segunda-feira, 20 de maio de 2019

Compartilhe

Dando continuidade à série de análises e avaliações sobre as melhores e mais valiosas escolhas de cada round do NFL Draft desse ano, chegamos na quinta rodada do evento, que normalmente representa uma “última chance” de ainda se conseguir jogadores com valor e capacidade para atuar e disputar posições e vaga no roster desde o início, uma vez que nos dois últimos rounds o perfil na busca por prospectos muda um pouco na maior parte das equipes.

Como foi a tônica no Draft desse ano e em todas as suas rodadas, ainda estavam disponíveis vários jogadores com valor e potencial superiores a posição na qual se encontravam naquele momento do board.  Porém, há de se destacar que para tratar uma escolha como boa ou não, deve-se levar em consideração não somente a altura e momento em que ocorre, mas também se foi em uma posição posterior, anterior ou de acordo com aquilo que era esperado e projetado para o jogador, tomando como base sua amostragem no College e sua projeção e expectativa de atuação para chegar na NFL.

Leia Mais: As Melhores e Mais Valiosas Escolhas do 3º Round do Draft 2019

Leia Também: As Melhores e Mais Valiosas Escolhas da 4ª Rodada do Draft 2019

Avaliar um prospecto e principalmente o valor de uma escolha de Draft não é uma tarefa simples, tendo que se ter em mente que, no geral, a resposta concreta sobre isso somente será obtida ao longo dos anos e diante de múltiplos fatores que vão além do campo propriamente dito, como ambientação a cidade, envolvimento das comunidades, esquemas de jogo e o momento em que cada jogador chega para uma franquia, com responsabilidade e expectativas que podem influenciar diretamente no sucesso ou insucesso para um jovem atleta.

Passemos então a elencar e discorrer, conforme minha avaliação, algumas das melhores e que, têm tudo para se revelar, mais valiosas escolhas realizadas no quinto Round do NFL Draft 2019:

Pick 139 – S Deionte Thompson, Alabama – ARIZONA CARDINALS

Não sou fã do jogador, pelo contrário, o critiquei bastante durante todo o processo Pré-Draft, principalmente diante de suas atuações lamentáveis na última temporada do College, sobretudo nos jogos finais, onde inúmeros erros de leitura e processamento mental chamaram muito a atenção de todos. O produto de Alabama, antes do início da temporada 2018 era disparadamente tratado como o melhor jogador de sua posição na classe, mas seu valor foi caindo desde então, até culminar com a sua saída apenas nesse ponto do recrutamento.

Junto com todos os problemas supracitados, especula-se que o jogador também teria um problema degenerativo no joelho, fator que contribuiu ainda mais para a sua queda. Apesar de tudo, é um prospecto que já mostrou ser capaz de realizar incríveis jogadas, produzindo turnovers e com boa explosão física para a posição, embora seus limitados testes físicos tenham sido um tanto quanto decepcionantes antes do Draft. De toda forma, a essa altura do Draft, pode-se colocar como uma boa escolha, de potencial, com um atleta que se bem trabalhado pode vir a dar um grande retorno, por reunir todas as características físicas necessárias para atuar por qualquer parte do campo, executando múltiplas funções, enquanto safety.

Vale acrescentar ainda que o jogador tem tudo para encontrar uma situação favorável em Arizona, pois pode vir a ficar pelo menos um ano inteiro por trás, dando profundidade, ao ótimo D.J. Swearinger, enquanto desenvolve e evolui os aspectos de seu jogo, contribuindo desde o início com as esquipes especiais.

Pick 146 – CB Amani Oruwariye, Penn State – DETROIT LIONS

Talvez essa escolha seja o maior steal da quinta rodada e um dos maiores do terceiro dia. É, no mínimo, surpreendente a queda de Oruwariye, quando muitos o consideravam até mesmo como talento de primeira rodada, embora em minha avaliação não estivesse tão alto assim, porém com valor suficiente para o início do segundo dia, dentro do top 4 de sua posição, sem dúvidas.

O fato é que seu tamanho, altura, força e um ótimo ball skills, o tornam um ótimo ajuste e opção para outside zone/press corner, algo tão valorizado atualmente e que, ao mesmo tempo, parece não ter chamado tanta atenção assim da maioria dos times. Suas características o colocam como uma opção de CB1 que as equipes buscam, com a junção de habilidades e características físicas que permitam a cobertura dos X Receivers dos adversários.

É extremamente físico e adora o contato, trazendo isso consigo até mesmo para auxiliar no jogo terrestre, não tendo qualquer problema em “sujar o uniforme” e executar tackles nessa situação, dando bom suporte contra a corrida, algo nem sempre comum para cornerbacks com tais traços físicos e característicos de jogo. Buscar consistência será fundamental para o jogador, que sofreu com inconsistência e alternância de bons e maus momentos no College, inclusive dentro de seus próprios pontos fortes de jogo, algo de extrema importância no próximo nível.

CB Amani Oruwariye, escolha do Lions

Pick 149 – WR Hunter Renfrow, Clemson – OAKLAND RAIDERS

Jogador amado e dos mais históricos e impactantes em Clemson, Renfrow não se destaca pela fisicalidade, atleticismo, força ou tamanho, mas é um excelente jogador de football, dos mais inteligentes e eficientes wide receivers, corre muito bem suas rotas, com ótimo polimento e variedade nesse quesito, além de ter ótimas mãos, com pouquíssimos drops e uma taxa eficiente de recepções, inclusive as mais difíceis e em janelas muito apertadas, mesmo com seu raio de alcance não sendo tão grande assim.

É o típico slot receiver que pode render muito e dar ótimo retorno no esquema correto, trabalhando bem as zonas curtas e o meio do campo, áreas de desafogo para um ataque e que é muito importante ter um jogador com essa Inteligência, confiança e características mentais. Encontrar um prospecto com tais traços não é uma tarefa tão simples e deve ser sempre valorizado, ainda mais quando estamos no terceiro dia de recrutamento,

Tem potencial para contribuir desde o início com o Raiders, principalmente se valendo dá atenção que naturalmente terá Antonio Brown, além de outros companheiros de ataque como Tyrell Williams e J.J. Nelson, para então ganhar a confiança de Derek Carr e ter volume.

WR Hunter Renfrow – OAK, em ação por Clemson

Pick 150 – DL Kingsley Keke, Texas A&M – GREEN BAY PACKERS

Jogador extremamente subestimado em todo o processo Pré-Draft, mesmo tendo apresentado uma produção muito consistente nos três anos em que foi titular por Texas A&M, atuando na SEC, uma das conferencias mais fortes do futebol americano universitário. Movido para atuar na parte externa da linha em 2018, tendo perdido uma quantidade considerável de peso para tanto, o jogador conseguiu produzir a ótima marca de 07 sacks, mostrando excelente evolução nesse aspecto de seu jogo, algo que ficou nítido no Senior Bowl, onde conseguiu ser o jogador que teve a maior taxa de vitórias entre todos nos treinamentos de um contra um – OL Vs DL – uma das pouquíssimas coisas que valem observar e valorizar no citado jogo.

Dessa forma, Keke traz uma versatilidade importante com essa capacidade de ser movido e trabalhar por toda a DL, além de ser um bom pass rusher, com velocidade e flexibilidade, assim como bom defensor de corridas. Há, obviamente, aspectos a serem trabalhados e evoluídos em seu jogo, como o leverage, uso das mãos e uma maior consistência na ancoragem, porém, em Green Bay, tudo leva a crer que isso não será problemas, pois o jogador chega para um papel, a princípio rotacional, por trás de importantes jogadores, o que pode proporcionar o tempo e paciência para o polimento de seu jogo, assim como a oportunidade de colocá-lo em campo apenas em situações mais favoráveis, potencializando suas características, principalmente a de rusher, seja por dentro ou por fora.

DL – Kingsley Keke, jogador do Green Bay Packers

Pick 161 – DL Charles Omenihu, Texas – HOUSTON TEXAS

A equipe texana teve uma das classes de Draft mais fracas entre todas os times, com várias escolhas questionáveis e de valor muito aquém do local onde estavam draftando, (reachs), porém, essa escolha de Omenihu fugiu a esse traço e certamente foi uma das melhoras da franquia.

O jogador explodiu no último ano, alavancando sua produção e alcançando marcas até então inalcançadas, trabalhando mais como um five-technique, batendo direto com os OTs, seja no ombro de fora ou no de dentro. É um cara muito grande, com uma envergadura absurda de mais de 2,15 metros, a qual utiliza muito bem para sair em vantagem sobre o OL, seja no jogo corrido, parando-o, seja para fazer o bull rusher.

Tem mãos pesadas e violentas, que quando encaixadas no OL dificilmente permite que eles o desequilibrem ou consigam desestabilizá-lo. Ótimo motor, muito esforçado, não para enquanto a jogada não se encerrar. Tem um ótimo pad level e um bom leverage, mas uma certa inconsistência para encaixar este último, ficando em muitas dificuldades quando isso não acontece. Atleta versátil, que pode ser trabalhado em vários pontos diferentes da linha, o que vira um trunfo para seu jogo. Regular contra o jogo terrestre e bom no pass rush, mas com muito potencial a ser explorado em ambos os aspectos.Tem algumas limitações de peso/tamanho para trabalhar por dentro e um pouco de dureza nos quadris para conseguir ser mais efetivo no lado de fora. Ainda assim sua envergadura, força e uso das mãos são alguns dos fatores que minimizam isso. Melhorando a parte mental do jogo e conseguindo desenvolver-se, pode vir a se tornar um grande jogador.

Chega para trazer inicialmente profundidade a uma ótima linha defensiva e terá, provavelmente, tempo suficiente para aprender, trabalhar e desenvolver seu jogo, com um cenário próximo ao ideal para extrair ao máximo o potencial e produção do jogador para os anos futuros.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui

Compartilhe

Comments are closed.