segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Compartilhe

Este espaço nas segundas-feiras durante a temporada traz o que de melhor ou pior aconteceu em cada rodada, apontando seus maiores destaques e decepções, antes do Monday Night Football, que nessa semana 9 será o confronto entre Tennessee Titans e Dallas Cowboys. Então, sem maiores enrolações, vamos aos destaques e decepções:

A queda do último invicto!

Que jogo, meus amigos! Que jogo! No Mercedes-Benz Superdome os dois melhores times da NFC (não tenho nenhum medo de afirmar isso) se enfrentaram em algo que pode muito bem ser uma prévia da final de conferência. Em uma partida com 2 ataques completamente dominantes a experiência levou a melhor e o último invicto da temporada caiu. O New Orleans Saints venceu o Los Angeles Rams por 45 a 35 em mais uma performance impecável do mito Drew Brees. O quarterback completou quase 70% de seus passes, lançando para 346 jardas e 4 touchdowns, com um passer rating de 137. Seu principal alvo na partida foi Michael Thomas, que recebeu a bola 12 vezes para DUZENTAS E ONZE jardas, além de deixar anotado seu touchdown. Alvin Kamara foi outro que deitou e rolou na forte defesa do Rams: foram 116 jardas totais e 3 touchdowns, sendo 2 pelo chão e 1 pelo ar.

Leia Mais: Quais quarterbacks podem interessar o mercado em 2019?

Leia Também: A histórica estreia de Nick Mullens na NFL

Sobre o Rams, talvez a crítica seja não ter conseguido capitalizar sobre os turnovers, algo que o Saints fez: quando forçaram um fumble sobre Mark Ingram, o time não conseguiu sequer pontuar, devolvendo a bola em um turnover on downs que o Saints capitalizou em um TD. Quando o time errou um field goal? Mais um touchdown para o Saints. E quando Jared Goff foi interceptado por Alex Anzalone? Mais um TD do Saints. O trio de recebedores foi sólido como sempre, com Cooks, Kupp e Woods combinando para 274 jardas e 2 touchdowns. Todd Gurley, apenas para não perder o costume, deixou anotado o seu também, além de ter 79 jardas combinadas.

Muito prazer, Nick Mullens

Em uma batalha entre times da costa oeste, o San Francisco 49ers levou a melhor jogando em casa e despachou o Oakland Raiders por humilhantes 34 a 3. O destaque da noite foi, sem sombra de dúvidas, o estreante quarterback Nick Mullens. Depois de quebrar vários recordes de Southern Miss que eram pertencentes a Brett Favre, Mullens assinou em 2017 com o 49ers como agente livre não draftado e recebeu na última quinta sua primeira oportunidade na NFL. Mesmo praticando apenas uma semana com o time titular o jovem quarterback não decepcionou: foram 16 passes certos dos 22 tentados (aproveitamento de 72,7%), 262 jardas, 3 touchdowns e um passer rating quase perfeito de 151,9.

Além dele, o tight end George Kittle foi outra grande estrela do jogo. Além de liderar o time em jardas recebidas com 108 jardas, marcar um touchdown e de ter pego os 4 passes que foram lançados em sua direção, o atleta nos proporcionou uma recepção espetacular. Mulles, mesmo pressionado, conseguiu lançar a bola em uma janela apertada e Kittle fez o resto: recebeu a bola magistralmente com apenas uma mão, se livrou da marcação e correu para ganhar 71 jardas colocando o 49ers na linha de 6 jardas. Duas jogadas depois, Mullens achou Kittle na endzone para coroar a campanha com o touchdown do TE.

Quem precisa de Le’Veon Bell?

James Conner foi um fator decisivo na vitória do Pittsburgh Steelers por 23 a 16 sobre o Baltimore Ravens. Recebendo praticamente todas as bolas no backfield do time (assim como acontecia com Bell ano passado), Conner correu para mais de 100 jardas pelo quarto jogo seguido. Além disso, durante boa parte da partida liderou o time em jardas recebidas, sendo passado apenas no terceiro quarto. No total foram 163 jardas de scrimmage e 1 touchdown aéreo, se tornando o primeiro jogador na história do Steelers a ter 10 touchdowns nos primeiros 8 jogos da temporada.

Fora o desempenho de Conner (e o punt chutado por Big Ben) pouco mais pode ser dito desse jogo. O Ravens tentou ensaiar uma reação mas sem sucesso. A defesa falhou em pressionar com consistência Big Ben e não foi ponto forte do time que estamos acostumados a ver. Por varias vezes durante a partida o ataque tentou utilizar Joe Flacco e Lamar Jackson juntos em campo, mas fez isso sem eficácia e com criatividade quase nula. Além disso a administração de relógio foi no mínimo questionável no final da partida. Perdendo a quarta partida nos últimos 5 jogos e o terceiro seguido, a posição de John Harbaugh começa a esquentar em Baltimore.

Dominância pelo chão

O ataque do Panthers foi um show a parte na tarde deste último domingo. O time bateu o recorde da franquia com 35 pontos na primeira metade da partida. O jogo terrestre liderado por Christian McCaffrey dominou completamente o pobre Tampa Bay Buccaneers. McCaffrey teve 157 jardas de scrimmage e correu para 2 touchdowns. O recebedor Curtis Samuel marcou talvez o touchdown mais impressionante da temporada até agora. Oficialmente foram “apenas” 33 jardas, mas Samuel percorreu quase 104 jardas no total durante esta corrida. Quando ele cruzou a linha de scrimmage estava a mais de 32 Km/h.

O jogo aéreo do Panthers também foi efetivo. Cam Newton passou para 247 jardas e 2 touchdowns, completando 76% dos passes tentados. O tight end Greg Olsen realizou uma recepção de uma mão impressionante dentro da end zone e com marcação dupla sobre ele. Já sobre o Bucs, podemos dizer que Fitzpatrick fez o suficiente para manter Jameis Winston no banco por pelo menos mais uma semana, lançando para 243 jardas, 4 touchdowns e 2 interceptações. O jogo terrestre, por outro lado, foi lamentável: Peyton Barber e Jacquizz Rodgers combinaram para míseras 45 jardas durante a partida.

O encontro de duas lendas

Este Sunday Night Football pode ter sido a última oportunidade que tivemos de acompanhar Tom Brady e Aaron Rodgers em campo juntos. Salve um Super Bowl entre Patriots e Packers, um novo confronto só se daria daqui a 4 anos, quando Brady deverá ter pendurado seu shoulder pad (ou ele é mesmo um robô e vai jogar até 2030, vai saber). Isso é motivo o suficiente para que este jogo fosse imperdível para qualquer fã de futebol americano. A partida se manteve parelha durante quase toda sua extensão, com tanto Rodgers  (259 jardas e 2 TDs) quanto Brady (294 e 1 TD) conduzindo boas campanhas e complicando as defesas adversárias, como todos nós amamos ver. Mas aí aconteceu o que mudou o jogo.

Quando tudo estava empatado em 17 a 17, Aaron Jones incorporou seu antecessor Ty Montgomery e sofreu um fumble que mudou a cara da partida. O Patriots não desperdiça oportunidades e dessa vez não foi diferente. O que era uma campanha que caminhava para a pontuação do Packers se transformou em um touchdown do Patriots, que ainda marcou mais um após a defesa forçar um 3 and out. Destaque na partida para Josh Gordon, que recebeu para 130 jardas incluindo uma recepção de 55 para TD que decretou a vitória do Patriots. James White também foi bem: além de correr para 31 jardas e 2 TDs, contribuiu com mais 72 pelo ar.

Outros destaques e decepções:

  •  FINALMENTE! Julio Jones quebrou o jejum de jogos sem touchdow neste domingo. No último quarto da partida, Jones quebrou um tackle de Ha Ha Clinton-Dix para concluir um touchdow de 33 jardas. Com as 121 jardas recebidas neste domingo, o atleta está liderando a NFL com média de 116,5 jardas recebidas por jogo.
  • Quando lançou sua segunda interceptação neste domingo, Nathan Peterman deixou sua marca na NFL, se tornando o primeiro jogador na era do Super Bowl a lançar 11 interceptações tendo menos de 100 passes tentados na carreira. Bem, pelo menos não podemos dizer que ninguém do Bills entrou para história nessa semana.
  • O ataque do Chiefs é algo impressionante. Patrick Mahomes lançou para 375 jardas e 3 touchdows. Dois deles foram para Trevis Kelce, que terminou a partida com 99 jardas. E Kareem Hunt então? Além de receber para 50 jardas e 1 TD, correu para mais 91 e dois TDs.
  • O Texans venceu o sexto jogo seguido e a vitória teve 2 grandes responsáveis. DeAndre Hopkins, que recebeu para 105 jardas e anotou um touchdown. E Brandon McManus, kicker do Broncos que perdeu 2 field goals na partida, pontos que seriam o suficiente para o Broncos vencer.
  • Russell Wilson é um quarterback espetacular, mas nessa semana teve culpa na derrota do Seahawks para o Chargers. Além da interceptação retornada para touchdown no final da partida que anulou qualquer chance de virada, ele sofreu 6 sacks, alguns nos quais vieram em suas tentativas de estender jogadas de forma imprudente.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.