sexta-feira, 18 de maio de 2018

Compartilhe

Agora com o Draft no passado, isto é, os times injetando talento jovem via recrutamento anual universitário, começamos a olhar para os remanescentes da classe de free agents deste ano na NFL. Com mais de dois meses adentro, ainda há vários jogadores que podem causar um impacto imediato nos times e situações corretas, o que de fato seria um grande ganho neste altura do ano. Me causa estranheza vários dos jogadores listados abaixo ainda estarem sem time, devido ao fato que em passado nem tão distante, todos foram atletas de impacto e de certa forma chamaram a atenção para si através de um bom desempenho obtido ao longo de toda uma temporada. Boa leitura!

IRÃO ASSINAR COM ALGUM TIME, MAIS CEDO OU MAIS TARDE

WR Jeremy Maclin
Palpite: Seattle Seahawks

Podemos dizer que Maclin sofreu por atuar as últimas temporadas ao lado de Alex Smith e Joe Flacco, dois QBs que não figuram exatamente na lista dos melhores da NFL, longe disso. Contudo, nos seis anos iniciais de sua carreira, Maclin compilou mais de 700 jardas em cada um deles e mais, em dois anos anotou dez TDs de recepção atuando pelo Philadelphia Eagles

Talvez apenas Paul Allen, o proprietário, saiba o que está acontecendo com o Seattle Seahawks. A outrora potência da NFC está com buracos em praticamente todos os setores, principalmente no ataque. A posição de WR, que já não era boa, sofrerá a ausência de Paul Richardson, que saiu da equipe recentemente. Porque não alinhar Maclin com um dos melhores Quarterbacks da NFL? Após sabermos que Dez Bryant recusou um contrato de três anos que pagaria U$ 21 milhões, Maclin com toda a certeza custará bem menos para o time que quiser contar com os seus serviços. A julgar todo o talento (ou falta dele) no Seahawks, é imposível não pensarmos em Seattle como um destino provável para Maclin daqui algumas semanas.

CB Dominique Rodgers – Cromartie
Palpite: Kansas City Chiefs

Em 2016 vimos DRC ter uma de suas melhores temporadas em sua longa carreira. Com o New York Giants, foram seis interceptações e 21 passes defendidos naquela que foi uma das melhores defesas de toda a temporada e carregou a equipe até os playoffs daquele ano. Contudo, após atuar no turbilhão que foi a equipe em 2017, Rodgers – Cromartie parece ter perdido todo o seu valor e ainda luta para encontrar um time para atuar em 2018.

Não é difícil imaginá-lo no Chiefs. Com uma defesa realmente nova (com exceção do veterano S Eric Berry) a presença de outra figura manjada dentro da NFL como DRC com certeza seria de muita valia para os comandados de Andy Reid. A ausência do CB Marcus Peters aliás, que interceptou 19 passes nas últimas três temporadas será sentida mesmo com a adição de Kendall Fuller, que veio na troca que enviou o QB Alex Smith para o Washington Redskins. Já podemos dizer que a experiência em trazer o veteraníssimo Darrelle Revis falhou miseravelmente e a equipe já olha para um substituto e possível titular, então conseguir um jogador veterano como DRC e com capacidade de ser inserido de forma imediata em qualquer sistema defensivo seria um verdadeiro achado nesta altura da intertemporada.

S Kenny Vaccaro
Palpite: Miami Dolphins

Pessoalmente, é uma surpresa um jogador talentos como Vaccaro ainda estar sem time nesta altura. Ele se mostrou uma opção sólida atuando em profundidade ou mais perto da linha no combate ao jogo corrido, além de ser uma inquestionável liderança em sua curta carreira desde que o Saints lhe recrutou na primeira rodada do Draft, vindo de Texas.

O Miami Dolphins trouxe o DB Minkah Fitzpatrick no último Draft, é verdade, mas ao que tudo indica planeja usar o talentoso atleta como CB, e não como S (igual atuou em Alabama). Com isso mente, a equipe que se apoia na volta do QB Ryan Tannehill para se classificar aos playoffs ainda precisa de uma presença firme na secundária, e não vejo por que não ser Vaccaro. A perda de jogadores importantes como o DT Ndamukong Suh e o WR Jarvis Landry deixaram também um vácuo no quesito liderança dentro da equipe, e um atleta como o veterano DB pode muito bem ser esta voz que falta para todos. Suas estatísticas em 2017 não deixam a desejar: foram 48 tackles, sete passes defendidos e três interceptações atuando pela ótima defesa do Saints, que estranhamente optou por não renovar com o veterano.

Bom para o Dolphins, que tem nesta altura a chance de conseguir um atleta de impacto e titular instantaneamente com o ótimo FS Reshad Jones.

WR Dez Bryant
Palpite: San Francisco 49ers

As conversas que o Cowboys iria dispensar Bryant eram tidas como brincadeira, até que de fato aconteceu. Ao recusar uma oferta de três anos do Ravens ele passou um recado claro: quer um contrato de apenas um ano para se provar e então assinar uma mega-extensão na próxima intertemporada, o que é de seu direito.

No momento, talvez nenhum time lhe ofereça a melhor condição possível que o 49ers, que tem no QB Jimmy Garoppolo a próxima estrela da NFL (ele ainda está invicto como titular). Garoppolo ainda padece de um verdadeiro WR #1, coisa que Bryant foi por anos atuando no Texas, e pode muito bem ser na California. Em uma divisão competitiva como a NFC Leste e uma equipe em ascensão como o 49ers, Bryant se colocará em grande situação:

Será o principal recebedor de um atleta em plena evolução em um time que estará munido de grande espaço no teto salarial. Caso ele realmente consiga se restabelecer como um dos melhores atletas de sua posição (principalmente na red zone) poderá ser recompensado pelo próprio 49ers com um mega-contrato ao final da próxima temporada. A meu ver é o casamento perfeito.

 

RB DeMarco Murray
Palpite: Baltimore Ravens

Muitos times já contam com um RB titular definido ou ao menos já tem no elenco a esperança de que algum atleta da posição se estabeleça como tal. Um dos poucos times que ainda não tem nenhuma das opções é o Baltimore Ravens, que desde a conturbada saída do RB Ray Rice ainda não conseguiu definir seu titular por duas temporadas consecutivas. Ao preço certo, Murray pode ser a adição perfeita para o Ravens e, nesta altura da temporada, é difícil imaginar algum outro time que dê ao veterano a oportunidade de protagonizar um ataque terrestre (talvez o Indianapolis Colts, mas recrutou dois RBs no último Draft).

O interesse do Ravens em Dez Bryant denota que a equipe está de olho em veteranos para reforçar o elenco no momento. Seja Joe Flacco ou Lamar Jackson, o QB titular do Ravens precisará de toda a ajuda possível para o ressurgimento deste ataque, principalmente Jackson, que terá toda uma ambientação para o estilo de jogo da NFL. Parece questão de tempo que o calouro assuma a titularidade no mais tardar em 2019, então a presença de um veterano no backfield com toda a certeza ajudará nesta ambientação que não é garantida. A ameaça terrestre que Jackson, um exímio atleta, representa, pode nos lembrar com certa nostalgia uma dose de Robert Griffin III e Alfred Morris com o Washington Redskins no começo desta década, que tomaram a NFL para si em 2012.

DEVEM SE APOSENTAR

TE Marcedes Lewis (Jacksonville Jaguars)

A quantidade de talentos na posição no último Draft tornou difícil a vida de veteranos como Lewis, que ainda penam em conseguir uma nova equipe para atuarem. Aos 33 anos de idade, sendo doze dedicados á NFL como profissional, talvez tenhamos visto o último ato de um dos principais recebedores do Jaguars na última década. Mesmo suas cinco recepções para TD na última temporada não foram suficientes para a manutenção do atleta, que foi dispensado para abrir espaço no teto salarial do Jaguars. Ao considerarmos que ele sequer alcança 500 jardas de recepção desde 2012, é difícil imaginar que algum time esfregue as mãos ao analisar a ficha do veterano TE.

As doze temporadas atuando na NFL foram um feito e tanto para o TE, mas olhando para o futuro próximo, talvez não haja mais espaço para uma figura igual ele na atual fase da liga. Talvez o melhor nesta situação seja seguir o caminho de seu companheiro de posição Jason Witten e procurar o próximo passo na vida além NFL.

TE Antonio Gates (Los Angeles Chargers)

Sinceramente, a história de Gates é uma das mais fantásticas que se tem notícia. Quantas vezes veremos um ex-jogador de basquete, que sequer foi recrutado no Draft tornar-se o maior recebedor da história de uma franquia e sequer ser um WR?

Pois bem, ao completar sua 15ª temporada com o Chargers, a equipe decidiu que era melhor não renovar com o veterano recebedor, e confiará somente em Hunter Henry para a posição daqui pra frente. 2017 marcou a primeira temporada que ele não alcançou as 500 jardas de recepção desde que era um calouro. Gates jamais perdeu mais que seis jogos durante uma temporada, mas toda história tem um fim e para ele, talvez tenha chegado nesta parte.

Claramente não há nenhum interesse real no veterano, já que sequer foi ventilado em qualquer time desde que o Chargers o dispensou. Se mudar de cidade, aprender um novo livro de jogadas e uma nova cultura de time talvez não estejam no plano do jogador que terá 38 anos ao longo da próxima temporada, então ele deve aproveitar a situação e se aposentar como um jogador do time que o consagrou, mesmo que este não o queira de volta no momento. Foi uma carreira gloriosa para o TE, mas ela agora está no passado.

RB Adrian Peterson (Arizona Cardinals)

Talvez o único atleta desta lista que tenha gerado um certo interesse em seus serviços. O Saints manifestou interesse em recontratar o veterano mesmo após uma experiência ruim no ano passado, que incluíram um desentendimento público com o HC Sean Payton e o fato de ter compilado apenas 81 jardas terrestres em quatro partidas. Mesmo que ele realmente consiga um novo contrato, qual será o espaço dele? O RB Mark Ingram voltará na semana 5 de sua suspensão e o calouro do ano Alvin Kamara estará lá também, ou seja, ao menos que ele emule o atleta espetacular que foi há cinco temporadas, se tornará um gasto desnecessário para o teto salarial da equipe.

2017 não foi como ele pensava, mas honestamente penso que tudo irá piorar daqui pra frente. Embora não afete seu legado e tudo que representa para a NFL, sendo um dos melhores corredores deste século, as variadas lesões de joelho e pescoço que sofreu nos últimos anos colocam em dúvida sua disponibilidade pelos 16 jogos de uma temporada. Se o cenário perfeito para o veteraníssimo não aparecer (o que é bastante provável) talvez seja a hora dele se afastar do futebol americano profissional. Atletas de alto rendimento talvez sejam os últimos a perceberam que não os mesmos por estarem acostumados com a grandeza que os cercam, mas assinar com o Saints e eventualmente ser dispensado no meio da temporada regular é o que realmente All Day quer neste estágio de sua gloriosa carreira? Sinceramente duvido muito.

S Eric Reid (San Francisco 49ers)

Você pode ser o atleta mais talentoso do mundo, mas se tem uma atitude negativa, que prejudica o olhar para o time e como ele é visto por todos, as equipes não lhe contratarão. O fato do mercado de Safeties estar muito enfraquecido nesta temporada também serve como justificativa, mas para um dos maios jovens e talentosos jogadores de secundária disponíveis, a decisão de ajoelhar durante o hino nacional norte-americano lhe custará a oportunidade de atuar na NFL.

O atleta, que construiu uma ótima carreira em LSU e foi importante peça do 49ers nos últimos anos declarou abertamente à times interessados que continuaria a ajoelhar durante o hino na próxima temporada em reuniões com interessados. Mesmo sendo seu direito, é provável que ele jamais consiga outro emprego na liga. Seu outrora companheiro Colin Kaepernick é o perfeito exemplo de como a NFL é cruel nesta parte. Tido como talentoso e inovador com seu ataque read option, ele optou por peitar a NFL e lutar pelo que julga como justo e direito. Não estou aqui para discutir se está certo ou não (isto nem me cabe), mas analisar o impacto disto em sua busca por outro time. É óbvio que a postura de Reid afastou qualquer interessado e, com DBs talentosos como Kenny Vaccaro e Tre Boston ainda disponíveis, talvez tenhamos visto o último ato do jovem jogador.

Com isto em mente, Reid terá todo o tempo possível para lutar por causas da comunidade nos próximos anos, pois ao mover uma ação contra os times da NFL alegando que teriam feito um complô para não assiná-lo, ele também assinou uma sentença que jamais atuará na NFL novamente.

Leia textos exclusivos a cada semana sobre todos os times da NFL. Seja um assinante L32


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Leave A Reply