sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Compartilhe

Oct 26, 2014; Foxborough, MA, USA; New England Patriots quarterback Tom Brady (12) screams prior to the game against the Chicago Bears at Gillette Stadium. Mandatory Credit: Greg M. Cooper-USA TODAY Sports ORG XMIT: USATSI-180240 ORIG FILE ID:  20141026_ads_sj7_024.JPG

A publicação de hoje marca um ano dessa coluna aqui no Liga dos 32. Começamos justamente no fim de semana de Wild Card, e aqui estamos novamente para trazer pra vocês tudo do que acontece em um dos fins de semana mais divertidos do ano. Serão quatro partidas que definem os times que se juntarão a Broncos, Patriots, Panthers e Cardinals nos playoffs de divisão e você confere aqui no que ficar de olho para não perder nada das emocionantes partidas desse fim de semana.

Leia mais: Por dentro dos Playoffs; conheça os 12 times

#2 NEW ENGLAND PATRIOTS (12-4) x #5 KANSAS CITY CHIEFS (11-5)
Gillette Stadium, Sábado, 16/01, 19:30. Transmissão: ESPN e Esporte Interativo

chiefs vs patriots

New England Patriots
12 vitórias, 4 derrotas – 1º na AFC Leste
Ataque: 374.4 ypg (6º)
Defesa: 339.4 ypg (9º)

O New England Patriots começou o ano atropelando todos os adversários. Até a semana 10, mesmo com Cam Newton e Carson Palmer jogando excepcionalmente bem, Tom Brady era o MVP de forma incontestável, tendo uma das melhores temporadas da história por um QB. Mas com o passar da temporada, lesões foram se acumulando, com o time chegando a ter que improvisar jogadores na linha ofensiva. Uma hora a conta chegou e o Patriots não conseguiu manter o mesmo ritmo. A equipe acumulou quatro derrotas na reta final da temporada, e perdeu a primeira colocação na AFC e agora pode ter que jogar uma eventual final de conferência fora de casa. Apesar da queda na reta final da temporada, o retorno de jogadores fundamentais como Julian Edelman devolve a imagem aterrorizante da equipe, que é mais uma vez uma das favoritas a conquistar o troféu Vince Lombardi.

Kansas City Chiefs
11 vitórias, 5 derrotas – 2º na AFC Oeste
Ataque: 331.2 ypg (27º)
Defesa: 329.3 ypg (7º)

O Kansas City Chiefs continua sendo a equipe mais quente da NFL. Após não tomar conhecimento do Houston Texans na rodada de Wild Card, os comandados de Andy Reid já somam 11 triunfos consecutivos. Se a equipe já teve uma defesa de respeito durante a temporada regular, o triunfo sobre Houston, onde a equipe do Texas saiu zerada de campo, mostrou que esse unidade é sim de elite. Kansas City conta com uma das duplas de pass rushers mais temida da liga em Tamba Hali e Justin Houston e na secundária o calouro Marcus Peters surgiu como um dos melhores marcadores da NFL. Seguindo a receita que usou para vencer Houston, com muita pressão no QB que acabou resultando em 4 interceptações, o Chiefs já sabe o que fazer para tentar parar Tom Brady.

JOGADORES CHAVE

New England Patriots

QB Tom Brady: Discutivelmente o melhor jogador da história da NFL, Tom Brady dispensa apresentações. Com muitos desfalques seu nível de jogo, e consequentemente de sua equipe, caiu um pouco na reta final da temporada. Com o retorno de alvos importantes e de jogadores fundamentais na sua proteção, Brady será muito difícil de ser parado nessa partida.

Kansas City Chiefs

LB Justin Houston: A chave para vencer o Patriots? Pressionar Tom Brady. Apesar de ter tido uma temporada mais fraca, Houston ainda é um dos melhores pass rushers da liga, e caberá a ele tentar deixar Brady desconfortável no pocket o tempo todo. Houston pode não estar bem fisicamente pro jogo, o que seria um problema sério para o Chiefs, mas se ele cumprir com sucesso sua missão, Kansas City pode sonhar alto nessa temporada.

O QUE ESPERAR DO JOGO?

Na semana passada eu escrevi: “E esse deve ser o caminho das pedras para o Chiefs, que tem funcionado brilhantemente bem nessa temporada. Forçar turnovers, cuidar bem da bola e levar a partida”. E foi isso o que aconteceu. A defesa de Kansas City forçou quatro interceptações e não teve o menor problema em vencer o jogo. Quando no começo da partida de Wild Card o ataque estava tendo problemas para avançar, a defesa se encarregou de manter a vantagem aberta pelos times de especialistas da equipe.

O Patriots tentará proteger bem Tom Brady. Se conseguirem e o QB tiver tempo para lançar a bola, vai ficar muito complicado para Kansas City vencer o jogo. Rob Gronkowski ainda não é certeza para o jogo, mas se puder jogar ele é um dos mais perigosos alvos da liga. A disputa linha ofensiva do Patriots vs linha defensiva do Chiefs definirá a partida. Kansas City tem uma chance real de levar esse jogo, mas em casa e com time quase completo, New England ainda é favorito.

#2 ARIZONA CARDINALS (13-3) x #5 GREEN BAY PACKERS (10-6)
University of Phoenix Stadium, Sábado, 16/01, 23:15. Transmissão: ESPN e Esporte Interativo

cardinals vs packers

Arizona Cardinals
13 vitórias, 3 derrotas – 1º na NFC Oeste
Ataque: 408.3 ypg (1º)
Defesa: 321.7 ypg (5º)

O Cardinals passeou em campo nessa temporada. Dono da segunda melhor campanha da liga, do melhor ataque e da quinta melhor defesa é difícil encontrar um ponto realmente negativo nessa equipe. O Cardinals atropelou adversários, enquanto mostrou que tinha equilíbrio nos diversos setores da equipe. Enquanto Palmer passou das 4600 jardas lançando 35 TDs, Larry Fitzgerald, Michael Floyd e John Brown, todos ultrapassaram 800 jardas. David Johnson ultrapassou as 1000 jardas totais enquanto somou 12 TDs, e comandou o backfield ao lado de Chris Johnson, que provou que ainda tem gasolina no tanque. No lado defensivo Calais Campbell  e Dwight Freeney aterrorizaram QBs adversários e jogadores como Tyrann Mathieu e Deone Bucannon proviam uma boa cobertura na secundária. A equipe foi bem, conquistou a folga na primeira rodada dos playoffs e entra agora como um dos favoritos ao troféu da NFC.

Green Bay Packers
10 vitórias, 6 derrotas – 2º na NFC Norte
Ataque: 334.6 ypg (23º)
Defesa: 346.7 ypg (15º)

O Packers mostrou na vitória tranquila contra o Redskins que ainda deve ser temido. Eddie Lacy correu bem com a bola, Aaron Rodgers pareceu tranquilo mais uma vez, a defesa pressionou o QB adversário e Green Bay levou a partida sem maiores sustos. Essa tranquilidade aparente fez com que o Packers mais uma vez parecesse uma equipe favorita, e se conseguir manter essa compostura pelo restante dos playoffs o time é um candidato sério ao Troféu Vince Lombardi.

JOGADORES CHAVE

Arizona Cardinals

QB Carson Palmer: Um dos candidatos ao título de MVP da temporada, Palmer só não deve levar por conta do ano monstruoso e da campanha quase perfeita do Panthers. Palmer teve 35 TDs, 11 interceptações e mais de 4600 jardas em um ano espetacular, que foi refletido no desempenho da sua equipe em campo. O Cardinals não teve chance nos playoffs no ano passado por causa de sua ausência. Com Palmer em campo, o torcedor de Arizona pode sonhar com mais uma viagem ao Super Bowl.

Green Bay Packers

QB Aaron Rodgers: mais do que da performance do QB, uma vitória do Packers passa por protegê-lo bem. Na derrota para o Cardinals na temporada regular, Rodgers foi derrubado 8 vezes, o que destruiu qualquer chance do ataque de Green Bay colocar o time no jogo novamente. Rodgers teve um jogo bom mas nada espetacular, porque foi bem apoiado pelo jogo terrestre e não precisou correr atrás do placar.

O QUE ESPERAR DO JOGO?

Quando Packers e Cardinals se enfrentaram na temporada regular, muitos esperavam um jogo equilibrado, talvez um dos melhores do ano. O que se viu quando a bola voou foi um domínio completo da franquia de Arizona, que passou por cima da defesa do Packers como quis e fez Aaron Rodgers parecer um calouro desorientado em campo. O placar de 38-8 foi a pior derrota da carreira de Rodgers, e o atropelamento deixou claro que Green Bay tinha problemas.

O Packers se recuperou bem, vencendo com autoridade fora de casa o Washington Redskins na rodada de wild card. A equipe voltou a ser uma das favoritas ao mostra que poderia correr com a bola e consertando erros no ataque que se repetiam na segunda metade da temporada. Mas contra o Cardinals o desafio será muito maior. A defesa de Green Bay enfrentará o melhor ataque da liga, enquanto Rodgers e companhia tentarão mostrar que não foi só a fragilidade defensiva do Redskins que garantiu uma boa atuação.

Quando se tem um QB como Rodgers nada pode ser descartado. Mas Palmer está voando baixo, e o Cardinals é uma das equipes mais bem treinadas da NFL. .Arizona é favorito e se Green Bay conseguir vencer vai chegar com muita moral na final da NFC.

 #1 CAROLINA PANTHERS (15-1) x #6 SEATTLE SEAHAWKS (10-6)
Bank of America Stadium, Domingo, 17/01, 16:05. Transmissão: ESPN e Esporte Interativo

seahawks vs panthers

Carolina Panthers
15 vitórias, 1 derrota – 1º na NFC Sul
Ataque: 366.9 ypg (11º)
Defesa: 322.9 ypg (6º)

O Panther foi a melhor equipe da temporada regular, e ficou muito próximo de fazer uma campanha perfeita. A derrota para o Falcons impediu que o 16-0 viesse, mas não desanimou nem um pouco o time ou os torcedores. Com um time equilibrado, com unidades defensivas e ofensivas de qualidade, o Panthers conta com o virtual MVP da temporada em Cam Newton. O jogador pode fazer o jogo pender para o lado de Carolina, que jogará todas as partidas da pós-temporada diante de seu torcedor.

Seattle Seahawks
10 vitórias, 6 derrotas – 2º na NFC Oeste
Ataque: 378.6 ypg (4º)
Defesa: 291.8 ypg (2º)

O Seahawks terminou a temporada com cara de campeão, marcando 33.6 pontos por jogo nas últimas oito semanas e vencendo seus jogos por uma média de 14 pontos durante esse período. Porém, a equipe abriu a pós-temporada marcando apenas 10 pontos e dependendo de um chute errado de 27 jardas de Blair Walsh para garantir a classificação. O jogo foi atípico, com muito frio e temperaturas abaixo de -20ºC. Entretanto, não foi só a temperatura que atrapalhou a equipe. Marshawn Lynch fez falta e o ataque de Seattle foi completamente dominado nos primeiros quartos. Foi necessário Russell Wilson surgir e mostrar para todos porque foi um dos melhores jogadores da liga na segunda metade. Com algumas jogadas inspiradas, o QB conduziu sua equipe à duas campanhas que resultaram em pontos e levou o jogo. Devemos dar créditos também a defesa da equipe, que fez com que Adrian Peterson tivesse um jogo ruim e segurou o Vikings a apenas 9 pontos. Mas o buraco vai ser mais embaixo contra Carolina, e uma performance parecida com o jogo do wild card com certeza eliminará o Seahawks.

JOGADORES CHAVE

Carolina Panthers

QB Cam Newton: Considerado por muitos o MVP da temporada, Newton vem jogando em mais alto nível, e com sua ameaça dupla é um dos jogadores mais perigosos da temporada. Além disso, em 2015 Newton se estabeleceu como um dos mais competentes pocket passers da liga, transformando jogadores medianos em ótimos recebedores. Ele já passou pela defesa de Seattle durante a temporada e pode tranquilamente fazer isso mais uma vez.

Seattle Seahawks

QB Russell Wilson: Wilson tem sido o melhor QB do jogo na segunda metade da temporada. Foram 24 TDs e apenas 1 interceptação nos últimos 7 jogos da temporada. Conhecido por ser um jogador móvel, ele provou em 2015 que consegue ser um pocket passer de elite, e liderou a liga em rating (110.0). Wilson mostrou que é capaz de mudar a história de um jogo quando em duas jogadas contra o Vikings ele tirou pontos de campanhas que pareciam mortas. Mais uma performance clutch será fundamental para que o Seahawks mantenha vivo o sonho de jogar o Super Bowl pelo terceiro ano consecutivo.

O QUE ESPERAR DO JOGO?

Esse jogo é mais um reencontro. As franquias se enfrentaram na temporada regular, em Seattle e o Panthers levou a melhor. Mas nos playoffs a história é outra, e desde aquela partida o Seahawks se reencontrou. O time comandado por Pete Carroll se transformou no quarto melhor ataque e na segunda melhor defesa da temporada. O jogo teria um prognóstico de maior equilíbrio se Seattle não tivesse sofrido tanto ofensivamente contra o Vikings. Entretanto, aquele jogo foi em condições climáticas atípicas, que com certeza afetaram os jogadores. Com condições de passe melhores, Russell Wilson poderá distribuir a bola e desafiar a defesa do Carolina.

O Panthers entra em campo defendendo a melhor campanha da temporada. A pressão é grande na Carolina do Norte, com o torcedor já sonhando com a primeira conquista do Super Bowl de Cam Newton. O QB voou em 2015, em uma campanha que provavelmente lhe rendará o título de MVP. Apesar do ótimo restrospecto, a equipe enfrenta agora a segunda melhor defesa da liga, que está jogando muito melhor do que quando os times se enfrentaram na temporada regular. A partida deve ser equilibrada, com o Panthers tendo a vantagem de jogar em casa. Mas se o Seahawks jogar tão bem quanto mostrou que pode no fim da temporada regular, a partida estará muito aberta.

#1 DENVER BRONCOS (12-4) x #6 PITTSBURGH STEELERS (10-6)
Sports Authority Field at Mile High, Sábado, 17/01, 19:40. Transmissão: ESPN e Esporte Interativo

steelers vs broncos

Denver Broncos
12 vitórias, 4 derrotas – 1º na AFC Oeste
Ataque: 355.5 ypg (16º)
Defesa: 283.1 ypg (1º)

O Broncos contou com a melhor defesa da liga para fazer uma campanha que lhe rendeu a primeira posição dentro da conferência. A defesa foi tão boa que conseguiu carregar um time com Manning cambaleante e com Osweiler pouco inspirado. Bom, até os playoffs a equipe chegou. Mas de agora para frente, será que o time consegue ir para frente sem um QB de ponta? A resposta é não. Mas a verdadeira questão é: o Broncos tem um QB de elite? Peyton Manning é um dos melhores da história, mas fisicamente o QB vem muito mal. Ele perdeu a segunda metade da temporada regular, mas muito antes disso ele já vinha mostrando sinais de decadência física. Se isso foi simplesmente por conta da idade ou por causa de alguma lesão mais séria, ainda não se sabe. A resposta será dada em campo durante esses playoffs. Se Manning conseguiu se recuperar, Denver obviamente se torna candidatíssimo ao título da temporada. Se não… Os playoffs podem ser muito curtos para o Broncos.

Pittsburgh Steelers
10 vitórias, 6 derrotas – 2º na AFC Norte
Ataque: 395.4 ypg (3º)
Defesa: 363.1 ypg (21º)

O Steelers sofreu bastante com lesões ao longo da temporada, principalmente com as do seu QB, que tiraram Big Ben de quatro partidas no ano. Com isso o time foi inconsistente durante a maior parte de 2015, até que entre as semanas 13 e 15 o time conquistou três vitórias consecutivas que colocaram a equipe diretamente na disputa pelos playoffs. Entretanto, uma derrota na semana 16 para o Ravens, em um jogo horrível de Big Ben com 2 interceptações e nenhum TD, quase tirou a equipe da pós-temproada. Vencendo Cleveland na última rodada, e contanto com a ajuda do Bills que derrubou o Jets, Pittsburgh chegou aos playoffs. E na rodada de wild card, mais uma vez por pouco o Steelers se classificou. O Bengals sofreu um colapso mental absurdo, que deu a chance que Pittsburgh precisava para passar de fase. A classificação cobrou seu preço e o melhor recebedor da temporada, Antonio Brown, ficará fora do próximo jogo.

JOGADORES CHAVE

Denver Broncos

QB Peyton Manning: Manning estaria com uma lesão? É o peso da idade? Ele ainda consegue jogar em alto nível? É o último jogo de um dos maiores QBs da história? Todas essas perguntas permearam a cabeça de todos os fãs da liga durante 2015. Agora nos playoffs elas serão respondidas. Essas respostas determinarão a chance de sucesso do Broncos na pós-temporada.

Pittsburgh Steelers

QB Ben Roethlisberger: Será que Big Ben joga? O QB sofreu uma lesão no ombro na vitória contra o Bengals e é duvida para a partida. Após se contundir ele voltou a campo ainda, para conduzir a campanha da vitória. Sua ausência tornará quase impossível um avanço do Steelers nos playoffs.

O QUE ESPERAR DO JOGO?

Quando Steelers e Broncos se enfrentaram na temporada regular, muitos não esperavam que Pittsburgh pudesse desafiar seriamente a equipe de Denver. Contra a melhor defesa da temporada, Big Ben mostrou que seu ataque realmente era potente, e passou para 380 jardas e 3 TDs, abrindo caminho para a vitória de Pittsburgh. 189 das jardas aéreas e 2 dos TDs foram lançados para Antonio Brown, uma das máquinas ofensivas mais eficientes da NFL. Aí que está o problema para o Steelers. Brown não passou no protocolo de concussão e não jogo contra o Broncos. DeAngelo Williams ainda não se recuperou. E Big Ben é dúvida para  a partida. A perda de Brown com certeza será muito sentida, mas Roethlisberger é insubstituível, e se ele não jogar vai ficar muito difícil para o Steelers se manter no jogo.

Além disso, a vitória do Steelers sobre o Broncos em dezembro não foi perfeita. Apesar de ceder muitas jardas, a defesa de Denver forçou duas interceptações. Essa unidade deve ter bem menos trabalho sem Brown em campo, e o retorno de Manning pode ser o empulso que o Broncos precisava para chegar ao Super Bowl.

Compartilhe

Comments are closed.