sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Compartilhe

Daniel Jones foi uma escolha criticada, visto como um “reach” – quando o time escolhe um jogador com talento inferior a posição da escolha -, e então veio piadas e questionamentos sobre se o Giants realmente tinha certeza daquilo que fazia. Já no decorrer do ano a visão em cima de Daniel veio mudando, ele assumiu a titularidade e teve bons jogos, e como um bom calouro, errou em outros também. As coisas foram melhorando de 2019 para 2020, o time de New York se mexeu para tentar uma virada rumos, chegada de nova comissão técnica liderada por Joe Judge – ex coordenador de times especiais do Patriots – pode trazer nova esperança de sucesso pra franquia da Big Apple.

Agora vamos à estreia do garoto. Daniel teve um adversário forte logo na estreia, a defesa do Steelers é hoje uma das mais fortes da liga, completa do 1 ao 11. Sua grande força está no fronte, TJ Watt, Cameron Hayward e Bud Dupree são jogadores muito competentes em apressar um passe e parar corridas. A Pressão desta forte unidade veio em 26 das 48 ( 54,2%) jogadas que Daniel tentou. Ou seja, de cada duas jogadas, uma delas Jones era pressionado e forçado a tomar uma decisão rápida, e por consequência tomar decisões ruins.

Leia Mais: Uma breve análise inicial sobre os ataques de Giants e Jaguars 
Leia Também: Power Ranking Liga dos 32 – Semana 1

Sendo pressionado tantas vezes claramente iria expor o jogador tomar decisões ruins. E o grande erro da noite veio em uma jogada em que ele precisou sair do bolsão de proteção para fugir da pressão. Tentou um passe desnecessário que foi atrapalhado e caindo no colo de um defensor adversário. Daniel foi interceptado duas vezes na noite e ironicamente, por dois jogadores do fronte: TJ Watt e Cameron Hayward. deixando bem claro a dominância do setor no jogo.

O impressionante da noite foi o saldo positivo que a apresentação de Jones deixou. Mesmo sendo pressionado como foi, teve uma apresentação bastante sólida. Completou passes difíceis, anotou dois touchdowns – sendo um deles um lindo passe de 41 jardas para Darrius Slayton – e guiou o time praticamente sozinho, ja que o jogo terrestre foi anulado pelo adversário. Saquon Barkley, um dos melhores corredores da liga teve apenas seis jardas em quinze tentativas. Barkley produziu mais quando recebeu passes, foram 60 jardas em seis recepções. Isso mostra como o Jones foi o principal jogador deste time.

Daniel foi bem, na medida do possível, contra a forte defesa do Steelers. Mesmo pressionado administrou bem o seu ataque, distribuiu bem os passes em várias direções. Obvio que não foi perfeito, ele e o time conviveram com falhas, mas o que fica é positivo. É sobre como ele pode produzir muito bem se for bem rodeado de talento, principalmente na sua proteção. O Daniel vai continuar a evoluir e só depende de como o Giants vai ajudá-lo.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.