quarta-feira, 23 de Maio de 2018

Compartilhe

Como é de praxe em todos os anos durante a offseason, os donos das franquias da NFL se reúnem para discutir algumas mudanças de regras e outros pontos importantes em relação ao funcionamento da liga. Em 2018, o encontro acontece em Atlanta durante esta semana. Dentre os temas discutidos, alguns merecem um destaque especial. Sendo assim, vamos fazer uma breve análise sobre os assuntos mais relevantes da reunião dos proprietários.

LEIA MAIS: Os QBs mais decepcionados com a offseason de 2018

Kickoff

Como sabemos, um dos mais graves problemas da NFL atualmente são as concussões. Principalmente após a descoberta das consequências que elas podem acarretar ao futuro do atleta, a liga tem tentado buscar formas de minimizar os riscos destas preocupantes lesões. Dentro desta realidade, as jogadas de kickoff são as mais perigosas, pois, devido à alta velocidade dos jogadores nestes lances, geram choques mais fortes e, por consequência, um risco maior de concussões. Como tem ocorrido nos últimos anos, mais uma vez, as mudanças nas regras do Kickoff estarão em pauta.

Neste ano, contudo, são diversas as propostas de mudança para esta parte específico do jogo. Estas sugestões foram criadas após um estudo que contou com a participação de treinadores de times especiais, jogadores, membros do comitê de segurança da liga e médicos. Dentre as propostas, está a exigência de que os jogadores dos times especiais se alinhem, no máximo, uma jarda do ponto do chute (atualmente são 5 jardas), de forma a reduzir a aceleração e, consequentemente, a velocidade em um possível contato com outro atleta. Outra sugestão interessante é que, no caso de a bola atingir a end zone, automaticamente seja declarado o touchback, sem a necessidade de que o jogador adversário se ajoelhe para isto; o que limitaria o número de tentativas de retorno.

Mais importante do que pensar em qual regra será aprovada, é perceber que a NFL, cada vez mais, está preocupada com a seríssima questão das concussões. É evidente que um belo retorno de kickoff, principalmente, para TD é muito empolgante, porém, evitar um choque em alta velocidade, que pode comprometer a saúde do jogador, é muito mais importante. É comum criticarmos a NFL – principalmente na questão disciplinar – mas é justo elogiarmos posturas como esta. Vale destacar que, desde 2002, a liga já fez 49 mudanças nas regras que tinham como objetivo a proteção da saúde do atleta.

LEIA MAIS: 5 jogadores da AFC que podem explodir em 2018

Apostas Esportivas

Outro ponto que certamente será tema de debate é a questão da legalização das apostas esportivas. Para quem não sabe, a Suprema Corte Americana derrubou uma lei de 1992 que proibia as apostas esportivas organizadas pelos Estados (com algumas pequenas exceções). Sem entrar nos méritos jurídicos do caso, até por falta de conhecimento para tal, o fato é que se abre uma possibilidade de arrecadação muito grande para os estados. Segundo estudo no site da própria NFL, a conclusão é que, caso as apostas fossem liberadas, ao menos, 32 Estados americanos teriam interesse em legalizar apostas esportivas relacionadas às grandes ligas. Este interesse é facilmente entendido, pois a estimativa é que os americanos apostem ilegalmente cerca de $150 bilhões de dólares todos os anos.

A questão ainda carece de maior regulamentação legal, no entanto, com a decisão da Suprema Corte, e os interesses já citados, é provável que tudo ocorra rapidamente em relação à criação de uma legislação que defina regras para essas apostas. O receio da NFL é relacionado à credibilidade do seu produto. Como sabemos, em vários esportes, já ocorreram casos de resultados forjados em troca de benefício financeiro oriundo de apostas. É importante destacar que, antes da decisão da Suprema Corte, as quatro principais ligas esportivas americanas (NFL, MLB, NBA, NHL) e a NCAA, solicitaram que a lei que proibia as apostas fosse mantida. Entretanto, após a decisão, o comissário da NFL, Roger Goodell, declarou que a liga já vinha se preparando para este possível resultado: “Investimos um tempo considerável planejando o potencial das apostas esportivas amplamente legalizadas, e estamos preparados para abordar esta mudança de maneira ponderada e abrangente.” A questão das apostas será debatida neste encontro e, certamente, ainda ouviremos muito sobre este assunto.

Protestos durante o Hino

Outro assunto que gera muito debate, além de pontos de vista diferentes, é a questão dos protestos durante a execução do hino Americano. Mesmo este não sendo um assunto que esteja, oficialmente, na agenda do encontro, segundo Judy Battista, repórter da NFL.com, a questão dos protestos será tema de várias conversas entre os proprietários – ainda mais com Colin Kaepernick lutando para provar que existe um complô contra ele.

A questão, que é das mais sensíveis, envolve vários interesses e tem gerado uma situação de desconforto entre os proprietários. Sem entrar no mérito de quem está com a razão, é inegável que o motivo principal dos protestos é extremamente relevante, porém, a forma como é feito, durante a execução do hino dos Estados Unidos, deixa muitos torcedores, patrocinadores, e alguns proprietários de franquia, absolutamente ofendidos; o que, obviamente, também precisa ser respeitado. Uma das possibilidades é que se defina (até pelos diferentes pontos de vista entre os proprietários) que cada equipe faça sua própria “legislação” em relação às possíveis manifestações.

Leia textos exclusivos a cada semana sobre todos os times da NFL. Seja um assinante L32

A reunião dos proprietários também irá tratar de alguns outros assuntos. Dentre eles, a oficialização da venda do Panthers e a definição das próximas sedes do Super Bowl e do Draft. Todavia, os três assuntos destacados no texto são bem relevantes e fomentam debates importantes que ultrapassam os limites do campo. A questão do kickoff levanta discussões sobre a saúde dos jogadores em conflito com a (teoricamente) diminuição da emoção do jogo. As apostas esportivas entram na questão moral e da necessidade de manter a credibilidade do esporte e, por fim, os protestos nos trazem, em muitos aspectos, pontos de vista opostos, porém legítimos.

Dentre estes tópicos, a questão das apostas, ainda deve gerar muitos debates. Sendo assim, para finalizar, fica o questionamento: Vocês acreditam que as apostam podem prejudicar futuramente a credibilidade da liga? Comentem!


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

 

Compartilhe