terça-feira, 12 de junho de 2018

Compartilhe

Na tarde de ontem, Ian Rapoport da NFL Network, confirmou que o Dallas Cowboys e Zack Martin estão trabalhando em uma extensão contratual para o Guard, tornando o jogador mais bem pago de linha ofensiva da NFL. Os valores ainda não foram divulgados, mas a certeza é que superariam os 66,5 milhões por cinco anos que Andrew Norwell recebeu quando assinou com o Jacksonville Jaguars durante o período de Free Agency deste ano. O contrato ainda não foi assinado, mas a noticia é que está tudo encaminhado e faltam apenas detalhes para o anúncio. Desta forma, o Cowboys agora tem toda a base estrelar de sua linha ofensiva com contrato até pelo menos 2023 e está servindo de exemplo para as outras franquias da NFL.

Tyron Smith até 2023, Travis Frederick até 2023, e agora Zack Martin até 2024. Com esses 3 All Pros em uma mesma unidade, o Cowboys está sempre a frente das outras franquias da Liga quando o assunto é proteção ao seu Quarterback. Vemos cada vez mais a dificuldade de jogadores vindo do College Football em se adaptar a posição de Linha Ofensiva na NFL, onde uma porcentagem baixíssima dos jogadores selecionados corresponde às expectativas e são realmente confiáveis para proteger a posição mais importante do jogo.

Isso sem falar na contribuição ao jogo corrido, que acaba tendo um peso ainda maior para o atleta. Acabamos vendo muitos casos onde o sistema ofensivo implantado pode facilitar a vida do jogador, tendo um QB que acaba soltando a bola de forma mais rápida e o Tackle ou Guard não precisando segurar os jogadores de linha defensiva por tanto tempo. Essa mudança na forma de se jogar na OL, entre a NCAA e a NFL, acaba sendo muito grande e dificulta cada vez mais a vida desses jovens jogadores, diminuindo a qualidade de um dos setores mais importantes para o sucesso de uma franquia.

Após passar alguns anos sob comando de Tony Romo, jogador extremamente talentoso, mas que sofria constantemente com lesões, Jerry Jones e sua equipe parecem ter entendido o recado e dão a Dak Prescott todo o suporte necessário para sua saúde e longevidade. O mesmo pode ser dito para Ezekiel Elliott. O jogador é sem sombra de duvidas o atleta de skill position, ou seja, que produz com a bola nas mãos, mais habilidoso do elenco, e com uma boa margem. O que significa que veremos muito foco no jogo corrido deste ataque na temporada. Um grupo fechado na OL faz com que esse trabalho fique mais simples, e Zeke venha sofrer o primeiro contato o mais tarde possível, maximizando cada vez mais o número de jardas.

Colocando de forma mais simples, uma OL competente e sólida traz a estabilidade que toda equipe precisa, e não é o que vemos na NFL como um todo. Dos 32 times da Liga, podemos contar nos dedos os torcedores das franquias que se dizem 100% tranquilos com a unidade do time. Muitas vezes por falta de investimento, ou um sistema confuso, ou qualquer outro motivo. A verdade é que não temos muito talento de forma geral na posição. Isso faz com que cada vez mais os Edge Rushers, DEs de 4-3 ou OLBs de 3-4, apareçam e criem um caos para o QB, e consequentemente, todo o ataque adversário.

Entrosamento é uma das palavras chaves para o sucesso de uma linha ofensiva. Você manter um grupo talentoso atuando junto por bastante tempo tem sido a forma mais confiável de se alcançar estabilidade na posição. O Dallas Cowboys saiu na frente e conseguiu isso, resta saber se as outras franquias entenderão o plano e utilizarão dele também.

Compartilhe