segunda-feira, 13 de julho de 2020

Compartilhe

A temporada 2020/21 da NFL contará com três técnicos estreantes. O trio Kevin Stefanski (CLE), Joe Judge (NYG) e Matt Rhule (CAR) começa em 2020 a sua caminhada na principal função do esporte fora dos gramados, comandando três equipes que esperam ter um ano muito melhor do que o último. Com características e currículos diferentes dentro da principal liga de Futebol Americano do mundo, eles terão desafios semelhantes na temporada de estreia e querem deixar uma boa impressão dentro de um esporte que, nos últimos anos, vem acompanhando um aumento significativo no números de trocas de treinadores. No texto especial de hoje, nós contamos mais sobre a trajetória de cada um deles e o que esperar do trio em seu primeiro ano na função.

KEVIN STEFANSKI – CLEVELAND BROWNS 

O Cleveland Browns teve três técnicos diferentes nas últimas duas temporadas e aposta agora no estreante Kevin Stefanski para colocar o seu talentoso ataque nos trilhos. A escolhe por Stefanski parece óbvia pelo seu currículo dentro da NFL, que conta com uma passagem sólida no Minnesota Vikings por 14 temporadas seguidas. Na equipe da NFC norte, o treinador de 38 anos desempenhou as mais variadas funções na comissão técnica, sempre com foco no ataque. Após trabalhar exclusivamente com QBs entre 2017 e 2018, ele ganhou a oportunidade de ser o Coordenador Ofensivo do Vikings no ano passado e foi bem.

Leia Mais: A NFL deveria cancelar a sua pré-temporada em 2020

Leia Também: Como apostar no campeão do Super Bowl 55? Veja a lista de favoritos ao Vince Lombardi em fevereiro

Com Stefanski no comando, o ataque de Minnesota terminou 2019 com a 8ª melhor marca da NFL em pontos anotados e a 6ª em TDs e jardas terrestres entre os 32 times. Como comparação, o ataque de Cleveland terminou a temporada passada na 22ª posição da liga em pontos e jardas somadas. Apesar do relativo sucesso no Vikings, o novo treinador de Cleveland terá que exercer um papel ainda mais fundamental no Browns, resgatando a confiança de um elenco estrelado, mas que ainda não correspondeu em campo. Aos 38 anos, Stefanski tem todas as armas à sua disposição para fazer um bom trabalho, mas a paciência por parte da torcida e da diretoria em Cleveland será fundamental para o projeto dar certo.

JOE JUDGE – NEW YORK GIANTS

Outro treinador da nova geração, Joe Judge também assumirá uma equipe da NFL pela 1ª vez na carreira aos 38 anos de idade. Escolhido até de forma surpreendente para comandar o New York Giants em 2020, ele tem um currículo de 8 anos dentro da principal liga de futebol americano do mundo ao lado de um dos principais técnicos da história do esporte. Desde 2012 como assistente de Bill Bellichick em New England, ele seguiu um caminho muito semelhante ao de Matt Patricia, Josh McDaniels e Brian Flores, que também realizaram a base de seus trabalhos no Patriots antes de se aventurarem na nova função.

Ainda é difícil projetar qual estilo de jogo Joe Judge tentará implementar no Giants. Em seus 8 anos na AFC Leste, ele trabalhou como assistente do time de especialistas de New England e não desempenhou uma função tática mais importante do que essa. Mais do que nunca, este será o grande cartão de boas vindas do técnico dentro da NFL.  Embora tenha um longo caminho pela frente para recuperar uma franquia que venceu apenas 4 jogos em 2019, ele terá à sua disposição um elenco jovem e promissor e um nome experiente na função de Coordenador Ofensivo na figura de Jason Garrett, ex-técnico do Dallas Cowboys.

MATT RHULE – CAROLINA PANTHERS

Apesar de ser mais velho que os outros dois companheiros de “classe”, Matt Rhule é o que conta com a menor experiência dentro da NFL.  Assistente de linha ofensiva do Giants em 2012, ele só fez parte de uma comissão técnica no nível profissional em uma temporada, construindo destaque e projeção dentro do futebol americano universitário.  Treinador principal de Baylor desde 2017, ele se consagrou como o técnico do ano na conferência BIG 12 em 2019; Três temporadas antes, Rhule levou Temple ao título da ACC, dando sinais de que era um dos nomes mais promissores do esporte universitário nos Estados Unidos.  O currículo sólido despertou o interesse de Carolina, que se despediu de Ron Rivera após nove anos de parceria.

A transição para o nível profissional promete ser complicada, principalmente por se tratar de um time que não chega aos playoffs há duas temporadas e conta agora com um novo QB titular na figura de Teddy Bridgewater. Após uma campanha de 5 vitórias e 11 derrotas em 2019, o Panthers começará a era Pós-Newton com diversas novidades no elenco, dentro e fora de campo. Assim como Stefanski e Judge, será necessário muita paciência para que o projeto com Rhule aconteça de forma satisfatória, ainda mais dentro de uma NFC Sul que promete ser nivelada por cima em 2020.

QUAL TREINADOR DEVE TER UMA CAMPANHA MELHOR NA NFL EM 2020?

Agora em uma nova função na NFL, o trio começa 2020 em igualdade no quesito experiência. Ainda assim, por conta das diferenças entre os elencos, é possível colocar Matt Rhule e Kevin Stefasnski como os dois principais candidatos a ter uma campanha melhor entre os técnicos estreantes da liga. Em Cleveland, Stefanski conta com o ataque mais explosivo entre os três treinadores, embora o Browns não tenha transformado a expectativa em realidade na última temporada. Já em Carolina, além de contar com um dos melhores jogadores da NFL na figura do RB Christian McCaffrey, o estreante Matt Rhule já sabe como é conduzir um time na função de treinador principal, mesmo que no nível universitário. A experiência na função certamente terá um papel fundamental na adaptação do técnico e pode fazer diferença em seu ano de estreia.

Já na NFC Leste, Joe Judge não conta com o mesmo otimismo dos dois outros nomes, mas já sabe por onde começar. Com Saquon Barkley como principal estrela do elenco e Daniel Jones buscando evoluir em seu 2º ano como QB profissional, o Giants já tem uma base para começar a reconstruir a franquia, o que não era uma realidade no início de 2019. A pouca experiência em uma função mais importante dentro da sua trajetória na liga pode, e deve, atrapalhar o treinador em seu ano de estreia, mas cabe ao Giants mostrar que a aposta por Judge foi pensando no futuro do time e não em respostas imediatas. Se esta for a postura, ele poderá trabalhar com calma para trazer bons resultados nas próximas temporadas.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.