sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Compartilhe

peyton-manning-lesão

Chegamos ao momento derradeiro, quando restam apenas três jogos para o final da temporada e todos valem título. No próximo domingo Arizona Cardinals e Carolina Panthers duelam pelo troféu George Halas e o título da NFC, enquanto Denver Broncos e New England Patriots vão atrás do troféu Lamar Hunt e do direito de representar a AFC no Super Bowl. Já sabe o que esperar desses jogos? Fique de olho no guia das finais de conferência e não perca nada das decisões de domingo.

Leia mais: Por dentro dos Playoffs; conheça os 12 times

– FINAL DA AFC –
#1 DENVER BRONCOS (12-4) x #2 NEW ENGLAND PATRIOTS (12-4)
Sports Authority Field at Mile High, Domingo, 24/01, 18:00. Transmissão: ESPN e Esporte Interativo

Subject: manning-brady On 2014-09-04, at 11:44 AM, Ho, Patrick wrote: DENVER, CO - JANUARY 19: Tom Brady #12 of the New England Patriots congratulates Peyton Manning #18 of the Denver Broncos after the Broncos defeated the Patriots 26 to 16 during the AFC Championship game at Sports Authority Field at Mile High on January 19, 2014 in Denver, Colorado. (Photo by Kevin C. Cox/Getty Images) Patrick Ho Deputy Sports Editor Toronto Star  manning-brady.JPG

Denver Broncos
12 vitórias, 4 derrotas – 1º na AFC Oeste
Ataque: 355.5 ypg (16º)
Defesa: 283.1 ypg (1º)

O Broncos contou com a melhor defesa da liga para fazer uma campanha que lhe rendeu a primeira posição dentro da conferência, e por isso joga em casa a decisão da conferência. Para atingir a marca de melhor da AFC, o time contou com a defesa número 1 da liga. No ataque, Peyton Manning teve um ano difícil, com números muito ruim e lesões que o atrapalharam bastante. E foi com essa cara que o time chegou aos playoffs. Brock Osweiler, ajudado por uma excelente defesa, conseguiu manter o time nos eixos o suficiente para que as 12 vitórias viessem. Para o jogo contra o Steelers a pergunta era? Será que Manning voltou ao que era? O Broncos terá um bom ataque para complementar essa defesa espetacular? A resposta para ambas as questões é não. Como esperado, a defesa do Broncos conseguiu conter um ataque do Steelers desfalcado de seus principais jogadores, e Manning não foi mais do que mediano para liderar sua equipe a vitória. Quadro bem parecido com o que foi observado durante a temporada regular. Para ir mais longe e derrubar o Patriots o time vai ter que fazer mais.

New England Patriots
12 vitórias, 4 derrotas – 1º na AFC Leste
Ataque: 374.4 ypg (6º)
Defesa: 339.4 ypg (9º)

Apesar da decadência na reta final da temporada, o que custou ao Patriots o mando de campo nessa partida, o time ainda se mostra como um dos mais perigosos da liga. Com os retornos de alvos importantes no ataque do time, New England nem sentiu falta do jogo terrestre na partida contra o Chiefs. Para se ter uma ideia de como o Patriots ignorou o jogo corrido, Tom Brady liderou o time em tentativas pelo chão (com 6, empatado com Steven Jackson). E mesmo com a ótima defesa do Chiefs sabendo que Brady iria para o passe, o QB não chegou perto de ser parado, terminando a partida com 302 jardas, 2 TDs, nenhuma interceptação e ainda 1 TD corrido. Esse é o Patriots. Jogue fora o que você sabe sobre balanço no ataque, pois quando se tem Tom Brady under center as regras tradicionais não se aplicam. Se lhe derem alvos confiáveis, aí então fica quase impossível de pará-lo. Fica muito difícil de não apontar o Patriots como favorito na final da AFC.

JOGADORES CHAVE

Denver Broncos

OLB Von Miller: Na semana passada escrevi que Manning seria o jogador chave do Broncos. Isso acabou não sendo verdade. Apesar de não sofrer turnovers, Manning também não marcou TDs e não foi o grande diferencial da partida. A chave para o Broncos para vencer essa partida é pressionar o QB. Todas as equipes que venceram o Patriots (incluindo o próprio Broncos) na temporada fizeram isso. Von Miller é um dos principais pass rushers da NFL, tendo conquistado 60 sacks desde que entrou na liga em 2011, sendo 11 apenas na temporada 2015. O sucesso do Broncos passa diretamente por uma boa atuação dos pass rushers do time.

New England Patriots

QB Tom Brady: Discutivelmente o melhor jogador da história da NFL, Tom Brady dispensa apresentações. Ele mostrou do que é capaz no divisional round, e se jogar o que sabe a defesa do Broncos não conseguirá pará-lo.

O QUE ESPERAR DO JOGO?

Será esse o último Manning vs Brady? É uma possibilidade real que já abordamos aqui no Liga dos 32. Só por isso o jogo já é espetacular e ficará marcado na história. A rivalidade que tem dominado a NFL desde a virada do século pode infelizmente estar chegando ao seu fim, e todos os fãs da liga só tem a lamentar. Se você não viu muitas partidas entre os dois aproveite, pois ver duas lendas de tamanho calibre duelando em campo novamente pode demorar.

Emoções a parte, o jogo por si só já tem tudo para ser muito bom. O Broncos já mostrou que pode vencer o Patriots, mas agora a equipe de New England está bem mais confiante e completa. Enquanto isso, Denver passou por um rival muito desfalcado. A defesa do Broncos é a melhor da liga, e será sem dúvida o fator decisivo do jogo. Ao pressionar Brady e forçar turnovers, a unidade poderá deixar o jogo nas mãos de Peyton Manning. O veterano QB, a beira da aposentadoria, pode não ter mais o mesmo braço de outrora, porém sua mente continua tão afiada quanto sempre. Manning tem que cuidar bem da mola e mover as correntes se movimentando, mesmo sem acertar home runs.

Vai ser um jogo bem interessante, com uma defesa bastante agressiva e dois QBs históricos em campo. New England é favorito para a partida. Assim como era menos de dois meses atrás, quando a equipe viajou ao mesmo Mile High, enfrentar um Broncos sem Manning, e voltou para Foxborough com a primeira derrota da temporada na bagagem.

– FINAL DA NFC –
#1 CAROLINA PANTHERS (15-1) x #2 ARIZONA CARDINALS (13-3)
Bank of America Stadium, Domingo, 24/01, 21:30. Transmissão: ESPN e Esporte Interativo

tempcarvsari_462--nfl_mezz_1280_1024

Carolina Panthers
15 vitórias, 1 derrota – 1º na NFC Sul
Ataque: 366.9 ypg (11º)
Defesa: 322.9 ypg (6º)

O Panther foi a melhor equipe da temporada regular, e ficou muito próximo de fazer uma campanha perfeita. Com um time equilibrado, com unidades defensivas e ofensivas de qualidade, o Panthers conta com o virtual MVP da temporada em Cam Newton. E quando a partida contra o Seattle Seahawks, na semana passada, começou, o Panthers foi avassalador. A equipe parecia que não poderia ser parada quando abriu 31×0 ainda no primeiro tempo. Mas na segunda etapa, tivemos uma amostra da típica da queda de rendimento no tempo final que acometeu a equipe durante toda a temporada. Para passar do Cardinals, uma equipe forte dos dois lados da bola, o time vai precisar de muito mais concentração. Estabelecendo o jogo terrestre o time tem tudo para vencer a partida e chegar ao Super Bowl pela segunda vez em sua história.

Arizona Cardinals
13 vitórias, 3 derrotas – 1º na NFC Oeste
Ataque: 408.3 ypg (1º)
Defesa: 321.7 ypg (5º)

O Cardinals passeou em campo nessa temporada. Dono da segunda melhor campanha da liga, do melhor ataque e da quinta melhor defesa é difícil encontrar um ponto realmente negativo nessa equipe. O Cardinals atropelou adversários, enquanto mostrou que tinha equilíbrio nos diversos setores da equipe. Enquanto Palmer passou das 4600 jardas lançando 35 TDs, Larry Fitzgerald, Michael Floyd e John Brown, todos ultrapassaram 800 jardas. David Johnson ultrapassou as 1000 jardas totais enquanto somou 12 TDs, e comandou o backfield ao lado de Chris Johnson, que provou que ainda tem gasolina no tanque. No lado defensivo Calais Campbell e Dwight Freeney aterrorizaram QBs adversários e jogadores como Tyrann Mathieu e Deone Bucannon proviam uma boa cobertura na secundária. Tudo isso foi colocado a prova na espetacular partida contra o Green Bay Packers. Apesar do vacilo no fim do tempo regulamentar, a equipe conseguiu vencer o jogo e alcançar a final da NFC. Palmer lançou para 349 jardas e 3 TDs, mas as duas interceptações são preocupantes. Turnovers contra a boa equipe de Carolina, que sabe controlar bem o jogo, podem comprometer seriamente as chances de vitória da equipe.

JOGADORES CHAVE

Carolina Panthers

RB Jonathan Stewart: Carolina marcou 31 pontos no primeiro tempo. O time saiu zerado do segundo, possibilitando uma reação do Seattle Seahawks, que quase voltou no jogo. A queda de rendimento esteve muito associada à diminuição da produção no jogo terrestre. Stewart fez quase todo o estrago de 106 jardas e 2 TDs no primeiro tempo, abrindo espaço para jogadas de corrida de Cam Newton. Se ele jogar tão bem quanto na primeira partida dos playoffs, Carolina dificilmente será batido.

Arizona Cardinals

QB Carson Palmer: Um dos candidatos ao título de MVP da temporada, Palmer só não deve levar por conta do ano monstruoso e da campanha quase perfeita do Panthers. Palmer teve 35 TDs, 11 interceptações e mais de 4600 jardas em um ano espetacular, que foi refletido no desempenho da sua equipe em campo. O Cardinals não teve chance nos playoffs no ano passado por causa de sua ausência. Com Palmer em campo, o torcedor de Arizona pode sonhar com mais uma viagem ao Super Bowl.

O QUE ESPERAR DO JOGO?

Mais uma reedição de confronto dos playoffs do ano passado. Naquela ocasião Carolina tinha se classificado com campanha negativa, graças aos péssimos desempenhos de seus rivais na NFC Sul, enquanto Arizona chegava ao wild card com seu terceiro QB, devido à lesões. O Panthers passou apenas para ser facilmente eliminado pelo Seahawks. Agora, em 2016, o jogo entre os dois tem muito mais brilho. As equipes tem as duas melhores campanhas da temporada na NFL, e passaram por cima de muitos adversários fortes. Se no começo do ano Green Bay e Seattle pareciam apostas muito mais seguras para o título da conferência, Panthers e Cardinals garantiram que isso não se tornasse realidade.

Ambas as equipes possuem tanto ataques quanto defesas sólidas. Para o Panthers o segredo será controlar o relógio, estabelecendo o jogo terrestre. Se o RB Jonathan Stewart for bem, Cam Newton ganha espaço para o read option ou play action, e não deve ter problemas em mover constantemente o ataque de sua equipe. Agora, o problema é se o Panthers consegue segurar o ataque do Cardinals. Russell Wilson lançou incríveis 366 jardas contra Carolina, e Carson Palmer tem potencial para fazer estrago pior. Se a franquia de Charlotte não se cuidar, ela pode até marcar 30+ pontos e ainda sim perder a partida.

Para o Cardinals, resta torcer para Carson Palmer estar bem e fugir dos turnovers. Manter campanhas longa, deixando Newton e o ataque do Panthers fora do campo o máximo de tempo possível pode ser o diferencial para se classificar ao Super Bowl.

É um jogo muito equilibrado, bem difícil de se fazer previsões. Quem ganha é o torcedor, que com certeza apreciará uma grande partida na noite de domingo.

Compartilhe

Comments are closed.