segunda-feira, 9 de julho de 2018

Compartilhe

A escassez de temas vem chegando ao fim, mas enquanto os trainning camps não chegam, continuarei com as previsões para essa próxima temporada e manterei o espiríto polêmico nas avaliações. Hoje falarei sobre o piores da NFC para 2018, aqueles que não possuem uma perspectiva de futuro muito clara, podendo ceder ao fracasso. Vale ressaltar que as equipes citadas podem surpreender e melhorar repetinamente, porém, isso não costuma acontecer. Outro aspecto que merece ressalva é o seguinte: torcedor, deixe o clubismo de lado e seja realista, o que fazemos aqui são análises, mas elas são bem fundadas, com base no elenco, movimentação durante a intertemporada e outros fatores.

Os três times são: Tampa Bay Buccaneers, Arizona Cardinals, Seattle Seahawks. Sim, nenhum time da NFC Norte e da NFC Leste está na lista, por quê? Simples, essa divisões estão muito equilibradas e os times dessas divisões não “merecem” estar nesse grupo da discórdia. Existe outro questionamento que deve ter surgido na mente de vocês: por que duas franquias da NFC Oeste? Porque as duas franquias estão em processo de reconstrução e durante esse tempo o foco não está em boas campanhas no curto prazo, mas sim no longo prazo. Então vamos ao que interessa, os motivos desses times serem os piores visando a temporada que se aproxima.

1 –  Tampa Bay Buccaneers

Não adianta ter Jameis Winston no elenco se ele não consegue se segurar durante a offseason. Desde a epoca da faculdade Winston vem se envolvendo em confusões extracampo, dessa vez não foi diferente. Em 2016 Jameis abusou de uma motorista de Uber, a NFL investigou o caso e aplicou uma punição de quatro jogos, sim, QUATRO JOGOS. Para um abuso sexual a punição foi muito leve, o quarterback de Tampa deveria ter uma punição mais severa, porém a punição de quatro partidas deve se manter.

Se com Winston a equipe não é a melhor, imagina sem ele? Mesmo que seja só nas primeiras quatro semanas, o QB fazerá muita falta para a equipe da Flórida. Além de tudo, as outras franquias da NFC Sul estão em um nível muito superior à Tampa. A franquia tem muitos buracos no elencos que não serão preenchidos até o início da temporada, com tudo isso só me resta a dizer que Tampa, mais uma vez, amargurá o último lugar de sua divisão e será uma das piores equipes da NFC.

2 – Arizona Cardinals

Steve Wilks – treinador do Cardinals – não demonstra confiança, o dilema da titularidade entre Sam Bradford e Josh Rosen, a dificuldade do calendário, entre outros fatores conduzem a franquia do deserto ao fracasso. Mesmo conseguindo selecionar bons jogadores no Draft passado, Arizona não tem um elenco capaz de desafiar San Francisco e Los Angeles pelo título da NFC Oeste. Colabora também o fato de que Sam Bradford parece ser o escolhido para ser o QB titular, mesmo que o novato Josh Rosen seja mais habilidoso, o récem chegado treinador, Steve Wilks, prefere Bradford sobre Rosen, como? Não sabemos, mas decisões erradas como essa não podem acontecer.

Mais recentemente o General Manager da equipe foi citado sob acusação de dirigir sobre influência de substância (DUI, como conhecido nos EUA), e o mal exemplo surge: se o GM tem pretexto para tal, por quê não posso fazer? Com todo esse clima circundando a equipe, é facíl prever que o Cardinals será um, se não o maior fracasso de 2018

3 – Seattle Seahawks

Kam Chancellor, Richard Sherman, Michael Bennett, Sheldon Richardson, Paul Richardson…. A lista de nomes que não voltarão à Seattle é longa, a Legion of Boom não existe mais, só sobrou Earl Thomas e o mesmo ainda pode sair em uma troca envolvendo o Dallas Cowboys, resumo da ópera? A franquia está em clima de terra arrasada e Russell Wilson parece ser a última, e única esperança. Com todas essas mudanças, uma boa campanha parece estar longe de acontecer e após um período bastante vitorioso, a equipe amargurá pelo menos duas temporadas de mal desempenho. A temporada passada foi uma completa disfuncionalidade, uma linha ofensiva desastrosa e pifía que sobreviveu graças à Wilson, que operou milagres, conseguindo manter as chances de pós-temporada vivas até a última rodada. Para 2018 o caminho vai ser muito complicado, acredito que a equipe terá no máximo cinco vitórias e mudanças ainda mais profundas precisam ser realizadas.

Compartilhe