segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Compartilhe

Este espaço nas segundas-feiras durante a temporada traz o que de melhor ou pior aconteceu em cada rodada, apontando seus maiores destaques e decepções, antes do Monday Night Football, que nessa semana 1 será o confronto entre Seattle Seahawks e Chicago Bears. Então, sem maiores enrolações, vamos aos destaques e decepções:

Leia textos exclusivos a cada semana sobre todos os times da NFL. Seja um assinante L32

A queda dos campeões.

A Flórida não fez nada bem para os atuais campeões de conferência nesta semana dois da temporada regular. Em Jacksonville, não era só a temperatura que estava quente. O clima na sideline do Patriots também esquentou com tanto Brady quanto o coordenador ofensivo Josh McDaniels gritando com os demais jogadores do ataque para “fazerem seu trabalho” ainda no primeiro quarto quando o placar já estava 14 a 0 para o Jaguars. E por falar na equipe, Blake Bortles jogou muito e conduziu o ataque com um ritmo ótimo, se aproveitando de uma defesa do Patriots pouco inspirada e terminando a partida com quase 400 jardas e 4 touchdowns.

Leia Mais: O Dallas Cowboys pode ter sérios problemas ofensivos em 2018

Leia Também: Patriots tenta dar um novo início à carreira de Corey Coleman

E lembra da pergunta que deixei aqui na última semana, sobre como parar o Gronk? Pergunta lá pro Todd Wash! Com marcações duplas e formações criativas na defesa, o tight end patriota acabou a partida com apenas duas recepções para 15 jardas. E ao contrário da defesa do Jaguars, a do Patriots foi ineficaz ao tentar parar o ataque de Jacksonville, ainda mais quando Tray Flowers saiu de campo com uma concussão, o que tornou o pass rush do time praticamente nulo. Dessa vez o Patriots não conseguiu buscar o resultado e a partida terminou 31 a 20 para o Jaguars.

Já em Tampa, tivemos novamente o show de Fitzmagic. Nessa semana dois o quarterback se tornou o primeiro na história do Buccaneers a lançar para quatro touchdowns em jogos consecutivos. O ataque do time definitivamente não está sentindo falta de Winston, que deve estar começando a ficar preocupado com sua titularidade. Já ao Eagles faltou forças para parar o inspirado quarterback do Bucs, além de estar sentindo muito a falta de Carson Wentz liderando o ataque e também do recebedor Alshon Jeffery neste jogo específico. Tudo isso culminou na derrota por 27 a 21 para o Bucs.

Jogaço no Lambeau Field!

Em uma partida que acabou empatada em 29 a 29, os rivais Minessota Vikings e Green Bay Packers fizeram um jogão onde qualquer um dos dois poderiam ter saído com a vitória e só não ganharam devido a seus kickers (falaremos mais sobre isso depois). A principal jogada, que acabou tirando o jogo das mãos do Packers, foi uma flanela amarela voando. Com menos de 2 minutos no relógio e com o Packers liderando o placar, a defesa conseguiu interceptar Cousins, o que daria virtualmente a vitória para o time da casa. Porém as zebras apontaram uma falta de Clay Matthews sobre o quarterback do Vikings (marcação no mínimo questionável), fato que deu a Cousins mais uma chance, esta não desperdiçada.

E por falar no quarterback, ele está fazendo valer seu salário e muito bem. Sua atuação foi ótima com 425 jardas lançadas para 4 touchdowns e uma interceptação, com um percentual de passes completos de mais de 70%. Stefon Diggs e Adam Thielen foram um show a parte. A dupla de recebedores do Vikings combinou para 128 e 131 jardas, com 2 e 1 touchdowns respectivamente. Atuação de gala da equipe de Minnesota pelo ar neste domingo.

#CollegeKickers

Em alguns momentos, olhando os kickers chutarem as bolas neste domingo, parecia que estávamos assistindo a partidas da liga universitária de futebol americano. Lembra dos kickers do confronto entre Packers e Vikings, que foram os responsáveis pelo empate da partida? Pois é. Pelos Packers, Mason Crosby, mesmo acertando 5 field goals, perdeu um que poderia ter garantido a vitória do time. Já pelo Vikings, Daniel Carlson perdeu suas TRÊS tentativas na partida, sendo duas na prorrogação e que teriam feito o time vencer um importante jogo fora de casa.

Mas eles não estavam sozinhos neste domingo.  Zane Gonzalez foi o vilão da vez na derrota do Cleveland Browns para o New Orleans Saints por 21 a 18. O kicker do Browns errou, além de duas tentativas de ponto extra, dois field goals (44 e 52 jardas), sendo o último no final da partida e que poderia ter levado o jogo a uma prorrogação. No lado do Saints, Wil Lutz também errou um chute de 44 jardas no segundo quarto da partida. No total, foram 19 chutes perdidos neste domingo.

Chuva de pontos em Pittsburgh.

O Heinz Field é um dos ambientes mais hostis para quarterbacks adversários. Só esqueceram de avisar o Patrick Mahomes disso. Que partida espetacular teve o jovem atleta do Chiefs. Foram seis, S-E-I-S touchdowns lançados, com um total de 326 jardas, o que ajudou (e muito) o time a derrotar o Steelers por 42 a 37. Os 10 TDs lançados por Mahomes nos dois primeiros jogos desta temporada é a maior marca alcançada por um quarterback na história da liga, quebrando o record que pertencia a Peyton Manning (2013), Drew Brees (2009) e Charley Johnson (1965).

Mas não foi só ele que se destacou. No lado oposto, Big Ben também teve partida ótima, lançando para mais de 450 jardas e 3 touchdowns, além de correr para mais um (acredite se quiser). Com a partida de hoje, Roethlisberger passou John Elway e agora é o sétimo quarterback com mais jardas lançadas na história da liga.

Por outro lado, só de ver o placar e o desempenho dos quarterbacks já é possível ver que a decepção nessa partida foram as defesas. Ambas as unidades cederam 79 pontos e um total de quase 1000 jardas, além de 57 primeiras descidas. Todas as visitas às últimas 20 jardas do campo (oito para cada lado) acabaram em alguma pontuação.

Pode pedir música?

Tivemos três hat-tricks nessa rodada de NFL. Na quinta-feira, no duelo de divisão entre Bengals e Ravens, A.J. Green acabou com o jogo recebendo 3 touchdowns durante a partida e sendo peça chave na vitória do Bengals por 34 a 23. Vale lembrar que tudo isso aconteceu nos primeiros 17 minutos de jogo. Outro destaque para o time de Cincinnati foi a defesa, que pressionou Flacco e o ataque do Ravens a noite toda, com 4 sacks, 8 hits no quarterback, 12 passes desviados e 4 tackles para perda de jardas. Já a defesa do Ravens sofreu com a perda do LB C.J. Mosley, que foi para o vestiário sentindo o joelho ainda no primeiro quarto.

Já o Rams mostrou o porquê de ser uma das forças a ser batida na NFC e atropelou o Cardinals por 34 a 0. Gurley pode não ter produzido uma grande quantidade de jardas, sendo apenas 42 pelo chão e 31 pelo ar. Porém nas mãos dele estiveram 3 dos quatro touchdowns marcados pelo time. Fora ele, destaque para Brandin Cooks, que não recebeu TDs, mas teve 159 jardas na partida. Quanto ao Cardinals, foi um domingo cheio de decepções especialmente no ataque, que teve apenas CINCO primeiras descidas na partida toda.

Talvez não foi com a facilidade que muitos esperavam, mas o resultado veio. O Los Angeles Chargers bateu o Buffalo por 31 a 20 fora de casa com atuação de luxo de Melvin Gordon. Assim como Gurley e Green, a quantidade de jardas foi pequena, mas a de pontos foi poderosa: foram só 28 jardas corridas e 38 aéreas, porém nelas estão inclusos três touchdowns. Do outro lado, Josh Allen nada pode fazer em sua estréia como titular. O calouro mostrou que definitivamente é uma evolução em relação a Nathan Peterman, mas foi prejudicado pela falta de talento ao seu redor

Outros destaques e decepções:

  • Sam Darnold mostrou que, mesmo que esteja no caminho certo, ainda precisa evoluir. O calouro lançou duas interceptações na derrota do Jets por 20 a 12 para o Miami Dolphins, jogando mal especialmente na primeira metade da partida.
  • Ao contrário da temporada passada e do início desta, o ataque do Atlanta Falcons funcionou muito bem nas últimas 20 jardas do campo neste domingo contra o Panthers. Foram 4 campanhas terminadas com sucesso na red zone adversária. O segredo foram jogadas mais criativas e usando mais jogadores além de Julio Jones, com jogadas aéreas para Calvin Ridley e Austin Hooper, além de duas corridas do próprio quarterback para a endzone.
  • Depois de um draft questionável, a troca de Khalil Mack e a derrota na última semana para o Rams, Jon Gruden precisava urgentemente de uma vitória neste domingo. E ela esteve perto, muito perto. Porém, mesmo estando liderando muito bem até o final do terceiro quarto da partida, a defesa apagou e deixou o Broncos marcar 13 pontos na reta final e conseguir a virada sobre a partida, com um field goal nos últimos segundos que garantiu a vitória para a equipe de Denver por 20 a 19. Mais uma decepção para o torcedor do Raiders.
  • A defesa do Colts mostrou que pode estar no caminho certo para ajudar Andrew Luck e conseguiu segurar o ataque do Washington Redskins, que acabou a partida com apenas 9 pontos. Darius Leonard, LB oriundo de South Carolina State escolhido na segunda rodada do draft deste ano, terminou a partida com 18 tackles combinados, um sack e uma interceptação e foi o destaque do time na partida.
  • Pela quinta vez em 6 anos o Giants começou a temporada com duas derrotas e isso não é um bom sinal. Eli Manning teve problemas novamente para manter o ataque competitivo, mesmo cercado de alvos incrivelmente talentosos. Mas nessa partida problema maior ainda foi a linha ofensiva: foram 6 sacks sofridos por Eli (por 6 jogadores diferentes) e um total de apenas 35 jardas corridas.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Leave A Reply