quinta-feira, 23 de abril de 2020

Compartilhe

Então, o período finalmente chegou! O Draft da NFL será realizado nas próximos três dias e representará a esperança mútua e compartilhada de dias melhores para uma das 32 franquias que compõem a NFL. Do Cincinnati Bengals – dono da pior campanha da liga na temporada passada e “premiado” com a 1ª escolha geral até o Kansas City Chiefs, o atual campeão, todas as equipes sem exceções tem seus pontos fracos que serão atacados durante as noites de recrutamento anual universitário.

Diferentemente das ligas de beisebol e hóquei norte-americanas, o futebol e o basquete têm no Draft a chance imediata da retomada do bom desempenho, já que a diferença do nível de competição entre o esporte amador que é praticado nas universidades é menor que o visto nas duas primeiras ligas, com jogadores recrutados demorando anos para atingir o status máximo, salvo raras exceções.

Pensando no evento em si e tudo aquilo que o norteia do modo que ele é feito, separamos algumas curiosidades e fatos para irmos “aquecendo os motores” enquanto nos preparamos para conhecer os destinos das próximas estrelas da NFL.

Leia Mais: O draft é o último resquício de normalidade na NFL

Leia Também: As melhores classes de Draft do século

  • Nos primórdios da NFL lá no começo do século passado, obviamente não havia a tecnologia que os times dispõem nos dias de hoje. As escolhas eram feitas de maneira muito mais amadoras e baseadas em indicações de conhecidos que viviam em outras regiões e raras visitas às universidades para análise dos jogadores;
  • Prova disto é que 1ª escolha da história, feita pelo Philadelphia Eagles que recrutou Jay Berwanger da universidade de Chicago no Draft de 1936, sequer chegou a atuar pela equipe;
  • O OL Joe Stydahar, recrutado pelo Chicago Bears com a 6ª escolha do Draft de 1936 foi o primeiro atleta recrutado à ser eleito para o Hall da Fama, sendo imortalizado em 1967;
  • Se hoje é a esperança das franquias para novos tempos, antigamente foi motivo de pesadelos para as equipes e quase causou a extinção da NFL, que via uma liga concorrente crescer e utilizar do Draft para conseguir os melhores jogadores. Entenda mais lendo este texto;
  • Entre 1947 e 1958 a NFL usou um sistema peculiar para definir quem tinha a 1ª escolha: sorteio entre as doze equipes que compunham a liga. Quem era sorteado “perdia” a escolha de última rodada daquele ano e não poderia participar do sorteio no ano seguinte. Diferente, não?!
  • O Colts foi a franquia que mais vezes teve a 1ª escolha geral: foram sete ao longo da história dividida entre Baltimore e Indianapolis. Destaques para as escolhas de John Elway em 1983 (na lendária classe de QBs que tinha Jim Kelly e Dan Marino), Peyton Manning em 1998 e mais recentemente Andre Luck em 2012;

  • Por outro lado, Denver Broncos, Seattle Seahawks, Baltimore Ravens e Jacksonville Jaguars jamais tiveram a 1ª escolha geral;
  • Tamanha dificuldade que é a análise dos atletas, apenas nove vezes em toda a história um time teve dois ou mais jogadores da mesma classe de Draft sendo eleitos para o Hall da Fama, sendo a última vez em 1995, quando o Tampa Bay Buccaneers recrutou o DT Warren Sapp e o LB Derrick Brooks, ambos já imortalizados no Hall da Fama do esporte;
  • De forma quase unânime, a melhor classe da história é tida como a do Pittsburgh Steelers de 1974: foram simplesmente quatro jogadores recrutados que hoje pertencem ao Hall da Fama: WRs Lynn Swann e Jack Stallworth, LB Jack Lambert e C Mike Webster. Tamanha a tecnologia que todos os times possuem, é utópico imaginar que algum time consiga superar tanto sucesso em apenas uma classe;
  • Para efeito de comparação, as melhores classes dos últimos anos são as de Dallas Cowboys em 2016 e do New Orleans Saints de 2017;
  • O Dallas Cowboys naquele ano recrutou o RB Ezekiel Eliott, LB Jaylon Smith, QB Dak Prescott, DL Maliek Collins e o CB Anthony Brown como destaques, todos pilares do atual elenco;
  • O Sains saiu do Draft de 2017 com o RT Ryan Ramczyk, CB Marshon Lattimore, FS Marcus Williams e RB Alvin Kamara;
  • Nunca um time teve a primeira escolha e venceu o Super Bowl na mesma temporada. O Minnesota Vikings em 1969 foi quem chegou mais perto, tendo tal escolha no Draft mas perdendo para o Kansas City Chiefs no Super Bowl IV;
  • Não ser escolhido no Draft é decepcionante, mas também não é o fim da linha. Claro que o espaço amostral é ridiculamente menor, mas dezessete jogadores que não foram recrutados estão no Hall da Fama, sendo o lendário QB Kurt Warner o último a ser eleito;

  • Para efeito de comparação, doze jogadores recrutados com a 1ª escolha foram imortalizados, sendo o LT Orlando Pace o último à conseguir tal feito;
  • O último jogador recrutado em cada temporada recebe o título de “Senhor Irrelevante”, recebendo até uma camisa personalizada. Em 2019, o Arizona Cardinals fez do TE Caleb Wilson o Senhor Irrelevante, o recrutando com a 254ª escolha geral. Este ano, o New York Giants tem a última escolha;

Boa sorte para o seu time no Draft! A não ser, claro, que enfrente o meu…


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.