sábado, 14 de maio de 2016

Compartilhe

mundo college - L32

É impossível falar sobre o College Football sem citar a rivalidade envolvida. Os jogos entre dois programas rivais sempre tendem a ser um grande espetáculo seja você torcedor de alguns dos times ou não. Porém, quais são as maiores rivalidades do futebol americano universitário e quais são as suas origens?

LEIA MAIS: As cinco maiores rivalidades da NFL

Notre Dame “Fighting Irish” x USC “Trojans”

rivalidades-notre-dame-usc

Histórico: 46 vitórias de Notre Dame, 35 vitórias de USC e 5 empates
Primeira partida: Notre Dame 13 x 12 USC (4 de Dezembro de 1926)
Última partida: USC 31 x 41 Notre Dame (17 de Outubro de 2015)

A rivalidade entre esses dois times é diferente de todas as outras por envolver duas equipes que não são de uma mesma conferência ou do mesmo estado, mas mesmo assim alimentam uma vontade de vencer o outro digno de ser considerada uma das maiores rivalidades nosso. Como esse “ódio” começou? Existem duas vertentes que podem explicar isso:

A primeira, considerada como uma história popular, conta que a origem do jogo se deu por uma conversa entre esposas. Tudo começou quando USC procurava por um rival nacional. A universidade mandou Gywnn Wilson, o diretor atlético, e sua esposa para Lincoln (Nebraska), onde Notre Dame e Nebraska duelavam no dia de ação de graças. Diante da situação, a esposa de Wilson conseguiu convencer a companheira de Knute Rockne, técnico da equipe de Notre Dame, que viajar a cada dois anos para o sul ensolarado da Califórnia seria mais proveitoso do que para a fria Nebraska. A partir disso, a série então teria sido criada.

A segunda vertente, tida como oficial, conta que o início das séries se deu por questões políticas e financeiras e que o “desinteresse” de Knute Rockne era falso. Os times que viajavam longas distâncias para jogar os “Bowls” recebiam grandes pagamentos. Com Notre Dame visando esses pagamentos e querendo agradar seus alunos com a viagem para Los Angeles, a série teria sido criada.

Com o passar dos anos, nenhum time ganhou mais de USC que Notre Dame e vice-versa. A rivalidade foi aumentando juntamente com o prestígio dos times e hoje em dia o jogo reúne dois programas de elite do College Football, com cada um contendo nada menos do que 11 títulos nacionais e 7 vencedores do Heisman Trophy na história. Cada time também possui ex-atletas no College Football Hall of Fame e no NFL Hall of Fame. Dos dez jogos universitários mais assistidos na história da TV americana, cinco deles foram entre USC e Notre Dame.

Essa rivalidade não só gerou uma atmosfera particular em dias de jogo, como também verdadeiros espetáculos com a bola voando. USC tirou a invencibilidade do rival nas temporadas de 1964, 1970 e 1980 e Notre Dame retribuiu o “favor” em 1952 e 1988. Já aconteceram várias viradas, com maior destaque para o “The Comeback” em 1974 (vídeo abaixo), onde o Trojans perdia por 24 pontos e protagonizou um dos maiores jogos de sua história.

 Oklahoma “Sooners” x Texas “Longhorns”

rivalidades-oklahoma-texas

Histórico: 61 vitórias de Texas, 44 vitórias de Oklahoma e 5 empates
Primeira partida: Texas 28 x 2 Oklahoma (10 de Outubro de 1900)
Última partida: Oklahoma 17 x 24 Texas (10 de Outubro de 2015)

Tanto Oklahoma quanto Texas possuem rivais em seus próprios estados, mas nenhum jogo incita mais os seus torcedores do que a “Red River Rivalry” (nome da rivalidade entre as duas universidades). A origem desse nome vem, justamente, do rio que divide os dois estados.

O duelo acontece desde 1900, quando as equipes nem tinham apelidos ainda. O jogo era chamado de “Red River Shootout” até 2005, quando a SBC (atual AT&T) começou a patrocinar o jogo e o renomeou para “SBC Red River Rivalry”. No ano seguinte, a AT&T colocou sua marca no jogo e desde então a rivalidade é chamada de “AT&T Red River Showdown”. A importância do nome é mínima quando comparado a partida em si, sempre disputada e muito intensa.

O jogo é realizado no lendário Cotton Bowl desde 1932. O estádio foi renovado em 2008 por pressões das duas equipes que ameaçaram realizar o jogo em seus estados (Oklahoma e Texas) a cada ano. Em 2011, a partida reuniu 96.009 espectadores. A divisão do público é feita em 50-50 para os torcedores para tentar preservar o ambiente de neutralidade, no entanto, as equipes brigam até pela parte do estado que sua torcida ficará.

O nível do jogo tem ficado melhor a cada ano com, na maioria das oportunidades, o campeão da BIG 12 saindo do confronto. Sempre caracterizado por ser um duelo em que os ataques dominam,  Sooners e Longhorns, em 2008, somaram para incríveis 80 pontos (vídeo abaixo). Recentemente, as duas universidades revelaram algumas figuras de sucesso na NFL como Sam Bradford, DeMarco Murray, Jamaal Charles, Jermichael Finley, Jermaine Gresham e Colt McCoy.

Michigan “Wolverines” x Ohio State “Buckeyes”

rivalidades-ohio-state-michigan

Histórico: 58 vitórias de Michigan, 48 vitórias de Ohio State e 6 empates
Primeiro Jogo: Michigan 38 x 0 Ohio State (16 de Outubro de 1897)
Último Jogo: Ohio State 42 x 13 Michigan (28 de Novembro de 2015)

Chamado pelos fãs de “The Game”, Michigan e Ohio State reúne uma rara combinação de ricas tradições, jogos equilibrados e implicações na reta final da temporada que tornam o duelo uma das maiores rivalidades do College Football. O jogo entre as duas equipes já decidiu o título da conferência Big Ten, um Rose Bowl e até mesmo o campeão nacional. Em 2000, o duelo chegou foi escolhido pela ESPN como a maior rivalidade dos esportes americanos.

Na história, são 19 títulos nacionais (11 de Michigan e 8 de Ohio State), 34 aparições no Rose Bowl (20 de Michigan e 14 de Ohio State), 77 títulos da Big Tem (42 de Michigan e 35 de Ohio State), 66 College Hall of Famers (36 de Michigan e 30 de Ohio State) e 10 vencedores do Heisman Trophy (3 de Michigan e 7 de Ohio State). Em 2010, os comissários da Big Ten anunciaram que Nebraska faria parte da conferência e ela seria dividida em duas divisões (Leste e Oeste). Quando surgiram os rumores de que Michigan e Ohio State ficariam em divisões diferentes, resultando no fim do The Game, os fãs de ambas as universidades bombardearam os e-mails do comitê para a permanência do jogo. A pressão surtiu efeito e o jogo manteve seu papel de divisor de águas para as duas equipes.

Muitas temporadas perfeitas foram quebradas no jogo: Michigan derrotando Ohio State em 1969, 1993, 1995 e 1996 e o “troco”  em 1970, 1972, 1974, 1975 e 2006. O “The Game” de 2006 (vídeo abaixo) é chamado por alguns como o jogo do século, já que reuniu as duas equipes mais bem ranqueadas e imbatíveis até então, cada uma com 11 vitórias.

A influência dessa rivalidade nos próprios habitantes dos estados é bastante notável, inclusive em histórias como a do garoto Grant Reed de 10 anos e torcedor do Buckeyes. O menino tinha sido diagnosticado com um tumor maligno no cérebro, mas como não gostava da palavra “câncer”, começou a chama-lo de “Michigan”, segundo ele “porque Ohio sempre bate Michigan”. O garoto recebeu visitas de Urban Meyer (técnico de Ohio State) e Brady Hoke (ex-técnico de Michigan). Em 2013, quando fez a última quimioterapia, Reed disse as pessoas que “tinha vencido Michigan”.

Army “Black Knights” x Navy “Midshipmen”

rivalidades-navy-army

Histórico: 60 vitórias de Navy, 49 vitórias de Army e 7 empates
Primeira Partida: Navy 24 x 0 Army (29 de Novembro de 1890)
Última Partida: Navy 21 x 17 Army (12 de Dezembro de 2015)

Um jogo que reúne os times da academia militar e naval já tem por si só uma atmosfera diferente, ainda mais em um país que exala patriotismo a cada esquina como o EUA. O jogo consegue representar todo o espírito de entrega e comprometimento dos jogadores para com suas unidades de serviço.

Army e Navy é o quarto jogo mais antigo do College Football, tendo sido jogado pela primeira vez em 1890, e um dos poucos que ainda é jogado em campo neutro. Durante a primeira parte do século 20, as duas academias eram dominantes, ganhando um total de seis títulos nacionais entre 1914 a 1946. Os dois programas combinam para cinco vencedores do Heisman Trophy, com destaque para o ex-QB de Navy Roger Staubach (Hall da Fama da NFL).  Desde 1963, apenas em duas oportunidades as equipes se enfrentaram com ambas tendo recordes positivos: em 1996 com a vitória de Army por 28 x 24 e em 2010 quando Navy venceu por 31 x 17.

Mesmo sem nenhum dos dois times representando dois favoritos do título nacional atualmente, a rivalidade fica intensa a cada ano. Diferente das universidades, os jogadores de Army e Navy não se importam com contratos, patrocínios ou se estão bem cotados ou não para o Draft. O prazer pelo jogo e pelo serviço faz com que as duas equipes se enfrentem com o único objetivo de jogar futebol americano intensamente.

Segundo o técnico de Navy, Ken Niumatalolo, o que diferencia o jogo dos outros da NCAA é que “enquanto as outras rivalidades representam confrontos regionais, Army e Navy envolve todo o país, já que muitas famílias de todas as partes dos EUA possuem membros em algumas dessas academias”.

Auburn “Tigers” x Alabama “Crimson Tide”

rivalidades-auburn-alabama

Histórico: 44 vitórias de Alabama, 35 vitórias de Auburn e 1 empate
Primeira Partida: Auburn 32 x 22 Alabama (22 de Fevereiro de 1893)
Última Partida: Alabama 29 x 13 Auburn (28 de Novembro de 2015)

Quer conhecer o real significado de rivalidade? Visite o estado de Alabama em dia de “Iron Bowl”. Ou melhor, não precisa ser apenas em dia de jogo, o estado respira futebol americano 365 dias por ano e Auburn x Alabama conseguem dividir o estado em dois.

Com nenhuma franquia profissional no estado e sem muita tradição no basquete, o estado só respira College Football. Para Alabama, vencer o Tigers é uma obsessão, enquanto Auburn pode perder para todo mundo menos para Crimson Tide. Perder para o grande rival significa um ano de lamentações para o torcedor. Até o cachorro do seu vizinho pode ter nome de mascote para provocá-lo.

A história de Harvey Updyke resume bem até que nível chega a rivalidade entre as duas universidades. Os torcedores de Auburn tinham uma tradição de a cada grande vitória do time enrolar os carvalhos do campus com papel higiênico. Em 2010, o Tigers começou perdendo para Crimson Tide por 24 a 0, até que Cam Newton liderou o ataque para vencer por 28 a 27. Updyke, fã incondicional de Alabama, estava no jogo e ao fim da partida foi para Auburn no meio da noite para envenenar os carvalhos com uma grande quantidade de herbicida, resultando na morte das árvores. Após ser julgado culpado, Updyke foi sentenciado a servir seis meses na prisão e pagar uma indenização de cerca de 800.000 dólares para Auburn em taxas de 500 dólares por mês, resultando em 133 anos de pagamentos.

Em relação ao jogo, Tigers e Crimson Tide já se enfrentaram 80 vezes desde 1893. De 1907 a 1947 a série foi interrompida por problemas legislativos, já que Alabama se recusava a reconhecer Auburn como universidade. O jogo voltou a ser realizado em 1948, quando os presidentes de ambas as universidades chegaram a um acordo para renovar a série. Hoje em dia, o jogo reúne 32 títulos da SEC (24 de Alabama e 8 de Aubrun), 18 títulos nacionais (16 de Alabama e 2 de Auburn), 36 College Football Hall of Famers (24 de Alabama e 12 de Auburn) e jogos históricos, dentre eles os mais recentes: “The Cam-back” em 2010 (primeiro vídeo abaixo) e “The KickSix” em 2013 (segundo vídeo abaixo).

 

Compartilhe

Comments are closed.