quinta-feira, 19 de abril de 2018

Compartilhe

Estamos a exatos 7 dias do Draft e a expectativa está cada vez maior. No entanto, nada pior do que ficar feliz com o jogador selecionado pelo seu time, e no inicio da temporada regular ele ser uma grande decepção. Desta forma, analisaremos aqui os 3 jogadores mais arriscados desta classe 2018, ou seja, os jogadores que tem uma grande expectativa em volta de suas habilidades e podem não corresponder na Liga.

Marcus Davenport, DE, UTSA

O Edge Rusher de 1,95m e 120kg está criando hype em muitos torcedores da NFL. Com uma capacidade atlética incrível e um biotipo físico de dar inveja, Davenport não é um prospecto pronto para o profissional.  Isso porque sua técnica é extremamente pobre, e na maioria de suas grandes jogadas ele utiliza apenas sua fisicalidade para vencer o bloqueador. Jogando em uma das conferências menores do College Football, Davenport sempre conseguiu se impor pra cima dos Tackles em geral, já quando chegar na NFL a história será outra.

Na Liga ele enfrentará jogadores mais fortes, físicos e técnicos, e não terá mais espaço para usar somente sua força. Sua técnica será bastante exigida e o seu famoso Bull Rush, movimento em que o DE usa sua força contra o Tackle para empurra-lo, não será tão eficiente. Na NFL ele precisará mais do que isso para se tornar um grande jogador. Cotado atualmente para o meio da primeira rodada, se Davenport cair em uma situação onde o time não tenha um Edge estabelecido e precisar contar com o calouro, a torcida deve se preocupar. Se tiver espaço para criar seu jogo em uma linha defensiva em que não receba tanta atenção, pode acabar se desenvolvendo em um jogador acima da média.

Tremaine Edmunds, LB, Virginia Tech

Aqui temos mais um caso de um jogador fisicamente sensacional que ainda é muito cru tecnicamente. Edmunds está decolando nos boards da imprensa a fora por ser um linebacker  de 1,92m e 114kg com um grande plus, ele tem apenas 19 anos! Sim, é muito impressionante. Um potencial físico desse tamanho, chegando na NFL tão novo e podendo causar impacto desde já. Mesmo assim, eu não me animaria tanto…

Edmunds tem um grande problema em seu processamento mental. Constantemente batido em play actions e options, o jogador é extremamente instintivo em campo. Ele consegue fazer leituras bastante rápidas, o problema é que muitas vezes erradas. Falando de maneira geral, ele é um grande jogador, com um potencial incrível, mas que ainda está longe de poder causar todo o estrago que a maioria dos torcedores espera que ele cause.

Seu melhor encaixe é em uma equipe que já tenha um Inside Linebacker cerebral, que comande a equipe e possa cobrir possíveis erros de leitura que o novato venha a ter. Atuando prioritariamente como OLB, podendo fazer cobertura ou rushar o passe, pelo menos em seu início de carreira. Caso desenvolva melhor esse aspecto mental do jogo, poderá se tornar um grande linebacker no outside ou também atuando por dentro.

Josh Allen, QB, Wyoming

Sim, o famoso e polemico Josh Allen. Seria impossível ele escapar de uma lista como essa após todos os debates sobre sua capacidade que vemos tendo desde o inicio do processo. Josh Allen é um incrível matéria bruto, uma joia rara a ser lapidada. O problema é que esse refinamento é muito complexo e demandará demais de qualquer comissão técnica que selecione o jogador.

Josh Allen é um prospecto que precisa ser muito trabalhado na parte mental, muito mesmo. Tem dificuldade em executar leituras, trava os olhos em seu recebedor e tem uma tomada de decisões muito questionável. Quando vê a mínima possibilidade de lançar um passe em profundidade, esquece todo o resto da jogada e foca apenas naquilo. Na maioria desses casos acaba lançando em uma cobertura dupla e termina interceptado, mas também, contando com um incrível braço, consegue completar alguns passes desta mesma dificuldade lindíssimos. Fato esse que empolga muitos treinadores que pensam ser capazes de treinar um jogador como esse.

É claro que pode acontecer, mas o percurso para isso é muito longo. São muitas questões a serem desenvolvidas em um Quarterback, em uma classe tão rica, que provavelmente sairá no top 5. É um caso de alto risco e alta recompensa, o problema é a probabilidade de alcançar essa recompensa.

Allen pra mim é um ótimo prospecto de segunda rodada, que pode ser trabalhado, inserido como titular e ser o rosto de uma franquia por muitos anos. No entanto, em uma classe como essa, sair no topo do Draft faz com que os riscos dele se desenvolver ou não em um bom Quarterback sejam bastante altos, tornando-o presença obrigatória na nossa lista.

E ai, concorda com os nomes? Discorda de alguém? Deseja adicionar? Deixe um comentário ou mande no Twitter!

Compartilhe

Leave A Reply