terça-feira, 30 de maio de 2017

Compartilhe

Selecionado na primeira posição geral no draft de 2011, Cam Newton, chegou para ser o rosto da franquia de Carolina. O atleta correspondeu às expectativas e se tornou um seguro QB na NFL. O Ano de 2015 foi o auge de sua carreira até o momento, conduzindo a equipe do Panthers ao SB, vencendo o prêmio de MVP, e se colocando entre os grandes jogadores da NFL. Na última temporada, o desempenho caiu drasticamente, não só de Cam, mas de toda a equipe. Em 2017, após duas temporadas tão distintas, o que podemos esperar do QB do Panthers?

Na temporada 2015, Cam Newton demonstrou uma boa evolução como QB jogando dentro do pocket. Apesar de o percentual de passes completos (59,8%), não ter sido o maior de sua carreira, o atleta conseguiu os seus melhores números em rating (99.4),  passes para TD (35), e ainda a menor quantidade de interceptações (10). Estes dados se tornam ainda mais expressivos, se considerarmos que o Panthers tinha como principais alvos, com exceção do ótimo TE Greg Olsen, os WRs: Ted Ginn JR, Jerricho Cotchery e Devin Funchess, para citar os mais relevantes. Fica evidente que Cam fez muito, como uma equipe de recebedores, no máximo, regular.

Apesar da derrota no SB, a temporada 2016 chegou com boas perspectivas para o torcedor do Panthers. Falando apenas da parte ofensiva, a equipe teria o atual MVP da liga, e o retorno de seu principal WR, Kelvin Benjamin, que havia se recuperado de uma séria lesão que o tirou de toda a temporada 2015. Em campo, porém, nada foi como se esperava. A temporada 15-1 do ano anterior se tornou 6-10 em 2016, Newton teve seu Rating caindo para 75,8 e o Panthers acabou ficando na última colocação da NFC Sul. Antes de projetarmos o que pode ser a temporada de Cam em 2017, precisamos entender alguns pontos que contribuíram para o desempenho tão ruim na última temporada.

Kelvin Benjamin havia feito uma ótima temporada de calouro em 2014, e como dito acima, acabou ficando fora de toda a temporada seguinte, era de se esperar que o retorno do principal WR tornasse este ataque ainda melhor. Nas duas primeiras semanas da temporada, nos confrontos contra Broncos e 49ers, a impressão era realmente esta. Benjamin acumulou 199 jardas e 3 TDs, porém com o passar do tempo, este desempenho começou a cair. Dizem que a necessidade é a mãe da criatividade, em 2015 sem seu principal recebedor, o Panthers utilizou varias formações que confundiam bastante os coordenadores defensivos. Muitas vezes utilizando 2 TEs e/ou 2 RBs. Com a volta de Benjamin, o ataque tornou-se mais previsível, além disto, a OL também passou a apresentar problemas.

A perda do OT Michael Oher foi outro fator relevante para a queda de desempenho de Newton na última temporada. O jogador, famoso por ter sido a inspiração do filme: The Blind Side (Um Sonho Possível), muitas vezes é subestimado e até motivo de brincadeiras que dizem que ele é muito melhor no filme, do que na realidade. Oher pode não ser o melhor LT da NFL, mas está longe de ser um jogador ruim. Um atleta que chega a dois SBs, sendo titular em todos os 16 jogos da temporada, evidentemente tem qualidades. Além disto, Mike Remmers fez jogos muito ruins, o que tornou esta mudança ainda mais relevante. Um setor que sempre sofre quando a OL tem problemas é o jogo terrestre, com o Panthers, não foi diferente. Em 2015 a média foi de 142,6 jardas por jogo, já em 2016, estes números caíram para 113,4 jardas.

Um plano de jogo menos criativo, uma OL que piorou consideravelmente, um QB cada vez mais estudado, e um jogo terrestre deficiente; são fatores que podem explicar a queda de desempenho de Newton na última temporada. Além disto, temos a polêmica dos hits ilegais, e a declaração de Cam de que jogou boa parte da temporada machucado. Segundo o QB, ele era o capitão do time e precisava mostrar liderança. Certamente é uma decisão respeitável, talvez não seja a mais inteligente, de toda forma, é louvável. Após discutirmos alguns dos motivos que levaram ao desempenho ruim do QB do Panthers em 2016, chegamos ao questionamento principal deste texto, qual Newton teremos a partir de setembro?

Cam Newton é um excelente jogador de futebol americano. Dito isto, fica evidente que entendemos ser completamente possível que o QB volte a ter um desempenho como o da temporada 2015. Neste draft, a equipe de Carolina trouxe algumas peças que podem contribuir bastante para que Cam volte à sua melhor forma. Como discutido neste texto, a versatilidade que nomes como Christian McCaffrey e Curtis Samuel podem trazer, tornam este ataque completamente diferente. A chegada de Matt Kalil, que apesar de contestado, irá contribuir, e do promissor Taylor Moton, são interessantes para esta OL que precisava de reforços. Oher que vem tendo problemas extra-campo, e ainda continua no protocolo de concussão, precisa retornar. É um jogador experiente, e além do campo, pode contribuir bastante, seja na adaptação de Kalil, como também na evolução de Moton.

Algo fundamental para o sucesso neste ano, é que Cam, se preserve mais. Isto não quer dizer que o jogador precise modificar toda sua forma de atuar, e que deva abandonar uma de suas grandes armas, que é exatamente a sua capacidade de ser uma ameaça dupla, porém quando se expõe demais, o atleta acaba sofrendo os Hits que levaram as concussões e contusões na última temporada. Obviamente, que, em muitos destes lances, seja pela OL ruim, seja pela falta de alvos, o QB acabou por ter que segurar a bola por mais tempo. Nesta temporada, é importante que Newton consiga soltar a bola mais rapidamente. Para isto, os calouros ofensivos serão fundamentais. Expor sua grande estrela ao confronto contra DL e LB, mesmo que Cam seja um monstro fisicamente, não parece ser uma boa opção.

Cam Newton não é um jogador de apenas uma temporada. Se a OL for minimamente confiável, e os calouros mostrarem, pelo menos em parte, o que se espera deles, o ano pode ser bem interessante para o torcedor do Panthers. Seja no College, em seu ano de calouro, ou ainda na temporada de 2015, fica claro que Newton, gosta de surpreender quando as pessoas desconfiam de seu talento. Com uma qualidade de alvos que nunca teve, a próxima temporada será uma bela oportunidade para voltar a ser o Super Cam.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.