quinta-feira, 3 de março de 2016

Compartilhe

jogadores cortados

Daqui a menos de uma semana o mercado de transferências da NFL abre oficialmente e a ansiedade é grande para descobrir quais jogadores cada equipe vai contratar. Porém, com as regras do teto salarial, algumas franquias acabam ficando em situações não muito favoráveis e se veem obrigadas a cortar alguns nomes importantes. Geralmente são veteranos com pouco tempo restante de contrato ou atletas jovens que não conseguiram ter sucesso como profissionais. Alguns times comunicaram ou até já dispensaram, como Andre Johnson (IND), Antonio Cromartie (NYJ), Marques Colston (NO), Mario Williams (BUF), Brandon Carr (DAL), Brandon LaFell e Scott Chandler (NE), Roddy White (ATL), Chris Long, Jared Cook e James Laurinaitis (LA). Separamos aqui dez jogadores que podem ser cortados e correm perigo de não estarem mais em suas respectivas equipes na próxima temporada:

Robert Griffin III (Quarterback) – Washington Redskins

robert griffin iii

Aqui temos um dos casos mais melancólicos para a próxima temporada. Robert Griffin III impressionou o mundo do futebol americano em 2012 e teve uma das melhores temporadas de um QB calouro na história da NFL, quando merecidamente levou o prêmio de “Offensive Rookie of the Year”. Como todos sabem, o atleta se machucou, sofreu bastante nos últimos anos e já soma operações de ligamentos nos dois joelhos. Griffin se destacou por ser um QB que se movimentava bem, mas suas lesões afetaram diretamente o seu estilo de jogo e tiraram toda a sua confiança. O surgimento – e sucesso – de Kirk Cousins, até então seu reserva, jogaram as chances do camisa 10 por água abaixo e sua dispensa já estava praticamente assinada desde o inicio da temporada passada. A segunda escolha geral do Draft de 2012 deverá buscar uma nova casa em 2016, algumas especulações colocam o Houston Texans e o Los Angeles Rams como principais interessados. A grande questão é sobre a parte física do atleta, que não entrou em campo ano passado, só ele vai poder responder se sua dispensa foi a coisa certa a ser feita ou não.

Johnny Manziel (Quarterback) – Cleveland Browns

Cleveland Browns

Ao que tudo indica, o garoto problema da NFL não deverá continuar no Cleveland Browns e deve ser dispensado pela equipe. Desde quando estava na universidade de Texas A&M, Johnny Manziel já demonstrava problemas extracampo, mas, na época, seu talento dentro dos gramados era tanto que isso não o impedia de estar atuando em alto nível. Porém, na NFL o buraco é mais embaixo. Selecionado na primeira rodada do Draft de 2014, a franquia de Cleveland sabia desde o primeiro momento que estava correndo um grande risco, e isso acabou se confirmando em apenas dois anos. Sem conseguir se adaptar ao estilo de jogo profissional, Manziel estampou as capas de jornais por suas aparições em festas, onde parecia estar mais do que alterado. Somando mais problemas do que partidas como titular, parece que os recentes casos de agressões e ameaças a sua namorada foram a gota d’água para o Browns se livrar do atleta. É uma grande pena vermos esse final para um jovem que se mostrou tão talentoso na NCAA.

Arian Foster (Running Back) – Houston Texans

arian foster

Aqui temos outro caso de um dos melhores em sua posição que pode ser dispensado pela sua equipe. Há muitos anos como um dos grandes nomes da NFL, Arian Foster vem sofrendo bastante com lesões: nas últimas três temporadas, dos 48 jogos do Texans, ele entrou em campo apenas 25 vezes, um número bem baixo para um RB titular que muda totalmente o ataque da equipe. Além disso, o fator idade começa a pesar contra ele, por mais talentoso que seja correndo com a bola e recebendo passes, Foster já está caminhando para a casa dos 30 anos e uma renovação da posição com o jovem Alfred Blue ou Ezekiel Elliott através do Draft parece ser a melhor opção para a franquia neste momento. Para finalizar, o impacto do salário do jogador neste ano é de U$ 8,7M, dinheiro que pode ser usado para a contratação de um novo QB ou reforços em outras posições carentes do time. É complicado dar adeus a um dos grandes nomes da franquia, mas nem Arian Foster sabe até onde pode chegar após tantas lesões. Atualização: O jogador foi dispensado na tarde desta quinta-feira.

Victor Cruz (Wide Receiver) – New York Giants

victor cruz

Será que teremos salsa em New York na próxima temporada? Essa é uma as grandes questões do Giants para a próxima temporada. Em 2016, Victor Cruz terá um impacto de U$ 8,6M no teto salarial do time, que precisa reforçar sua defesa, sua linha ofensiva e ainda manter o DE Jason Pierre-Paul no elenco. Sucesso em 2011, o WR surgiu do nada para ser protagonista do último título da franquia na NFL, mas desde então não chegou perto de ser o mesmo jogador. Entrando em campo apenas seis vezes nas últimas duas temporadas, parece que o atleta está atrapalhando – devido ao alto salário – mais do que ajudando nesses últimos anos. Não é nada fácil se desfazer de um nome que liderou seu time a gloria há pouco tempo, mas com a chegada e impacto imediato de Odell Beckham Jr., será difícil vermos Cruz sendo “o cara” desse ataque novamente. Com o objetivo de ter mais dinheiro para investir em deficiências do elenco, dispensar o atleta parece ser a melhor opção nesse momento.

Martellus Bennett (Tight End) – Chicago Bears

martellus bennett

Um dos melhores TEs da NFL até ano passado pode ser cortado e ficar sem time semana que vem. Martellus Bennett teve uma grande temporada em 2014 e entrou para a temporada de 2015 como um dos principais nomes do ataque do Chicago Bears. Porém, o que vimos foi Zach Miller, seu reserva, sendo a grande surpresa do time e ele como apenas um coadjuvante. Devido a isso, pagar U$ 5,1M em um jogador que vai apenas compor elenco não parece ser uma boa ideia. Se realmente for dispensado, Bennett ainda tem condições para ter sucesso em outra franquia, o que pesa contra ele é que com apenas 28 anos ele já passou por três times diferentes e não conseguiu se firmar como titular absoluto em nenhum deles.

Mike Wallace (Wide Receiver) – Minnesota Vikings

Mike-Wallace

Quem conheceu Mike Wallace nos últimos anos nem imagina que ele um dia já foi um dos recebedores mais temidos na NFL. Selecionado no Draft de 2010 pelo Pittsburgh Steelers, o atleta teve sucesso defendendo as cores da equipe, mas perdeu espaço com a chegada de Emmanuel Sanders e um tal de Antonio Brown posteriormente. No Miami Dolphins ele não parecia nem um pouco com o WR rápido e ágil que era nos tempos de Pittsburgh e acabou sendo bastante criticado por lá. Contratado na temporada passada pelo Minnesota Vikings, Wallace mostrou que está caminhando para o final da carreira. Participando de apenas 12 jogos no ano, ele somou seus piores números e viu o calouro Stefon Diggs se transformar no recebedor principal da equipe. Com o segundo maior impacto do elenco em 2016, os U$ 12M que o atleta iria receber pode ser investido em outras deficiências.

Trent Cole (Outside Linebacker) – Indianapolis Colts

cole-trent

O veterano Trent Cole foi contratado pelo Indianapolis Colts na temporada passada com o objetivo de ser um dos principais nomes da defesa de uma equipe. Com números e atuações não muito convincentes, o atleta acabou indo para o banco de reservas e ficou longe de mostrar o que se esperava dele. O setor defensivo da franquia sofreu ano passado e a contratação de Cole acabou servindo apenas para despertar a raiva da torcida do time de Indianapolis. Para 2016, o impacto de seu salário será de U$ 7M e a franquia dificilmente deverá contar com ele no elenco, os problemas da secundária, pass rush e linha ofensiva parecem ser os principais objetivos da diretoria para a temporada que vem.

Julius Peppers (Outside Linebacker) – Green Bay Packers

julius peppers

Com 36 anos e um impacto de U$ 8,6M no teto salarial da equipe na próxima temporada, a dispensa de Julius Peppers parece ser apenas uma questão de tempo. Mesmo ainda rendendo em alto nível nas duas últimas temporadas – 7 sacks em 2014 e 10,5 em 2015 – não perece que o Green Bay Packers vá continuar com o veterano no elenco. A equipe precisa resolver urgentemente o problema no corpo de LBs e esse espaço aberto com um possível corte em Peppers pode ser providencial para um novo nome de qualidade para o setor. Se for confirmado, a dúvida que fica é até quando o OLB vai ter sucesso na NFL, talvez ainda veremos mais uma ou duas temporadas do glorioso atleta dentro de campo, dificilmente mais do que isso.

Charles Johnson (Defensive End) – Carolina Panthers

charles johnson

Após uma carreira gloriosa com o Carolina Panthers, parece que o tempo de Charles Johnson no elenco está chegando ao fim. Desde de 2007 no time, o DE já está perto da casa dos 30 anos e o crescimento de alguns jovens jogadores da linha defensiva nos últimos anos parece fazer a decisão de dispensar o veterano algo compreensível. O impacto de U$ 12,6M no teto salarial da equipe é outro motivo que justifica o possível corte. Porém, com a aposentadoria do DE Jared Allen – abriu U$ 8M de espaço -, o Panthers pode pensar duas vezes antes de ficar sem nenhum nome experiente para a posição, essa seria a única possibilidade para a continuidade de Charles Johnson no elenco. Resta esperar para descobrir qual será o desfecho dessa história. Atualização: O jogador foi dispensado na tarde desta quinta-feira

Cameron Wake (Defensive End) – Miami Dolphins

cameron-wake-top10-dolphins

A alma da defesa do Miami Dolphins nas últimas temporadas e um dos melhores em sua posição pode estar de saída. Com 34 anos, Cameron Wake já não é mais nenhum garoto e, por mais dominante que ele ainda seja, seu impacto de U$ 8,3M no teto salarial pode comprometer as ambições da franquia para a próxima temporada. Com o QB Ryan Tannehill recebendo U$ 19,2M e o DT Ndamukong Suh com U$ 19M, a diretoria não tem muitas opções a não ser dispensar o veterano. A implantação da Transition Tag em Oliver Vernon, seu companheiro de posição, é mais um indício que as coisas não parecem boas para Wake. Vindo de uma lesão no tendão de Aquiles e já caminhando para o final de sua carreira, o atleta ainda pode render no máximo mais dois anos em alto nível e tentar aumentar ainda mais a sua marca de sacks na carreira, que até agora está em 70.

Compartilhe

Comments are closed.