, já que fará parte de uma secundária muito menos talentosa que a Legion of Boom e, provavelmente, será o responsável por marcar os principais WRs adversários.

Darrelle Revis (New England Patriots) contratado pelo Jets

O CB Darrelle Revis voltará a jogar pela equipe que o escolheu em 2007. O atleta já foi escolhido seis vezes para o Pro Bowl, nomeado quatro vezes como All-Pro e em 2014 foi campeão do Super Bowl XLIV com o New England Patriots. Com o título nas costas, o jogador analisou a proposta do Jets e resolveu acertar o último grande contrato de sua carreira. Considerado por muitos o melhor jogador da NFL em sua posição, Revis não precisa mais provar nada para ninguém. Ele foi muito questionado depois de trocar a sua equipe de origem pelo Tampa Bay Buccanners em 2013 e fazer uma péssima temporada. Ficou no ar uma dúvida sobre o futuro do jogador na NFL, alguns achavam que ele não renderia mais na liga. Porém, em 2014, Revis ressurgiu, fechou a boca de todos que pensavam que ele estava acabado e fez uma temporada fantástica em New England (resultando no primeiro e único título de sua carreira até aqui). O New York Jets ganha de volta um grande valor para a sua defesa. Uma equipe bagunçada em 2014 e com Todd Bowles (ex-coordenador de defesa do Arizona Cardinals) como treinador, o CB tem tudo para ainda render em alto nível. A contratação de Darrelle, até aqui, foi a melhor. A “Revis Island” estará de volta à New York em 2015.

Outras contratações de destaques do 1° dia:

LB LaMarr Woodley (ex-Oakland Raiders) para o Arizona Cardinals.

SS Tyvon Branch (ex-Oakland Raiders) para o Kansas City Chiefs.

OG Mike Iupati (ex-San Francisco 49ers) para o Arizona Cardinals.

LB Jonathan Casillas (ex-New England Patriots) para o New York Giants.

LB Malcolm Smith (ex-Seattle Seahawks) para o Oakland Raiders.

OG Orlando Franklin (ex-Denver Broncos) para o San Diego Chargers.

DT Stephen Paea (ex-Chicago Bears) para o Washington Redskins.

DE Trent Cole (ex-Philadelphia Eagles) para o Indianapolis Colts.

TE Owen Daniels (ex-Baltimore Ravens) para o Denver Broncos.

LB A.J. Hawk (ex-Green Bay Packers) para o Cincinnati Bengals.

RB Frank Gore (ex-San Francisco 49ers) para o Indianapolis Colts.

Por Rodrigo Perrotta e André Oliveira.

Compartilhe

Leave A Reply