quinta-feira, 29 de agosto de 2019

Compartilhe

Nesta última quarta, o diretor geral do San Francisco 49ers, John Lynch, deu entrevista no programa de rádio Murph and Mac Show na KNBR, em que explicou a situação que envolve o running back da equipe.

Em certo momento de sua fala, Lynch comentou sobre um ponto de regressão na recuperação de McKinnon em face de uma lesão no ligamento cruzado anterior do joelho que sofreu durante o training camp da temporada passada.

Leia Mais: O Houston Texans tem a obrigação de vencer a AFC Sul

Leia Mais: A situação dos grevistas a pouco mais de uma semana da Temporada Regular

O jogador que vem trabalhando em sua recuperação há aproximadamente um ano, e que era esperado para atuar na semana 1 da temporada regular, montando um grupo de RBs muito variado para Kyle Shanahan trabalhar em cima, agora vê as luzes cada vez menores em relação a sua atuação com a camisa da franquia da Califórnia. 

Ao mesmo passo, John Lynch afirmou não ser encorajadora a situação em que o camisa 28 se encontra, o que pode significar, em outras palavras, que os planos do diretor geral para com o jogador não são favoráveis à integração dele na equipe. 

Mas quais os possíveis futuros para a equipe e o atleta? 

Resultado de imagem para jerick mckinnon 1200x800

Em março de 2018, Jet McKinnon assinou um vínculo contratual de quatro anos e 30 milhões de dólares com o Niners. À época, foi uma contratação um tanto quanto criticada, tendo em vista que o jogador não havia mostrado estrela durante seu tempo de Vikings a ponto de ser contratado a preço de running back número 1 do time, como foi pelo 49ers. Com isso, a sua aquisição foi considerada por muitos como equivocada, não pelo jogador em si, mas pelo preço pago para tê-lo no elenco.

No entanto, a argumentação de que Jet era o RB perfeito para o esquema ofensivo de Kyle Shanahan, o mais complexo e completo da liga até então, fazia ter sentido pagar um preço a mais por um jogador que pode, além de correr bem, fazer rotas e receber passes de maneira acima da média. Todavia, veio o training camp e a lesão que tirou o ano de 2018 do jogador em campo pelo Niners.

Em 2019, a volta de Jerick era muito aguardada, haja vista que faria seu retorno junto do quarterback titular da equipe, Jimmy Garoppolo, que teve lesão similar na semana 3 da temporada regular passada. Iniciaram-se as OTAs, minicamps e o training camp e McKinnon não aparentava estar no passo de voltar à campo.

Com a recente informação dada por John Lynch, algumas possibilidades se abrem. Caso o 49ers decida cortar o atleta hoje, arcará com 9,7 milhões de dólares em dead cap money em 2019, ou seja, é uma quantia que irá literalmente morrer do teto salarial da equipe para o ano sem ser gasto para nada, tendo em vista que estava depositado no contrato de McKinnon; além de 4 milhões em 2020 e 2 milhões em 2021, nos mesmos moldes. Essa perda de dinheiro torna a opção de liberar o atleta não ser muito agradável aos cofres da equipe. 

Como solução alternativa, o time pode colocá-lo na reserva de lesão, o famoso injury reserve, e para isso tem duas opções: (i) colocá-lo na IR até sábado, encerrando mais um ano do jogador. (ii) deixá-lo ocupar um espaço dos 53 nomes finais que irão compor o elenco e depois o inserir na IR de tempo reduzido, fazendo com que possa ainda jogar no ano de 2019. A segunda opção o fará tomar o lugar de alguém que poderia estar saudável e auxiliar a equipe de imediato.

Resultado de imagem para john lynch 1200x800

Para todos os efeitos, o corpo de corredores do 49ers está repleto de talento. O recém chegado, mas velho conhecido de Shanahan, Tevin Coleman, vem recebendo os snaps no primeiro time, enquanto o jovem Matt Breida vem logo atrás, porém não tão distante. Essa dupla é um prato cheio para as rodadas do meio do draft de fantasy, visto que ambos devem atuar constantemente e pontuar bem nesse ataque.

Somado aos dois principais nomes, Raheem Mostert, que já provou seu valor nos times especiais, sendo um dos melhores gunners da NFL, mas que também já apareceu bem correndo com a bola, com a ausência de McKinnon deve ocupar a vaga de running back número três. Contudo, o maior beneficiário de toda essa história é Jeff Wilson. O segundanista que contou com certo espaço ao final da temporada passada e que teve ótima atuação na presente pré-temporada, teve suas chances de estar no elenco final aumentadas. Caso Jet estivesse saudável, o jovem provavelmente não teria grandes chances de fazer parte dos 53 que irão para a temporada regular.

Sendo assim, John Lynch tem um problema em mãos e opções para resolvê-lo. Entretanto, independentemente da decisão tomada pelo diretor geral para com Jerick McKinnon, o jogo terrestre do 49ers não deve sofrer grandes modificações, devido às grandes peças que compõem o elenco atualmente. A única coisa certa é que o dinheiro gasto para contratar o running back foi em vão. O alto preço pago pela diretoria e a não utilização do jogador o tornam a pior movimentação da era Lynch/Shanahan na franquia da Califórnia, tornando-se, pelo contexto, pior que a seleção de Solomon Thomas na terceira escolha geral do draft de 2017.

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui

 

Compartilhe

Comments are closed.