sábado, 8 de abril de 2017

Compartilhe

Chegamos a segunda edição da nossa série “Cinco Opções para o Draft 2017”. Se na última semana listamos opções para os times da NFC e AFC Norte, hoje é a vez de oferecermos alternativas para as franquias do Leste. Como sempre, sinta-se livre para discutir sobre as escolhas na seção de comentários do site, pelo Facebook ou Twitter.

NFC Leste (André Oliveira)

Philadelphia Eagleslogo eagles

14ª Escolha Geral

CB Gareon Conley  (Ohio State) e Marlon Humphrey (Alabama)

Com exceção do grupo de cornerbacks, o Eagles se reforçou bem nessa Free Agency. Felizmente para Philadelphia, a próxima classe possui talentosos nomes e tanto Conley como Humphrey são duas boas opções para essa escolha. O ex-Buckeyes possui ótimas medidas e técnica, se destacando quando marca os WRs por pressão. Apesar de não ser tão técnico quanto o companheiro de posição, Humphrey possui um maior talento físico devido ao seu fantástico atleticismo, além de ser muito bom em marcação por zona.

RB Dalvin Cook (Florida State)

A falta de talento ao redor de Carson Wentz era notável na última temporada. Buscando mudar essa situação, Howie Roseman trouxe bons alvos  para o jogo aéreo. Contudo, o ataque corrido do time pode se beneficiar de um jogador do calibre de Dalvin Cook. Além de ser único com a bola nas mãos, também é um ótimo recebedor por possuir boas mãos e executar rotas com excelência.

WRs Corey Davis (Western Michigan) e John Ross (Washington)

Para 2017, o grupo de recebedores do Eagles está definido, mas o futuro do grupo ainda é uma incógnita. Os contratos de Alshon Jeffery e Torrey Smtih são de curto prazo, Jordan Matthews viu seu nome ser envolvido em rumores de negociações nessa offseason e Nelson Agholor tem tido um rendimento pífio desde que entrou na NFL.

Ross e Davis podem oferecer estabilidade a longo prazo para o grupo, sem falar do enorme talento de ambos. Enquanto o ex-Broncos é uma presença de mais porte físico, o detentor do recorde nas 40 jardas possui características bastante parecidas com a ex-estrela da franquia, DeSean Jackson.


Washington Redskinslogo redskins

17ª Escolha Geral

DEs Malik McDowell (Michigan State) e Taco Charlton (Michigan)

Mesmo passando por uma turbulenta offseason, o front office do Redskins trabalhou para trazer reforços para a linha defensiva da equipe. Entretanto, Stacy McGee e Terrell McClain não passam de jogadores rotacionais e certamente a franquia deve buscar opções mais talentosas no draft.

Do ponto de vista físico, McDowell e Charlton possuem todos os atributos necessários para terem sucesso na NFL, mas inconsistência é uma palavra que define bem os dois. Ambos são muito “crus” tecnicamente e ainda não conseguiram transformar todo seu talento em produtividade.

G/T Forrest Lamp (Western Kentucky)

Com o potencial de atuar em todas as posições da linha ofensiva, a versatilidade de Lamp é um atrativo e tanto para o mesmo ser um possível alvo do Redskins no dia do Draft. Atlético, com boa musculatura e muito técnico com o jogo de pés e quadril, Lamp poderia brigar imediatamente com Shawn Lauvao pela vaga de LG, posição a qual ele deverá ter mais sucesso na NFL.

S Jabrill Peppers (Michigan)

Com Su’a Cravens e DJ Swearinger, a posição de strong safety não é mais uma grande necessidade para o Redskins, mas Jabrill Peppers pode ser talentoso e versátil demais para Bruce Allen passar. O ex-Wolverines pode contribuir em quase todos os níveis da defesa, seja como SS, nickel CB, um híbrido linebacker e até mesmo como safety em profundidade em algumas oportunidades.

LB Haason Reddick (Temple)

A contratação de Zach Brown por parte do Redskins foi uma das maiores barganhas da offseason, mas sozinho (e com um contrato de apenas um ano de duração) o jogador não será a solução para todos os problemas do time na posição de linebacker. Reddick é o dinâmico playmaker que encaixaria muito bem na defesa de Washington. Assim como Brown, o jogador pode entrar na briga pela vaga de ILB e também atuar como pass rusher situacional.


New York Giantslogo giants

23ª Escolha Geral

LB Zach Cunningham (Vanderbilt)

O Giants tem uma das melhores defesas da NFL, mas o mesmo não pode ser dito do grupo de linebackers do time. Com isso em mente, Cunningham seria um grande reforço para o setor. Apesar de não ser um dos mais agressivos da classe, sua inteligência diagnosticando jogadas, atleticismo e habilidade de se desvencilhar dos bloqueadores o tornam um verdadeiro playmaker que poderia brilhar no meio da defesa de New York.

TE David Njoku (Miami)

Com exceção de Martellus Bennett (2012) e Jeremy Shockey (2004-07), Eli Manning tem praticamente tirado “leite de pedra” na posição de tight end. Considerando o talento disponível para a posição na classe desse ano, New York tem a chance de dar ao seu veterano quarterback a arma que Manning não tem há algum tempo. Apesar de ser o meu #2 TE na classe, Njoku é o que enxergo com o maior potencial devido aos seus “absurdos” atributos físicos.

RB Christian McCaffrey (Stanford)

Alinhar Christian McCaffrey no mesmo ataque que Odell Beckham Jr., Brandon Marshall e Sterling Shepard pode ser uma tentação forte demais para Jerry Reese resistir. O ex-jogador de Stanford pode contribuir de inúmeras formas no ataque, seja alinhado como running back e wide receiver ou até mesmo retornado chutes.

OTs Ryan Ramczyk (Wisconsin) e Garett Bolles (Utah)

Ao contrário da defesa, o ataque de New York deixou bastante a deseja no ano passado. Apesar de não ser a única culpada, a linha ofensiva da equipe foi uma das principais responsáveis pelo fraco ano do setor. Com a vaga de RT aberta e a possibilidade de adicionar competição para o decepcionante Ereck Flowers para a vaga de LT, o Giants pode muito bem selecionar um offensive tackles com a 23ª escolha.


Dallas Cowboyslogo cowboys

28ª Escolha Geral

DBs Kevin King (Washington), Tre’Davious White (LSU), Cordrea Tankersley (Clemson) e S Obi Melifonwu (UConn)

O atual campeão da NFC East foi um dos grandes perdedores dessa Free Agency. Sem muito salary cap disponível, o Cowboys viu alguns de seus titulares, principalmente da secundária, assinarem com outros times. Agora com o Draft chegando, a equipe precisa selecionar jogadores jovens e baratos que tragam impacto imediato para o setor.

White não é um dos cornerbacks mais altos da classe, mas sem dúvidas é um dos melhores na cobertura. Ao contrário do companheiro de posição, King e Tankersley possuem ótimas medidas, mas não são tão “limpos” tecnicamente. Melifonwu seria uma opção para a posição de S, jogando ao lado do ex-companheiro de UConn, Byron Jones. A capacidade do ex-Huskies em cobrir tight ends e ser muito agressivo contra o jogo corrido seria muito bem vinda na defesa de Dallas.

DE Charles Harris (Missouri)

Além dos problemas na secundária que surgiram durante essa offseason, Dallas ainda precisa reforçar o seu anêmico pass rush. Felizmente para o Cowboys, a classe de edge rushers também está bastante recheada, sendo Charles Harris um desses bons nomes. O ótimo defensive end de Mizzou é muito atlético, possui uma excelente agilidade lateral e é explosivo.


AFC Leste (Eduardo Araújo)

New York Jetslogo jets

6º Escolha Geral

QB Mitchell Trubisky (North Carolina)

Tudo bem que o Jets precisa de muitos jogadores, mas para querer começar a brigar por algo primeiro terá que achar um quarterback que possa ser confiável. Mitchell Trubisky de North Carolina é o melhor jogador da posição do Draft e deverá estar disponível na sexta escolha.

S’s Malik Hooker (Ohio State) e Jamal Adams (LSU)

A equipe sofreu muito com uma queda drástica de desempenho da sua secundária. Os dois safeties foram abaixo da média, e para a sorte do Jets, dois dos melhores prospects da posição podem estar disponível na 6ª escolha geral do Draft. Malik Hooker de Ohio State e Jamal Adams de LSU são verdadeiros playmakers que qualquer defesa gostaria de contar.

CB Marshon Lattimore (Ohio State)

Os Cornerbacks também deixaram a desejar no ano passado e a saída de Darrelle Revis abre um buraco imenso na posição. Se quiser resolver isso via Draft, o Jets poderá draftar Marshon Lattimore de Ohio State. O ex-Buckeyes é um jogador agressivo, veloz e que possui um QI muito alto de football. Um jogador completo e que vale muito a escolha.

DEs Solomon Thomas (Stanford) e Jonathan Allen (Alabama)

O Jets também terá problemas em seu front seven, mesmo contando com Sheldon Richardson, Wilkerson e Leonard Williams. Se Solomon Thomas e Jonathan Allen estiverem disponíveis, a equipe poderá garantir um ótimo futuro para o setor. São dois dos melhores e mais agressivos jogadores da classe. Enquanto Thomas é melhor pass rusher, Allen é mais completo, podendo encaixar perfeitamente no esquema defensivo do Jets.


Buffalo Billslogo bills

10ª Escolha Geral

S Malik Hooker (Ohio State)

O Bills sofreu com sua secundária e a falta de safeties no ano passado. Para resolver esse problema, a equipe pode tentar contar com a sorte e esperar Malik Hooker na décima escolha geral. Por estar se recuperando de duas cirurgias, o jogador de Ohio State pode cair um pouco no draft. Mesmo achando isso bastante difícil de acontecer, não há dúvidas de que Doug Whaley não pensaria duas vezes antes de selecionar o ótimo defensive back de Ohio State, já que Hooker seria uma peça fundamental para a defesa da equipe.

WRs Mike Williams (Clemson) e Corey Davis (Western Michigan)

Outra posição carente na equipe do estado de Nova Iorque é a de wide receiver, já que sobrou apenas Sammy Watkins de alvo confiável – quando está em campo – para Tyrod Taylor. Para resolver isso, a equipe terá a oportunidade de esperar por Mike Williams de Clemson ou Corey Davis de Western Michigan. Williams é o melhor jogador da posição nesse ano. Alto, forte com ótimas mãos e explosão, poderá formar excelente dupla com Sammy Watkins, deixando o Bills muito perigoso na red zone. Já Corey Davis, embora também seja alto, é mais veloz e melhor corredor de rotas, podendo evoluir ainda suas mãos e suas recepções em contato. O Bills estará muito bem servido caso escolha qualquer um dos dois.

CB Marshon Lattimore (Ohio State)

Mesmo com a contratação de Micah Hyde, o Bills pode pensar em pegar outro jogador para a posição de cornerback e se garantir, visto que o ex-Packers não veio de boa temporada por Green Bay. E eu só escolheria um CB se Marshon Lattimore estiver disponível. É o atleta perfeito para a agressiva defesa do Bills, podendo atuar tanto em zona como em marcação individual.

QB Mitchell Trubisky (North Carolina)

Mesmo com a equipe ficando com o QB Tyrod Taylor, o Bills pode pensar em escolher Mitchell Trubisky, o melhor QB do Draft. As equipes sabem que terão que desenvolver o jogador, e até por isso o Bills poderá pegá-lo, já que manterão Tyrod Taylor como titular por mais esse ano. Assim como Lattimore, eu só escolheria um quarterback se fosse Mitchell Trubisky pelo talento do jogador. É o único QB que vejo dando certo de verdade no Draft.


Miami Dolphinslogo dolphins

24ª Escolha Geral

OG/OT Forrest Lamp (Western Kentucky)

O Dolphins precisa muito reforçar o miolo da sua linha defensiva e a diferença de talento de Forrest Lamp para qualquer outro Guard no Draft é muito grande. O jogador de Western Kentucky poderá ser titular já desde a semana 1 com a mudança de Laremy Tunsil para Offesinve Tackle.

LBs Zach Cunningham (Vanderbilt) e Haason Reddick (Dolphins)

A equipe de Miami precisa também de reforço para a segunda linha defensiva, mais precisamente o grupo de linebackers. Mesmo com a contratação de Lawrence Timmons, o time poderá escolher Zach Cunningham de Vanderbilt, uma máquina de tackles clássica ou um LB mais explosivo Haason Reddick de Temple. Tanto Cunnigham quanto Reddick encaixariam perfeitamente no esquema proposto pelo Dolphins, mas entre os dois eu prefiro o ex-Owls, por oferecer um algo a mais para sua equipe, como muita potencia em situação de blitz.

DEs Charles Harris (Missouri) e Takkarist McKinley (UCLA)

Outra posição carente no time de Miami é a de pass rushers. Com só Cameron Wake como jogador de confiança na posição, a equipe poderá selecionar um EDGE para reforçar o setor. Charles Harris de Missouri é um ótimo nome para a função. Explosivo e com uma ótima técnica, o jogador seria um oposto muito forte a Cameron Wake. Caso a equipe prefira potência, raça e força bruta no pass rusher, poderá ir atrás de Takk McKinley de UCLA. O jogador é literalmente uma aberração física.

Entre os dois jogadores, Charles Harris me agrada mais na escolha, por possuir uma técnica muito boa para um pass rusher, podendo contribuir desde a semana 1 com a equipe. Enquanto McKinley ainda precisaria transformar todo seu talento físico em capacidade técnica.


New England PatriotsResultado de imagem para new england patriots logo png

O Patriots não possui escolhas nos dois primeiros rounds, mas mesmo assim iremos analisar os opções para o time na terceira rodada.

72ª e 96ª Escolhas Gerais (3ª Rodada)

CBs Sidney Jones (Washington), Fabian Moreau (UCLA) e Ahkello Witherspoon (Colorado)

A equipe poderá precisar de um cornerback oposto a Stephon Gilmore se resolver trocar Malcolm Butler. Para resolver o problema, o Patriots poderia arriscar em dois jogadores que estão atualmente lesionados mas que valem muito a pena: Sidney Jones de Washington e Fabian Moreau de UCLA.

Jones teve uma grave lesão no tendão de aquiles, porém é indiscutivelmente um talento de primeiro rodada. Se for pegar os últimos anos de NFL, atletas com lesões parecidas conseguiram voltar e render muito bem ainda, como, por exemplo, Cam Wake do Miami Dolphins.

Fabian Moreau também pode ser considerado um jogador de primeira rodada, o jogador de UCLA é DISCUTIVELMENTE o melhor marcador homem-a-homem do draft, algo que Bill Belichick adoraria ter na equipe.

Se o técnico do Patriots não quiser arriscar poderá buscar então Ahkello Whitherspoon, o gigante de Colorado. O CB tem uma mistura espetacular de altura e velocidade e, sendo bem desenvolvido, poderá se tornar uma peça fundamental na secundaria do Patriots.

EDGEs DeMarcus Walker (Florida) e Jordan Willis (Kansas State)

Se Bill Belichick quiser reforçar seu pass rush, ele pode ir atrás de jogadores como DeMarcus Walker e Jordan Willis. Walker tem alguns problemas de técnica e outro de forças contra bons OLs, porém é um jogador muito útil na contenção do jogo corrido. Já Willis é melhor pass rusher, sendo muito ágil para seu tamanho, e poderá contribuir em todos os snaps defensivos da equipe de imediato.

LBs Anthony Walker Jr (Northwestern) e Ryan Anderson (Alabama)

Outra opção para o Patriots é buscar um substituto para Jamie Collins. Anthony Walker Jr é um LB clássico, uma máquina de tackles especialista em jogar dentro do Box e parar corridas. Uma peça rara de se achar na NFL hoje em dia.

Já Ryan Anderson é outro ótimo jogador de Alabama. Titular nos últimos 3 anos no College é um LB que Belichick gosta por sua versatilidade, podendo atuar como OLB (SLB ou WLB). Embora tenha problemas no jogo terrestre, o jogador é muito forte em situações de passes e blitz, lembrando muito o próprio Jamie Collins.

S’s Eddie Jackson (Alabama) e Marcus Williams (Utah)

Se a equipe estiver pensando no futuro e um eventual substituto de Pat Chung, poderá escolher Eddie Jackson de Alabama ou Marcus Williams de Utah. Jackson está com uma lesão e por isso poderá sair na terceira rodada. É um jogador com ótimos instintos, sendo esse um dos motivos para mudança de posição (cornerback para safety) assim que chegou em Alabama. Já Marcus Williams é um safety clássico, com bastante talento, porém pouco desenvolvido. Dono de 10 interceptações em 2 anos, é o tipo de jogador que está sempre perto da bola, e poderá ser uma peça fundamental no futuro da equipe.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.