sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Compartilhe

Mais uma semana, mais uma mesa redonda. Dessa vez trazendo a opinião da nossa equipe e de assinante sobre temas pertinentes à terceira semana da NFL.

Além disso, uma visão sobre alguns do então invictos nesta temporada. Acompanhem!

Leia Mais: Torcedor pode se empolgar com início de temporada do Bills

Leia Mais: Dicas de Fantasy Football – Semana 4

Participam essa semana:

Pedro Beltrão (Redator)

Ricardo Gonçalves (Redator)

Raphael Gonçalves (Apoiador do site)

Resultado de imagem para packers defense 1200x800

1 – Há algum tempo, ao falar que Aaron Rodgers não era maior destaque do Green Bay Packers, você poderia ser taxado de louco. Contudo, nessas primeiras semanas, a defesa da franquia de Wisconsin vem sendo o fator chave para as vitórias conquistas até então. As contratações, junto dos jovens jogadores que evoluíram no elenco, fizeram com que a equipe liderasse a liga em turnovers até então com 8. Até que ponto essa atuação dominante surpreende? Além disso, os adversários enfrentados podem ser considerados fatores determinantes para tal desempenho?

Pedro Beltrão (Redator): A evolução da defesa em Green Bay foi considerável no começo desta temporada, mas não chega a ser uma surpresa. O time já tinha se reforçado nos últimos Drafts, com peças que causaram impacto desde o início, como Jaire Alexander. A free agency deste ano foi ainda mais perfeita em termos defensivos para o Packers. Peston e Za’Darius Smith, além de Adrian Amos preencheram os buracos que a unidade deixava até então. 

Fato é que a franquia de Wisconsin enfrentou 3 equipes com defesas dominantes e ataques que oscilam. Esse fator contribui para o baixo rendimento  do ataque e consequentemente alto rendimento da defesa. E justamente contra o Eagles, time com mais qualidade ofensiva, os papéis se inverteram em boa parte do jogo. Não vejo, no entanto, a produção do sistema defensivo caindo drasticamente no restante da temporada. 

Ricardo Gonçalves (Redator): Creio que para quem acompanha de perto o time de Green Bay não é uma surpresa essa evolução da defesa, o Packers se preparou e investiu para isso. Kenny Clark, Kevin King e Jaire Alexander foram todos primeiras escolhas do time em Drafts. Nesse ano, com 2 escolhas de 1° rodada, chegaram Rashan Gary e Darnell Savage e somado a forte free agency do time, onde chegaram Za’Darius e Preston Smith mais Adrian Amos, todos jovens no auge de suas carreiras, é natural o crescimento.

O mérito é do Coordenador de Defesa Mike Pettine e do GM Brian Gutekunst, que ainda devem colher ao longo da temporada o bom trabalho realizado na unidade.

Ao mesmo tempo, é preciso ter em mente que é um trabalho em construção e oscilações devem acontecer. O Broncos foi um adversário mais fraco, mas os 2 outros adversários foram rivais de divisão e jogos muito duros, onde a defesa deu um belo recado e cartão de visitas. Assim, não creio que a qualidade dos time tenha influenciado tanto, como por exemplo os Cowboys e os Patriots que enfrentaram times bem mais frágeis nesse início de campanha.

Raphael Gonçalves (Apoiador do site): Pensando principalmente na secundária, uma evolução era imaginada, uma vez que foi investido tanto draft capital no setor nestes últimos anos. Adicionando a isso a agressividade nessa free agency para reforçar o pass rush da equipe encontramos potenciais respostas para este salto de qualidade, entretanto acredito que os adversários potencializaram o desempenho da unidade.

Resultado de imagem para patriots chiefs 1200x800

2 – New England Patriots e Kansas City Chiefs caminham a passos largos rumo ao domínio da AFC. Ambos estão 3-0 e não há perspectiva ou jogos que não se encontrem como favoritos, tirando quando irão se enfrentar. Quem na AFC pode parar essa dupla e como?

Pedro Beltrão: É muito difícil pensar em uma franquia que possa ameaçar Patriots e Chiefs na AFC. Browns era um grande candidato pela mídia antes da pré-temporada, mas vem decepcionando neste começo e no momento não é um candidato. Steelers e Chargers sofreram com lesões e também não chegam perto do nível dos dois citados. E o Texans tem talentos em quase todos os níveis do time, assim como o Browns, mas a fragilidade da linha ofensiva deve pesar em jogos fundamentais.

Neste momento, a única franquia que pode ameaçar os dois favoritos da AFC é o Baltimore Ravens. Apesar de perder para o Chiefs na semana 3, o time de John Harbaugh mostrou boa produção terrestre e só não venceu o jogo porque Patrick Mahomes estava em mais um dia de Patrick Mahomes. Contudo, se o time de Baltimore manter a produção terrestre, corrigir algumas conexões defensivas e Lamar Jackson prosseguir com a evolução aérea, tem tudo para incomodar Patriots e Chiefs na pós-temporada.

Ricardo Gonçalves:  É realmente muito dura a vida dos demais times na AFC com Patriots e Chiefs tão prontos para vencer, cada um a seu modo. Nesse momento, não vejo adversários para ambos, mas talvez até dezembro o Ravens ganhe ainda mais corpo e ritmo para ter condições de fazer frente a ambos, solidificando ainda mais seu jogo corrido e principalmente voltando a ter uma defesa dominante. O Chargers é ainda uma possibilidade, porém as lesões em peças chaves têm sempre atrapalhado e machucado demais. Além disso é um começo de temporada muito fraco. Talvez o retorno de Melvin Gordon impulsione novamente esse ataque.

Mas a defesa é uma das poucas com peças tanto no front seven, quanto na secundária, que pode efetivamente incomodar demais os ataques de Chiefs e Patriots, é algo para se ficar de olho.

Raphael Gonçalves: Essa parece uma missão ingrata, um dos principais concorrentes a realizar esse feito ao meu ver é o Ravens, porém já sofreu um revés para os Chiefs que dificulta ainda mais a missão, com isso os maiores candidatos a ameaça são: Texans e Charges. A equipe de Houston tem a seu favor o fato de que possui confronto direto contra as duas franquias, e conta com um ataque explosivo e imprevisível com Deshaun Watson que pode ferir seus adversários tanto com as pernas como com passes para seus recebedores, destaque para DeAndre Hopkins que pode causar pesadelos em qualquer secundária, principalmente para Kansas City que não possui um Cornerback com a qualidade de Stephon Gilmore para realizar a tarefa. Os Charges por sua vez conta com um elenco recheado de talento em todas as posições e um QB muito experiente para conduzir o time, apesar do começo oscilante, o time ainda deve ter força para brigar com Chiefs e Patriots pelo protagonismo na AFC.

Resultado de imagem para daniel jones 1200x800

3 – A grande história da semana foi o QB calouro Daniel Jones. Uma excelente atuação no seu primeiro jogo como titular o fez ser escolhido o jogador ofensivo da semana na NFC. Entretanto, como imagina que deva ser o restante de temporada de Jones levando em conta o calendário e equipe que o Giants tem em mãos?

Pedro Beltrão: A primeira impressão foi a melhor possível. A sexta escolha do Draft mais conturbada dos últimos tempo, calou a todos e estreou na liga com maestria. Mas o torcedor em Nova York precisa ter calma. Muita coisa por vir, ataque apresenta problemas, lesão de Saquon Barkley dificulta a imprevisibilidade da unidade e atrapalha o calouro.

As voltas de Golden Tate e Sterling Shepard, em contrapartida, abrem o leque de opções de Daniel Jones. Ainda é cedo para classificar em que patamar o novato vai se enquadrar com essa pequena amostra que vimos. Mas é importante manter os pés no chão, mesmo que o jogador não corresponda nas próximas semanas, para não queimar o atleta para o futuro.

Ricardo Gonçalves: Foi histórica e sensacional a estreia de Daniel Jones, mas a torcida do Giants e o mundo da NFL deve ter calma com o novato, que como tal, ainda vai errar muito, principalmente em se tratando de um QB. A empolgação é natural, a perspectiva é positiva, mas o cenário não deve ser tão diferente pensando na temporada completa, ainda mais após a lesão de Saquon Barkley. É evidente que a campanha tende a melhorar com Jones, mas ainda não deve ser suficiente para evitar que o time seja um dos piores no ano.

O jogador mostrou evolução em alguns dos problemas pelos quais era tão atacado no processo de Draft, mas ainda há muito trabalho pela frente. Paciência será a chave para a lapidação do garoto.

Raphael Gonçalves: Apesar do começo animador de Daniel Jones o Giants não deve ter um bom ano novamente, além de fazerem parte de uma das divisões mais difíceis da NFL ainda enfrentam a fortíssima NFC Norte neste ano, além disso, ainda terão pelo caminho uma visita ao Gillette Stadium para enfrentar os atuais campeões. Esses fatores alinhados a um elenco bastante limitado e a lesão de seu principal jogador, faz com que as expectativas para a temporada dos Giants não sejam das melhores.

 

Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site e do nosso trabalho, clique aqui.

Compartilhe

Comments are closed.