sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Compartilhe

Independente do que acontecer no próximo domingo, Sean McVay, com seus 33 anos, entrará para história por ser o técnico principal mais novo a dirigir um time no Super Bowl. Além de ter mais de 30 anos a menos de idade do que o técnico adversário (Bill Belichick tem 66), McVay é 8 anos mais novo que o quarterback do Patriots. Quando Tom Brady erguia seu primeiro Vince Lombardi, o técnico do Rams ainda estava jogando futebol americano no ensino médio, defendendo o Marist School War Eagles, de  Brookhaven (Georgia), como quarterback e defensive back. Apenas 17 anos depois ele volta à Georgia, desta vez para a capital Atlanta, onde irá disputar a decisão do futebol americano.

Nascido em 24 de janeiro de 1986 em Dayton, Ohio, McVay tem dentro de casa exemplos ligados à bola oval. Seu pai Tim McVay jogou como defensive back na Universidade de Indiana. Já seu avô paterno, John McVay, além de treinar o time da Universidade de Dayton, ocupou diversas posições no front office do San Francisco 49ers, estando envolvido na construção da dinastia do final dos anos 80 e início dos anos 90, quando o time venceu 5 Super Bowls. Em 2003 (um ano depois do primeiro Super Bowl de Brady) McVay desbancou Calvin Johnson, nosso glorioso Megatron, para ser o jogador ofensivo do ano de Georgia 4A, depois de liderar seu time ao título do campeonato estadual. Sua carreira como jogador terminou na Universidade de Miami (em Oxford, Ohio), onde ocupou a posição de wide receiver entre 2004 e 2007, antes de se formar em 2008.

Leia Mais: Após uma temporada regular apagada, só um jogo separa o Patriots do Super Bowl

Leia Também: Conheça os ajustes táticos que podem mudar uma partida do Madden NFL

Logo após se formar, já ingressou na NFL, conseguindo um trabalho como técnico assistente no Tampa Bay Buccaneers, trabalhando para o head coach Jon Gruden. No ano seguinte, com apenas 23 anos, McVay foi trabalhar para outro Gruden. Jay Gruden o contratou para ser técnico de tight ends na finada United Football League (UFL), pelo Florida Tuskers. Em 2010 retornou à NFL, de onde não mais saiu. O Washington Redskins o contratou como técnico assistente de tight ends, sob o comando de Mike Shanahan. Após apenas 1 ano já foi promovido para técnico de tight ends, posição que manteve até 2013.

Em 2014, mais uma promoção: Jay Gruden, que já havia trabalhado com McVay na UFL, fez do jovem que não tinha 28 anos completos o coordenador ofensivo do Redskins. Em seu primeiro ano na posição, fez a equipe saltar da 25ª para a 10ª posição entre os ataques da NFL. Em 2016, seu último ano pela franquia, levou o ataque à terceira posição em jardas aéreas (297,4 jardas por jogo) e em jardas totais (403,4 por partida, que é recorde da franquia). Neste mesmo ano, o quarterback Kirk Cousins terminou a temporada com 4.917 jardas aéreas, outro recorde do Redskins.

Essa rápida ascensão chamou atenção do Los Angeles Rams, que havia selecionado Jared Goff na primeira escolha do draft no ano anterior e buscava alguém para fazer o jovem quarterback evoluir. Sean McVay se tornou assim, com 30 anos, 11 meses e 19 dias o técnico mais novo de um time na era moderna da NFL. Já em seu primeiro jogo o técnico mostrou à que veio: um atropelo gigante sobre o Indianapolis Colts por 46 a 9 dentro do Los Angeles Memorial Coliseum. Terminou a temporada com uma campanha de 11 vitórias, vencendo a NFC Oeste e carimbando o passaporte para os playoffs.

Mesmo que perdendo para o Atlanta Falcons na rodada de Wild Card, a temporada do Rams de McVay foi impressionante. Desde 2003 o time não vencia a divisão, além de ter ido para a pós-temporada pela última vez em 2004. Fora isso, o Rams se tornou o primeiro time na história a, de um ano para o outro, ir de último a primeiro em ataque com mais pontos marcados. A melhora que o técnico trouxe para Goff também é gritante, a ponto de, em 2017, o quarterback levar o prêmio de jogador que mais evoluiu de um ano para o outro. Tudo isso fez que, com 31 anos, fosse nomeado o técnico do ano pela Pro Football Writers of America.

A temporada de 2018 está sendo a cereja no bolo desta trajetória surpreendente, com um início com 8 vitórias consecutivas, melhor campanha na temporada regular (13 vitórias, empatado com o Saints) e a firmação nos playoffs, com duas vitórias sólidas sobre Cowboys e Saints. O sucesso é tanto que outros times estão atrás de seus próprios McVays, técnicos jovens de formação ofensiva para valorizar seus quarterbacks. Até mesmo uma árvore de técnicos sob McVay já está nascendo, com Matt LaFleur (que trabalhou como coordenador ofensivo do Rams em 2017) assumindo o posto de técnico principal do Green Bay Packers para a próxima temporada.

Domingo McVay poderá se tornar o técnico mais novo a levantar um Vince Lombardi, mas para isso terá pela frente o maior desafio de sua astronômica carreira: enfrentar o todo poderoso Patriots de Belichick e Brady. Independente do resultado da partida, estamos vendo nascer um técnico que tem tudo para se tornar um dos maiores da história da liga.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.