terça-feira, 7 de maio de 2019

Compartilhe

O draft era um momento bem delicado para o Los Angeles Rams. Com projeção de aperto no teto salarial para o futuro próximo, saídas importantes na última Free Agency e escolhas limitadas devido a trocas feitas no ano passado, o GM Les Snead precisava ser cirúrgico em suas movimentações. As escolhas deixam bem claro uma estratégia, que diz muito como a franquia enxerga certas situações. Só saberemos se essa tática dará certo ou não quando a bola oval começar a voar. Até lá, ficam algumas perguntas:

– A escolha de Darrell Henderson tão cedo – com o time trocando para voltar à terceira rodada para fazê-lo – aliada com a renovação do contrato de Malcolm Brown, mostra uma preocupação com os joelhos de Todd Gurley. Com os rumores de que o astro sofre uma artrite, a busca por um atleta que se destaca como um recebedor saindo do backfield indica que Sean McVay pode estar disposto a reduzir os snaps de Gurley por partida, para preserva-lo e aumentar sua durabilidade.

Leia Mais: Carson Wentz precisa ficar saudável

Leia Também: o Cincinnati Bengals está em rebuild?

O setor que mais preocupa nesse momento é a linha ofensiva. A situação poderia estar em um nível quase dramático caso Andrew Whitworth tivesse pendurado as chuteiras, o que ele adiou por pelo menos mais um ano. Mas duas das três posições do interior da linha serão alteradas em relação ao ano passado: Rodger Saffold (left guard) e John Sullivan (center) deixaram o time, em movimentos que pelo jeito já eram previstos pelo Rams, que deverá usar jogadores draftados em 2018 como substitutos (Joseph Noteboom e Brian Allen, respectivamente). Os novatos draftados para a OL – Bobby Evans e David Edwards – devem, a princípio, apenas dar profundidade ao elenco.

Principal escolha do time neste draft, o safety Taylor Rapp também pode ser visto como uma solução de médio prazo. Eric Weddle veio para ser o substituto de LaMarcus Joyner, mas ele já é um veterano bem mais perto do fim do que do começo da carreira. Rapp deve começar atuando mais nas jogadas com 5 ou 6 defensive backs em campo, antes de eventualmente assumir a titularidade em uma das posições de safety.

Ainda na secundária, tática parecida foi adotada na posição de cornerback. Aqib Talib e Marucs Peters são os titulares imediatos, mas o Rams dificilmente terá condição de manter ambos no médio prazo. A escolha de David Long na terceira rodada vem para evitar que se abra uma lacuna.

Indo para a linha defensiva, o calouro Greg Gaines terá a ingrata missão de substituir Ndamukong Suh. Embora o novato tenha condições de segurar o rojão contra o jogo terrestre, ele dificilmente terá o mesmo impacto pressionando o QB adversário pelo miolo da linha, funcionando mais como um nose tackle tradicional. Isso joga mais pressão ainda nos ombros de Aaron Donald e Michael Brockers.

O não uso de escolhas em um edge rusher (especialmente em uma classe tão profunda na posição) mostra confiança nos jogadores que já estão no elenco. No entanto, tanto Dante Fowler quanto Clay Matthews são soluções de curto prazo, e o Rams pode ter que voltar a endereçar essa posição em breve.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.