sexta-feira, 29 de junho de 2018

Compartilhe

Durante o período que antecedeu o Draft 2015, as maiores preocupações sobre o promissor QB Jameis Winston estavam relacionadas aos seus (vários) problemas extracampo. Após se destacar nas entrevistas pré-Draft demonstrando uma aparente maturidade, além de bastante entendimento do jogo, Winston conseguiu conquistar a confiança do Buccaneers, sendo o primeiro escolhido naquele recrutamento. Entretanto, o QB acaba de ser suspenso pelos três primeiros jogos da temporada por ter violado a política de conduta pessoal na NFL. Hoje é dia de entender melhor este caso, e analisar as possíveis consequências para Winston e para o Buccaneers.

LEIA MAIS: Decepção em 2017, Buccaneers terá mais uma chance de explodir em 2018

Para quem ainda não está familiarizado com a situação, o QB Jameis Winston é acusado por uma motorista de Uber de ter colocado a mão em sua virilha durante uma viagem. O caso em questão teria ocorrido em 2016, e a motorista havia comunicado o incidente a empresa Uber, que baniu o passageiro (Winston) da companhia. Em 2017, a motorista identificada apenas como Kate, deu uma declaração ao site BuzzFeed News detalhando o suposto abuso cometido pelo jogador. Com a divulgação do ocorrido, o QB declarou sua inocência e alegou que a motorista em questão poderia estar confusa pela quantidade de pessoas no veículo.

Sobre o número de pessoas no carro, também existem versões conflitantes. No dia em questão, Winston, o CB do Eagles, Ronald Darby, e Brandon Banks, ex-jogador de Vanderbilt – que atualmente está preso cumprindo pena de 15 anos por participação em um estupro coletivo – estavam em uma boate no Arizona quando o Uber foi solicitado para levar Jameis. Darby, em sua declaração após a divulgação da matéria pelo BuzzFeed, afirmou que Winston não estava, em momento algum, sozinho com a motorista. Segundo a afirmação do CB do Eagles, ele e um terceiro amigo (Banks), também estavam com o QB do Buccaneers durante a viagem. Este terceiro personagem, Brandon Banks, não havia dado sua versão até que seu advogado, Mark Scruggs, declarou a ESPN que Winston estava, na realidade, sozinho no automóvel. Segundo o relato de Banks, o jogador do Buccaneers havia ficado embriagado e “indisciplinado” e, por este motivo, os amigos decidiram chamar o Uber, onde Winston teria ido acompanhando apenas da motorista.

A NFL, então, abriu uma investigação interna e decidiu por uma punição de três jogos, além de multa de $124,000 dólares para Winston. Ao analisar esta punição, e considerando as diferentes versões, tudo levava a crer que a liga havia concluído que Winston realmente estava sozinho com a motorista no veículo e, desta forma, havia mentido em sua declaração. O ponto principal, que seria a existência ou não do abuso por parte do QB, não teria sido comprovado pela investigação, pois, neste momento, o que temos é a versão de Kate contra a versão de Winston. Todavia, o fato mais impactante de toda esta história foi revelado pelo jornalista da CBS Sports, Will Brinson. Segundo o repórter, a NFL concluiu em sua investigação que Winston realmente teria cometido o abuso e, inexplicavelmente, só puniu o jogador com três partidas!

Leia textos exclusivos a cada semana sobre todos os times da NFL. Seja um assinante L32

A expectativa de uma punição de apenas três jogos residia no fato citado acima em relação a dificuldade de se provar um caso que, ao que parece, não tem testemunhas e nem imagens. No entanto, no momento em que a investigação conclui que houve um fato gravíssimo, uma punição como esta é ridícula e uma afronta a todos. Obviamente existe uma enorme diferença entre estar sozinho e, provavelmente, se comportar como um bêbado desagradável, para uma pessoa que comete um abuso tocando sem consentimento o corpo de uma mulher. O caso seria, inclusive, passível de processo criminal e demissão justa. Entretanto, como sabemos, dificilmente Jameis Winston será cortado pelo Buccaneers e, provavelmente, nem sofrerá alguma punição mais severa. A equipe de Tampa, inclusive, liberou uma nota oficial extremamente vazia em que declara apenas que está decepcionado com Jameis, que aceita a punição e, basicamente, nada além disto.

Falando em declaração oficial, Winston também fez a sua. Nela, o QB admite um comportamento errado e desrespeitoso, ou seja, contradiz a sua versão anterior, mas não admite o abuso em si. Segundo informações de várias fontes que cobrem a NFL nos Estados Unidos, a declaração oficial do QB faz parte de um acordo para a punição de apenas três jogos imposta pela liga.

Analisando a trajetória de Winston na NFL até aqui, aparentemente, o QB demonstrava uma evolução em relação ao seu comportamento fora dos campos. Esta grave denúncia que discutimos acima, trás a tona uma parte negra da carreira de Winston durante seu período no College; algo que parecia superado. Durante sua estadia em Flórida State, Winston colecionou problemas disciplinares. Desde problemas “menores” como, por exemplo: tomar refrigerante sem pagar em uma lanchonete, não pagar conta de um restaurante, vender autógrafos, e se jogar em uma mesa embriagado. Como outras denúncias gravíssimas como um possível estupro. Caso este em que o mesmo Ronald Darby foi testemunha de defesa alegando que a relação havia sido consensual. Enfim, os problemas de Jameis são diversos e agora esta carga extremamente negativa é trazida a tona em um momento chave de sua carreira entre os profissionais.

No texto que pode ser acessado neste link, falávamos sobre jogadores que precisam se provar em 2018; Jameis Winston, sem dúvidas, é um destes. O Buccaneers é uma equipe que precisa deixar de ser uma promessa e isso passa pelo desempenho de Winston. Apesar de uma melhora discreta em alguma de suas estatísticas, a quantidade de turnovers ocasionados por decisões ruins ainda é muito alto. Em seu 4º ano na liga, a melhora nesta parte de seu jogo precisa ser verdadeiramente relevante. Além disto, vale mencionar que Winston terá um aumento significativo em relação ao seu salário em 2019 com a utilização da opção do 5º ano de seu contrato de calouro.

Especificamente sobre o caso do abuso, considerando a conclusão da própria investigação por parte da Liga, vale mais uma vez destacar que é completamente absurdo uma punição como esta. E, no caso do Bucs, a atitude mais correta seria a dispensa do jogador. No entanto, infelizmente, é provável que nada disto ocorra e, mais uma vez, a NFL, que parecia ter evoluído nas punições para estes tipos gravíssimos de crimes, passa uma péssima imagem para a sociedade como um todo.

A temporada 2018 que já era importante para Winston e para a equipe do Buccaneers, ganhou ainda mais peso com os problemas extracampo, além da suspensão do QB nos primeiros jogos da temporada. E possível afirmar, inclusive, que o desempenho da equipe a partir de setembro deve ser decisivo até para o futuro de dois importantes membros da organização: o GM Jason Licht e o HC Dirk Koetter. Para o bem ou para o mal, é possível afirmar que a próxima temporada será crucial para o futuro do Bucs.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

 

Compartilhe

Leave A Reply