sexta-feira, 25 de abril de 2014

Compartilhe

domingo nobre - L32

Quase 4 meses, 17 semanas, 511 jogos, 30660 minutos de muito futebol americano não foram suficientes para definir quem manda na divisão norte da conferência americana. O Cincinnatti Bengals (10-4-1) foi até a Pensilvânia visitar seu rival Pittsburgh Steelers (10-5) no 512° e derradeiro jogo da temporada regular, onde o título da divisão estava em jogo e assim, a garantia de mandar pelo menos um jogo de playoff em seus domínios e por tabela empurrar o perdedor para o seed #5, o que significa jogar praticamente todas as partidas dos playoffs como visitante.
O palco estava armado, o tradicional Sunday Night Football era o plano de fundo, o jogo em si valia muito, além de ser uma das últimas oportunidades de ver Carrie Underwood e sua bela…voz, até o longínquo segundo semestre de 2015 e ainda assim você dormiu?! Não se preocupe! Traremos agora o resumo daquele que foi o último jogo da temporada regular para definir quem canta de galo na divisão. Boa leitura!

Top performances :

Pittsburgh
QB Ben Roethlisberger : 24 de 38 para 317 jardas, 2 TDs e 1 interceptação

RB LeVeon Bell : 8 corridas para 20 jardas

WR Antonio Brown : 7 recepções para 128 jardas e 1 TD

Cincinnatti
QB Andy Dalton : 27 de 38 para 244 jardas, 2 TDs e 2 interceptações

RB Jeremy Hill : 23 corridas para 100 jardas

WR AJ Green : 8 recepções para 82 jardas

O jogo em si foi bastante pegado, visto o tamanho da rivalidade e o que estava em jogo. Na campanha de abertura, o Steelers conseguiu avançar até a metade do campo mas foi obrigado a ir para o punt, o que fora rapidamente imitado pelo Bengals que, em sua primeira campanha na linha de 9 jardas do próprio campo, falhou em conseguir um first down e também teve que colocar seus especialistas em ação rapidamente no jogo.
Nesse momento o jogo ganhava contornos de como seria a peleja entre as equipes pois, quando se tem um playmaker de qualidade como o WR Antonio Brown, nem mesmo um ótimo punt de 54 jardas de Kevin Hueber é suficiente e o explosivo camisa 84 mostrou grande visão de jogo quando ordenou a seus companheiros a correta direção dos bloqueios e rasgou o Bengals para um retorno de 71 jardas direto para a endzone, marcando 7×0 para os comandados de Mike Tomlim.
Na campanha seguinte, o Bengals finalmente encontraria algum tipo de sintonia no ataque, avançando até o território rival na base do novato sensação Jeremy Hill, mas a combinação Andy Dalton + horário nobre já é conhecida de todos e seu passe direcionado para o ótimo AJ Green encontraria Brice McCann no meio do caminho para uma fácil interceptação do CB, borbulhando o Heinz Field e assim devolvendo a bola para o menino Benjamin Roethlisberger, que não foi capaz de aproveitar o turnover e teve que devolver a bola.

Graças a um punt ruim, o Bengals já começou sua campanha dentro do território do Steelers e, numa campanha que incluiu uma conversão de quarta descida, chegou ao empate após o TD de recepção do RB Giovanni Bernard e dava indícios que o time poderia dar trabalho na partida.
Indícios que foram reforçados quando o Steelers vinha numa campanha consistente mas sofreu um fumble recuperado pelo Bengals, mas aquele que poderia ser a mudança de ares da partida acabou com o menor prejuízo possível para o Steelers quando Mike Nugent chutou o FG e anotou os 3 pontos para dar a liderança, 10×7.
Pontuação repetida pelo Steelers mais tarde quando, apesar de grande ação de LeVeon Bell, não conseguiu adentrar a endzone e Shaun Suishan chutou um FG de 29 jardas para empatar o jogo novamente.
Após mais uma interceptação de Andy Dalton pelo CB Brice McCann em outro passe horroroso do camisa #14, o Steelers foi capaz de aproveitar o turnover através de um belo passe de Roethlisberger para o novato Martavis Bryant desempatar o jogo e marcar 17×10 no placar.
Perto do 2 minute-warning do primeiro tempo, um ótimo punt do Bengals colocou o Steelers na beira do precipício mas o time foi capaz de orquestar um ataque rápido para conseguir mais um FG e ir para o intervalo com a vantagem de 20-10 e o sentimento cada vez maior que o título da divisão ficaria por lá mesmo.

Nos últimos 30 minutos da temporada regular, o que se viu foi um jogo mais morno do que havia sido na primeira etapa mas que esquentou novamente quando Mike Nugent errou um FG de 50 jardas que colocaria o jogo em apenas uma posse. No entanto, o pesadelo para Mike Tomlim estava por vir logo mais. Num tackle no mínimo questionável, onde o defensor do Bengals foi com o capacete no joelho do RB LeVeon Bell, ele caiu no chão para a apreensão de todos os torcedores e os apreciadores do bom football, onde o talentoso candidato a MVP saiu de campo e nunca mais voltou para a partida. Para completar, na mesma campanha o QB Ben Roethlisberger foi interceptado pelo S Reggie Nelson, e novamente o Bengals tentava entrar na partida, agora que o motor do ataque estava fora da peleja.

Nos últimos 15 minutos da temporada regular, o Bengals parecia imparável e avançou até a endzone quando Andy Dalton encontrou o TE Jermaine Gresham para o TD e assim colocar 20×17 no placar e o jogo em apenas 1 FG de diferença.
A disputa caiu no colo do Bengals quando, numa decisão questionável, o P Brad Wing tentou um fake-punt bisonho mas foi interceptado pelo WR Dane Sanzenbacher e assim deram a posse de bola para o Bengals possivelmente virar o jogo e ganhar a divisão.

Mas aí o Bengals começou a dar tiros no pé quando o WR AJ Green sofreu um fumble e ainda se machucou na jogada – também não retornando mais – quando faltavam poucos minutos para o fim do jogo.
Quando o esperado seria apenas correr com a bola e cozinhar o jogo, o golpe fatal de Pittsburgh veio quando Big Ben encontrou o WR Antonio Brown para um TD de 63 jardas num erro terrível da defesa do Bengals para confirmar de uma vez que o título de divisão, após alguns anos longe, finalmente voltara para o Heinz Field, diante de um Bengals atordoado que não ofereceu resposta com menos de 3 minutos e 2 posses de diferença.

O Steelers (11-5) garantiu o seed #3 dos playoffs e fará talvez o jogo mais esperado dessa fase de wildcard, quando receberá o #6 Baltimore Ravens no sábado à noite, numa das maiores rivalidades dos últimos anos.

O Bengals (10-5-1) por sua vez, caiu para o seed #5 e visitará o #4 Indianapolis Colts no domingo à tarde, com certeza tentando evitar a humilhante derrota de 27-0 sofrida na semana 6.

Porém, a grande história a se acompanhar é o desenrolar das contusões de LeVeon Bell e AJ Green, os melhores jogadores de ambos os times, cuja perda para a rodada de WC seria catastrófica para as pretensões de ambos em fazer uma longa caminhada nos playoffs.

Comente e opine!

Obrigado por lerem.

Compartilhe

Leave A Reply