terça-feira, 21 de maio de 2019

Compartilhe

Matt Ryan (QB, Atlanta Falcons) 

O Atlanta Falcons é uma das 12 equipes da NFL ainda não conseguiram levar o Trófeu Vince Lombardi. Alguns times nem sequer chegaram a um Super Bowl. Outros chegaram em várias ocasiões e saíram derrotados. Embora toda derrota seja muito dolorosa, os quatro vice campeonatos seguidos do Buffalo Bills ou o tackle na linha de 1 jarda sofrido pelo Tennesee Titans são exemplos traumatizantes para qualquer torcedor. Pelo título do texto, você deve imaginar qual o ponto de partida desta coluna. Pois bem, voltemos a 2016.

Depois de terminar a temporada regular com a segunda melhor campanha da NFC e atropelar Seattle e Green Bay nos playoffs, O Atlanta Falcons chegava ao 2º Super Bowl da sua história. Enfrentaria o New England Patriots de Belichick e Brady que dispensa apresentações. É importante lembrar que a equipe da Geórgia anotou em média 33 pontos por jogo durante a temporada regular e 40 nos dois jogos de pós-temporada até aquele momento. Comandada pelo MVP Matt Ryan e pelo brilhante coordenador ofensivo Kyle Shanaham, além de ter a dupla de RB’s Tevin Coleman e Devonta Freeman e um talentoso corpo de recebedores, Os Falcons podiam fazer um estrago. E que não nos esqueçamos da jovem e talentosa defesa formada por DE Vic Beasley, S Keanu O’Neal ILB Deion Jones e DT Grady Jarret. Após um início avassalador e um placar mostrando 28-3 para os Falcons, o colapso ante Tom Brady, futuro MVP daquele jogo, foi a derrota mais acachapante que eu, como fã do esporte, já presenciei.

Leia Mais: Os comitês de running backs da NFL

Leia Também: As Melhores e Mais Valiosas Escolhas do 5ª Round do Draft 2019

Contudo, a vida precisa seguir e por ter um grupo extramamente talentoso, havia a esperança que o Atlanta Falcons voltasse ao maior palco do futebol americano nos anos seguintes. E isso foi exatamente o que não aconteceu. Na temporada seguinte, Kyle Shanahan deixou a equipe e se tornou Head Coach em Saõ Francisco, Steve Sarkisian assumiu o posto de coordenador ofensivo mas não obteve resultado nem sequer próximo do seu antecessor.A equipe chegou a pós-temporada no ano seguinte mas caiu no Wild Card para o futuro campeão Philadelphia Eagles. Destaque para as chamadas extremamente questionáveis do coordenador, principalmente na redzone. A média de pontos do ataque caiu de 33 para 24 nos dois anos que o coordenador esteve presente. Sarkisian foi mandado embora após a última temporada devido ao insucesso da equipe que ainda teve que lidar com uma série de lesões na defesa.

Em 2019, O Atlanta Falcons pode ter a sua última chance de chegar longe com o grupo remanescente do Super Bowl LI. A equipe ainda conta com talentos como WR Julio Jones, RB Devonta Freeman e tantos outros na defesa. Entretanto, mais cedo ou mais tarde os contratos de calouro irão expirar e a demanda por extensões salariais virão como uma onda. É o preço que se paga por ser tão eficiente em um curto espaço de tempo no draft. Por isso que o tema do momento é quanto uma equipe pode capitalizar em cima dos contratos de calouros, principalmente de quaterbacks. Após assinar um mega contrato com o QB Matt Ryan (150 milhões totais sendo 100 garantidos e 30 de média), o mesmo contará cerca de 15 milhões nesta temporada, mas nas seguintes não custará menos de 33 milhões por ano. Grady Jarret já está na franchise tag, Deion Jones e Keanu O’Neal estão em último ano de contrato, Julio Jones já demonstrou que gostaria de ter seu contrato renovado mesmo que não fosse o WR mais bem pago da liga. Para uma equipe que é a penúltima no teto salarial em 2019 e ainda vai estar abaixo da média da liga em 2020, essa situação é simplesmente uma bomba-relógio.

WR Julio Jones, QB Matty Ryan e WR Mohamed Sanu

Embora esteja em uma das divisões mais difíceis da liga, O Atlanta Falcons pode chegar longe pelo talento que possui nos dois lados da bola. Matt Ryan é um grande QB e não restam dúvidas que pode carregar a equipe, mas precisa de ajuda principalmente da defesa da equipe. Com o teto salarial praticamente estourado e com vários contratos expirando, 2019 pode ser a última chance que o Atlanta Falcons tenha para ganhar seu primeiro Super Bowl antes de ter que reestruturar a equipe e começar outra escalada via draft.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui

Compartilhe

Comments are closed.