quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Compartilhe

Parecia que a temporada tinha ido para o espaço. As duas primeiras semanas foram tenebrosas para a torcida em Pittsburgh. Mas, como em um roteiro de filme de Hollywood, a franquia da Pensilvânia deu a volta por cima e hoje briga por uma vaga na pós-temporada. Tudo isso graças a uma unidade que é pouco falada, mas vem brilhando a cada semana. 

Apesar do ataque dar sinais de declínio e sofrer com lesões, o que pode ser determinante na corrida aos playoffs, a defesa segue vencendo jogos e mantendo a esperança. Quando pensamos em sistemas defensivos em 2019, nos vem à mente times como New England Patriots, San Francisco 49ers, New Orleans Saints, etc. A defesa do Steelers, no entanto, atualmente precisa ser colocada na mesma prateleira das citadas. 

Leia Mais: Decepção em 2018, o Vikings mostra que está pronto para surpreender na NFC

Leia Também: Rastreando Draftados – Calouros do Raiders com ótimo desempenho

A linha de frente (front seven) vem triturando os ataques. São mais de 30 sacks, muitos fumbles forçados e linhas ofensivas adversárias perdidas em situação de pressão. De fato, há muito talento nos dois primeiros níveis do sistema. Nomes como T.J Watt, Cameron Hayward e Bud Dupree estão em ótima fase. Contudo, a marcação contra o jogo terrestre e passes no meio do campo, problemas desta unidade na temporada passada, foi ajustada em 2019. E muito disso passa pelo calouro Devin Bush, que vem fazendo um trabalho formidável substituindo Ryan Shazier. Além do contratado na free agency, Mark Barron.

Números defesa do Steelers em 2019:

Estatística Steelers Posição na NFL
Turnovers 26
Interceptação 14
Fumbles recuperados 12
Sacks 33
% de turnover em campanhas de adversários 23,8

 

É claro que tudo gira como uma engrenagem. E a peça que faltava para a máquina em Pittsburgh voltar a funcionar acabou sendo a escolha precoce do Draft do ano que vem: Minkah Fitzpatrick. O Steelers trocou um futuro prospecto em 2020 pelo safety segundo anista que estava insatisfeito em Miami. Logo de cara, o jovem mudou a cara de uma secundária tão criticada há anos. Já são 5 interceptações, 2 TDs, 1 fumble forçado, 1 fumble recuperado e 8 passes desviados.

E parece que a fase de Fitzpatrick deu uma ingestão de energia para o resto da unidade. Joe Haden voltou a jogar bem, Terrell Edmunds mudou da água pro vinho, Mike Hilton voltou a ser explosivo e Steven Nelson também vem desempenhando um papel importante. Toda essa confiança dá segundos preciosos para os leões poderem atacar os QBs adversários e isso influencia diretamente nos números vistos acima.

Ainda é cedo para colocar o Steelers entre favoritos da AFC ou até mesmo garantir que vai para playoffs. Principalmente pela lesão de Ben Roethlisberger e queda brusca de produção do ataque com Mason Rudolph. Mas se a franquia conseguir essa proeza, a torcida precisa agradecer e muito pela defesa que tem.

Olho no duelo desta semana:

SANTA CLARA, CALIFORNIA – OCTOBER 07: Quarterback Baker Mayfield #6 of the Cleveland Browns fumbles as he is pursued by DeForest Buckner #99 of the San Francisco 49ers at Levi’s Stadium on October 07, 2019 in Santa Clara, California. (Photo by Ezra Shaw/Getty Images)

Nesta quinta-feira (14), Steelers abre a semana 11, em Cleveland, contra o Browns. Duelos de divisão sempre nos reservam boas lembranças e este não será diferente. Podemos ficar de olho neste confronto entre um dos ataques mais problemáticos no quesito turnover contra uma das melhores defesas no assunto.

Mas é bom tomar cuidado se você espera um domínio absoluto do sistema defensivo de Pittsburgh. Jogos fora de casa costumam ser traiçoeiros para os visitantes. Se o Steelers quiser chegar a pós-temporada, no entanto, precisa de uma vitória no duelo contra o rival de divisão.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.