sábado, 22 de Abril de 2017

Compartilhe

Tendo passado pelas divisões Norte e Leste, chegou a hora de fazermos a terceira parte do Cinco Opções para o Draft 2017. Dessa vez, ofereceremos cinco alternativas para as primeiras escolhas das franquias da NFC e AFC Oeste. Como sempre, sinta-se livre para discutir sobre as escolhas na seção de comentários do site, pelo Facebook ou Twitter.

AFC Oeste (Edu Araújo)

Los Angeles Chargers SD

S’s Malik Hooker (Ohio State) e Jamal Adams (LSU)

Eric Weddle é um verdadeiro playmaker e foi embora do Chargers faz uma temporada, deixando a posição de safety totalmente carente. Já que Anthony Lynn é um técnico com mentalidade ofensiva, deixará a defesa nas mãos de Gus Bradley, novo Coordenador Defensivo da equipe e responsável pela montagem da Legion of Boom no Seattle Seahawks. Bradley terá dois playmakers na posição de safety para tomar uma decisão, se preferir um safety com uma grande capacidade de leitura, que tome conta totalmente do fundo do campo como Earl Thomas no Seahawks, o Chargers poderá escolher Malik Hooker. Caso o DC opte por um jogador mais agressivo na linha de scrimmage, extremamente físico e bastante eficiente nos tackles, poderá escolher Jamal Adams.

CB Marshon Lattimore (Ohio State)

Outra opção para o Chargers é buscar um dos ótimos Cornerbacks do Draft, e o melhor deles, sem dúvida, é Marshon Lattimore. Jason Verrett e Casey Hayward são intocáveis na equipe, mas com as formações com três cornerbacks sendo utilizadas cada vez mais, os times precisam de no mínimo três jogadores capazes de serem titulares na posição. A adição de Lattimore daria não só profundidade ao grupo como também tornaria o trio de cornerbacks do Chargers um dos melhores da NFL.

DL Jonathan Allen (Alabama) e Solomon Thomas (Stanford)

Se o Chargers optar por um playmaker na defensive line, poderá escolher Jonathan Allen ou Solomon Thomas.  Tanto Allen como Thomas poderiam jogar no interior da linha em formações 4-3 ou como DE na formação 3-4, dando um grande leque de opções para Gus Bradley trabalhar e sendo um fator essencial para ajudar a abrir caminho para Joey Bosa e Melvin Ingram atacar o quarterbacks adversários.


Denver Broncoslogo broncos

OLs Cam Robinson (Alabama), Ryan Ramczyk (Wisconsin), Garett Bolles (Utah) e Forrest Lamp (Western Kentucky)

Será muito difícil para o Broncos competir na AFC Oeste, encarando grandes pass rushers como Khalil Mack, Justin Houston, Joey Bosa e Melvin Ingram, com sua linha ofensiva atual. Tanto Cam Robinson, Ryan Ramcyzk e Garett Bolles chegariam para vestir a camisa e jogar de LT, posição de extrema necessidade para a franquia, enquanto Forrest Lamp poderia reforçar a posição de OG, ou até mesmo de OT, desde o primeiro jogo da temporada. Particularmente, creio que os “analistas” da NFL estão pegando bastante pesado em relação aos jogadores de linha ofensiva. Não é uma classe com grande variedade, mas os jogadores presentes possuem bastante talento, principalmente para ser desenvolvido.

RB Christian McCaffrey (Stanford) e Dalvin Cook (FSU)

Fora linha ofensiva, o Denver Broncos pode querer escolher um dos ótimos RBs desse Draft, já que é outra posição bastante carente na equipe. McCaffrey e Cook são jogadores com um ótimo potencial carregando a bola e uma grande ameaça recebendo passes, podendo ajudar muito quem é que seja o quarterback titular na equipe de Denver.


Oakland Raiders logo raiders

RB Christian McCaffrey (Stanford)

Com a saída de Latavius Murray, o Raiders acaba não tendo um RB considerado Titular, já que o recém-contrato Marshawn Lynch é uma incógnita total nessa fase da carreira. McCaffrey iria trazer uma versatilidade espetacular para esse ataque que já é bastante mortal. O ex-Cardinals é uma ameaça completa, podendo correr com agilidade e receber passes em rotas precisas, tanto slants no Slot como em screens, dando uma opção a mais para Derek Carr brilhar.

DL Malik McDowell (Michigan State)

O Raiders precisa reforçar sua linha defensiva, principalmente o miolo dela, e Malik McDowell poderá ser o cara perfeito para isso. Muito atlético, o DL ex-Spartans poderia atuar como um DT pelo interior da linha ou como um DE em situações de 3-4, dando a Khalil Mack e Bruce Irvin muito mais espaço para atacar o QB.

LBs Zach Cunningham (Vanderbilt) , Haason Reddick (Temple) e TJ Watt (Wisconsin)

O Raiders tentou até o ultimo momento contratar Zach Brown para ser seu novo LBs, porém o jogador preferiu o Redskins. Zach Cunningham,  Haason Reddick e TJ Watt são ótimas opções para a posição. Cunningham é um LB mais clássico, podendo atuar como um MLB na maioria das vezes. Já Reddick e Watt são versáteis, podendo atuar tanto como pass rushers de OLB, ou de SLB e WLB em formações 4-3, algo que o Raiders precisa muito.


Kansas City Chiefslogo chiefs

DE/OLB Charles Harris (Missouri)

A posição de OLB pode não parecer uma grande necessidade para o Chiefs, mas a profundidade do setor está perigosamente ameaçada. Justin Houston é um dos melhores jogadores da posição, mas jogou os 16 jogos da temporada apenas uma vez nas últimas quatro temporadas. Dee Ford é promissor, mas ainda inconsistente, enquanto Tamba Hali não é nem sombra do jogador que um dia já foi. Mais um produtivo nome da lista de pass rushers vindos de Mizzou, Charles Harris adicionaria não só talento como segurança ao setor.

LB Jarrad Davis (Florida)

Há dois anos o Chiefs contratou Josh Mauga para ser um fator defensivo ao lado do ótimo Derrick Johnson, porém o jogador não apresentou o mesmo jogo na época em que renovou por US$ 8,25 milhões de doláres com a franquia. Com Jarrad Davis, a equipe poderá ter um grupo muito agressivo na posição, tendo muito mais segurança tanto na marcação de TEs e RBs no Slot ou em Screen, algo que foi sofrível na equipe em 2016.

WR John Ross (Washington)

Depois de uma temporada decepcionante de Jeremy Maclin, o Chiefs poderá escolher um WR para deixar o setor mais forte ao lado do próprio Maclin e de Tyreek Hill. Como opção, a equipe poderia escolher John Ross, o qual brilhou nos testes de velocidade do Combine e ofereceria ao time uma ótima opção de passe longo.

QB Deshone Kizer (Notre Dame)

Mesmo a equipe vencendo mais de 10 jogos no ano passado, Alex Smith acabou deixando a desejar nos playoffs. Isso somado ao grande salario que o jogador receberá em 2018 (U$20 Milhões deixando apenas US$ 3 milhões de Dead Money caso o jogador seja cortado) e a preocupação de já ter um substituto a altura de imediato, poderá fazer o Chiefs escolher já em 2017 um novo QB. Kizer é um talento bruto, sem dúvidas um dos melhores braços no draft e até o mais atlético, mas que precisará de bastante desenvolvimento para melhorar suas leituras e precisão. Uma escolha interessante para o Chiefs pensando no futuro.

CB Tre’Davious White (LSU)

Com o espetacular Marcus Peters como um dos titulares, a outra vaga de CB para o Chiefs é uma incógnita. Steven Nelson foi utilizado no final da temporada passada sendo totalmente abusado pelos QBs e WRs. White é uma opção que chegará, pegará a camisa e atuará de imediato no Outside. Sendo um CB bastante físico de boa altura, Andy Reid saberá utilizar muito bem o jogador, lembrando o próprio Peters.


NFC Oeste (André Oliveira)

San Francisco 49erslogo 49ers

DLs Solomon Thomas (Stanford) e Jonathan Allen (Alabama)

Mesmo tendo utilizado as duas últimas escolhas de primeira rodada em jogadores de linha defensiva, o 49ers pode muito bem selecionar outro prospecto para reforçar o setor. Enquanto Thomas é melhor pass rusher, Allen é mais completo, podendo encaixar com mais naturalidade na defesa do time.

S’s Malik Hooker (Ohio State) e Jamal Adams (LSU)

Caso o time queira reforçar a secundária, na segunda escolha geral terá a sua disposição dois dos melhores prospectos na posição de safety nos últimos anos. Tanto Adams como Hooker são atletas de elite. Enquanto o defensive back de Ohio State é mais talentoso na cobertura, Adams possui mais experiência e é mais físico contra o jogo corrido.

QB Mitchell Trubisky (North Carolina)

Apesar de ser uma escolha muito alta para Trubisky na minha opinião, é bem possível um cenário onde o quarterback de UNC é selecionado aqui. Brian Hoyer e Matt Barkley são os dois quarterback do 49ers nesse momento e obviamente nenhum dos dois tem o que é preciso para ser um franchise quarterback. Apesar de ter apenas um ano de experiência, Trubisky demonstrou características bastante atraentes para as franquias que estão procurando por um signal-caller como precisão nos passes e mobilidade dentro do pocket.


Seattle Seahawkslogo seahawks

OLs Garett Bolles (Utah), Ryan Ramczyk (Wisconsin) e Forrest Lamp (Western Kentucky)

com exceção do C Justin Britt, o desempenho da linha ofensiva do Seahawks foi desastroso na última temporada. O time precisa urgentemente adicionar mais talento à proteção de Russell Wilson. Bolles e Ramczyk são dois jogadores com apenas um ano de experiência jogando na FBS, mas que possuem características que o tornam OTs com bastante potencial para serem titulares de qualidade na NFL. Já Lamp, apesar de ter jogado como LT durante a última temporada do College, deve mudar de posição na NFL e jogar como OG. O jogador de Western Kentucky é um dos prospectos mais “limpos” da classe. É bastante técnico, ágil, atlético e possui uma versatilidade bastante apreciada pelas franquias da NFL hoje em dia.

CBs Kevin King (Washington) e Tre’Davious White (LSU)

Tem sido notável a queda de rendimento da secundária de Seattle nos últimos anos. Felizmente para o Seahawks, essa classe de defensive backs é extremamente recheada de talentos, sendo King e White dois desses nomes com bastante potencial. O CB de Washington tem tudo que uma franquia da NFL procura em um Cornerback no aspecto físico, além de ter experiência jogando em todas as posições da secundária. Apesar de um pouco baixo, o cornerback de LSU é um dos melhores da classe na cobertura e tem velocidade para marcar recebedores rápidos.


Arizona Cardinalslogo cardinals

QBs Pat Mahomes (Texas Tech) e Deshone Kizer (Notre Dame)

O questionamento sobre o eventual substituto de Carson Palmer tem sido um dos assuntos mais comentados nessa offseason. O time ainda tem muitos buracos no elenco, mas a possibilidade de um jovem quarterback ser selecionado com essa escolha não pode ser descartada. Mahomes e Kizer são dois dos jogadores com mais potencial na posição. Ambos entrariam em uma situação bastante favorável, já que não precisariam ser titulares como calouros devido à presença de Palmer.

LB Reuben Foster (Alabama)

Uma das posições de ILB do Cardinals terá uma mudança na próxima temporada devido à saída de Kevin Minter e a chegada do veteraníssimo Karlos Dansby. Contudo, apesar de ainda ser um jogador útil, Dansby completará 36 anos em 2017 e obviamente não é uma solução a longo prazo. Além de vitalidade, Foster traria bastante agressividade para o front seven do Cardinals. O jogador tem um extenso histórico de problemas fora dos campos, mas isso não deve ser um problema para a equipe não chegar a considerar o jogador como uma opção caso ele esteja disponível.

CB Gareon Conley (Ohio State)

Com Marcus Cooper deixando o time na Free Agency, Justin Bethel assumindo primariamente a função de nickel CB e Brandon Williams tendo um ano bem abaixo, há boas chances do Cardinals utilizar essa escolha em um talentoso cornerback para jogar no lado oposto de Patrick Peterson caso o jogador certo esteja disponível. Conley é um dos defensive backs mais limpos da classe. Possui medidas decentes, históricos de lesões e problemas extracampo limpos, é atlético e igualmente impressionante na tape.

WR Mike Williams (Clemson)

Com o corte de Michael Floyd e Larry Fitzgerald já no fim da carreira, o Cardinals precisa de um jovem e talentoso WR com potencial de ser um #1 WR. Alto, rápido e com bom porte físico, Mike Williams tem as características para assumir essa função e ser um alvo de segurança por um bom tempo.


Los Angeles RamsResultado de imagem para los angeles rams logo

Escolha #37

WRs Zay Jones (East Carolina), JuJu Smith-Schuster (USC) e TE Evan Engram (Ole Miss)

Jared Goff teve um péssimo ano de calouro, mas certamente a falta de talento ao redor do jovem quarterback prejudicou bastante o seu desempenho. Apesar dos ricos contratos, Tavon Austin e Robert Woods são medíocres e o Rams ainda não possui um alvo confiável para disputar bolas na end zone. Apesar de não se caracterizarem por conseguir muita separação dos defensores, tanto Smith-Schuster como Jones são recebedores agressivos capazes de brigar por bolas difíceis contra defensive backs. Já Engram é um WR no corpo de um Tight End. Similar ao TE do Redskins, Jordan Reed, o jogador é um ótimo alvo para o jogo aéreo sendo muito rápido para os linebackers e muito grande para os defensive backs.

G/OT Dion Dawkins (Temple) e C/OG Pat Elflein (Ohio State)

A vinda do veterano Andrew Whitworth foi uma adição de qualidade à linha ofensiva do Rams, mas o interior do setor ainda precisa de talento. Tanto Dawkins como Elflein são jogadores versáteis e com qualidade para contribuir logo em seu primeiro ano. Enquanto o ex-Owls tem como OG sua posição mais natural, o ex-Buckeyes deve jogar como OC na NFL, com a possibilidade de também atuar como OG caso seja necessário.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.