quarta-feira, 19 de abril de 2017

Compartilhe

qbs 83

O Draft de 1983 ficou marcado como um dos que mais produziu talentos na história da NFL. Seria de se esperar que em uma seleção dessas, a primeira rodada produzisse muitos excelentes jogadores. A expectativa pode ser confirmada ao se observar que sete dos 28 jovens talentos selecionados na primeira noite do evento foram induzidos ao Hall da Fama da liga. Jogadores históricos como Eric Dickerson e Bruce Matthews descobriram para que time jogariam naquela noite de 26 de abril de 1983.

Porém, o Draft ficou realmente na memória dos fãs da liga por produzir alguns dos maiores Quarterbacks da história. Naquele ano, seis jogadores da posição foram selecionados na primeira rodada, o maior número até os dias de hoje. Quatro desses QBs foram selecionados ao Pro Bowl e chegaram ao Super Bowl. Três deles estão no Hall da Fama. Em 11 dos 16 anos seguintes ao Draft, o time da AFC no Super Bowl foi liderado por um dos QBs da classe de 1983: John Elway pelo Denver Broncos (cinco vezes), Jim Kelly pelo Buffalo Bills (quatro vezes), Dan Marino pelo Miami Dolphins (uma vez) e Tony Eason pelo New England Patriots (uma vez).

Apesar do relativo baixo sucesso do grupo no Super Bowl, compilando nove derrotas e apenas duas vitórias (ambas de Elway), é inegável que seus representantes são alguns dos melhores jogadores que já pisaram em um campo de futebol americano. Conheça um pouco mais da históra de John Elway, Jim Kelly e Dan Marino, os três QBs da classe de 1983 que estão imortalizados no Hall da Fama da NFL.

DAN MARINO
Selecionado na 27ª escolha geral pelo Miami Dolphins

83marinoMarino jogou a carreira inteira pela equipe de Miami, liderando um dos ataques mais explosivos da história da liga. Frequentemente injustiçado quando se fala nos maiores jogadores da posição, principalmente pela falta de anéis, Marino foi um dos QBs mais técnicos a já entrar em campo. Foi selecionado pelo Dolphins com a penúltima escolha da primeira rodada. Apesar de demonstrar talento durante seu tempo com a Universidade de Pittsburgh, o QB um último ano mais fraco e viu cinco QBs serem selecionados antes dele no Draft. Porém, ao assumir o comando do ataque da franquia de Miami na semana 6 da temporada de 1983, não decepcionou: levou o Dolphins a uma campanha de 12 vitórias e 4 derrotas, mas o time caiu nos playoffs de divisão para o Seattle Seahawks. Marino foi selecionado ao Pro Bowl logo no primeiro ano, e foi o único calouro até hoje a liderar sua conferência em porcentagem de passes completos em uma temporada. No seu segundo ano, Dan Marino quebrou seis recordes de passe para uma temporada completa, incluindo 48 passes para TD (recorde que durou 20 anos, quebrado por Peyton Manning) e 5.084 jardas aéreas (recorde que durou 27 anos, quebrado por Drew Brees), além de ter sido nomeado o MVP da temporada regular. Naquele ano, após uma campanha de 14- 2, Dan Marino jogaria seu único Super Bowl da carreira, sendo derrotado pelo San Francisco 49ers de Joe Montana por 38 a 16. Ao todo, Dan Marino estabeleceu quase 50 recordes durante sua carreira de 17 anos na NFL.

Estatísticas de Dan Marino na NFL:

  • 420 TDs
  • 59.4% de passes completos
  • 61.361 jardas
  • Campeão da AFC (1984)
  • MVP da temporada regular (1984)
  • 9 vezes selecionado ao Pro Bowl (1983, 1984, 1985, 1986, 1987, 1991, 1992, 1994 e 1995)
  • 3 vezes eleito para o All-Pro Team (1984, 1985 e 1986)
  • Offensive Rookie of the Year (1983)
  • Hall da Fama (2005)

JOHN ELWAY
Selecionado na 1ª escolha geral pelo Baltimore Colts

John Elway foi selecionado pelo Baltimore Colts na primeira escolha geral do draft. Vindo de Stanford, o prospecto era visto como um jogador de elite no College Football e Baltimore não pensou duas vezes antes de selecioná-lo. O problema é que ninguém perguntou para Elway se ele queria jogar para o Colts. Após ser selecionado o QB se negou a assinar contrato. Receoso de jogar em uma franquia com um elenco fraco e desaconselhado por seu pai a ser treinado pelo head coach Frank Tush, Elway publicamente dizia que queria jogar para um time da costa oeste. Eventualmente, após ameaçar abandonar a carreira como QB para se dedicar ao baseball, Elway acabou sendo trocado para o Denver Broncos, onde jogaria toda a carreira e se tornaria o maior jogador da história da franquia. John Elway teve um caminho mais normal como QB do que seu colega Dan Marino, sofrendo um pouco na temporada de calouro e indo para o banco durante alguns momentos. O jogador acabou dando a volta por cima, e três anos mais tarde liderou o Broncos numa campanha que os levou ao Super Bowl. Na final da AFC de 1986, John Elway comandou um drive de cinco minutos e 98 jardas para empatar o jogo contra o Browns com menos de 40 segundos para o fim, em uma campanha que ficou conhecida como “The Drive”. No Super Bowl XXI o Broncos foi derrotado pelo New York Giants. Em 1987, pelo segundo ano seguido, Denver chegou à final, desta vez perdendo para o Washington Redskins. Mais uma derrota no Super Bowl veio em 1989 contra o San Francisco 49ers. Mas quando parecia que a talentosa classe de QBs terminaria a carreira sem um anel sequer, Elway brilhou. No finalzinho de sua carreira vieram dois títulos, contra Packers em 1997 e contra o Falcons em 1998, jogo que seria o último da trajetória de um grande jogador. A camisa número 7 de Elway foi aposentada pelo Broncos, e o QB detém até hoje a maioria dos recordes para a posição da franquia do Colorado.

Estatísticas de John Elway na NFL:

  • 300 TDs
  • 56.9% de passes completos
  • 51.475 jardas aéreas
  • 2 vezes campeão do Super Bowl (XXXII e XXXIII)
  • MVP do Super Bowl XXXIII
  • 5 vezes campeão da AFC (1986, 1987, 1989, 1997 e 1998)
  • 9 vezes selecionado ao Pro Bowl (1986, 1987, 1989, 1991, 1993, 1994, 1996, 1997 e 1998)
  • Hall da Fama (2004)

JIM KELLY
Selecionado na 14ª escolha geral pelo Buffalo Bills

83kellyVindo da Universidade de Miami, Jim Kelly foi o terceiro QB selecionado no draft de 1983, atrás de John Elway e Todd Blackladge. Kelly afirmou a seu agente que não gostaria de jogar para nenhum time que tivesse base em clima frio, listando especificamente Minnesota Vikings, Green Bay Packers e Buffalo Bills. Jim Kelly também não acreditava que o Bills fosse capaz de montar um time que disputasse o título. Apesar disso, o Bills adquiriu seus direitos com a 14ª escolha do draft. Durante uma reunião para negociar seu contrato de rookie, Kelly recebeu uma ligação do GM do Chicago Blitz, da liga rival USFL, que o convenceu a não fechar contrato com a equipe de Buffalo. O QB acabou assinando com o Houston Gamblers, onde jogou por duas temporadas, antes do fim da USFL. Durante seu período na liga rival da NFL, Kelly foi seu principal jogador, recebendo o prêmio de MVP em 1984 e estabelecendo recordes de passes para TD (44) e jardas aéreas (5219). Com a falência da USFL, Kelly acabou indo para a NFL a assinando contrato com o Bills, que ainda possuia seus direitos. Poucos poderiam antecipar o sucesso que a parceria teria. Buffalo passou a dominar sua divisão, sendo campeão da AFC Leste por seis vezes consecutivas entre 1988 e 1995. A equipe foi para os playoffs em oito das 11 temporadas em que Kelly comandou seu ataque. As quatro aparições consecutivas no Super Bowl, entre 1990 e 1993, não foram ainda igualadas por nenhum outro QB. No comando do ataque do Bills Kelly se tornou um mestre do no-huddle, transformando pela primeira vez a técnica em uma arma perigosa na NFL. Apesar da falta de anéis, as conquistas de Kelly ficarão para sempre marcadas na história e ele é lembrado como um dos maiores QBs de todos os tempos. Sua camisa 12 foi aposentada pelo Bills, e ele foi induzido ao Hall da Fama da NFL em 2002, seu primeiro ano de eligibilidade.

Estatísticas de Jim Kelly na NFL:

  • 237 TDs
  • 60.1% de passes completos
  • 35.467 jardas aéreas
  • 4 vezes campeão da AFC (1990, 1991, 1992 e 1993)
  • 5 vezes selecionado ao Pro Bowl (1987, 1988, 1990, 1991 e 1992)
  • All-Pro Team (1991)
  • Hall da Fama (2002)
Compartilhe

Comments are closed.