sexta-feira, 24 de julho de 2015

Compartilhe

Leia mais: Confira as datas dos Training Camps

Os Training Camps das equipes da NFL estão para começar. Oficialmente ele já começou para os calouros de Ravens, Browns, Patriots e Saints. Amanhã Steelers e Vikings serão os primeiros times a iniciar os treinamentos de veteranos, e até 02 de agosto todas as equipes da liga estarão treinando para a temporada 2015. Durante a preparação das equipes, diversas histórias se desenrolam nos vestiários da liga. Apresentamos aqui as mais interessantes que devem acontecer nos treinamentos desse ano.

1) A disputa de QBs

A maior parte das equipes entra em 2015 com seu quarterback titular já definido. Entretanto, para quatro equipes da liga este não é o caso, e o training camp será a oportunidade para diversos jogadores mostrarem que merecem ser o QB titular de seus ataques. As disputas acontecem no Jets, Bills, Texans e Eagles.

Jets: Geno Smith vs Ryan Fitzpatrick

Geno Smith é a aposta do Jets para o futuro. Porém o jovem QB tem sido muito inconsistente durante sua trajetória com a equipe, inspirando duvidas tanto na comissão técnica quanto em dirigentes e torcedores. Por isso o Jets trouxe Ryan Fitzpatrick. Mas apesar de alguns apelos para que o veterano jogue, salvo algum desastre, Geno Smith deverá mesmo ser um titular.

Bills: Matt Cassel vs EJ Manuel vs Tyrod Taylor

A disputa mais aberta de QBs da liga é a do Buffalo Bills. Boatos que o inicialmente favorito Matt Cassel, após uma performance horrível nos treinos de intertemporada, corre o risco de nem integrar o elenco final da equipe. Porém nem Manuel nem Taylor são grande coisa. Durante treinos, o técnico Rex Ryan chegou a tirar a defesa titular de campo para dar um boost de confiança ao ataque. A disputa deve seguir até o fim do TC, mas independentemente de quem ganhar o ataque do Bills sofrerá.

Texans: Brian Hoyer vs Ryan Mallett

Apesar de Mallett ter sido a aposta do Texans para o longo prazo, jornalistas apontam que Brian Hoyer se saiu muito melhor em treinos. Após o técnico Bill O’Brien dar dicas que já tem um QB favorito, parece ficar cada vez mais claro que Hoyer deve ser o titular.

Eagles: Sam Bradford vs Mark Sanchez

A disputada de Bradford é mais contra si mesmo do que contra Sanchez. Escolha número 1 do draft, Bradford tem lutado para se manter saudável e consistente, após um belo ano de calouro em 2010. Ao mandar Foles para St. Louis, o Eagles apostou que Bradford poderia liderar o ataque de sua equipe em 2015, e se o QB demonstrar que está saudável a vaga será sua.

2) O resultado das trocas

A intertemporada de 2015 surpreendeu por grandes trocas, inimagináveis por muitos torcedores no início do ano. As três maiores envolveram jogadores importantes para suas franquias, e será interessante ver como esses atletas estarão se adaptando em suas novas equipes.

Nick Foles por Sam Bradford

Eagles e Rams cansaram de esperar suas promessas se concretizarem. Ambos os QBs tiveram anos espetaculares na liga, mas se mostraram inconsistentes. Os front offices das equipes esperam que um novo ambiente seja o suficiente para que os jovens QBs consigam alcançar todo o seu potencial e sejam capazes de liderar suas equipes à vitória.

Jimmy Graham por Max Unger

Na troca mais surpreendente da temporada o New Orleans Saints enviou um dos melhores recebedores da liga para Seattle em troca do All-Pro center Max Unger. Os objetivos são claros de ambos os lados. O Seahawks precisa de um grande alvo, principalmente para a end zone. Talvez com Graham no elenco, Russell Wilson e companhia já estariam com o segundo anel no dedo. O Saints quer ter uma nova filosofia de jogo e precisava desafogar a folha salarial. Os primeiros resultados dessa troca serão vistos no training camp, então vale a pena acompanhar.

LeSean McCoy por Kiko Alonso

Em outra troca surpreendente um dos melhores corredores da liga foi enviado para o Bills em troca de um dos mais promissores defensores da NFL. Chip Kelly despachou Shady McCoy, montou outro backfield poderosíssimo, mais adaptado ao seu estilo de jogo, e ainda reforçou a defesa. Resta ver se Alonso está totalmente recuperado da lesão que o tirou da última temporada. Já o Bills conseguiu um excelente RB que, com a falta de bons QBs em Buffalo, terá um papel fundamental no ataque de Rex Ryan.

3) O braço de Peyton Manning

O final de temporada de 2014 de Manning foi melancólico. Qualquer fã da NFL ficou extremamente desapontado de ver um dos maiores da história simplesmente não conseguindo completar passes que antes eram moleza para ele. Boatos sobre a aposentadoria de Manning tomaram forma, e o próprio QB considerou encerrar a carreira entes de confirmar que voltaria para mais um ano na NFL (ano que todos esperamos que seja espetacular). O motivo para o desempenho decepcionante de Manning foi uma lesão no braço, revelada apenas ao fim da temporada. Porém, muitos questionaram se a idade finalmente havia pesado. QBs no fim de carreira perdem rapidamente a força no braço, e isso será algo a ser observado em Peyton Manning. Será que o futuro HOFer está plenamente recuperado, com força no braço, e confiante o suficiente para retornar a sua forma de MVP de dois anos atrás? Se Manning não conseguir ser o mesmo de sempre o Broncos pode dar adeus a qualquer chance de Super Bowl.

4) O desempenho dos calouros

Uma das maiores expectativas do training camp é sempre observar o desempenho dos novos jogadores da liga. Como eles nunca jogaram entre profissionais, sua performance é uma incógnita, e torcedores ansiosos esperam ver seus calouros em campo e rezam para que eles não se tornem um bust. Obviamente, quanto mais alta a posição que o jogador foi selecionado maior a expectativa. E de nenhuma posição se espera tanto quanto dos QBs. Portanto todos os olhos no training camp estão sobre Jameis Winston e Marcus Mariota. As duas primeiras escolhas do draft serão titulares de suas equipes, e já se enfrentam na semana 1 da temporada no confronto entre Bucs e Titans. Porém, a primeira amostra da habilidade dos dois virá no training camp e em jogos de pré-temporada.

Além dos QBs a ansiedade é grande para ver como diversos outros jogadores se encaixarão em suas equipes. Leonard Williams será o terror defensivo que se espera no New York Jets? E Amari Cooper será o complemento necessário para que Derek Carr decole em Oakland? Todd Gurley é a arma ofensiva que o Rams precisa para superar Seattle na NFC Oeste? Estas questões só serão respondidas durante a temporada, mas as primeiras pistas para essas respostas começam a surgir agora.

5) Os novos técnicos

Uma das maiores mudanças que uma equipe pode apresentar é a troca de seu head coach. Geralmente, filosofias de trabalho totalmente diferentes marcam cada treinador, que costuma trazer sua personalidade para a equipe em campo. Como na NFL a estabilidade dos técnicos é alta, não é sempre que os torcedores veem seus times de forma totalmente diferente em campo de um ano para o outro. O training camp em 2015 será a oportunidade para torcedores de Jets, Bills, Raiders, Bears, Broncos e Falcons verem pela primeira vez qual será a cara de seus times na próxima temporada. Confira quem são os novos head coaches:

Todd Bowles (New York Jets)

O Jets optou por uma reformulação total de sua comissão técnica. Além do técnico principal, foram contratados novos coordenadores ofensivo (Chan Gailey), defensivo (Kacy Rodgers), de times especiais (Bobby April Jr.) e um novo general manager (Mike Maccagnan). Bowles foi coordenador defensivo da excelente unidade de Arizona nas últimas duas temporadas, e é uma ótima escolha para comandar uma equipe com um QB fraco porém com uma das melhores defesas da liga.

Rex Ryan (Buffalo Bills)

O Bills escolheu o polêmico Rex Ryan para comandar sua franquia. A mentalidade defensiva de Ryan deve dar certo com a equipe de Buffalo, que tem tudo para melhorar sob o comando de seu novo treinador.

Jack Del Rio (Oakland Raiders)

Del Rio deixou o cargo de coordenador defensivo com o Broncos para assumir papel de principal comandante da equipe de Oakland. Ele terá a difícil missão de tirar a equipe do posto de uma das piores da liga. O último trabalho como head coach de Del Rio foi em 2011 com o Jaguars.

Jim Tomsula (San Francisco 49ers)

Apesar do sucesso de Jim Harbaugh nos últimos anos em San Francisco, o clima na equipe ficou insustentável e o ex-QB deixou o cargo de comandante do 49ers. Quando todos esperavam que San Francisco trouxesse alguém de renome para o cargo (o mais cotado era o ex-OC do Broncos, Adam Gase), o 49ers achou dentro de casa o seu próximo HC: seu ex-técnico de linha defensiva Jim Tomsula.

John Fox (Chicago Bears)

Após o fracasso com o técnico “calouro” Marc Trestman, que venceu apenas 13 de 32 jogos em Chicago, o Bears foi atrás de alguém com experiência: John Fox. Fox, que comandou o Broncos nas últimas quatro temporadas tem 13 anos de experiência como head coach na liga, e deve corrigir várias falhas apresentadas por Chicago sob o comando de Trestman.

Gary Kubiak (Denver Broncos)

Após desmanchar sua comissão técnica, o Broncos trouxe o ex-coordenador ofensivo de Baltimore para comandar sua equipe. Com uma mentalidade totalmente diferente do que Peyton Manning está acostumado, será interessante ver como o veterano QB se adaptará ao seu novo comandante.

Dan Quinn (Atlanta Falcons)

Após ter uma temporada defensiva horrenda, o Falcons trouxe o comandante da melhor defesa da NFL para gerenciar sua equipe. Dan Quinn, ex-DC do Seahawks, deve trazer uma nova mentalidade defensiva para Atlanta, e ajudará a equipe a tentar retomar a coroa da fraca NFC Sul.

 

Compartilhe

Comments are closed.