quinta-feira, 23 de maio de 2019

Compartilhe

Em tempos de crise e duras críticas à liga, desde aspectos políticos até mudanças de regras, os apaixonados por futebol americano não podem se queixar a respeito da competitividade na NFL. Todos os anos surgem novos elencos, potências e dinastias. Ao mesmo tempo em que, outros entram em franca decadência sem uma explicação lógica. E da noite para o dia, a franquia pode ir da água ao vinho e vice-versa.

Pensando apenas em gratas surpresas, quem não se lembra da evolução do Los Angeles Rams de 2017 para 2018? Voltando um ano mais, o que falar do salto do Jacksonville Jaguars de 2016 para 2017? Todos os exemplos passados são resultados de boas escolhas. Seja no draft ou na free agency; Na montagem do elenco ou comissão técnica. E, nesta temporada, seu time pode ser a zebra do ano:

Leia Mais: Lesões marcam início dos treinamentos organizados

Leia Também: O Que o Início das OTA’S Revela Para Esse Novo Packers

(Todas as equipes escolhidas aqui tiveram 10 derrotas ou mais na última temporada)

1.Denver Broncos (6-10)

Muitos vão dizer que o Raiders é o time em crescimento na AFC Oeste. Após draft fabuloso, no entanto, o time do Colorado pode pintar como a grande surpresa na divisão. Joe Flacco não será o quarterback da franquia para os próximos 10 anos, mas pode contribuir nesta temporada e pilar o garoto Drew Lock (Missouri), selecionado na 42ª escolha.

Se há algo que os torcedores de Baltimore não podiam reclamar do campeão de Super Bowl era sua química com Tight Ends. Em 11 temporadas à frente dos Ravens, 7 delas um gigante do ataque estava entre os três principais recebedores do time. Nada melhor então do que selecionar o principal jogador da posição na escolha de número 20. Noah Fant (Iowa) tem habilidades para se tornar um all-star na NFL, principalmente na execução das rotas, que se aproximam de grandes WRs. Para completar o belo recrutamento ofensivo de Denver, o OL Dalton Risner (Kansas State) chega para ajudar na proteção do camisa 5 e abrir espaços ao agora segundo anista, RB Phillip Lindsay. A linha ofensiva ainda ganhou o bom reforço de JaWuan James, ex-Dolphins, pelas próximas 4 temporadas

Denver Broncos linebacker Bradley Chubb (55) and linebacker Von Miller (58) look on during the first half of an NFL football game against the Oakland Raiders, Sunday, Sept. 16, 2018, in Denver. (AP Photo/Jack Dempsey)

Para compor o sistema defensivo que já possuía verdadeiros monstros, foi selecionado na terceira rodada o DT Dre’Mont Jones (Ohio State), que pode contribuir no interior da linha. O Head Coach Vic Fangio é um mestre de defesas e saberá como administrar a máquina de sacks que tem em mãos. A equipe ainda conta com os reforços do CBs Kareem Jackson e Bryce Callahan, adquiridos na free agency, para evoluir a secundária.

 

2. Buffalo Bills (6-10)

Pouco antes do draft, escrevi aqui que os times da AFC Leste estavam em ascensão e isso poderia preocupar o Patriots nos próximos anos. E a cada dia que passa, o Bills vem se tornando mais forte. Principalmente depois que o DT Ed Oliver (Houston) caiu no colo da franquia na posição de número 9. A defesa, que já teve ótimos números em 2018 (segunda com menos jardas cedidas na liga) e se reforçou na free agency, agora assusta qualquer QB. Oliver pode dar uma pressão no meio do campo que a equipe ainda não tinha.

Para o ataque, o técnico Sean McDermott admitiu que a grande carência do time era a linha ofensiva. No mercado, a equipe já havia atirado em dois alvos certeiros: C Mitch Morse e OT Ty Nsekhe. E na segunda rodada draft, por pura sorte (ou competência), mais um presente apareceu na porta de Buffalo. Trata-se do G/OT Cody Ford (Oklahoma). Josh Allen terá mais proteção e tempo no pocket, um time de recebedores renovado, dois bons RBs no backfield, além da ameaça de resolver jogadas com as próprias pernas.

 

Jacksonville Jaguars (5-11)

Se deu certo em 2017, por que não em 2019? Ainda mais com um novo QB e uma defesa renovada. O Jaguars já tinha talentos na última temporada, mas o time não engrenou. Ataque fraco, sem profundidade aérea e, por boa parte da temporada, sem a grande estrela, o RB Leonard Fournette. A defesa deixou a desejar, principalmente em situações de pressão. Contudo, a temporada que está por vir pode ser mais um divisor de águas para a equipe.

Nem nos melhores sonhos a torcida do Jaguars imaginou selecionar EDGE Josh Allen (Kentucky) e OL Jawaan Taylor (Florida), nas posições 7 e 35, respectivamente. Um deles chega para sanar problemas que o time teve no front seven, principalmente depois das saídas de alguns pass-rushers importantes. O outro tem uma habilidade atlética impressionante e pode ser fundamental tanto ao jogo terrestre quanto aéreo.

É fato, faltam algumas armas para Nick Foles. No entanto, é possível ver algumas delas dentro de casa. O TE Josh Oliver (San Jose State) é uma aposta válida para a terceira rodada. Os WRs Dede Westbrook, Marqise Lee e Keelan Cole sofreram na mão de Blake Bortles. Com o ex-camisa 9 do Philadelphia Eagles a história pode ser diferente.

 

San Francisco 49ers (4-12)

A maior incógnita até aqui. O time da Califórnia vem sofrendo com graves lesões nas últimas temporadas e o começo da OATs não parece promissor. Nick Bosa, apontado por muitos como maior prospecto do draft, sofreu uma lesão no posterior da coxa. Então por que 49ers está aqui?

 

Pois bem, é só olhar para o front seven da equipe. DeForest Buckner, Dee Ford, Solomon Thomas, Arik Armstead, Kwon Alexander e o próprio Bosa (que deve voltar até a pré-temporada) assombram até mesmo ataques de Sean McVay e Pete Carroll. Claro, a forte divisão é mais um peso contra o time de San Francisco. Mas se os principais jogadores do elenco permanecerem saudáveis, a franquia tem tudo para dar um salto em 2019.

O ataque também se reforçou. Para o jogo terrestre, Tevin Coleman chega para ajudar Jerick McKinnon e Matt Brieda, que também vêm amargando lesões ultimamente. No corpo de recebedores, os calouros Deebo Samuel (South Carolina) e Jalen Hurd (Baylor) foram escolhas precoces, mas que podem ajudar. O grupo já contava com bons nomes, como Marquise Goodwin, Dante Pettis, Kendrick Bourne e o recém-chegado Jordan Matthews. Sem mencionar George Kittle, um dos únicos que se salvaram em 2018. Sem dúvida esteve entre os 3 melhores TEs da NFL na última temporada e será mais uma vez muito acionado por Jimmy Garoppolo. Vamos ver se o QB consegue ficar longe das contusões neste ano e entregar o que os fãs esperam. Mas é fato que o especialista em ataque, Kyle Shanahan, tem bons talentos no elenco.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui

 

Compartilhe

Comments are closed.