segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Compartilhe

 

O sistema de jogo West Coast Offense, popularizado pelo legendário treinador Bill Walsh e muito usado ainda atualmente pelas equipes, consiste em jogadas com bastante recebedores que procuram alongar o campo com suas rotas, fazendo com que a defesa se espalhe na marcação. Algumas dessas rotas exploram o campo horizontalmente, visando o passe curto e rápido para aproveitar o espaço deixado pela defesa e conseguir ganhar jardas após a recepção.

Um dos conceitos mais utilizado nesse sistema ofensivo é o Drive, onde uma rota Drag e outra In (Dig) exploram o meio do campo procurando espaços deixados pelos linebackers e safeties.

Leia Mais: Destaques e decepções: Domínio pela terra!

Leia Também: O Fantasy Football e a Bolsa de Valores

No texto da semana, continuo a série sobre conceitos ofensivos e mostro como o Drive pode ser importante na conquista de jardas e ajudar seu ataque no Madden NFL. Abaixo mostro a defesa em diversas situações e como este conceito pode batê-las.

Conceito básico

Em uma jogada do conceito Drive, geralmente temos uma ou mais rotas longas de um lado do campo com o objetivo de empurrar cornebacks e safeties, ou até mesmo linebackers para o fundo do campo. Do outro lado saem dois jogadores, um em rota Drag de 3 à 5 jardas e outro em rota In (Dig) de 10 à 15 jardas, que cruzam o campo em direção ao espaço criado pelos recebedores em rota longa.

Como atacar uma Marcação Individual

Este conceito é muito interessante contra marcação homem a homem e pode gerar uma grande quantidade de jardas. A bola deve ser lançada para o jogador que conseguir uma maior separação. Isso pode ocorrer tanto com o recebedor em rota Drag, como com aquele na rota In. O fato de outros defensores estarem preocupados com outros recebedores, sem estarem olhando para o QB, ocasiona numa demora maior para voltar a atenção para o recebedor com a bola, facilitando seu ganho de jardas.

Nesta jogada, tanto a rota Drag, como a rota In conseguiram separação

Como atacar uma Cover 2

Provavelmente, este seja o sistema que mais dificulte o trabalho dos dois recebedores em rotas horizontais, pelo fato de haverem três linebackers vigiando o centro do campo, portanto as rotas longas podem ser as melhores opções aqui. Mas ainda é possível encontrar alguma brecha deixada, principalmente pelos outside linebackers, que podem acabar recuando para cobrir alguma dessas rotas longas.

Os linebackers acompanharam as rotas longas, abrindo espaço para as rotas horizontais

Como atacar uma Cover 3 ou Cover 6

O conceito Drive é muito interessante contra esses tipos de marcações. Com três defensores no fundo do campo e mais dois um pouco recuados marcando as laterais, sobram dois linebackers vigiando o centro do campo. A reação do linebacker do lado do campo em que os dois recebedores em rotas horizontais estão indo, irá definir a nossa leitura: se ele recuar no setor do recebedor da rota In, lançamos para o recebedor da rota Drag. Caso ele avance em direção ao recebedor da Drag, lançamos para o jogador da In, que irá explorar o espaço entre os linebackers e os safeties.

Os linebackers acompanharam as rotas curtas, deixando livre o recebedor na rota In

Como atacar uma Cover 4

Com quatro jogadores na secundária, o trabalho do único linebacker a marcar o centro do campo fica ainda mais sobrecarregado, podendo deixar livre qualquer um dos dois recebedores.

O MLB ficou sobrecarregado e as duas rotas horizontais se tornaram opções

Como atacar uma Blitz

As blitzes, principalmente com marcações individuais, também podem ser exploradas com essas jogadas. A rota Drag é excelente em situações em que o QB precisa fazer o passe rápido. Com um tempo a mais de proteção, a rota In também pode ser uma boa opção.

O recebedor na Drag é uma grande opção para passes rápidos contra defesas em blitz

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

 

Compartilhe

Comments are closed.