segunda-feira, 1 de abril de 2019

Compartilhe

Quem não sonhou em ser um jogador de futebol (americano)? A paráfrase da tradicional música da banda Skank é um verdadeiro mantra na vida dos apaixonados por esporte. Mesmo que não estejamos falando da bola redonda – e sim da oval, a máxima é realmente válida se pensarmos o quão utópico parece alcançar o profissionalismo dentro deste esporte de alto rendimento e que parece única e exclusivamente fechada para os nascidos nos EUA, com uma pequena minoria oriunda de outros países mas que tiveram contato com o esporte deste pequeno.

A NFL, atenta à popularidade ao redor do globo, está motivando a inserção de talentos vindos de outros países das mais variadas formas possíveis. Nos últimos anos tivemos algumas experiências de atletas inclusive sendo recrutados no Draft sem ter nenhum tipo de contato com o esporte, mas que apresentavam as intangíveis físicas e intelectuais necessárias para obter sucesso dentro da liga. Claro que a adaptação ao esporte, ao nível de jogo e a vida fora de seu país de origem são de grande parte dentro desta aclimatação, mas o sonho de participar em uma das ligas mais tradicionais de todo o planeta representa o combustível necessário para equiparar tudo isto e seguir em frente nesta busca.

Leia Mais: NFL aprova revisões em jogadas de interferência no passe

Leia Também: NFL celebra rivalidade entre Bears e Packers, que abrirão a nova temporada

Pois bem, a NFL deu um passo importante nesta frente. Acontecerá em 1° de Abril o Internacional Player Pathway Program Pro Day, ou simplesmente o Pro Day internacional na casa do Tampa Bay Buccanneers, na Florida.

Sete jogadores de futebol americano de todas as partes do mundo farão testes físicos e mentais para olheiros das 32 equipes que mandarão representantes para o CT do Bucs, na busca de conseguir um contrato profissional para alguma equipe nos programas de intertemporada ou mais, ter seu nome anunciando no Draft que acontecerá no próximo mês. Confira a lista:

DE David Bada (Alemanha)
Idade: 23 anos

Atua no nível mais alto da liga alemã de futebol americano, uma das mais fortes do mundo. É tido como um pass rusher talentoso que, se trabalhado os aspectos do jogo, pode ter impacto.

DT Moubarak Djeri (Alemanha)
Idade: 22 anos

Nasceu no Togo e se mudou para a Alemanha em 2007. Já tem experiência dentro de uma franquia da NFL, já que participou das atividades de intertemporada do Arizona Cardinals em 2017, mas foi dispensado pouco antes do Training Camp. Agora mais experiente, tentará chamar a atenção de algum time.

RB/WR Valentine Holes (Austrália)
Idade: 23 anos

Holmes é um jogador profissional de Rugby na Australia, tendo estreado na liga profissional do país com apenas dezenove anos. Atuou na Copa do Mundo de Rugby em 2017 e simplesmente detém o recorde de tries na semi-final do torneio, pois foram seis na partida contra Fiji, que terminou com a fácil vitória da Austrália. Acredita-se que RB seja a sua posição na NFL, além do potencial para ser retornador.

FB Jakob Johnson (Alemanha)
Idade: 24 anos

Outro atleta já com envolvimento no futebol americano nos EUA. Atuou a nível colegial por uma temporada e depois foi recrutado pela tradicional universidade do Tennessee, na qual ficou por quatro temporadas. Pelo Volunteers, ele atuou como LB e TE em sua segunda temporada, mas é espero que atue como HB devido à sua capacidade atlética.

LB Maximo Sanchez (México)
Idade: 25 anos

É tido como o melhor jogador mexicano atualmente. Participou de um combinado de atletas até 19 anos que enfrentaram a seleção dos EUA (também nesta faixa de idade) alguns anos atrás, além de ter jogado pela universidade mais tradicional no esporte do país, a Tech Monterrey. Tem experiência ao atuar como DE na formação 4-3, mas a posição de LB na 3-4 parece ser o ideal para o jovem.

RB Christian Wade (Inglaterra)
Idade: 27 anos

Wade é discutivelmente o jogador com mais atributos físicos para atuar na NFL. Um exímio jogador de rugby, passou por todas as seleções de base da tradicional Inglaterra até atuar pela seleção principal por vários anos. Na Premiership Rugby (liga de rugby da Inglerra) ele é terceiro maior pontuador de todos os tempos. Extremamente versátil, a posição de RB parece ideal para um jogador com os atributos de Wade.

DT Durval Neto (Brasil)
Idade: 25 anos

É isto mesmo, o Brasil estará representado neste Pro Day internacional! Nosso “duzão” como carinhosamente é conhecido atuou em dois dos melhores times de futebol aqui no Brasil – o Cuiabá Arsenal e o Galo Futebol Americano até que chamou a atenção para este programa da NFL. Um campeão de judô quando mais novo, ele reúne uma ampla capacidade atlética e também muita vontade para aprender e se ambientar, já que desde o final do ano passado ele já está nos EUA se preparando para conseguir chamar a atenção de algum time. Há boas chances dele ser o primeiro atleta nascido em solo brasileiro e “não Kicker” (alô Cairo Santos) a conseguir um contrato profissional na NFL.

Embora a NFL – por questões históricas, seja a liga norte-americana mais fechada à atletas nascidos fora dos EUA, é inevitável a expansão com a globalização da marca e cada vez mais pessoas interessadas em fazer parte deste esporte. Sete destes atletas terão a oportunidade de suas vidas na frente de 32 franquias sedentas por talentos em posições de destaque dentro da montagem de um time.

Tal globalização pode ser vista nos últimos anos, com a inserção natural de vários atletas nascidos fora dos EUA. Alguns inclusive chegaram a ser recrutados no Draft, como o WR Moritz Boehringer e o LT Jordan Mailata. Boehringer é um alemão tido como o melhor jogador de seu país que foi recrutado pelo Minessota Vikings mas que atualmente está na equipe de treinos do Cincinnati Bengals enquanto Mailata é um australiano recrutado pelo Philadelphia Eagles que construiu uma ótima carreira no rugby e agora tenta a sorte no futebol americano.

Claro que é um longo caminho até o estrelado na NFL, ou simplesmente fazer parte do elenco de 53 atletas que compõe um time ao longo da temporada, mas a primeira grande oportunidade, ou o primeiro grande passo está aqui, que é o de chamar a atenção das franquias para a capacidade atlética, posteriormente podendo evoluir a capacidade técnica e os fundamentos do jogo.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.