sábado, 12 de dezembro de 2015

Compartilhe

ncaa-capa

Com os campeões de conferência já definidos, falta apenas o tradicional Navy x Army para a temporada regular chegar ao final ficar para trás. Entretanto, já conhecemos os classificados para os Bowls, que terão início no próximo sábado (19/12), e para os playoffs. Depois de uma longa temporada, apenas quatro times ainda brigam pelo título nacional. Assim como no ano passado, são equipes muito potentes e com jogadores entre os melhores do país, vamos trazer uma breve análise:

#1 Clemson Tigers (13-0)

clemson

Nenhum time em 2015 foi mais consistente do que o Tigers. Tanto o ataque como a defesa foram responsáveis pela grande campanha do time. O DC Brent Venables fez um ótimo trabalho com seu setor mesmo com a perda de peças importantes durante a Offseason e o pouco qualidade no grupo de algumas posições. Clemson sofreu 30 ou mais pontos em apenas 3 oportunidades. E quando a defesa não respondia, o ataque, comandado pelo QB DeShaun Watson, chamou a responsabilidade: foram 510,7 jardas por jogo (288.5 aéreas e 222.2 terrestres) e quase 39 pontos por partida.

Como resultado, Clemson terminou a temporada regular com 13 vitórias e nenhum revés, mesmo jogando contra fortes adversários, como Florida State e Notre Dame. O time se classificou como #1 no ranking da CFB e enfrentará Oklahoma no Orange Bowl (31/12).

#2 Alabama Crimson Tide (12-1)

alabama

Como de costume, Alabama ficou novamente na elite do College Football. Mesmo tropeçando no segundo jogo da temporada contra Ole Miss, a equipe se recuperou graças a contínuas performances de alto nível de sua defesa e em especial de um jogador: o RB Derrick Henry. Ele foi peça fundamental para a campanha do time e seus números mostram isso (1986 jardas e 23 TDs). Enquanto Henry castigava a defesa adversária, o front seven de Crimson Tide fazia o resto. Foram apenas 962 jardas terrestres cedidas durante todo o ano em um total de 404 tentativas, o que dá uma média de 74 jardas cedidas por partida (melhor marca da FBS).

Tanto Henry como a defesa de Alabama foram cruciais em triunfos contra LSU, Texas A&M e Florida, esta última na final da SEC. Com 12 vitórias no ano, o time terminou como #2 no ranking da CFB e enfrentará Michigan State no Cotton Bowl (31/12).

#3 Michigan State Spartans (11-1)

michigan st

Com a vitória sobre Iowa na final da Big 10, Michigan State garantiu de última hora uma vaga nos playoffs. E, sinceramente, foi bastante merecida. O time chegou a ficar desacreditado após uma derrota surpreendente contra Nebraska, mas soube dar a volta por cima e sua sequência final de vitórias contra Ohio State, Penn State e Iowa, colocaram o time entre os quatro semifinalistas.

O ataque do time é comandado por Connor Cook, um dos melhores QBs da NCAA, visto por muitos como escolha de primeira rodada do Draft do ano que vem. Ele terminou a temporada com 2921 jardas aéreas, 24 TDs e 5 INTs. Ótimos números graças também ao ótimo ano do WR Aaron Burbridge, que acumulou 80 recepções, 1219 jardas recebidas e 11 TDs. A defesa do time, por outro lado, não foi tão brilhante: terminou como a 7ª melhor contra o jogo corrido, mas foi apenas a 74ª contra o jogo aéreo.

#4 Oklahoma Sooners (11-1)

oklahoma

A temporada de Oklahoma reflete bem o que uma forte rivalidade pode fazer. Em apenas uma partida a equipe não marcou mais de 30 pontos, justamente em sua única derrota no ano, na famosa “Red River Showdown” contra Texas (5-7). Tirando esse confronto, o Sooners foi dominante em quase todos os jogos e terminou o ano com uma vitória maiúscula sobre Oklahoma State, fora de casa, por 58 a 23.

O time apresentou um jogo bastante equilibrado em 2015 na defesa e no ataque. O QB Baker Mayfield, o WR Sterling Shepard e o RB Samaje Perine foram os principais nomes do Sooners no ano. Mayfield lançou para 35 TDs e 5 INTs em 2015 e chegou a entrar na discussão para o Heisman Trophy, mas não ficou entre os 3 finalistas. Perine e Shepard acumularam 2576 jardas totais e, juntamente com Mayfield, foram responsáveis por tornar o ataque do time em uma ameaça de grandes jogadas a cada snap. Com isso, Oklahoma terminou o ano sendo o 3º melhor ataque de toda FBS, com quase 46 pontos por jogo.

Compartilhe

Comments are closed.