sexta-feira, 24 de julho de 2020

Compartilhe

Hoje, nesta sexta-feira (24/07), tivemos mais um capítulo na efervescente relação de Jamal Adams com o New York Jets e seus comandantes. Em entrevista ao New York Daily News, o jogador não poupou palavras ao falar do General Manager Joe Douglas e principalmente do Head Coach Adam Gase, exteriorizando como o clima é ruim e desgastado entre eles.

Adams afirmou de maneira irrefutável que Gase não é o líder ideal para comandar e levar a franquia de Nova York ao sucesso, citando inúmeras situações falhas da parte do treinador, seja no trato com os jogadores ou mesmo na sua postura diante do grupo e de situações que mereceriam mais atenção, cuidado e energia. Tais declarações vão de encontro ao que o HC do Jets já disse em outras oportunidades, afirmando manter um bom relacionamento com o safety, fato que só deixa nítido como ele e o jogador não estão definitivamente na mesma página.

Leia Mais: Possíveis mudanças nos elencos para a realização da temporada 2020 da NFL

Leia Também: O início dos Training Camps e a prova de fogo para a NFL

Sobre o GM Joe Douglas, as críticas do jogador foram relacionadas ao modo como ele tem lidado com as negociações para a renovação de seu contrato com o New York Jets. Embora Douglas tenha declarado publicamente a intenção de chegar a um acordo para a extensão contratual, o safety All-Pro questionou a postura do General Manager em “desviar’ de cada oportunidade que tinham para tratar disso e chegar num consenso, questionando se esse era realmente o desejo dele e da franquia.

Jamal Adams ficou ainda particularmente ofendido e desapontado com a noção de que o time estaria o observando e avaliando se ele realmente estaria 100% comprometido e com a cabeça focada no Jets, para a partir de então fazer uma proposta concreta de renovação contratual. Segundo o jogador, jamais faltou empenho de sua parte, tendo dado sempre tudo de si a cada oportunidade, todos os dias pela organização. Tanto que rechaçou o fato de que pudesse não aparecer e se reportar no training camp, apesar de ter solicitado uma troca. Contudo, o atleta deixou nítido que faria isso apenas pelos seus companheiros e pelo amor e paixão que tem pelo jogo, além de sua ética de trabalho.

O jogador deixou claro que busca vencer, quer isso para a sua carreira e estar num ambiente que o proporcione e dê chances para tal é fundamental, algo que segundo o próprio, o New York Jets não está fazendo e, pelo contrário, tem caminhado em sentido oposto nas tomadas de decisões.

A entrevista cai como uma bomba (mais uma) sobre a organização e os já muito questionados Gase e Douglas, que aparentemente, só não são tão questionados assim dentro da própria franquia. Pelo lado do jogador, por mais que tenha sido sincero em suas palavras e transpareça toda a insatisfação vivida no atual momento, é preciso ter calma e inteligência para lidar com uma situação assim, pois tais palavras só prejudicam numa negociação de troca e faz seu preço cair, dificultando ainda mais uma mudança de ares, algo que parece cada vez mais inevitável, mas que concomitantemente, deve se arrastar e trazer inúmeras variáveis e tratativas. Fiquemos de olho nos próximos capítulos.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.