terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Compartilhe

e foi assim - L32

Chegamos à final do jogo que tanto amamos e o Seattle Seahawks novamente está lá! No começo da temporada não vimos o melhor do time, mas com o decorrer dos jogos, Seattle ganhou confiança e foi mostrando as duas principais características da equipe: jogo corrido forte e uma defesa espetacular. Agora vamos dissecar tudo que você precisa saber sobre o Seahawks, como um pouco da história da franquia, como foi a temporada, destaques da temporada e quais são as armas do time de Seattle para tentar vencer o segundo Super Bowl seguido contra o New England Patriots, algo que não acontece desde que o próprio Patriots ganhou em 2003/2004 e 2004/2005.

História da Franquia

A NFL concedeu o direito da cidade de Seattle ter uma franquia em 1974 porque a Liga queria aumentar o número de participantes já que há pouco tempo tinha acontecido a junção entre AFL e NFL. O Tampa Bay Buccaneers foi a outra franquia criada. O time foi montado após um draft especial com o Seahawks e o Bucs selecionando jogadores não protegidos dos outros times. Assim, em 1 de agosto de 1976, o Seattle Seahawks entrava em campo pela primeira vez pela pré-temporada contra o San Francisco 49ers no Kingdome, antigo estádio da franquia.

O primeiro jogo na temporada regular foi em 12 de setembro de 1976 contra o St. Louis Cardinals, atual Arizona Cardinals, e Seattle perdeu por 30 x 24. Naquela primeira temporada, o Seahawks teve uma campanha de 2-12, uma coisa normal para quem tinha acabado de entrar em uma Liga forte. A primeira campanha positiva em uma temporada regular foi em 1978, quando a equipe terminou com recorde 9-7 ao fim da temporada regular. A primeira vez que Seattle foi para a pós-temporada foi em 1983, com uma campanha de 9-7 e acabou perdendo só na final da AFC contra o Los Angeles Raiders por 30 x 14. O Raiders seria campeão do Super Bowl daquela temporada.

Entre temporadas boas e ruins, o Seahawks finalmente chegou a seu primeiro Super Bowl na temporada de 2005, quando perdeu para o Pittsburgh Steelers por 21 x 10 e frustrou a tão apaixonada 12th Man, a única torcida da NFL que já foi homenageada ao ter a camisa número 12 aposentada pela franquia. No ano passado, o Seattle Seahawks chegou novamente ao Super Bowl, dessa vez contra o Denver Broncos, e pôde comemorar o seu primeiro título de Super Bowl ao vencê-los por 43 x 08, em uma final que decepcionou muitos fãs de Futebol Americano que queriam um jogo mais emocionante e disputado.

Como foi a temporada

Resultados da temporada regular (recorde):

Week 1 – GB 16 @ 36 SEA (1-0)

Week 2 – SEA 21 @ 30 SD (1-1)

Week 3 – DEN 20 @ 26 SEA (2-1)

Week 4 – FOLGA

Week 5 – WAS 17 @ 27 SEA (3-1)

Week 6 – SEA 23 @ 30 DAL (3-2)

Week 7 – SEA 26 @ 28 STL (3-3)

Week 8 – SEA 13 @ 09 CAR (4-3)

Week 9 – OAK 24 @ 30 SEA (5-3)

Week 10 – NYG 17 @ 38 SEA (6-3)

Week 11 – SEA 20 @ 24 KC (6-4)

Week 12 – ARI 03 @ 19 SEA (7-4)

Week 13 – SEA 19 @ 03 SF (8-4)

Week 14 – SEA 24 @ 14 PHI (9-4)

Week 15 – SF 07 @ 17 SEA (10-4)

Week 16 – SEA 35 @ 06 ARI (11-4)

Week 17 – STL 06 @ 20 SEA (12-4)

Resultados da pós-temporada (recorde)

Divisional Round – CAR 17 @ 31 SEA (13-4)

Final da Conferência NFC – GB 22 @ 28 SEA (14-4)

Na abertura da temporada regular, o Seattle Seahawks recebeu o Green Bay Packers no CenturyLink Field para um jogo de festa, depois que o time foi o vencedor do Super Bowl da temporada passada. E começou a todo vapor, vencendo por 36 x 16 e querendo mostrar que era o mesmo time da temporada passada, mesmo perdendo algumas peças importantes como o OT Breno Giacomini (NYJ), WR Golden Tate (DET) e o G Paul McQuistan (CLE). Mas, já no segundo jogo, a defesa sofreu contra o ataque o San Diego Chargers e acabou tomando 30 pontos, com o TE Antonio Gates destruindo no jogo com 3 TDs.

Depois desse deslize, o Seahawks engatou duas vitórias seguidas contra o forte Broncos na prorrogação, antes de entrar na by week e, na volta, contra o fraco Redskins. Logo depois recebeu o Dallas Cowboys e perdeu por 30 x 23 e ao final da temporada regular saberíamos que o Dallas não perderia nenhum jogo fora de casa. Esse seria o momento mais crítico da temporada, pois depois de perder para o Cowboys, Seattle teve seu segundo revés seguido, sendo derrotado dessa vez pelo Rams. Nessas primeiras sete semanas, todos viam que a defesa não vinha sendo a mesma, tomando mais de 20 pontos em todos os jogos, exceto o da abertura contra o Packers. Um dos motivos seria que o LB Bobby Wagner, líder do time em tackles e excelente defendendo tanto contra a corrida como contra o jogo aéreo, vinha sofrendo com lesão e a linha defensiva não era mesma com as perdas que já foram citadas.

Depois dessas duas derrotas, a defesa voltou a aparecer limitando o Panthers a apenas FGs e dando mais uma vitória para o time. Engatou mais duas vitórias contra Giants e Raiders com o ataque jogando muito bem, principalmente com o jogo terrestre com Russell Wilson e Marshawn Lynch. Quando todos pensavam que o Seahawks embalaria algumas vitórias, veio a derrota para o Chiefs em Kansas, onde a defesa não conseguindo parar o RB Jamaal Charles. Essa derrota foi uma virada na temporada para o time de Seattle que, com voltas importantes para sua defesa, como o Bobby Wagner, engatou 6 vitórias seguidas para não perder mais na temporada. O ataque nem precisou fazer muito nesses últimos jogos, já que a defesa limitou seus adversários a menos de 10 pontos em 5 dos 6 jogos. Apenas contra o Philadelphia Eagles, que tem um excelente ataque, Seattle sofreu mais de 10 (14) pontos.

Com isso, o Seahawks chegou com tudo aos playoffs, com todos temendo sua grande defesa e o time jogando todos os jogos em casa, onde é praticamente imbatível. O primeiro jogo foi contra o Carolina Panthers e o Seattle mostrou tudo que tem de melhor com a defesa destruindo Cam Newton, principalmente com o S Kam Chancellor fazendo um jogo monstruoso. A secundária forçou 3 TOs, Russell Wilson jogou muito passando a bola com 3 TDs e o time bateu fácil o Panthers. Na final da Conferência da NFC, um dos jogos mais loucos dos últimos tempos. Packers conseguiu parar o jogo terrestre de Seattle, deixando tudo nas mãos de Russell Wilson, que teve um péssimo jogo. Lançou 4 INT e só a defesa do Seahawks que foi brilhante deixando o time ainda vivo na partida, forçando o Packers a chutar FGs muito perto da end zone. Mas na NFL, o imponderável pode acontecer e, no último quarto, para ser mais exato nos últimos 2 minutos, Seattle marcou dois TDs e levou o jogo para a prorrogação. Wilson que vinha fazendo um jogo terrível, com um rating próximo a zero, se recuperou e lançou uma conversão de dois pontos incrível. Na prorrogação, Wilson lançou um TD de 35 jardas para Jermaine Kearse e deu a vitória e a passagem para o Super Bowl para o Seattle Seahawks.

Destaques da temporada

QB Russell Wilson – 452/285, 63.1%, 3475 jardas, 20 TDs e 7 INT.

RB Marshawn Lych – 280 carregadas, 1306 jardas e 13 TDs.

LB K.J. Wright – 73 tackles, 2 sacks, 3 fumble forçados e 1 fumble recuperado.

CB Richard Sherman – 45 tackles e 4 INT.

Armas para o Super Bowl

As principais armas para o Super Bowl estão na defesa e tentar estabelecer o jogo terrestre é essencial. Seattle tem uma defesa quase perfeita, possui uma secundária com muito talento (Richard Sherman, Earl Thomas, Kam Chancellor e Byron Maxwell) e um corpo de LBs que dá inveja em muito time. Como Tom Brady é um QB que solta a bola muito rápido quando é pressionado e tem uma linha ofensiva excelente, Seattle vai ter que dar um jeito de pressionar o QB de New England e não perder tackles quando ele soltar a bola rapidamente. Sempre forçando passes em profundida para ser defendido pela secundária espetacular que tem o Seahawks.

No ataque, o time precisa que o jogo corrido funcione muito bem, sempre baseado no read option entre Wilson e Lynch, mesmo New England possuindo uma boa defesa contra o jogo terrestre. Russell Wilson terá que proteger muito bem a bola, já que a secundária do Patriots também é poderosa. Pass rush do Patriots não está entre os melhores da Liga, mas sempre é bom tomar cuidado com o ótimo DE Rob Ninkovich na hora de pressionar o QB. Então, o Seahawks vai precisar que todas as suas armas estejam em suas melhores condições para que o time derrote o poderoso New England Patriots.

Nós, fãs da NFL, esperamos que o jogo seja muito disputado e emocionante como todo jogo de Super Bowl deve ser. Veremos se a defesa do Seahawks, uma das melhores de todos os tempos, consegue parar o ataque do Patriots comandado por Tom Brady, um QB que pode ter sua última chance real de vencer mais um Super Bowl.

ARE YOU READY??!!

Compartilhe

Comments are closed.