sexta-feira, 27 de março de 2020

Compartilhe

Diferentemente do ano passado, o Green Bay Packers, sob o comando de seu GM Brian Gutekunst, foi muito mais comedido em suas movimentações na atual free agency. Não ocorreram assinaturas de contratos mais caros e longos, do modo como vinha sendo a abordagem agressiva do GM ao atacar o mercado livre, como foram nos casos com Za’Darius e Preston Smith ou de Adrian Amos em 2019 e que têm dado um ótimo retorno técnico e muitas esperanças a torcida. Mas qual é o plano do time e a visão por trás dos movimentos feitos em 2020? Passemos então a analisa-los e mostrar seus possíveis impactos.

O Packers “resolveu” sua free agency cedo e acertou contratos logo no primeiro dia em que as conversas com os jogadores se tornaram oficialmente legais, isso porque o time buscou atletas que foram dispensados de outras franquias, o LB Christian Kirksey, que estava no Cleveland Browns e o RT Ricky Wagner, proveniente do rival de divisão Detroit Lions. Ambas as contratações, por diferentes razões, chegam com o status de apostas e não poderia ser diferente, pelo contexto e momento da carreira dos jogadores.

Leia Mais: A reconstrução com fundo de competitividade do Panthers

Leia Também: A encruzilhada do New England Patriots

Kirksey, que ainda completará 28 anos de idade em 2020, foi dispensado pelo Browns após não aceitar um pay cut em seu contrato, que havia sido renovado em 2017, no valor de US$ 38 milhões por quatro anos. O grande problema com o jogador e que motivou seu corte, foram as lesões sofridas após essa extensão contratual e que o impediram de permanecer em campo, tento tido apenas 9 jogos nos últimos 2 anos, com seguidos problemas no músculo peitoral (cirurgia), ombro, tornozelo e coxa. Em Green Bay, o linebacker voltará a trabalhar com o coordenador de defesa Mike Pettine, que era o Head Coach em Cleveland quando o time o draftou em 2014. O contrato com o Packers é de 2 anos, no valor de US$ 13 milhões e parece não trazer muitos riscos a franquia de Wisconsin, mas a grande questão aqui é se o jogador vai realmente conseguir ficar saudável e desempenhar da mesma forma que em seus quatro anos inicias de carreira. Caso isso aconteça, o time pode ter conseguido uma grande barganha, pois ainda que não seja o jogador para resolver todos os problemas da franquia na posição, ele é, sem dúvidas, um upgrade sobre Blake Martinez, que partiu nessa free agency para o New York Giants, com um maciço contrato de US$ 30,750 milhões por 3 anos.

Kirksey é o novo LB do Packers.

O mesmo não se pode dizer da adição do veterano (30 anos de idade) RT Ricky Wagner, que foi dispensado do Detroit Lions após ter assinado uma extensão contratual em 2017 no valor de US$ 47,5 milhões por cinco anos. Wagner teve uma temporada de 2019 bem abaixo da expetativa de atuação e mais uma vez teve de enfrentar problemas com lesões, que o deixaram de fora por 4 jogos. O jogador aliás, não consegue ficar disponível para jogar por uma temporada inteira desde 2015, quando ainda atuava pelo Baltimore Ravens. Fator mais que preocupante para quem chega para substituir o também veterano, mas excelente RT Brian Bulaga, que não teve seu contrato renovado e acabou acertando vínculo de 3 anos com o Los Angeles Chargers, no valor de US$ 30 milhões. Bulaga também sofreu com inúmeras lesões ao longo de sua carreira em Gren Bay, porém, reconhecidamente é um jogador que está em outro nível de prateleira se comparado a Wagner, sendo um dos melhores right tackles na proteção ao passe em toda a liga e vindo de um ano muito bom, mesmo já batendo na casa dos 30 anos de idade.

O contrato do ex-jogador do Lions com o Packers é nos mesmos moldes do de Christian Kirksey e não demanda grandes riscos, com o valor de US$ 11 milhões, por 2 anos. No entanto, a diferença técnica aqui é preocupante e pode ser muito sentida, por mais que Ricky Wagner seja experiente e tenha um bom encaixe no sistema de bloqueios do HC Matt LaFleur, na comparação atleta por atleta, Green Bay perde em qualidade e numa posição importante, deixando o lado direto de sua linha ofensiva notoriamente mais enfraquecido, levando em consideração que Billy Turner é o RG e que também não é lá dos mais confiáveis.

RT Ricky Wagner permanece na NFC North, mas agora junto ao Packers.

Até daria para renovar com Brian Bulaga, levando em consideração que na comparação dos contratos, o cap hit de ambos em 2020 é muito similar e próximo aos US$ 5 milhões, porém, tal decisão não foi tomada, pela ideia central dessa free agency e que norteou todos os movimentos do Packers que é: economizar o máximo de dinheiro possível, para poder conseguir fazer as renovações de contrato consideradas essenciais e que provavelmente são vistas como prioridades absolutas. De fato, em 2021 se encerram os contratos do LT David Bakhtiari, DT Kenny Clark, C Corey Linsley, RB Aaron Jones e do CB Kevin King, todos jogadores muito importantes para a franquia e que certamente devem ser chamados para conversar e renovar, com o time contando não somente com o dinheiro já preservado, mas principalmente com o aumento considerável do CAP salarial que é projetado para os próximos anos, após a assinatura do novo CBA.

Muito em razão disso a franquia também não investiu maciçamente nas skills positions de ataque, WR e TE, consideradas hoje também necessidades e pontos de atenção no elenco. A chegada do WR Devin Funchess pouco agrega tecnicamente e é somente mais uma tentativa de aumentar valor num grupo de recebedores defasado. Apesar de ainda não divulgado detalhes, o acordo de 1 ano deve sair por um valor mais baixo e que pouco altera ou compromete a realidade financeira, algo similar as renovações de contrato realizadas pelo time, como a do TE Marcedes Lewis e do RB/retornador Tyler Ervin.

Outro trunfo para o time e que não pode deixar de ser levado em consideração nesse momento, é que nas adições de Christian Kirksey e de Rick Wagner, além de serem contratos baratos e muito bem estruturados, eles não contam no cálculo de escolhas compensatórias de Draft, já que foram dispensados de seus times. A equipe então tem tudo para conseguir escolhas extras no Draft de 2021, resultado das saídas e contratos assinados por Blake Martinez, Brian Bulaga e Kyler Fackrell.

Dessa maneira e diante de todo o contexto explanado, é esperado que o GM Brian Gutekunst explore e busque aproveitar a excelente classe de WRs do Draft de 2020, assim como também consiga valores em jogadores que também possam colaborar ou até conseguir tomar a titularidade tanto nas posições de LB, como de OT, dando ainda mais importância ao iminente processo de recrutamento, pois a ordem atual é de poupar o dinheiro, visando o futuro com a manutenção e montagem dessa equipe.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.