sexta-feira, 8 de abril de 2016

Compartilhe

myles jack

Diferente dos Mock Drafts, onde só escolhemos um jogador, essa matéria oferece mais opções, tendo o objetivo de mostrar, em nossa opinião, quais são as possíveis alternativas que cada time terá na noite de 28 de abril. Nas próximas semanas, pegaremos duas divisões e listaremos cinco jogadores cotados para a escolha de primeira rodada de cada franquia. Falaremos um pouco sobre os mesmos e no que ele ajudaria a sua respectiva equipe.

LEIA MAIS: Cinco opções para as equipes da AFC e NFC Leste no Draft

AFC NORTE

CLEVELAND BROWNS (2ª escolha geral) logo browns

QBs Jared Goff (California) ou Carson Wentz (North Dakota State)

O novo regime em Cleveland precisa achar seu QB para o futuro, que não parece ser Robert Griffin III. Acredito que a escolha do Browns não fugirá destes dois jogadores, sendo simplesmente decidida por qual a comissão técnica gostará mais. Goff é um atleta mais pronto, porém a presença de RGIII no elenco pode dar a Wentz o tempo necessário para se adaptar.

OT Laremy Tunsil (Ole Miss)

Perder Mitchell Schwartz, o melhor RT da NFL em 2016 segundo o Pro Football Focus, foi um desastre. Tunsil dominou os melhores Pass Rushers da SEC nos últimos anos e é uma escolha segura para a posição, podendo até substituir Joe Thomas num futuro próximo.

FS/CB Jalen Ramsey (Florida State)

Tashaun Gipson e Donte Whitner, os dois titulares da secundária não fazem mais parte do time, então porque não reforçar o setor com um jogador definido como uma mistura de Richard Sherman e Charles Woodson? Os instintos e a habilidade atlética de Ramsey possibilitam sua introdução imediata no time titular.

LB Myles Jack (UCLA)

O Browns perdeu um dos seus ícones defensivos com o corte de Karlos Dansby. O time trouxe Demario Davis do Jets, mas, na defesa 3-4 de Ray Horton, o time ainda precisa de outro ILB. Jack é um dos melhores jogadores da classe e poderia se tornar o pilar do setor. A versatilidade do atleta também seria bastante apreciada.

BALTIMORE RAVENS (6ª escolha geral) logo ravens

DE DeForest Buckner (Oregon)

Chris Canty foi cortado e nunca foi unanimidade na linha defensiva titular. O time busca um companheiro para Timmy Jernigan e Brandon Willians e assim “fechar” o trio que compõe a trincheira defensiva. Eficiente contra o jogo corrido e bom na pressão, Buckner seria o reforço certo caso optem por um DL na primeira rodada do Draft.

OT Ronnie Stanley (Notre Dame)

A linha ofensiva sofreu com lesões durante toda a temporada e fica difícil cobrar algum tipo de entrosamento da unidade. A saída de Kelechi Osemele para o Raiders piora ainda mais a situação. Com Laremy Tunsil provavelmente já escolhido, Stanley é o melhor jogador disponível para a posição. O jogador seria uma melhora imediata em relação a Ricky Wagner e poderia se tornar o LT do futuro, já que Eugene Monroe vem sofrendo bastante com lesões e pode acabar sendo cortado por ocupar um valor alto no teto salarial.

CB Vernon Hargreaves III (Florida)

Não é de hoje que a secundária do Ravens apresenta um desempenho abaixo do esperado. Jimmy Smith claramente sentiu dificuldades após voltar uma cirurgia no pé, enquanto Lardarius Webb nunca foi o mesmo após retornar de lesão alguns anos atrás. Hargreaves é o melhor CB da classe (considerando Ramsey como FS entre os profissionais) e seria uma escolha de impacto imediato.

LB Myles Jack (UCLA)

O outrora dominante grupo de LBs do Ravens mostrou sinais de declínio após Terrell Suggs perder a temporada por lesão e Daryl Smith entrar em declínio. A saída de Smith deixou um ponto de interrogação sobre quem será o parceiro de C.J. Mosley. O atleticismo e dinamismo de Jack seriam bem vindos na defesa comandada por John Harbaugh.

WR Laquon Treadwell (Ole Miss)

Steve Smith tentará voltar a jogar, mas aos 37 anos e vindo de uma lesão no calcanhar de Aquiles não podemos esperar que ele carregue o ataque aéreo sozinho. Mike Wallace e Breshad Perriman são ameaças em profundidade e não fazem o protótipo de WR principal que o Ravens precisa. Treadwell peca na falta de explosão, mas é um exímio corredor de rotas e seria o alvo de segurança para situações de pressão.

CINCINNATI BENGALS (24ª escolha geral) logo bengals

DTs Jarran Reed (Alabama) ou Robert Nkemdiche (Ole Miss)

Domata Peko já passou do auge de sua carreira profissional, ficando mais marcado pela indisciplina do que um bom desempenho no geral. O time precisa desesperadamente achar um complemento a Geno Atkins, um dos melhores DTs da NFL. De características diferentes, Reed seria para preencher o espaço de Peko no combate ao jogo corrido, já Nkemdiche, bem mais explosivo, seria para pressionar o QB adversário com mais consistência.

WR Will Fuller (Notre Dame)

As saídas de Marvin Jones e Mohamed Sanu não serão supridas com a assinatura do questionável Brandon LaFell. É necessário outro jogador para alinhar com A.J. Green no ataque. Fuller é um WR explosivo, com braços longos e teve grandes temporadas pela universidade do estado de Indiana.

DE Noah Spence (Western Kentucky)

A outrora dominante linha defensiva já não foi o melhor setor da equipe. A posição de DE também foi decepcionante, após a volta do DE Michael Johnson não surtir nenhum efeito. Um dos mais talentosos da classe, Spence seria um ótimo reforço para o setor, que perdeu Wallace Gilberry na Free Agency e contaria com Margus Hunt para ser titular em 2016.

C Ryan Kelly (Alabama)

A dominante linha ofensiva tem um elo fraco: Russell Bodine. Após péssimo ano do Center, o time pode estar olhando pelo seu sucessor no Draft. Mesmo que recrutá-lo nesta altura seria um pouco cedo, há outros times entre o final da primeira rodada e o começo da segunda que adorariam adicionar o melhor Center da classe em suas linhas ofensivas.

PITTSBURGH STEELERS (25ª escolha geral) logo steelers

CB Mackensie Alexander (Clemson)

A maior necessidade da franquia é claramente encontrar um CB para ser titular, pois apenas William Gay não é suficiente. Acredito que se Alexander estiver disponível, será a escolha do Steelers na primeira rodada. Mesmo inexperiente, apresenta a agilidade e talento necessário para a defesa do time que competirá pelo Super Bowl na próxima temporada.

DTs Andrew Billings (Baylor) e A’Shawn Robinson (Alabama)

A defesa contra o jogo terrestre foi ruim em 2015, muito graças a um desempenho péssimo da posição de NT, crucial na formação 3-4 que o Steelers usa. Steve McLendon foi muito mal e com certeza a equipe reforçará a posição no Draft, só resta saber quando. Billings e Robinson seriam duas rochas no miolo da linha defensiva e as marcações duplas que naturalmente exigiriam seria um brinde aos jovens OLBs da equipe.

OT Jason Spriggs (Indiana)

A vida sem Kelvin Beachum, que perdeu a temporada de 2015 com uma lesão, não foi nada fácil para Ben Roethlisberger. Agora que Beachum foi para o Jaguars, só aumenta a necessidade de um OT para proteger o QB da franquia. Spriggs foi muito bem no Combine e no Senior Bowl. Consequentemente, viu sua projeção subir e seria um ótimo valor nesta altura.

SS Von Bell (Ohio State)

Mesmo sendo creditado como um jogador de segunda rodada, a necessidade crônica do Steelers em reforços na secundária pode obrigá-los a selecionar Bell no final da primeira rodada, o que não seria de todo ruim. É o melhor jogador da posição na classe de 2016 e assumiria o lugar de Will Allen, que aos 34 anos anos não teve seu contrato renovado.

NFC NORTE

CHICAGO BEARS (11ª Escolha Geral) logo bears

LB Myles Jack (UCLA)

O Bears tinha talvez o pior grupo de LBs na última temporada e percebeu que é muito difícil vencer na NFL sem nomes de qualidade no setor. Apesar de já ter adquirido Jerrell Freeman e Danny Trevathan na Free Agency, ainda existe espaço para Jack. A franquia tem mostrado muito interesse no jogador que esta na fase final de recuperação de uma lesão e pode até mesmo subir no Draft para escolhê-lo.

RB Ezekiel Elliott (Ohio State)

Matt Forte representava o grande nome do ataque do Bears nos últimos anos e era fundamental não só no jogo terrestre, mas também recebendo passes. Elliott é um RB que além de correr muito bem também recebe bem a bola e poderia substituir Forte, que agora esta no Jets.

OTs Jack Conklin (Michigan State) ou Ronnie Stanley (Notre Dame)

Jay Cutler precisa ser protegido para que o ataque do Bears funcione. Na temporada passada, Kyle Long mudou de OG para OT, tentando melhorar a linha ofensiva. A escolha de Stanley ou Conklin permitiria Long voltar a jogar como OG sem que a posição de OT ficasse comprometida.

CB Vernon Hargreaves III (Florida)

Outro setor da defesa do Bears que vem tendo problemas é a secundária. Atualmente a equipe de Chicago conta com Kyle Fuller e o irregular Tracy Porter como a dupla de CBs titulares. A chegada de Hargreaves adicionaria profundidade ao setor e um ótimo nome para a posição.

DETROIT LIONS (16ª Escolha Geral) logo lions

DE Shaq Lawson (Clemson)

Ezekiel Ansah é um grande DE, mas o Lions ainda precisa de um complemento para ele do outro lado, até mesmo para evitar que os adversários coloquem dois jogadores na marcação de Ansah. Apesar de não ter jogado muito tempo como titular em Clemson, Lawson teve uma boa carreira e pode dar certo na NFL.

WR Laquon Treadwell (Ole Miss)

Apesar de em alguns Mock Drafts Treadwell ainda estar disponível na escolha do Lions, eu não acho isso muito provável. Se o WR de Ole Miss ainda não for escolhido aqui, o Lions poderá abraçá-lo para ser seu novo WR principal no lugar do aposentado Calvin Johnson.

DT/DE Jarran Reed (Alabama)

Em 2014 o Lions perdeu Nick Fairley e Ndamukong Suh na Free Agency e chegada de Haloti Ngata não foi suficiente para que a equipe continuasse dominando o meio da linha de scrimmage. Reed poderia formar uma dupla com Ngata que voltaria a dominar as trincheiras e no futuro até substituir o veterano DT.

OTs Jack Conklin (Michigan State) e Taylor Decker (Ohio State)

Matthew Stafford perdeu seu grande alvo da carreira e, para que ele tenha sucesso, o Lions precisa compensar isso de outras maneiras. Riley Reiff é um bom OT, mas a escolha de Conklin ou Decker, daria ao QB um outro OT de qualidade, permitindo que ele tenha mais tempo e o jogo terrestre funcione melhor.

MINNESOTA VIKINGS (23ª Escolha Geral) logo vikings

WR Josh Doctson (TCU)

Teddy Bridgewater até conseguiu se virar bem com os WRs do Vikings na última temporada, mas ainda falta a equipe um WR principal de confiança. Doctson tem características para ser um WR1 na NFL, mas só o tempo dirá se ele se desenvolverá nesse sentido.

LB Jaylon Smith (Notre Dame)

O Vikings tem um bom elenco e não possui tantas posições carentes. Isso permitiria a equipe selecionar Smith, que se recupera de lesão e talvez fique fora de toda a próxima temporada. Chad Greenway já é um LB veterano e pode estar em sua última temporada em Minnesota, Smith poderia o substituir a partir do ano que vem e formar um trio jovem e de muita qualidade com Anthony Barr e Eric Kendricks.

OT Taylor Decker (Ohio State)

Matt Kalil teve um bom ano de calouro na liga, sendo muito importante para Adrian Peterson alcançar mais de 2.000 jardas terrestre. Depois disso, o nível de atuação de Kalil caiu e ele acabou não se mostrando muito confiável. Phil Loadholt (o outro OT) é um excelente jogador mas esta voltando de lesão e ninguém sabe se ele conseguirá voltar a jogar no mesmo nível de antes.

OG Cody Whitehair (Kansas State)

Mike Harris até que teve uma boa temporada ano passado e, com a chegada de Alex Boone, a posição de OG não é tão carente assim. Porém, como o elenco do Vikings não tem muitos buracos, Whitehair pode competir por uma vaga na linha ofensiva.

DT A’Shawn Robinson (Alabama)

Linval Joseph e Sharrif Floyd formam uma dupla muito boa de DTs, mas é sempre bom ter um reserva a altura para rotação ou até eventuais lesões. Robinson poderia aprender com esses dois jogadores e ir ganhando espaço gradualmente.

GREEN BAY PACKERS (27ª Escolha Geral) logo packers

DTs Andrew Billings (Baylor), A’Shawn Robinson (Alabama) e Jarran Reed (Alabama)

A saída de B.J. Raji deixou o Packers a procura de um novo NT para sua defesa 3-4. Um DE também seria muito importante para formar dupla com Mike Daniels. Billings, Robinson e Reed tem a capacidade de jogar tanto como NT ou até mesmo como DE no 3-4, portanto o Packers poderia escolher algum deles ou o que sobrar até a sua escolha.

ILB Reggie Ragland (Alabama)

O Packers vem sofrendo com a falta de ILB já faz um tempo e, apesar de Clay Matthews ter feito um bom trabalho na posição, ainda é preciso mais um jogador para ajudá-lo no meio da defesa. Ragland poderia ser o tão sonhado ILB do Packers e liderar essa defesa por anos.

OLB/DE Kevin Dodd (Clemson)

Julius Peppers e Clay Matthews podem formar uma das melhores duplas de OLBs da liga, mas sem ILBs de qualidade, é provável que Matthews continue sendo utilizado como tal. Peppers já é um veterano de 36 anos e está indo para seu último ano de contrato. Dodd poderia fazer parte da rotação esta temporada e substituir Peppers a partir de 2017.

Compartilhe

Comments are closed.