quinta-feira, 26 de março de 2020

Compartilhe

O Carolina Panthers talvez seja a franquia da NFL que mais passou por mudanças nessa offseason. Trouxe Matt Rhule, vindo da NCAA, para HC. Joe Brady, um dos melhores nomes para coordenador ofensivo, também da NCAA e dispensou seu QB titular e trocou o reserva, Cam Newton e Kyle Allen. Luke Kuechly, MLB, capitão e líder da defesa se aposentou, e Greg Olsen, TE histórico da franquia, foi para o Seahawks. Mudanças drásticas num rumo de uma franquia que também foi a última a trocar de dono, comprada por David Tepper em 2018. Assim, 2020 deveria ser um ano chave nessa reconstrução, no entanto, em meio a tantas mudanças, o Panthers da sinais de que pode ser competitivo mesmo em meio tantas incertezas.

                Para o lugar de Cam Newton, Teddy Bridgwater chegou. Um Quarterback jovem, que quando surgiu, foi competente e parecia que teria um bom futuro na Liga. No entanto, após uma terrível lesão que o afastou dos gramados por 2 anos, poucos acreditavam em um retorno. Em 2019, substituindo Drew Brees machucado, foi bastante funcional e manteve as vitórias da equipe da Louisiana. Assim, teve a oportunidade de testar o mercado nessa free agency e assinou um bom contrato de 3 anos e $63 milhões com o Panthers.

Leia Mais: A encruzilhada do New England Patriots

Leia Também: O futuro dos running backs da NFL

Como apoio, Teddy terá DJ Moore, Curtis Samuel e Robby Anderson. A efeitos de comparação, esse é um trio de Wide Receivers melhor do que qualquer outro que Cam Newton já teve. Além disso, terá Christian McCaffrey como RB e nele, uma ótima válvula de escape em momentos de pressão. Os maiores problemas ficam por conta da linha ofensiva que ainda apresenta alguns buracos, mas nada que seja incorrigível e não possa ser endereçado na boa classe de jogadores da posição no Draft desse ano. De toda forma, um grupo bom e que nas competentes mãos de Rhule e Brady, pode dar trabalho.

Já na defesa, alguns buracos maiores saltam aos olhos. Falta talento. No entanto, alguns bons nomes ainda podem fazer a diferença e conseguir boas jogadas para a equipe, a mantendo em um nível competitivo. São os casos do DT Kawann Short, do DE Brian Burns, do LB Shaq Thompson e dos DBs Tre Boston e Donte Jackson, um para cada setor da defesa. A aposentadoria de Kuechly sem dúvida será muito sentida e Phil Snow, novo coordenador defensivo da equipe, terá que lidar com isso e potencializar os talentos que tem em mãos. Veremos como será sua adaptação, já que assim como Rhule e Brady, Snow também veio da NCAA.

Em resumo, o Carolina Panthers é uma equipe em reconstrução com um nível de talento mais alto que o normal pra times nessa situação. Alinhado a isso, pelos planos de David Tepper, sua ideia é trazer novidades a NFL. Novidades que vemos cada vez mais na NCAA. Até por isso, os principais cargos de sua comissão são de nomes estreantes na NFL. Um plano ousado, que pode dar muito certo, ou muito errado. Uma resposta que só o tempo nos trará. De qualquer forma, o Panthers será uma das equipes mais interessantes de se acompanhar durante a temporada de 2020. Em uma divisão com Drew Brees envelhecido, Tom Brady chegando nos Bucs e um Falcons inconsistente, teremos, no mínimo, bastante emoção nessa NFC Sul.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.