segunda-feira, 12 de Março de 2018

Compartilhe

Todo ano quando a temporada acaba os fãs da NFL ficam esperançosos que suas equipes – tirando a que venceu o Super Bowl – melhorem para que os times fiquem mais competitivos e possam lutar pelo título. A primeira chance para que isso ocorra é a free agency, quando os times lutam pelos melhores jogadores que tiveram seus contratos encerrados com seus atuais times. A partir do dia 14 de março (quarta-feira), qualquer franquia pode fazer sua oferta para seduzir o jogador da sua escolha e hoje vamos falar dos melhores jogadores do setor ofensivo para você ficar de olho e que pode reforçar aquele setor que sua franquia tanto precisa.

LEIA MAIS: Mock Draft com 5 opções – 1ª a 8ª escolha

QBs

Drew Brees (New Orleans Saints)

Esse é o melhor jogador e da posição mais importante que pode ser cortejado pelas outras equipes da NFL. Um dos melhores QBs da sua geração e toda a história, Brees é o jogador dos sonhos de qualquer equipe que tem problema na posição mais importante do futebol americano. Dificilmente, o Saints vai deixar escapar o seu principal jogador, até porque, assim como Tom Brady, parece que a idade nunca vai chegar para Drew Brees. A vontade de assinar um novo contrato é da franquia e principalmente do jogador.

Possíveis destinos: New Orleans Saints, Arizona Cardinals e Denver Broncos.

Kirk Cousins (Washington Redskins)

Apesar de ótimas temporadas seguidas pelo Washington Redskins, o QB Kirk Cousins acabou não conseguindo um contrato longo com a franquia e está procurando nova equipe. Nos últimos três anos, Cousins lançou para 81 TDs e 36 interceptações, bons números para um QB atual na NFL. Com um mercado escasso nessa posição, a chance de Kirk conseguir um contrato gigante e longo em algum time desesperado é bem grande e é bem merecedor pelo o que ele já mostrou como titular.

Possíveis destinos: Denver Broncos, New York Jets e Minnesota Vikings.

Case Keenum (Minnesota Vikings)

Esse é um dos mais difíceis para uma equipe investir alto. Antes dessa temporada pelo Vikings, Keenum não passava de um bom QB reserva, que não comprometeria se o titular sofresse alguma lesão e ficasse de fora. Porém, nesse ano o QB foi muito bem, com 67% de passes completados, lançando 22 TDs e apenas 7 interceptações, números de um QB bastante seguro. Ele ainda mostrou uma mobilidade nunca vista com as pernas, saindo das pressões das defesas adversárias. Para que não tem QB e não sendo muito caro, vale investir em Case Keenum.

Possíveis destinos: New York Giants, Arizona Cardinals e Buffalo Bills.

Sam Bradford (Minnesota Vikings)

Outro QB do Vikings que fez um bom ano, porém foi na temporada de 2016. Bradford até começou como titular no ano passado, mas acabou se machucando e cedendo o lugar para Keenum. Ele tem talento, pode levar um bom time para os playoffs, porém não dá para confiar na saúde de Sam. São muitas lesões durante a carreira, incluindo a da temporada passada no joelho que só o deixou jogar uma partida completa. Infelizmente, Sam Bradford é um jogador de vidro que não vale a pena investir como um QB titular.

Possíveis destinos: Arizona Cardinals, Jacksonville Jaguars e New York Jets.

Teddy Bridgewater (Minnesota Vikings)

É mais um QB do Minnesota Vikings que está no mercado para as equipes disputares. Bridgewater foi o QB selecionado para liderar Minnesota durante muitos anos, mas uma lesão lamentável em 2016 o deixou dois anos fora de combate, o que acabou deixando a franquia com um pé atrás em relação a sua saúde e se ele ainda consegue fazer as coisas que conseguia antes de se machucar. Teddy tem 65% de passes completados, 32 TDs e 21 interceptações na carreira. É um QB para uma franquia que pode se arriscar e se tiver sorte, vai ter um excelente QB.

Possíveis destinos: New York Giants, Miami Dolphins e Arizona Cardinals.

A.J. McCarron (Cincinnati Bengals)

McCarron cansou de ser reserva de Andy Dalton e foi testar o mercado para ver se consegue ser titular em outra equipe. Quase que ele foi trocado com o Cleveland Browns, mas acabou não dando certo e o Browns já fez uma troca para pegar o QB Tyrod Taylor, do Bills. Quem pegar McCarron vai estar com um jogador que nunca mostrou muita coisa nas poucas oportunidades que teve, então estará contando com um QB médio na NFL. Quando atuou em 2015, lançou 6 TDs e 2 interceptações com 66% de passes completos.

Possíveis destinos: Buffalo Bills, Arizona Cardinals e New York Jets.

Josh McCown (New York Jets)

Josh McCown surpreendeu no time de New York na temporada passada, conseguiu jogar muito bem. Com uma linha ofensiva bem ruim e apenas um recebedor competente, McCown teve números excelentes, com 67% de passes completados, 18 TDs e 9 interceptações, além de correr para 5 TDs. A equipe que pegar o QB terá um jogador bem experiente e que teve um excelente ano em 2017, McCown merece uma nova chance como titular, esperando que seja em um time melhor.

Possíveis destinos: New York Jets, Kansas City Chiefs e Arizona Cardinals.

Mike Glennon (Chicago Bears)

Esse foi o pior negócio do ano para uma equipe da NFL na temporada passada. O Bears deu um contrato de três anos e 45 milhões de dólares, sendo 18,5 milhões garantidos para o veterano QB. Depois de partidas horrendas no início da temporada, finalmente Glennon foi para o banco para o novato Mitchell Trubisky ter sua chance. Mike Glennon terminou o ano com 833 jardas e 4 TDs, mostrando a grande besteira que fez a franquia de Chicago. Dificilmente outro time dará uma chance perto dessa para o QB, que deve fazer figuração nessa free agency.

Possíveis destinos: Buffalo Bills, Oakland Raiders e Baltimore Ravens.

RBs

Carlos Hyde (San Francisco 49ers)

Hyde é um bom jogador para se pegar na free agency, principalmente para um time acertado que precisa apenas de um RB para deixar seu ataque mais letal. Na carreira ele tem uma média de quatro jardas por carregada, apesar de nunca ter tido uma linha ofensiva excelente ao seu favor. Outro fator que dificulta a vida do RB é sempre ter jogado com QBs bem questionáveis. Hyde pode ser um bom investimento para a equipe certa.

Possíveis destinos: Detroit Lions, Indianapolis Colts e Washington Redskins.

Dion Lewis (New England Patriots)

Esse é um ótimo jogador que nunca conseguiu jogar como todo mundo esperava por conta das lesões que o assolaram por toda a carreira. Porém, ele é um RB excelente quando está saudável e foi o que vimos na temporada de 2017. Jogou todo ano e teve números muito bons, como 896 jardas terrestres e 6 TDs, além de 214 jardas aéreas e 3 TDs recebidos, o que mostra que ele pode ser uma ameaça de dois modos.

Possíveis destinos: New England Patriots, New York Jets e Indianapolis Colts.

Isaiah Crowell (Cleveland Browns)

Crowell sempre foi um talento tremendo que podia desabrochar a qualquer momento. Todo mundo via que ele é um ótimo RB e ele conseguiu mostrar isso, principalmente no começo de 2016. Atrás de uma boa linha ofensiva, ele jogou muito bem, conseguindo 952 jardas terrestres em 198 tentativas e 7 TDs. Porém, ano passado, foi uma decepção. Não conseguiu jogar nada bem, assim como todo o Browns, apesar de ter Joe Thomas abrindo espaço, enquanto estava saudável.

Possíveis destinos: Tampa Bay Buccaneers, Detroit Lions e Miami Dolphins.

DeMarco Murray (Tennessee Titans)

DeMarco Murray é um jogador muito bom, mas a idade está chegando aos poucos – 30 anos para um RB é muito. Ele vem da sua pior temporada na carreira, com 3,6 jardas por tentativa, porém ele só carregou a bola em 184 oportunidades, o que significa que suas pernas estão frescas. Além de correr com a bola, ele consegue receber bem, teve 39 recepções temporada passada. Murray ainda pode contribuir muito para o time que lhe dê a chance.

Possíveis destinos: Miami Dolphins, Seattle Seahawks e Detroit Lions.

LeGarrette Blount (Philadelphia Eagles)

Blount é o cara que venceu dois Super Bowls seguidos – um pelo Patriots e outro pelo Eagles. Porém, com a chegada de Jay Ajayi, a quantidade de bolas que recebeu o RB foi diminuindo. Ele jogou bem em 2017, com 4,4 jardas por tentativa, 766 jardas e 2 TDs. E ele já tem 31 anos, idade complicada para um jogador dessa posição. Não deve ser o cara para carregar seu time pelo chão, mas ainda pode ser importante por toda sua força.

Possíveis destinos: Carolina Panthers, New York Jets e Jacksonville Jaguars.

Jonathan Stewart (Carolina Pathers)

Jonathan Stewart sempre foi um grande jogador, corria com muita força e conseguia carregar um jogo terrestre muito bem. Porém, parece que a idade chegou para o jogador. Não conseguiu atingir quatro jardas por carregada em nenhuma das duas últimas temporadas. São muitas lesões ao longo da carreira – não jogou nenhuma temporada completa desde 2011 – e aos 31 anos, dificilmente conseguirá. Mas ainda pode ser aquele RB para entrar na end zone.

Possíveis destinos: Los Angeles Chargers, Los Angeles Rams e Arizona Cardinals.

Rex Burkhead (New England Patriots)

Esse é um bom jogador para pegar que pode não ser tão caro, jogador de esquema. É um cara que teve 4,1 jardas por tentativa em uma linha ofensiva que não demonstrava nenhuma confiança na temporada passada. É um bom RB para receber passes – teve 30 recepções em 2017 – e consegue correr bem para dentro da end zone. Pode ser um jogador importante para o seu time, sem muito brilho, mas decisivo em alguns momentos.

Possíveis destinos: Los Angeles Chargers, Denver Broncos e Washington Redskins.

Jerick McKinnon (Minnesota Vikings)

McKinnon é um RB diferente daquele tradicional. Ele não consegue muitas jardas por tentativa, nenhuma das duas últimas temporadas dele teve quatro jardas por carregada. Isso mostra que ele não é lá essas coisas correndo, apesar de ter tido a ótima linha ofensiva do Vikings em 2017. Porém, é um recebedor de boa qualidade, teve 51 recepções em 2017 e mais 43 em 2016.

Possíveis destinos: New York Jets, Oakland Raiders e Seattle Seahawks.

Doug Martin (Tampa Bay Buccaneers)

Doug Martin é uma escolha de primeira rodada, tem 29 anos de idade e já teve temporadas excelentes. Em 2012 e 2015, foram 1.400 jardas terrestres, números de RB de primeiro nível na liga. Porém, as lesões foram minando seu jogo em Tampa Bay. Na última temporada, foram apenas 2,9 jardas por tentativa e 406 jardas corridas, tendo perdido tempo por causa de lesão. Mas aquele contrato de 1 ano para prova que ainda consegue jogar, vale muito a pena no caso de Doug Martin.

Possíveis destinos: Baltimore Ravens, Oakland Raiders e Detroit Lions.

Orleans Darkwa (New York Giants)

Orleans Darkwa fazia parte do pior grupo de RBs da NFL, disparado. Ainda assim, ele foi o melhor deles, também disparado. Foi uma boa média de jardas por tentativa, com 4,3, correu para 751 jardas e 5 TDs. São bons números para quem teve à frente uma das piores linhas ofensivas da NFL. Darkwa mostrou que ainda pode ter chance na NFL, aquele contrato bom para ambas as partes e que pode valer muito a pena no final da temporada de 2018.

Possíveis destinos: New York Giants, New York Jets e Cleveland Browns.

Frank Gore (Indianapolis Colts)

Jogador muito experiente, mas que consegue entregar o que seu time precisa, esse é Frank Gore. Apesar dos 34 anos de idade, Gore teve três boas temporadas em Indianapolis. Na última foram 261 tentativas para 961 jardas terrestres e 3 TDs. Outra vantagem em ter o jogador é que ele não se machuca, desde 2011, não perde um jogo sequer na NFL. Claro que ninguém vai dar um contrato longo e muito alto, até pela idade, mas nos termos certos, vale muito a pena ainda ter Frank Gore no seu roster.

Possíveis destinos: Indianapolis Colts, New York Giants e Seattle Seahawks.

Darren Sproles (Philadelphia Eagles)

Outro jogador bem experiente que pode ser interessante para uma equipe que explore suas qualidades. Sproles já tem 34 anos, mas ainda pode ser o cara mais perigoso quando tem algum espaço, o que pode ser perfeito se o ataque do seu time consegue espaçar bem o campo. Ele é muito pequeno e isso faz com que seja o jogador mais difícil de dar um tackle na NFL. Apesar da grave lesão que acabou com sua temporada no ano passado, nos termos certos e vendo se ele está saudável, pode valer a pena ter esse RB no seu grupo.

Possíveis destinos: Atlanta Falcons, Detroit Lions e Tennessee Titans.

FBs

Zach Line (New Orleans Saints)

Todo mundo viu o grande ano que tiveram Alvin Kamara e Mark Ingram pelo New Orleans Saints. São dois grandes jogadores, porém, eles podem agradecer muito do espaço que tiveram a Zach Line. É um FB que domina os defensores com seus bloqueios e tem apenas 28 anos. Quem tiver precisando de um cara para abrir espaços na frente do RB, Line pode ser uma ótima pedida.

Possíveis destinos: Atlanta Falcons, Kansas City Chiefs e Oakland Raiders.

Anthony Sherman (Kansas City Chiefs)

Era bem usado como recebedor no início da sua carreira, sendo uma boa ameaça por ser de uma posição que geralmente não faz isso. Poucos times da NFL ainda usam um FB nas suas formações, mas para quem precisa de um excelente bloqueador para abrir espaço para o seu RB, Anthony Sherman é uma boa pedida.

Possíveis destinos: Atlanta Falcons, Oakland Raiders e New Orleans Saints.

WRs

Allen Robinson (Jacksonville Jaguars)

Allen Robinson já demonstrou muito talento nesses poucos anos de NFL que tem na carreira. Em 2015 foram 80 recepções para 1.400 jardas e 14 TDs, números excelentes e que mostram que ele é um WR de elite. Mas em 2017 acabou sofrendo uma grave lesão que acabou com sua temporada. Robinson fará apenas 25 anos de idade, ainda tem muito futebol americano pela frente e tem tudo para ser um dos principais WRs da NFL.

Possíveis destinos: Carolina Panthers, San Francisco 49ers e Jacksonville Jaguars.

Sammy Watkins (Los Angeles Rams)

O grande problema de Sammy Watkins é a sua saúde. Ele foi para o melhor ataque da NFL nesta temporada e teve números modestos, com apenas 39 recepções, 593 jardas e 8 TDs. Porém, Watkins é muito talento e bem novo, ainda fará 25 anos de idade nessa temporada. Claro que tem o problema de saber se ele está realmente saudável, mas é um excelente jogador que quem precisa de WR pode pegar nessa free agency.

Possíveis destinos: Arizona Cardinals, Baltimore Ravens e Carolina Panthers.

Marqise Lee (Jacksonville Jaguars)

Lee é aquele WR muito rápido, um cara para rotas longas. Apesar de nunca ter conseguido mais de 900 jardas de recepção na carreira, ele tem sido um ótimo jogador nas duas últimas temporadas. O baixo número de jardas pode ser por jogar no Jaguars, uma equipe que valorizou bem mais o jogo terrestre do que o aéreo por motivos de Blake Bortles. Sem Robinson e Hurns, Lee foi o principal recebedor e mostrou ser um bom talento para quem precisa de WR.

Possíveis destinos: Chicago Bears, Indianapolis Colts e Cleveland Bronws.

Danny Amendola (New England Patriots)

Um dos alvos de confiança para Tom Brady nos momentos mais importantes dos jogos, Amendola chega ao mercado como uma ótima opção para times que precisam de um recebedor experiente e com histórico vencedor. Contra o WR, pesam algumas contusões que, mesmo não muito sérias, tiraram Amendola de algumas partidas durante a sua carreira. Após renegociar seu contrato com o Patriots em oportunidades anteriores, chegou o momento de Danny voltar a testar o mercado.

Possíveis destinos: San Francisco 49ers e Miami Dolphins.

Terrelle Pryor ( Washington Redskins)

Após a mudança de posição de QB para WR, e uma boa temporada com o Browns, onde ultrapassou a marca de 1000 jardas recebidas, Pryor chegou ao Redskins com o status de WR principal de Kirk Cousins. No entanto, a temporada de Terrelle foi bastante decepcionante para os torcedores da equipe da capital Americana. Conquistando apenas 240 jardas na temporada, Pryor chega ao mercado como uma incógnita. Será interessante observar como as equipes da NFL enxergam o ex-QB após a temporada frustrante em 2017.

Possíveis destinos: Chicago Bears, Arizona Cardinals e Buffalo Bills.

Paul Richardson (Seattle Seahawks)

Com três temporadas bem discretas em Seattle, Richardson teve seu melhor ano em 2017 onde se tornou um alvo seguro para Russell Wilson. Registrando 44 recepções e 703 jardas, o WR se colocou no radar da NFL e chega ao mercado no melhor momento de sua carreira. Alvo interessante também em rotas longas, Richardson deve atrair o interesse de equipes que buscam um recebedor para complementar seu grupo de WRs.

Possíveis destinos: Seattle Seahawks, Philadelphia Eagles e Baltimore Ravens

Jordan Matthews (Buffalo Bills)

Trocado do Eagles para o Bills na última temporada, Matthews teve o pior ano de sua carreira em Buffalo. Muito abaixo da expectativa gerada, Jordan sofreu com o ataque aéreo pouco empolgante comandado por Tyrod Taylor, e ainda teve seu desempenho prejudicado por uma lesão que o obrigou a disputar apenas 10 jogos em 2017. Ao final da temporada, Matthews somou apenas 282 jardas e um único TD. O WR chega ao mercado em um momento de baixa, porém deve despertar o interesse de algumas equipes por seu potencial.

Possíveis interessados: Arizona Cardinals, Dallas Cowboys e Chicago Bears

Donte Moncrief (Indianapolis Colts)

Jogador com talento inegável, Moncrief nunca conseguiu demonstrar toda a sua capacidade em Indianapolis. Com um histórico extenso de lesões, o WR chega ao mercado tendo sua condição física como a grande incógnita em relação a sua contratação. O recebedor não será um dos mais disputados de sua posição, porém, caso consiga manter-se saudável, poderá se tornar um ótimo negócio para a equipe que apostar em seu potencial.

Possíveis interessados: Dallas Cowboys, Buffalo Bills e Baltimore Ravens.

TEs

Jimmy Graham (Seattle Seahawks)

Alvo constante de Russell Wilson na red zone na última temporada, Graham conseguiu 10 TDs e voltou a demonstrar essa que sempre foi uma de suas maiores características. No entanto, Graham também registrou a sua pior marca em jardas recebidas (520) desde sua temporada de calouro. De toda forma, o TE é o nome mais relevante de sua posição e deve despertar muito interesse na abertura do mercado. Podemos afirmar que qualquer equipe que necessite de um TE é um destino possível para Graham.

Possíveis destinos: Green Bay Packers, New England Patriots e New orleans Saints.

Tyler Eifert (Cincinnati Bengals)

Com uma temporada sensacional em 2015, Eifert é mais um jogador de talento comprovado que tem muitas dificuldades para permanecer saudável. Em 2017, o TE disputou apenas duas partidas antes de se lesionar e perder todo o restante da temporada. O Interesse em Eifert deve ser acompanhado de muitos questionamentos em relação a sua saúde. O momento é ruim para o TE chegar ao mercado, no entanto, analisando pelo lado das equipes, existe a possibilidade de uma contratação por um preço relativamente baixo, mas com potencial de retorno bem alto.

Possíveis interessados: Jacksonville Jaguars,  Green Bay Packers e New Orleans Saints

Austin Seferian-Jenkins (New York Jets)

Escolhido na 2ª rodada do draft em 2014, Seferian-Jenkins nunca justificou a sua seleção neste ponto do recrutamento. Envolvido em problemas extracampo, o TE chegou a ser preso em 2016 e foi suspenso por violar a política de substâncias proibidas da NFL. Após uma temporada regular no Jets, Jenkins chega ao mercado com todos esses alertas que vão além de sua performance nos campos que, por sua vez, também nunca foram encantadoras.

Possíveis destinos: Jacksonville Jaguars, New England Patriots, Green Bay Packers.

Trey Burton (Philadelphia Eagles)

Jogador não draftado em 2014, Burton, praticamente, não era notado em seus dois primeiros anos na liga. No entanto, principalmente, na última temporada, o TE teve papel mais relevante no ótimo ataque do Eagles que conquistou o Super Bowl – com direito a um passe para TD de Burton no jogo decisivo. Mesmo longe de ser um protagonista, Trey demonstra qualidades que tem despertado o interesse de várias equipes. O TE deve ser um jogador bem requisitado logo na abertura do mercado.

Possíveis destinos: New England Patriots, Green Bay Packers e New Orleans Saints

Antonio Gates (Los Angeles Chargers)

Um dos maiores jogadores da história da NFL, Gates chega ao mercado com duas possibilidades bem claras: a aposentadoria, que não parece ser o desejo do jogador, e uma renovação por mais um ano com o Chargers. Com 37 anos e caminhando para sua 16ª temporada na liga, Gates é um caso de jogador que ainda se mantém ativo por amor ao esporte. Com 114 TDs na carreira, o TE deve jogar mais um ano na única equipe que defendeu até hoje.

Possível destino: Los Angeles Chargers

Martellus Bennett (New England Patriots)

Após se transferir para o Packers na Free agency do ano passado, Bennett retornou ao Patriots durante a temporada em um movimento bastante confuso. Cortado pelo Packers por um problema físico, Martellus acabou jogando pelo Patriots duas partidas antes de ser colocado definitivamente na reserva de feridos. Novamente dispensado, o TE, que cogitou a aposentadoria na última temporada, estará disponível na abertura do mercado. Os questionamentos sobre seu estado de saúde e motivação serão recorrentes, mas, caso esteja realmente saudável e disposto, Martellus ainda pode contribuir bastante aos 31 anos de idade.

Possíveis destinos: New England Patriots, New Orleans Saints e Jacksonville Jaguars

OTs

Nate Solder (New England Patriots)

Escolhido na 1ª rodada do riquíssimo draft de 2011, Solder foi peça fundamental no sucesso do Patriots durante todos esses anos. Responsável pela proteção do lado cego de Tom Brady, Solder chega ao mercado após mais uma participação no Super Bowl. Apesar de algumas oscilações, de uma forma geral, a carreira sólida de Nate deve atrair muitas equipes interessadas na melhora da proteção aos seus respectivos QBs. Um retorno ao Patriots não deve ser descartado, no entanto, é possível que outras equipes ofereçam melhores contratos ao LT.

Possíveis destinos: Houston Texans, Cincinnati Bengals e Carolina Panthers.

Andre Smith (Cincinnati Bengals)

Selecionado pelo Bengals na 1ª rodada do draft 2009, Smith, que esteve no Vikings em 2016, jogou quase que a totalidade de sua carreira em Cincinnati. Aos 31 anos, o OT teve uma temporada abaixo da média em 2017. Avaliado pelo Pro Football Focus como o 62º OT da última temporada, Andre chega ao mercado como uma opção de experiência, porém com questionamentos sobre sua capacidade de ainda jogar em bom nível.

Possíveis destinos: Cincinnati Bengals, Arizona Cardinals e Denver Broncos.

Chris Hubbard (Pittsburgh Steelers)

Atleta bastante versátil, Hubbard pode jogar em várias posições dentro da OL. Sendo uma espécie de coringa na Linha Ofensiva do Steelers, Hubbard terá a chance de conseguir no mercado um contrato e a oportunidade de ser titular em alguma outra equipe. É provável que muitos times demonstrem interesse em um atleta com sua experiência e versatilidade.

Possíveis destinos: New York Giants, Denver Broncos e Arizona Cardinals

OGs

Andrew Norwell (Carolina Panthers)

Provavelmente o melhor OL disponível na free agency deste ano, Norwell deve ganhar um contrato bastante generoso em 2018. Jogador não draftado em 2014, o OG conquistou a titularidade ainda em seu primeiro ano e disputou todas as partidas do Panthers nas últimas duas temporadas. Considerado um dos melhores OGs jovens da liga, Norwell será um dos atletas mais disputados desta free agency. O próprio Panthers é uma das equipes que devem fazer um esforço por Norwell, no entanto, a concorrência será pesada.

Possíveis destinos: Carolina Panthers, Atlanta Falcons e  Minnesota Vikings

Justin Pugh (New York Giants)

Atleta com capacidade para jogar em outras posições da OL, Pugh teve a sua melhor temporada jogando como OG. Liberado recentemente para voltar às atividades relacionadas ao futebol após uma lesão nas costas, Justin deve despertar o interesse de equipes por sua qualidade e versatilidade. No entanto, as seguidas lesões que limitaram a participação do jogador nas duas últimas temporadas certamente serão motivo de questionamento. Caso esteja saudável, Pugh é seguramente uma das melhores opções para OL nesta free agency.

Possíveis destinos: Carolina Panthers, Minnesota Vikings e Indianapolis Colts.

Josh Sitton (Chicago Bears)

Eleito 4 vezes para o Pro Bowl (All Pro em 2014), campeão do Super Bowl XLV, e um dos jogadores mais respeitados de sua posição nos últimos anos, Sitton chega ao mercado após o Bears decidir não exercer a opção no contrato do veterano para a temporada 2018. Mesmo aos 31 anos, Sitton ainda demonstra muita qualidade e não deve ter problemas para conseguir um novo contrato na abertura do mercado. Equipes que precisam adicionar qualidade e experiência as suas linhas ofensivas são candidatas a contar com os serviços do OG.

Possíveis destinos: Minnesota Vikings e Tennessee Titans

Josh Kline (Tennessee Titans)

Jogador não draftado em 2013, Kline jogou os primeiros três anos de sua carreira no Patriots onde foi campeão do Super Bowl XLIX. Em Tennessee desde 2016, Kline continuou como um jogador sólido e teve uma ótima temporada em seu primeiro ano com o Titans. Mesmo um pouco abaixo em relação à temporada anterior, em 2017, Kline se manteve como um dos bons jogadores da segura linha ofensiva da equipe. Rumores dão conta de que o Titans deseja a permanência de Kline, no entanto, é provável que o OG chegue ao mercado.

Possíveis destinos: Tennessee Titans, Chicago Bears e Carolina Panthers

Centers

John Sullivan (Rams)

Jogador veterano, Sullivan passou por Vikings e Redskins até chegar ao Rams em 2017. Peça importante na evolução da equipe principalmente no jogo terrestre, o Center de 32 anos foi avaliado como o 10º melhor jogador de sua posição na última temporada segundo o Pro Football Focus. O experiente Center, que assinou um contrato considerado baixo para os padrões da liga na última temporada, terá a oportunidade de um acordo um pouco mais rentável para esta temporada. Um retorno ao Rams é uma possibilidade bem interessante após o bom desempenho em 2017.

Possível destino: Los Angeles Rams.

Ryan Jensen (Baltimore Ravens)

Com mais oportunidades de jogar em 2017, Ryan Jensen se mostrou um seguro jogador ancorando a OL do Ravens. Demonstrando capacidade em campo e também uma liderança fora dele, Jensen foi uma das poucas figuras de destaque em um ataque mediano da equipe de Baltimore na última temporada.  Aos 26 anos, e após a sua melhor temporada, Ryan chega ao mercado como uma ótima opção para equipes que buscam um Center que demonstrou uma clara evolução em seu jogo nos últimos anos.

Destinos possíveis: Baltimore Ravens, New York Jets e Cincinnati Bengals.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.


 

Compartilhe