quinta-feira, 25 de julho de 2019

Compartilhe

Imagine o seguinte cenário: Duas potências do futebol americano se unindo para formar um time e disputar uma temporada completa da NFL. Fora de cogitação dentro do atual momento do esporte, essa situação ocorreu há 76 anos, quando Pittsburgh Steelers e Philadelphia Eagles precisaram se juntar para disputar a temporada de 1943 sob a alcunha de “Steagles”. Com apenas um ano de história, a equipe acabou esquecida dentro do folclore do futebol americano, mas hoje nós relembramos esse momento inusitado da história da modalidade que serve para explicar o contexto da época em que ela se desenvolvia.

A origem do “Steagles” se deu por conta da presença dos Estados Unidos na 2ª guerra mundial. Como diversos atletas dos dois times – e de outras franquias da NFL – não sobreviviam apenas como jogadores de futebol americano, muitos deles foram chamados para servirem na Europa durante esse período, desfalcando suas equipes ao longo da competição.  A necessidade de montar um elenco e estar em campo nos 10 jogos da temporada uniu o dono do Steelers, Art Rooney SR, e o dono do Eagles, Bert Bell, que decidiram formar uma única equipe com jogadores que não haviam partido para a guerra. Considerados fisicamente não aptos para lutar na Europa, muitos deles também apresentavam características físicas fora dos padrões da NFL, o que dificultou a montagem do time.

Leia Mais: Green Bay dispensa Mike Daniels

Leia Também: Ep #177 – Prévia da NFC Norte para 2019

Como já era de se esperar, a logística para manter o Steagles funcionando durante toda a temporada de 1943 foi bastante complicada. Os jogos com mando da equipe foram divididos entre Philadelphia (Shibe Park) e Pittsburgh (Forbes Field) e os treinamentos não aconteciam de forma regular, já que metade dos jogadores ficavam alocados em uma cidade diferente e ainda trabalhavam paralelamente em fábricas e estaleiros, cumprindo as 40 horas de serviço por semana exigidas pelo governo.

Ao final daquele ano atípico, a equipe terminaria com o recorde de 5 vitórias, 4 derrotas e 1 empate, o que significaria a primeira campanha com aproveitamento acima da média da história do Eagles, fundado 10 anos antes. A realidade é que nenhum dos dois times era considerado uma grande força do esporte naquele período; O Steelers só havia somado uma temporada com mais vitórias do que derrotas em sua história, exatamente um ano antes da fusão. No balanço final da “aventura”, o resultado acabou sendo satisfatório.

DOIS TREINADORES NO COMANDO

Dirigido por dois donos fora do campo, o Steagles também foi comandado por dois treinadores nos 10 jogos que disputou durante a sua primeira e única temporada. Diferente da boa relação que marcou a parceria entre Rooney e Bell, o trabalho em conjunto da dupla Greasy Neale (Eagles) e Walt Kiesling (Steelers) não teve o mesmo sucesso. Segundo relatos de ex-jogadores da equipe, ambos passavam mais tempo entrando em discussões e brigas do que realmente treinando o time. A proposta inicial de Neale comandar o ataque e Kiesling a defesa acabou sendo prejudicada pela dificuldade de ambos em estabelecer uma relação profissional. “Era a coisa mais maluca que eu já havia presenciado como jogador e nós terminamos o ano com um recorde positivo. Não me pergunte como”, afirmou o OL Vic Sears, membro do Steagles, em entrevista.

Para auxiliar o time na formação do seu elenco, a liga convenceu Washington a ceder o QB Roy Zimmerman por um preço abaixo da média do mercado para a época. Considerado um jogador bastante promissor, Zimmerman não teve um bom desempenho pelo Steagles, terminando o ano com apenas 34% dos passes completados, 9 TDs e 17 interceptações. A sua fraca atuação abriu espaço para um calouro de Brooklyn College chamado Allie Sherman, que mais tarde seria treinador do New York Giants. O principal destaque individual da equipe acabou sendo o RB Jack Hinkle, que terminou a temporada com 571 jardas somadas, a segunda melhor marca entre os jogadores da posição.

Bert Bell (Esq) e Art Rooney 

Extinto em 1944 por uma opção do Eagles em se desfazer da parceria – Muitos acreditam que o motivo principal da escolha tenha sido a relação complicada entre Neale e Kiesling – o Steagles é parte importante da história e do folclore do futebol americano. Embora outras equipes da liga passassem pelas mesmas dificuldades no período, perdendo jogadores para a guerra, as duas franquias foram pioneiras ao se unirem para atuar durante uma temporada e não deixarem seus fãs sem times para apoiar. Além do valor esportivo, a parceria significou bastante para a rotina dos americanos, que enxergavam no futebol americano uma das maneiras de se manterem longe do terror causado por uma guerra daquela proporção.

No ano seguinte, o Steelers se juntou ao Chicago Cardinals em uma experiência semelhante, mas o resultado foi desastroso: Recorde de 10 derrotas e nenhuma vitória. Uma outra curiosidade sobre a relação entre as duas equipes da Pensilvânia é que em 11 de outubro de 1959, durante um confronto entre Steelers e Eagles, Bert Bell, agora comissário da NFL e um dos idealizadores do Steagles, acabou passando mal já nos minutos finais da partida e faleceu em seguida por conta de um ataque cardíaco.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.