segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Compartilhe

Inauguramos hoje esse espaço que trará, durante todas as segundas-feiras da temporada, o que de melhor e pior aconteceu durante a rodada, dando ênfase aos principais destaques, decepções e acontecimentos que mais tenham chamado atenção, sempre antes do Monday Night Football, que terá rodada dupla nessa semana inaugural, com o os confrontos entre Houston Texans e New Orleans Saints e o Denver Broncos enfrentando o Oakland Raiders. Sem maiores delongas, vamos então aos principais fatos:

Da hype a realidade apenas na 1ª semana

O domingo foi complicado para o torcedor do Cleveland Browns, embora esse fato seja algo comum nos últimos anos, ninguém esperava que a temporada de 2019 se iniciasse da mesma maneira, dando um choque de realidade e diminuindo as altas expectativas criadas por todos em volta do time. É bem verdade que o placar final foi muito mais elástico do que aquilo que a competitividade da partida mostrou, principalmente nos três primeiros quartos, mas o Titans foi extremamente eficaz e aproveitou bem todos os erros do time de Cleveland para não dar chances e terminar o jogo massacrando.

Leia Mais: Revista Guia da NFL 2019

Leia Também: Cairo Santos tem nova oportunidade na NFL

De fato, era impossível ganhar com Baker Mayfield sendo sacado 05 vezes para uma perca de 41 jardas e lançando ainda 03 interceptações. Os problemas na linha ofensiva começaram quando no final do segundo quarto o LT Greg Robinson chutou a cabeça de um adversário e foi ejetado da partida. O jogador foi substituído por Kendal Lamm, que conseguiu até jogar bem, mas teve de sair com uma lesão na perna, dando lugar a Justin McCray, apenas a terceira opção. Embora tenha lutado, o entrosamento pesou e o rendimento da OL como unidade, que já não estava bom, sucumbiu ainda mais. Mas o principal fator complicador para a franquia de Ohio, sem dúvidas foi o exorbitante número de 18 faltas para uma penalidade total de 182 jardas, quebrando recordes negativos e tornando a missão de ganhar o jogo quase impossível, com esse nível de atuação.

Estrear com uma derrota em casa, perdendo por incríveis 30 pontos, não é bom para ninguém, mas talvez sirva para abrir os olhos e ligar uma alerta para jogadores e comissão técnica da equipe, de que reunir grandes talentos individuais não é apenas o suficiente para se ter sucesso na NFL, muito trabalho há de ser realizado e o time tem totais condições de brigar por vaga nos Playoffs e se recuperar.

Do lado do Titans, crescem as expectativas sobre o time e a esperança de que Marcus Mariota consiga permanecer saudável o ano inteiro e possa se firmar como o franchise quarterback da franquia, naquela que deve ser sua última oportunidade. Com a estreia excelente de A.J. Brown, um Derrick Henry que segue espetacular da maneira como terminou o último ano e a aparente plena recuperação de Delanie Walker, o ataque tem tudo para finalmente decolar e produzir bem, já que a defesa tem se mantido regular e teve ontem uma ótima atuação.

Cairo Santos voando!

Na mesma partida, vale e muito destacar a atuação perfeita do kicker brasileiro Cairo Santos, que acertou tudo o que tentou na vitória contra o Browns, encerrando o jogo com 5 de 5 nos extras points chutados e 2 de 2 nos field goals, incluindo um belíssimo chute de 53 jardas, igualando sua maior marca na carreira em distância do chute. É um belo cartão de visitas logo na estreia, que deixa o brasileiro cheio de confiança e muito bem visto dentro da franquia, para uma disputa final contra Ryan Succop, quando este se recuperar e puder sair da IR. O kicker veterano, aliás, já deve estar com pesadelos lembrando da disputa anterior entre ambos, no Buccaneers em 2014, com Cairo já mostrando que tem tudo para repetir a dose.

Lamar Jackson impressiona

Ontem foi um péssimo dia para todos aqueles que duvidaram da capacidade de Lamar Jackson e o colocavam como um “running back que passava bolas” e sugeriram até mesmo a mudança de posição do jogador para entrar na NFL. O jovem quarterback teve atuação de gala no massacre do Ravens sobre o Miami Dolphins, terminando o jogo com 17 passes completos de 20 tentados, para 324 jardas, 05 touchdowns lançados e nenhuma interceptação, atingindo o impressionante rating de 158.3. Jackson não teve de vencer com as pernas e terminou o jogo com apenas 03 tentativas de corridas para 06 jardas. Mais que isso, o jogador mostrou uma evolução bem considerável como passador, realizando bem a progressão de leituras e colocando bolas com muita precisão, inclusive em profundidade, mostrando uma ótima conexão com o calouro Marquise Brown. Apesar da fragilidade do adversário, foi uma amostra extremamente positiva de que o quarterback vem para se estabelecer de vez como o QB da franquia e um dos principais de toda a liga.

Pelo lado do Dolphins, por mais que seja tempo de reconstrução, ninguém que fazer isso passando por um vexame dessa magnitude, tomando quase 60 pontos dentro de casa, 42 só no primeiro tempo. Praticamente nada funcionou tanto no ataque, quanto na defesa e ainda nos times especiais. A equipe deixa uma péssima impressão e perspectiva para o seu seguimento de temporada, ainda mais tendo pela frente na segunda semana um confronto dentro da divisão contra ninguém menos que o New England Patriots. Foi horrorosa a atuação e isso não pode se repetir no nível elevado que tem a NFL.

QB Lamar Jackson teve atuação memorável contra o Dolphins.

Nada muda para o New England Patriots

Negociação de Antonio Brown a parte, a temporada do Patriots começou sem grandes alterações ou variantes, o que é extremamente positivo para o time, que passou por cima do Pittsburgh Steelers sem grandes dificuldades e já manda um recado para o mundo e em especial para a Conferência Americana, de que a franquia permanece com muita fome e vontade e que será extremamente difícil tirá-los do topo da conferência novamente. Bill Belichick e Tom Brady vêm para mais uma forte campanha e sem dar qualquer amostra ou brecha de declínio na parceria. O quarterback teve uma excelente partida e segue impressionando com sua capacidade de jogar nesse nível aos 42 anos de idade.

Na parte defensiva foi uma dominação impressionante sobre o Steelers, que ao mesmo tempo também contribuiu, mostrando uma fragilidade e inoperância ofensiva que não se via há muitos anos na franquia, pelo menos não sob o comando de Ben Roethlisberger. O time precisará de muitos ajustes e terá um caminho árduo para retornar aos Playoffs. Já o Patriots inicia 2019 com muita força e um desempenho que faz parecer que o time já está na metade final da temporada, pelo forte ritmo e nível de atuação demonstrado nos dois lados da bola.

Há vida pós Andrew Luck

Não foi uma atuação espetacular, mas Jacoby Brissett foi realmente muito bem, com 21 de 27 passes completados para 190 jardas, com 2 touchdowns e sem interceptações. O QB se livrou bem da bola, fez lançamentos precisos, ainda que a maioria tenha sido em passe mais curtos e simples, mas também fez jogadas difíceis, além do principal que foi mostrar o controle sobre o ataque e a capacidade de liderar o time. É óbvio que o jogador não tem o mesmo nível e potencial de atuação de Luck, mas é um alento vindo de um jovem jogador, com potencial e que pode se desenvolver muito bem ainda.

As grandes atuações de T.Y Hilton e principalmente Marlon Mack foram fundamentais para colocar o time de volta no jogo e quase buscarem a vitória. Ambos serão muito importantes ao longo do ano para impulsionar a equipe e ajudar Brissett a fazer o ataque andar e produzir. Malik Hooker foi incrível na defesa, assim como Kemoko Turay segue evoluindo de maneira surpreendente, mas no geral, o Colts vai precisar de muito mais consistência defensiva para seguir com chances de brigar pelos Playoffs nessa temporada.

WR T.Y. Hilton foi uma das principais peças ofensivas do Colts na partida.

Outros Destaque e Decepções

  • Kyler Murray não teve uma estreia perfeita, longe disso, mas sair de campo sem uma derrota foi um verdadeiro prêmio para o jogador, que teve um início de partida tão ruim e complicado. Valeu a força mental mostrada e o espírito de persistência para buscar o jogo contra Detroit e quase sair de campo vitorioso.
  • Segue o calvário de Derrius Guice, que estreando ontem na NFL, em sua segunda temporada, além de não ter um jogo tão produtivo, saiu de campo com uma lesão no joelho, confirmada hoje e que deverá fazê-lo perder um tempo significativo de jogo. O problema é mais uma vez no joelho, agora no outro, diferente do que sofreu o ACL.
  • Nick Foles passará por cirurgia e será colocado na IR, com expectativa de retornar ainda ao longo da temporada. De toda forma, é um começo frustrante para o QB e para o Jaguars, que viu o jogador se machucar ao lançar um belíssimo touchdown. A franquia já adquiriu até mesmo o QB Josh Dobbs, em troca com o Steelers, para ajudar na profundidade.
  • Encerrando a enfermaria, a lesão de Joe Mixon não é tão grave quanto parecia e se esperava, com o jogador tendo chances inclusive de jogar na semana 2 contra o 49ers. Ainda que não seja possível, uma ausência a logo prazo não é mais esperada.
  • Veremos mais ao longo da semana, na nossa coluna “Rastreando Draftados”, mas vale frisar a Impressionante quantidade de estreias muito positivas de calouros no início dessa temporada de 2019, a classe chega literalmente com o “pé na porta” e mostrando muito serviço.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui

Compartilhe

Comments are closed.