quarta-feira, 27 de maio de 2020

Compartilhe

Há três temporadas, o Jacksonville Jaguars disputava a decisão da conferência americana contra o New England Patriots em Foxboro e quase surpreendia um dos times mais vitoriosos da história recente do esporte para garantir uma vaga inédita no Super Bowl. Apesar do resultado negativo ao final da partida, a campanha da franquia em 2017 representou um ótimo cartão de visitas para o seu novo treinador na época. Sob o comando de Doug Marrone, o Jags venceu a AFC Sul pela 1ª vez desde 1999 e fez bonito dentro dos playoffs. Mas o que parecia o início de uma era promissora, se transformou em duas temporadas seguidas com enormes decepções, dispensas e polêmicas na Flórida, forçando um novo recomeço para a equipe em 2020.

Como todo processo de recomeço pede, Jacksonville renovou peças fundamentais para o funcionamento do time e vai passar por um período de adaptação durante a nova temporada. Depois de encerrar um período de poucos momentos de sucesso com Blake Bortles, a franquia apostou alto em Nick Foles, mas o movimento acabou não trazendo o resultado esperado e o QB já mudou de ares. Em 2020, o Jaguars terá o jovem Gardner Minshew como o novo comandante do ataque, impulsionado por uma temporada de calouro surpreendentemente produtiva e positiva. Com 21 TDs, 6 vitórias e apenas 6 interceptações ao longo de 12 partidas no último ano, o camisa 15 ganhou o direito de liderar o time e iniciar um novo processo na AFC Sul.

Leia Mais: Tua Tagoavailoa deve atuar em 2020?

Leia Também: Defesa mais dominantes da liga – AFC

Escolhido na 6ª rodada do Draft em 2019, Minshew é visto como um futuro do franquia, mas precisa evoluir consideravelmente para confirmar o seu status dentro da NFL. Foi pensando nisso que o Jaguars apostou em Jay Gruden, ex-treinador do Washington Redskins, para ajudar no processo de evolução do seu novo QB e transformar o setor ofensivo da equipe, que deixou a desejar nas últimas duas temporadas. 6º pior time da liga em pontos anotados e 20º em jardas totais, o ataque do Jags também foi o pior correndo com a bola no ano passado, o que culminou em uma campanha com apenas 5 vitórias e a última colocação na divisão. Após um desmanche na defesa com as saídas de Jalen Ramsey e Callais Campbell e a indecisão envolvendo o novo contrato de Yannick Ngakoue, Jacksonville pretende equilibrar o seu elenco nos dois lados da bola durante a reformulação.

A escolha por Jay Gruden é certamente um movimento correto para o atual momento da franquia. Veterano da NFL, Gruden foi o técnico principal do Redskins entre 2014 e 2019, acumulando uma classificação aos playoffs. Apesar da pouca experiência em mata-mata, o novo coordenador ofensivo do Jaguars se destacou pelo seu trabalho ofensivo, principalmente com jovens QBs, tirando boas temporadas de atletas como Andy Dalton e Kirk Cousins, o que o credencia a trabalhar com Minshew em seu 2º ano como profissional na NFL. Depois de não corresponder à altura em seus últimos anos em Washington, Gruden ganha a chance de se reinventar na AFC Sul e parece estar disposto a iniciar um novo projeto com mais um jovem promissor da liga.

“Ele tem uma série de qualidades que nos permite trabalhar dentro do pocket, mas também com a possibilidade de estender jogadas e criar algo com as pernas. Ele também é preciso, forte e mostra ser um grande líder dentro do elenco, o que é tudo o que você procura em um jogador desta posição. O meu trabalho agora é conhecer todo o time e o ataque, para que todos possam se entrosar cada vez mais como grupo”, afirmou Jay Gruden em entrevista recente quando perguntado sobre Minshew. “Eu acho que nós teremos uma ótima relação”, finalizou o coordenador.


UMA UNIDADE EM CONSTRUÇÃO, MAS PROMISSORA

Além da dinâmica entre Minshew e Gruden, Jacksonville colocará a prova em 2020 uma unidade ofensiva renovada e com com futuros candidatos a protagonistas. O trio D.J Chark, Chris Conley e Dede Westbrook se complementa perfeitamente; Em 2019, todos somaram 90 recepções ou mais ao longo da temporada, mostrando que o ataque do Jaguars pode ser versátil e explosivo se bem conduzido. A chegada de Tyler Eifert promete deixar a posição de TE mais dinâmica, já que o jogador deu flashes da sua capacidade como recebedor em Cincinnati – Sob comando de Gruden – e voltou a atuar em uma temporada completa no ano passado.

Com 12 escolhas no Draft de 2020, o Jaguars apostou alto na defesa, selecionando 7 jogadores do setor no último mês de abril. A confiança na atual unidade ofensiva é alta, mas não interferiu na escolha de 2 novos WRs e um outro TE no recrutamento, dando ainda mais profundidade ao elenco e novas armas para Gruden montar o seu ataque ao longo de 2020. Com questionamentos no jogo corrido e na atuação de Leonard Fournette, o novo ataque de Jacksonville terá um longo caminho para se tornar balanceado e a tendência é que o 1º ano sob o comando de Minshew ainda seja cheio de dificuldades e aprendizados. Ainda assim, depois de duas temporadas turbulentas na Flórida, parece que o Jaguars achou o caminho certo para iniciar a sua renovação e o ataque terá papel fundamental no processo.


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.