quarta-feira, 17 de abril de 2019

Compartilhe

O Draft está chegando e a Liga dos 32 traz de volta o já tradicional Mock Draft com 5 OPÇÕES de jogadores para cada time.  Nesse modelo, são apresentadas cinco opções de jogadores para cada franquia, levando em conta as respectivas necessidades das franquias e quais os jogadores estão cotados para cada escolha do Draft. Vamos conferir

ATENÇÃO: Há uma análise detalhada de cada jogador abaixo (scouting report). Basta clicar no nome do atleta e conferir. Em breve, lançaremos nosso Top 150 com informações dos 150 mais talentosos jogadores do Draft 2019. Tudo feito por especialistas no assunto. Enquanto isso, o Top 100 já está disponível aqui!

4 analistas da Liga dos 32 contribuiram neste Mock Draft: Edu Araujo (@EduNFL), André Oliveira (@AndrevmOl) , Ricardo Gonçalves (@RicardoGPF) e Carlos Massari (@MassariCarlos).

A maior parte das análises é completamente grátis e aberta a todos. Cerca de 30% delas são exclusivas para quem faz parte do L32 Premium. Você pode apoiar o nosso trabalho clicando aqui (temos promoção de 7 dias grátis).

Aqui o debate é liberado. Fique à vontade para comentar com a gente pelo Twitter, Instagram ou Facebook.

1.logo cardinalsArizona Cardinals 

QB Kyler Murray (Oklahoma)
A primeira opção para essa escolha não poderia ser diferente. Apesar de nada estar definido, o dinâmico quarterback é o favorito para ser o primeiro jogador escolhido no Draft. Perigoso não só com o ótimo braço como também com as pernas, Murray seria um jogador muito interessante de se acompanhar no esquema ofensivo de Kliff Kingsbury.

DT Quinnen Williams (Alabama)
Caso toda a narrativa do interesse em Kyler Murray não tenha passado de uma gigantesca cortina de fumaça, Williams seria uma das opções mais lógicas. O ex-Crimson Tide é um jogador muito equilibrado e pronto para causar um impacto imediato na liga.

DE Nick Bosa (Ohio State)
Outra boa opção para essa escolha seria obviamente selecionar o melhor pass rusher da classe. Mesmo perdendo boa parte do seu último ano no College, Bosa chega muito bem desenvolvido para NFL. Além de ser muito talentoso do ponto de vista físico, é inteligente e bastante técnico.

DE Josh Allen (Kentucky) e DT Ed Oliver (Houston)
Entre as opções menos populares estão Allen e Oliver, que consequentemente são escolhas mais arriscadas. Allen tem muito potencial atlético, é versátil e tem evoluído mais e mais a cada ano. Já Oliver tem sido um dos jogadores mais dominantes no College durante os últimos anos, sendo dono de um raro combo de atleticismo e explosão para jogadores da posição.

2.logo 49ersSan Francisco 49ers 

DE Nick Bosa (Ohio State) e DE Josh Allen (Kentucky)
Minha primeira opção para o 49ers seria uma troca, mas prever isso é complicado pois necessita de outros fatores que o time não controla. Com isso, a escolha mais lógica aqui seria o Bosa, que formaria uma linha defensiva muito interessante ao lado de jogadores como DeForest Buckner e Dee Ford. Allen representaria uma opção mais versátil. O jogador poderia contribuir não só como pass rusher como também na cobertura do passe graças ao seu excelente atleticismo.

DT Quinnen Williams (Alabama) e DT Ed Oliver (Houston)
Williams e Oliver seriam opções para o interior da linha. O defensor de Alabama apresentaria a opção mais segura e se beneficiaria bastante da presença de Buckner. Já Oliver seria uma opção melhor como pass rusher mas de igual potencial devido ao seu talento físico.

LB Devin White (LSU)
White seria uma opção consideravelmente mais improvável. O atlético linebacker é uma opção mais talentosa do que Malcolm Smith e formaria um trio muito interessante com Fred Warner e o recém-chegado Kwon Alexander.

3. logo jets New York Jets 

DE Josh Allen (Kentucky), DE Nick Bosa (Ohio State) e DE Montez Sweat (Mississippi State)
O Jets é outro time que está disposto a ouvir propostas por essa escolha, mas, caso não consiga trocá-la, deve ter um pass rusher como prioridade. Apesar pouco provável, não é impossível Nick Bosa estar disponível nessa escolha e ainda menor é a possibilidade do Jets deixar o jogador passar. A seleção de Josh Allen é um cenário mais plausível, visto que o jogador é inclusive similar fisicamente ao Anthony Barr, a quem o Jets por muito pouco não contratou na Free Agency. Sweat seria uma escolha menos empolgante que os outros, porém ainda é um prospecto interessante visto seu ótimo atleticismo, experiência e porte físico.

DT Quinnen Williams (Alabama) e DT – Ed Oliver (Houston)
A escolha de um jogador para o interior da linha é menos provável, visto o sólido trio titular que o time possui. Contudo, a vinda de um dos dois melhores DTs da classe não pode ser descartada visto o imenso potencial de ambos.

4.logo raidersOakland Raiders 

DE Josh Allen (Kentucky)DE Montez Sweat (Mississippi State) 
Dono do pior pass rush da última temporada, é óbvio que o Raiders vai buscar jogadores que podem ajudar o time no quesito durante o Draft. Apesar de ainda ter mais duas escolhas na primeira rodada, será na #4 que Gruden terá as opções mais interessantes, com possivelmente jogadores como Allen e Sweat disponíveis.

DT – Ed Oliver (Houston) e DT Quinnen Williams (Alabama) 
O Raiders é outro time que já tem opções interessantes no elenco para o interior da linha, mas também pode aproveitar a ótima classe para ir atrás de mais talento. Tanto Oliver como Williams ofereceriam isso.

QB Kyler Murray (Oklahoma)
Ainda é esperado que o Raiders continue construindo um time ao redor de Derek Carr, mas a possibilidade de um quarterback não pode ser descartada. Gruden tem feito um trabalho intenso com vários jogadores da posição durante o período que antecede o evento, principalmente com Kyler Murray. O explosivo playmaker certamente possibilitaria que Gruden abrisse ainda mais seu playbook ofensivo

5.logo buccaneersTampa Bay Buccaneers 

LB Devin White (LSU)
Bucs e White tem sido um “casamento” comum durante toda a offseason. O linebacker atua em uma posição de carência no elenco do Bucs e tem um conjunto de características que encaixam no esquema defensivo de Todd Bowles.

DT Quinnen Williams (Alabama) e DT – Ed Oliver (Houston)
Mesmo já tendo escolhido Vita Vea no Draft passado, o futuro incerto de Gerald McCoy ainda deixa a possibilidade do time ir atrás de um jogador para a posição durante o Draft. Aqui é o máximo que visualizo uma possível queda de Quinnen Williams, sendo Ed Oliver uma opção mais provável e que balancearia a mais a linha que já conta com um bom defensor contra o jogo corrido como Vea.

DE Josh Allen (Kentucky) e DE Montez Sweat (Mississippi State)
Não só reforçar o interior da linha como também os lados externos da mesma é uma opção para essa escolha. Jason Pierre-Paul ainda é um bom jogador, mas já não é nenhum garoto e a franquia pode optar por uma opção mais talentosa do que Carl Nassib.

6. logo giants  New York Giants 

QB Dwayne Haskins (Ohio State)
O próprio Eli Manning sabe que tem chances consideráveis do time pode escolher seu sucessor no próximo Draft. Haskins é uma opção bem vista dentro da franquia, a questão é saber se o time gosta dele o suficiente para selecioná-lo com a 6ª escolha. Apesar da pouca experiência, Haskins foi muito produtivo em seu único ano como titular e tem as características físicas desejadas pela franquia para jogadores da posição.

DE Josh Allen (Kentucky) e DE Montez Sweat (Mississippi State)
Caso Haskins (ou algum outro quarterback) não convença a franquia o suficiente, é certo que o time deve investir em um jogador defensivo. Allen é o favorito para escolha se por algum acaso ainda estiver disponível. O conjunto de atributos físicos de Sweat e sua experiência também é um conjunto que o torna um forte candidato para essa escolha também.

DT – Ed Oliver (Houston)
Oliver não tem o estilo tradicional dos jogadores de linha que Dave Gettleman gosta, mas sua singularidade atlética é forte o suficiente para torná-lo uma opção aqui. O Giants já conta com bons jogadores de linha contra o jogo corrido, o que acabaria por dar mais liberdade para Oliver ser mais agressivo a cada jogada.

LB Devin White (LSU)
Apesar de correr um pouco por fora, White ainda é uma opção. O atlético linebacker seria uma arma muito interessante nas mãos de James Bettcher, que poderia utilizar o jogador de diversas formas em seu agressivo sistema defensivo.

7.logo jaguarsJacksonville Jaguars

OT Jawaan Taylor (Florida)
O Jaguars assinou com alguns jogadores de linha ofensiva mas nenhum que transmita muita confiança. Sendo assim, a escolha de um jogador para a posição é uma opção. Taylor tem as medidas ideais para a posição e muita técnica, podendo contribuir imediatamente na proteção do recém-chegado Nick Foles.

TE T.J. Hockenson (Iowa)
Tight End é outra necessidade do time e o repertório de Hockenson o torna uma opção aqui. O jovem jogador iria adicionar muito ao ataque do Jaguars tanto como uma sólida opção para o jogo aéreo como também bloqueando para o jogo corrido.

DT Ed Oliver (Houston), DE Montez Sweat (Mississippi State)DE Brian Burns (Florida State)
Em hipóteses nenhuma deve se descartar outro jogador de linha defensiva nessa altura. Mesmo mandando embora dois titulares, o Jaguars não fez absolutamente nada para reforçar o setor durante a Free Agency. Sem falar que Calais Campbell não está ficando mais jovem e Yannick Ngakoue está no último ano de contrato.

8.logo lionsDetroit Lions

TE T.J. Hockenson (Iowa)
Patricia sabe da importância que um ótimo Tight End. A versatilidade Hockenson seria muito bem-vinda no ataque do Lions mesmo com a chegada de Jesse James.

DE Montez Sweat (Mississippi State) e DE Brian Burns (Florida State)
O Lions foi bastante agressivo nessa Free Agency buscando reforçar seu anêmico pass rush. Mesmo com a chegada de Trey Flowers e a renovação de Okwara, pass rushers nunca são demais e a franquia pode adicionar mais profundidade na sua rotação defensiva com essa escolha.

LB Devin Bush (Michigan)LB Devin White (LSU)
Com o jogo cada vez mais aéreo, linebackers velozes e versáteis são imprescindíveis. Tanto o Bush como o White ofereceriam justamente essas características para o front seven da equipe. Enquanto White é um jogador um pouco mais clássico e muito agressivo, Bush é um pouco menor e absurdamente veloz.

9.logo billsBuffalo Bills 

DT – Ed Oliver (Houston)
São múltiplas as possibilidades aqui para o Bills, assim como muitas são as necessidades, mas num cenário onde Ed Oliver chega até a esse ponto ajudado pelas possíveis escolhas de quartebacks e pela busca incessante de EDGE rushers nas escolhas iniciais, o Bills ficaria muito feliz em poder aliar necessidade com o melhor jogador disponível. Não se trata simplesmente de mais um ótimo DT com capacidade para parar o jogo corrido, mas sim de um jogador especial, freaky físico e que possui uma técnica extremamente apurada para alinhar em todas posições de uma linha defensiva. O ajuste seria imediato e Ed Oliver chegaria como titular e com um papel importante a cumprir no time.

OTs – Jonah Williams (Alabama) e Jawaan Taylor (Florida)
Apesar das adições realizadas na free agency para a linha ofensiva, o setor ainda carece de jogadores, sobretudo de um tackle para chegar e jogar, resolvendo uma parte da proteção de Josh Allen e ajudar muito em seu desenvolvimento.
Apesar dos questionamentos que sofre por seu tamanho, Jonah Williams é para mim o principal expoente da classe, jogador muito técnico, inteligente e de muita consciência de seu jogo. Embora não seja minha preferência nesse “duelo”, Jawaan Taylor também é um ótimo prospecto, sólido, com uma boa amostra de fisicalidade, belo footwork e muito potencial, podendo tranquilamente também ser a preferência do time para a posição.

WR – D.K. Metcalf (Ole Miss)
Outra posição que foi reforçada na free agency, mas que continua sendo uma necessidade, principalmente pensando num X receiver, biótipo inexistente no roster do Bills.  Pode ser um pouco cedo para escolher Metcalf, principalmente pensando no que ele é hoje, um produto ainda inacabado, a continuar a se desenvolvendo, mas poucas vezes se tem a chance de pegar um atleta com essas características, com uma combinação incrível de altura, peso, envergadura, velocidade e explosão, o que o torna raro e valioso. Sua capacidade de esticar o campo e queimar a marcação pode ser potencializado com o braço de Josh Allen, parecendo um bom ajuste um para o outro e finalmente um futuro promissor para Buffalo do lado ofensivo da bola.
CB – Byron Murphy (Washington)
Olhando para essa classe de cornerbacks e sua projeção, talvez a maioria considere muito cedo para escolher um jogador aqui, mas diante de uma necessidade premente, como os Bills tem na posição, não chegaria a ser surpresa a escolha do melhor deles aqui. Trata-se de um jogador extremamente subestimado, que tem um incrível instinto que o ajuda a superar a falta de velocidade em alguns momentos, assim como um elevado QI de futebol e capacidade de fazer jogadas, com potencial para ser titular e contribuir desde o primeiro dia na liga.

10.logo broncosDenver Broncos –

QBs – Drew Lock (Missouri) e Dwayne Haskins (Ohio State)
Não acredito na estória de John Elway de que Joe Flacco é o cara e que está chegando ao auge de sua carreira nesse momento, ele pode até achar isso mesmo, mas conhecendo o retrospecto, preferências e também a necessidade, o General Manager do Broncos tentará mais uma vez encontrar um quarterback para o seu time. Nesse cenário, Drew Lock surge como preferido, pois mesmo que o jogador tenha muitos problemas e questionamentos. Por mais que Haskins seja um prospecto reconhecidamente melhor e, atualmente, mais completo, diante das razões apresentadas é difícil ver o Broncos tomando-o na frente de Lock, sem falar do fato de que existem grandes chances do quarterback de Ohio State já ter sido escolhido a essa altura.
DT – Ed Oliver (Houston)
Pensando na possibilidade do jogador estar disponível a essa altura, seria uma escolha muito seguro e mais prudente para Denver do que pegar um QB, trata-se de um dos melhores jogadores do Draft saindo numa posição além do que seu talento diz. Além disso, é uma necessidade para o time, não apenas pensando no agora, mas no futuro, quando terão jogadores importantes da posição tornando-se free agentes. Ed Oliver tem uma capacidade impressionante de penetração, conseguindo constantemente colapsar o pocket parar o jogo terrestre e exercer pressão no QB. Um jogador assim, nessa posição, é de uma valia rara.
LBs – Devin White (LSU) e Devin Bush (Michigan)
Ambos jogadores são cotados bem alto, tratados quase que consensualmente como os melhores da posição, com apresentações espetaculares no combine que ressaltaram a fisicalidade e impressionaram, talvez mais até do que aquilo que realmente jogam, mas juntam características que realmente são valorizadas e não tão comuns de serem vistas em conjunto. O perfil Linebacker sideline-sideline fala alto aqui, embora goste mais de Bush, White tem maior apelo, até pelo tamanho e maior explosão seria considerado primeiro, porém dá para afirmar que ambos os jogadores chegariam para contribuir e com espaço significativo na defesa do time do Colorado.

11.logo bengalsCincinnati Bengals –

QB – Dwayne Haskins (Ohio State)
Manter Haskins em Ohio, jogador que já é ídolo local muito forte, com identificação e marcando o início de um novo trabalho e nova era em Cincinnati parece o cenário ideal para o Bengals e seu novo head coach Zac Taylor, mente ofensiva interessante e que estaria pegando o melhor prospecto de quarterback dessa classe para dar início e desenvolver o seu trabalho, talvez até ficando atrás ainda de Andy Dalton por um ano. De toda forma, importante demais buscar um novo rumo para a franquia e sair do marasmo que Dalton tem proporcionado ao longo de todos os anos de sua carreira em Cinci.

DT – Ed Oliver (Houston)
Geno Atkins e Carlos Dunlap são jogadores incríveis, mas não são para sempre. Ter a oportunidade de pegar um jogador do calibre de Ed Oliver aqui, seria não só um reforço para a posição e a formação de uma linha defensiva ainda mais assustadora, como também a garantia do futuro de uma posição que está tão bem representada e desempenhada ao longo de anos nos Bengals. O valor seria alto demais para que qualquer outro raciocínio impedisse essa escolha.

LBs – Devin White (LSU) e Devin Bush (Michigan)
Linebacker é uma necessidade muito forte do time e ambos os jogadores estariam muito bem escolhidos aqui, tanto pelo valor da escolha, como pelo ajuste e capacidade de chegar e já jogar desde o primeiro dia no time. Embora dificilmente Devin White esteja disponível aqui, a equipe não pensaria muito e acionaria o gatilho na tentativa de selecionar um playmaker para sua defesa com capacidade de tomar conta da posição por anos. Nesse caso, Bush tem totais condições de trazer o mesmo impacto, ainda que com menor tamanho é muito físico e traz um entendimento, inteligência e leituras de jogo mais evoluídas.

T/G – Cody Ford (Oklahoma)
A linha ofensiva que já foi endereçada com reforços e renovações de contrato nos últimos anos ainda precisa de ajuda, principalmente pensando em right tackle e guard, exatamente as posições em que Cody Ford pode trazer profundidade e já se apresentar como uma opção viável para iniciar jogando. O jogador que variou entre Left guard e right tackle ao longo da carreira universitária, parece ter um ajuste mais natural jogando por dentro, porém, ainda assim foi muito bem em sua última temporada como RT, não sendo um absurdo enxerga-lo e testá-lo assim no próximo nível, na NFL.

12.logo packersGreen Bay Packers 

OT – Jonah Williams (Alabama)
Com as adições na free agency, os Packers se colocaram numa posição mais confortável para o Draft, onde o time não chega aqui com a obrigação de ter que escolher um jogador de uma determinada posição como necessidade imediata, valendo-se ainda do fato de ter mais uma escolha de 1ª rodada, no final do round.
Pensando na renovação da posição de right tackle, Green Bay pode aqui pegar o melhor OL da classe, Bryan Bulaga é ótimo quando saudável, mas tem sofrido com lesões ao longo da carreira, somado ao fato de que se torna free agency na próxima temporada, pode ser a deixa perfeita. Jonah Williams pode ser starter na posição ou até mesmo sentar atrás por um ano, dando profundidade de muita qualidade. Caso os Packers o enxerguem como Guard, terá pego um jogador que será o titular logo no início e possível dono da posição por muitos anos, uma vez que pode jogar bem também por dentro, com sua técnica, Inteligência e consciência de jogo. Mobilidade, ancoragem, trabalho de pés e mãos harmônicos e muito bem executados, difícil passar um jogador desses aqui.

DT – Ed Oliver (Houston)
Com o jogador disponível nesse ponto, o GM Brian Gutekunst não deve pensar muito para escolhê-lo, chegaria para ser titular e formar uma DL fortíssima de muito talento e potencial ao lado de Kenny Clark e Mike Daniels. Este último será free agency na próxima temporada, aspecto que seria mais um atrativo para pegar um dos melhores jogadores da classe numa posição tão longe do início para seu talento.

EDGE – Brian Burns (Florida State)
Apesar de ter realizado 2 assinaturas de peso na free agency para a posição, os Packers sabem que EDGE rushers nunca são demais e ter aqui o segundo melhor jogador da posição na classe pode vir a ser uma barganha ainda maior com o passar dos anos e desenvolvimento desse jogador. Contorna o arco com muita facilidade (melhor da classe nisso), tem flexibilidade, explosão, velocidade e um excelente variação de repertório para atacar os QBs.

TE – T.J. Hockenson (Iowa)
Numa perspectiva de visão diferente, Green Bay pode optar por pegar um jogador de skill position ofensiva, fato que não acontece desde o ano de 2002 e finalmente dar a Aaron Rodgers uma arma de tight end que o mesmo nunca teve igual durante toda a sua carreira. Hockenson é um jogador completo, que consegue desempenhar todas as funções de um TE muito bem, com maestria e segue em nítido processo de evolução. Pode encaixar muito bem com Jimmy Graham e permitir que o time utilize bastante sets de 2 TEs em campo, como seu novo técnico gosta, podendo brincar muito e variar nas posições desses jogadores.

LB – Devin Bush (Michigan)
Grande atleta, que embora não tenha o tamanho desejado/esperado para a posição, compensa com ótima visão de jogo, leituras, explosão e velocidade para cobrir o campo sideline-sideline. Teria um encaixe natural como titular ao lado do ótimo Blake Martinez, com características complementares e um alto potencial de produção desde o início de sua chegada na NFL. Vale destacar também que aquele será free agency na próxima temporada e essa adição poderia representar também já uma substituição ou futuro próximo da posição.

13.logo dolphinsMiami Dolphins 

EDGEs – Brian Burns (Florida State), Clelin Ferrel (Clemson) e Montez Sweat (Mississippi State)
Num time em reconstrução, nada melhor que tentar iniciar encontrando um playmaker para a defesa, um EDGE rusher capaz de produzir, se desenvolver e ser o cara da franquia por muito anos, exatamente o que encontrariam selecionando Brian Burns aqui, jogador muito poderoso, que além de velocidade tem uma excelente visão/processamento mental e técnica para estabelecer a pressão no QB. As outras opções de EDGE rusher, embora não com o mesmo potencial de teto, também são bem atraentes. Em Clelin Ferrel o time estaria selecionando um jogador pronto, com plena capacidade de produzir desde o seu primeiro dia em um campo na NFL e pegando Sweat, os Dolphins estariam contando com um atleta absolutamente freaky, que com sua assombrosa performance chocou a todos no combine.

QB – Dwayne Haskins (Ohio State)
Embora Miami não demonstre pressa ou muita vontade de buscar logo nessa temporada seu franchise quarterback (FitzMagic que me perdoe), nesse cenário, com Haskins caindo no colo da franquia sem precisar pagar nada em troca, creio que o gatilho seria puxado e muito bem executado com essa escolha. Embora improvável, é possível que o melhor prospecto da posição de QB caia até aqui e torne o trabalho do Dolphins mais fácil.

DT – Christian Wilkins (Clemson)
Christian Wilkins nesse ponto também faria todo sentido a um time carente de lideranças e jogadores que possam incorporar esse espírito para virar a cara da franquia, pelo menos do lado defensivo da bola. Líder nato, jogador com uma incrível capacidade de colapsar o backfield, possuindo uma velocidade e agilidade absolutamente fora do comum para um cara de seu comprimento.

14.logo falconsAtlanta Falcons 

DTs – Christian Wilkins (Clemson) e Jeffery Simmons (Mississippi State)
A linha defensiva como um todo deve e merece ter muita atenção nesse Draft para o time de Atlanta. O DT Grady Jarrett recebeu a franchise tag e Vic Beasley foi bem abaixo do esperado e preocupa.
Nesse cenário, escolher o IDL Christian Wilkins daria muita segurança para o time, tanto formando uma bela dupla na linha defensiva, como fortificando o setor e pensando nele como eventual substituição para o caso de Grady Jarrett não permanecer no time na próxima temporada. Jeffery Simmons também pode ser considerado, muito embora pese bastante o fato do jogador estar lesionado de modo sério (ACL), ele reconhecidamente tem um talento provavelmente de top-10 da classe, sendo um exemplo raro de jogador do interior da linha defensiva com capacidade para exercer pressão constante por dentro.

OTs – Jonah Williams (Alabama) e Andre Dillard (Washington State)
Na remota possibilidade de Jonah Williams ainda estar disponível a essa altura, seria um ajuste interessante e uma necessidade imediata preenchida movendo o jogador para right takle inicialmente e deixando-o como dono da posição por um bom tempo, até que também possa ser considerado como opção para jogar de left tackle. Caso não esteja disponível, Andre Dillard surge como opção interessante de jogador que se destaca muito na proteção ao passe e tem um dos melhores footworks da classe, com muita agilidade e velocidade. Embora não seja tão seguro e pronto quanto Jonah, tendo ainda muitos pontos a serem desenvolvidos, pode assumir um papel inicial no lado direito da linha ofensiva.

CB – Byron Murphy (Washington)
Aqui o ajuste também seria imediato e a profundidade diretamente renovada com a possível chegada do melhor jogador da posição na classe, faria uma bela dupla com Desmond Trufant assumindo a condição de titular desde o início com a partida de Robert Alford. O valor de escolha estaria também muito bem atendido, ainda que Byron Murphy não receba tanta atenção quanto merece nesse processo.
15.logo redskinsWashington Redskins 

WR – D.K. Metcalf (Ole Miss)
Embora pensar em quarteback faça sentido, o time parece deixar esse viés para segundo plano com a chegada de Case Keenum e a quantidade de dinheiro garantido que o contrato de Alex Smith ainda renderá. Dessa maneira, a chance de adicionar um protótipo perfeito de X receiver, com biótipo inexistente não somente em seu roster, mas na liga como um todo é valiosa demais aqui. A combinação incrível de altura, peso, envergadura, velocidade e explosão que tem o jogador traria para Washington um jogador único, que se bem desenvolvido, pode vir a se tornar um dos melhores de toda a NFL na posição. Paul Richardson e Josh Doctson também ficariam extremamente felizes e gratos com essa adição.

EDGEs – Brian Burns (Florida State), Clelin Ferrel (Clemson) e Montez Sweat (Mississippi State)
Ryan Kerrigan não tem ficado mais novo e o time perdeu o muito sólido e importante Preston Smith na free agency, dessa maneira uma ajuda e um novo ponto de partida como EDGE rusher seria muito bem-vindo. Adicionar um desses 3 jogadores nessa altura estaria muito bem justificado também pelo valor e papel que poderiam assumir logo no início no time. A questão do ajuste e esquema seria importante para escolher a ordem de preferência e colocar o jogador numa situação mais confortável para produzir.

OT – Jonah Williams (Alabama)
O time já possui uma boa Linha ofensiva, mas essa adição seria diretamente um upgrade e representaria o início de uma renovação na unidade. Por mais que seja difícil imaginar o produto de Alabama disponível a essa altura, ele fatalmente estará sob consideração caso ainda esteja esperando seu nome ser chamado.

16.logo panthersCarolina Panthers 

EDGEs – Brian Burns (Florida State), Clelin Ferrel (Clemson) e Montez Sweat (Mississippi State)
Embora o time precise muito de safeties, na escolha 16 é cedo demais para agir sobre esse ponto, então o caminho ideal seria fortalecer o pass rusher da equipe, setor que já necessitava de ajuda e com a aposentadoria do futuro Hall da fama Julius Peppers, só aumentou ainda mais a pressão e necessidade por reforço.
Brian Burns aqui seria um sonho, que mesmo distante, existe uma possibilidade de acontecer e o time de Carolina não deve/pode deixar passar a chance de ter um dos melhores jogadores da classe a essa altura. Escolhas mais palpáveis, Ferrel e Sweat, ainda que com características diferentes para encaixe, teriam papel importante na rotação com grandes responsabilidades em estabelecer a pressão nos QBs adversários.

OTs – Jawaan Taylor (Florida) e Andre Dillard (Washington State)
Apesar das considerações iniciais sobre a necessidade de EDGE rusher, a franquia entende e vem dando várias mostras que reforçar a linha ofensiva talvez seja a prioridade na primeira rodada desse Draft, o que também não chega a ser um equívoco, visto as necessidades de upgrade nas posições de left tackle e guard, enquanto a assinatura com Matt Paradis dá uma estabilidade e segurança no centro. Dessa maneira, sob forte consideração aqui estão Jawaan Taylor e Andre Dillard, com a vantagem de que este último muito provavelmente estará disponível e a equipe já deu várias “provas” que gosta muito do jogador durante o processo Pre-Draft. A velocidade, agilidade e ótima movimentação de pés de Dillard parece encantar demais os Panthers para que eles não o peguem, mesmo eu acreditando que essa não seria nem de perto a melhor opção.

17.  logo giants   New York Giants (via Cleveland Browns)

QBs Drew Lock (Missouri) e Daniel Jones (Duke)
A maior parte dos rumores pré-draft diz que o Giants não pretende usar a sua primeira seleção em um quarterback. Como é necessário encontrar o herdeiro de Eli Manning, não seria surpresa se a franquia decidisse puxar o gatilho aqui. Na maioria dos mocks, Drew Lock não dura até essa posição, mas se durar, pode ser a escolha. Daniel Jones seria um pequeno reach, mas quarterbacks muitas vezes saem antes do que foram projetados.

DT Christian Wilkins (Clemson)
Uma ótima opção aqui seria selecionar o defensive tackle Christian Wilkins, de Clemson. O Giants precisa de ajuda pelo interior de sua linha defensiva e contar com um atleta dinâmico e capaz de segurar a titularidade por muitos anos faria um bem incrível à franquia.

WR DK Metcalf (Ole Miss)
Não é em muitas simulações que DK Metcalf dura até a décima sétima escolha, mas caso os times fiquem preocupados com a sua falta de produção, é uma possibilidade. Ele poderia ser a arma ideal para substituir a Odell Beckham Jr., que foi trocado exatamente por essa escolha. A situação da equipe é muito crítica na posição.

EDGE Clelin Ferrell (Clemson)
O New York Giants teve o segundo menor número de sacks da NFL em 2018, com apenas 30. É necessário adicionar um pass rusher de respeito, mas nessa posição, dentre tantos possíveis nomes da primeira rodada, Clelin Ferrell talvez seja o último a sobrar. Ainda assim, seria uma tremenda adição à franquia.

18.logo vikings Minnesota Vikings 

OLs Jonah Williams (Alabama), Andre Dillard (Washington State) e Cody Ford (Oklahoma)
Não é surpresa para ninguém que o principal alvo do Minnesota Vikings no draft é a linha ofensiva. Kirk Cousins praticamente não teve tempo para respirar nos jogos mais importantes do ano. E, afinal, essa é uma divisão com Khalil Mack e muitos outros pass rushers de respeito. Para ser competitivo, o time precisa melhorar esse setor. E felizmente, é a região da primeira rodada na qual deve acontecer uma “corrida” pelos prospectos de linha.

DTs Christian Wilkins (Clemson) e Jerry Tillery (Notre Dame)
Outra ideia para o Vikings é adereçar o miolo da linha defensiva. Há um grande buraco ao lado de Linval Joseph e preenchê-lo deve ser uma prioridade. Se optar por alguém como Wilkins ou Tillery na primeira rodada, a franquia passará a ter uma linha de muito respeito, uma vez que já conta com Danielle Hunter e Everson Griffen como edge rushers.

19.logo titansTennessee Titans 

OLs Cody Ford (Oklahoma), Chris Lindstrom (Boston College)
O Tennessee Titans ficou ranqueado em trigésimo primeiro lugar em proteção para o passe em 2018. Esses números, aliados com a tendência a se machucar de Marcus Mariota, são desastrosos. E isso aconteceu mesmo com o time sendo forte na posição de offensive tackle, com Taylor Lewan e Jack Conklin. A contratação de Rodger Saffold na free agency foi um bom passo, mas é preciso reforçar ainda mais o interior dessa linha com atletas versáteis e capazes de assumirem a titularidade desde o primeiro dia.

TEs TJ Hockenson (Iowa) e Noah Fant (Iowa)
Dar armas mais poderosas a Marcus Mariota também deve ser uma ideia. Delanie Walker sempre foi um excelente tight end, mas a idade já bate a porta e ele perdeu praticamente toda a temporada de 2018 por lesão. Um dos tight ends de Iowa resolveria muito bem o problema.

CB Byron Murphy (Washington)
Fortalecer a secundária em uma divisão com os potentes ataques aéreos de Indianapolis Colts e Houston Texans é uma boa pedida. Adoree Jackson tem sido sólido e Malcolm Butler pode se recuperar de um ano ruim após mudar de time. A adição de Byron Murphy daria um belo trio de cornerbacks, ao menos no papel, para o Titans.

20.logo steelersPittsburgh Steelers 

CBs Byron Murphy (Washington), Deandre Baker (Georgia).
A secundária do Pittsburgh Steelers foi uma mãe em 2018. A torcida não aguenta mais ver Artie Burns em campo. A contratação de Steven Nelson não resolve muita coisa. Não tem jeito, a equipe precisa adicionar pelo menos um novo cornerback que seja capaz de entrar e pelo menos diminuir o problema. E nessa posição, existem alguns de muita qualidade, como Murphy e Baker.

LBs Devin Bush (Michigan)
O Steelers nunca se recuperou da devastadora lesão de Ryan Shazier. Não encontrou ninguém capaz de comandar o meio da defesa e de ser tão instintivo e veloz. Na vigésima posição, Devin Bush poderia ser o homem para resolver essa questão e tornar essa defesa pelo menos um pouco melhor.

WRs AJ Brown (Ole Miss) e N’Keal Harry (Arizona State).
Antonio Brown foi embora. Tudo o que sobrou no Pittsburgh Steelers é JuJu Smith-Schuster e o potencial talento de James Washington. Mas esses são dois jogadores mais de velocidade, não tanto de posse e conversão de terceiras descidas importantes. Por isso, nada como adicionar um novo recebedor com esse perfil. AJ Brown e N’Keal Harry seriam boas escolhas na vigésima posição.

21.logo seahawksSeattle Seahawks

DLs Jeffery Simmons (Mississippi State), Rashan Gary (Michigan) e Christian Wilkins (Clemson).
A defesa do Seattle Seahawks tem se recuperado incrivelmente bem da perda de tantos atletas importantes. Quase todo mundo acreditava que a unidade sofreria muito com ataques adversários em 2018, mas muitos jovens deram conta do recado. Usar atletas versáteis de linha defensiva, como Simmons, Gary e Wilkins, pode dar uma qualidade ainda maior para essa defesa.

CBs Byron Murphy (Washington)
Sabemos que Seattle gosta de cornerbacks altos e que Murphy não é exatamente o protótipo. Mas pode ser que ele seja irresistível na vigésima primeira posição. Um jogador muito técnico, continuaria a reconstrução da secundária, que perdeu todos os nomes da famosíssima “Legion of Boom”.

TE Noah Fant (Iowa)
Russell Wilson tem bons wide receivers para lançar a bola e costuma se dar bem com eles. Mas e na posição de tight end? Will Dissly até que foi promissor em 2018 até se lesionar, mas continua sendo uma incógnita. Selecionar Noah Fant aqui resolveria esse problema e daria estabilidade a Seattle por muitos anos na posição.

22.logo ravensBaltimore Ravens 

WRs AJ Brown (Ole Miss), N’Keal Harry (Arizona State), Hakeem Butler (Iowa State).
Baltimore é o time mais primordialmente terrestre em seu ataque em toda a NFL. Mas e se houverem armas reais para Lamar Jackson lançar a bola? Ele ainda é bastante cru, porém, tende a melhorar. Brown, Harry e Butler seriam ótimos nomes para converter terceiras descidas longas e estabelecer uma relação de confiança com o jovem quarterback.

LBs Devin Bush (Michigan), Mack Wilson (Alabama).
Um time que acabou de perder um dos principais nomes de sua defesa precisa substituí-lo. CJ Mosley foi embora na free agency e agora há um buraco na posição de linebacker. Esse é o range aproximado no qual Devin Bush e Mack Wilson devem sair, portanto, seriam excelentes escolhas para a franquia.

23. HOU Houston Texans 

OLs Andre Dillard (Washington State), Cody Ford (Oklahoma), Dalton Risner (Kansas State).
Quarterbacks muito móveis e que deixam o pocket rapidamente são difíceis de serem protegidos. Vimos isso por anos no Seattle Seahawks com Russell Wilson, estamos vendo agora no Houston Texans com DeShaun Watson. O jovem foi o signal caller mais derrubado em 2018: nada menos que 62 vezes. Toda a ajuda que a franquia puder encontrar para a linha ofensiva é pouca e esses são alguns bons nomes disponíveis na posição.

RBs Josh Jacobs (Alabama)
Lamar Miller é apenas uma sombra do que foi em outros tempos. D’onta Foreman é promissor, mas ainda não vingou. Um running back capaz de atuar em três descidas, com muita força e potência nas corridas, ajudaria demais o Houston Texas. Josh Jacobs poderia ser selecionado na vigésima terceira posição e ser esse atleta.

CBs Byron Murphy (Washington)
A maior dificuldade da defesa do Houston Texans em 2018 foi a secundária. Já citamos Byron Murphy várias vezes nesse mock, o que significa que ele é um atleta que pode sair bem antes da vigésima terceira posição. Por isso, se estiver aqui, pode ser bem difícil de passar.

24.logo raidersOakland Raiders 

EDGE Clelin Ferrell (Clemson)
Não é em muitas simulações que Clelin Ferrell está disponível aqui, mas caso esteja, o Oakland Raiders não pode pensar duas vezes. A franquia teve um pass rush historicamente ruim em 2018, somando ridículos 13 sacks. Conseguir alguém como o atleta de Clemson na segunda metade da primeira rodada seria uma enorme vitória.

TE Noah Fant (Iowa)
Outro jogador que faz muito sentido caso acabe caindo mais do que o esperado. Jared Cook foi o alvo preferido de Derek Carr em 2018 e foi embora para o New Orleans Saints na free agency. Adicionar Fant aqui seria uma reposição básica e eficiente.

RB Josh Jacobs (Alabama)
No momento, o principal running back do Oakland Raiders é Isaiah Crowell. Ele pode até dar conta do recado, mas não será surpreendente se competição for adicionada via draft. Josh Jacobs seria um substituto de estilo similar a Marshawn Lynch, o que agradaria a torcida.

CB Byron Murphy (Washington)
Já está ficando repetitivo, mas mais uma vez, não há como não citar Murphy. Caso ele esteja disponível, também será uma escolha de muito valor para um time com tantas dificuldades no elenco. Gareon Conley mostrou extremo potencial em seu segundo ano na liga, que tal dar a ele a companhia de outra possível jovem estrela?

LB Devin Bush (Michigan)
Há especulações recentes de que o Raiders pode usar a quarta escolha geral em Devin White, outro linebacker. Essa não seria a melhor das soluções, pelo menos comparada à possibilidade de ficar com Devin Bush aqui no final da primeira rodada. Vontaze Burfict e Brandon Marshall foram boas adições de veteranos a um outrora terrível corpo de linebackers, mas juventude ainda seria bem-vinda.

25. PHIPhiladelphia Eagles 

LBs – Mack Wilson (Alabama) e Devin Bush (Michigan)
O Eagles precisa substituir Jordan Hicks que foi para o Cardinals e pode ter Mack Wilson que é um Linebacker bastante clássico, físico e um autentico líder em campo, vindo de uma fabrica de TOPs LBs que é Alabama, e Devin Bush, que apesar de ser mais leve, é um excelente marcador de passes e adicionaria muita atleticismo para o miolo de defesa do Eagles.

Ss Johnathan Abram (Mississippi State) e Nasir Adderley (Delaware)
Malcolm Jenkins já é um veterano e Rodney McLeod está voltando de lesão. O Eagles pode optar em escolher um safety, já que sua secundaria foi o grande problema defensivo da equipe em 2018. Abram é um Strong Safety caso a equipe tenha o interesse em alguém mais físico e que possa atuar dentro do box e Adderley é um Free Safety clássico, com ótimos instintos, velocidade e que ainda consegue marcar o WR no mano a mano.

CB Greedy Williams (LSU)
Caso o Eagles queira adicionar um Cornerback, que também é necessidade, já que Jalen Mills não vem passando confiança nenhuma, Greedy Williams pode estar disponível e seria uma escolha bastante segura para a equipe.

26.logo coltsIndianapolis Colts 

CB Greedy Williams (LSU) e Byron Murphy (Washington)
O Colts contam com Pierre Desir, Kenny Moore e Quincy Wilson como cornerbacks no elenco. Tirando Desir que conseguiu ser constante no ano passado (embora tenha lá seus problemas), os outros dois não passam confiança nenhuma, e embora o time é adepto a uma marcação em zona que facilita um pouco a vida dos cornerbacks, fazendo parecer um jogador de nível irregular em nível bom, não dá para descartar que Ballard escolha o melhor jogador disponivel do Draft em uma necessidade do time. Greedy Willaims e Byron Murphy nesse ponto do Draft são BPAs e teriam impacto de imediato na secundaria do Colts.

DLs Jeffery Simmons (Mississippi State), Dre’ Mont Jones (Ohio St.) e Christian Wilkins (Clemson)
A maior necessidade do time é no interior da linha defensiva, e nessa altura do draft os 3 nomes escolhidos poderão estarem disponíveis. O estilo de front seven que o Colts adotou na ultima temporada, deu mais espaços para DTs que conseguem fazer pressão pelo interior, e tanto Jeffery Simmons, Dre’Mont Jones e Christian Wilkins são experts nisso, além de serem ótimos defendendo o jogo terrestre.

27.logo raidersOakland Raiders 

CB Greedy Williams (LSU) e Deandre Baker (Georgia)
Em um time que só tem Gareon Conley como um cornerback digno de ser titular de uma equipe da NFL, adicionar Greedy Williams ou DeAndre Baker seria uma ótima jogada para o Raiders, já que terá dois jogadores com ótimo potencial em sua secundaria, que já ganhou Lamarcus Joyner como safety.

LB Mack Wilson (Michigan)
Mesmo com a adição dos veteranos Brandon Marshall e Vontaze Burfict, o Raiders precisa de juventude e vitalidade no fronte seven. Mack é um jovem bastante polido na universidade de Alabama e poderá formar um trio bastante sólida com Marshall e Burfict.

TE Irv Smith Jr (Alabama)
Raiders pode chegar na escolha 27 precisando de um Tight End para a equipe ainda, já que Jared Cook assinou com o Saints. Irv Smith é um MisMatchup para qualquer Linebacker e Safety. Um jogador bastante explosivo que poderá deixar o ataque do Raiders muito mais dinâmico.

RB Josh Jacobs (Alabama)
No momento, o principal running back do Oakland Raiders é Isaiah Crowell. Ele pode até dar conta do recado, mas não será surpreendente se competição for adicionada via draft. Josh Jacobs seria um substituto de estilo similar a Marshawn Lynch, o que agradaria a torcida.

28. SD Los Angeles Chargers  – 

QBs Daniel Jones (Duke)
O Chargers pode optar por escolher o futuro substituto de Philip Rivers, e na escolha 28, Daniel Jones pode estar disponivel e a equipe entender que será o futuro da franquia. Não gosto de Jones, mas está ganhando bastante espaço com seu pré-draft e essa não é uma escolha absurda.

DLs Jeffery Simmons (Mississippi State), Dexter Lawrence(Clemson)
Ajudar Melvin Ingram e Joey Bosa adicionando um ótimo DT pelo interior da linha defensiva é uma ótima possibilidade para o Chargers. Tanto Simmons como Lawrence jogariam facilmente na posição e teriam um impacto de imediato no Chargers.

FS Deionte Thompson (Alabama) e Nasir Adderley (Delaware)
Com a ótima temporada de Derwin James, o Chargers pode enfim completar sua secundária e escolher um Free Safety muito bom para fazer dupla com sua jovem estrela. Thompson e Adderley são ótimos no fundo do campo, em uma posição que o Chargers tem necessidade.

29. KCKansas City Chiefs 

CB DeAndre Baker (Georgia)
Embora o time tenha assinado com Breshaud Breeland, a necessidade de um outro outside cornerback ainda existe, já que Kendall Fuller é um ótimo Nickel. DeAndre Baker seria um ótima escolha caso o Chiefs resolva apostar na posição e dar jeito de vez em sua secundaria.

FS Deionte Thompson (Alabama)
Embora o time tenha assinado com Tyran Mathieu, acredito que a posição de safety ainda seja uma necessidade na equipe. Deonte Thompson é um Free Safety clássico, que atua no fundo do campo e parece sempre estar perto da bola e também pode contribuir marcando Wide Receivers no mano a mano ou Tight Ends.

DL Jerry Tillery (Notre Dame) e Dre’ Mont Jones (Ohio St.)
Pass Rush talvez seja a maior necessidade do Chiefs no momento. A equipe perdeu em uma tacada só Dee Ford e Justin Houston e possivelmente não terá os tops DE disponíveis. Então a equipe pode optar por Jerry Tillery ou Dre’Mont Jones para fazer uma parceria de encher os olhos pelo interior da linha defensiva (já que o time vai mudar de 3-4 base para 4-3) com o ótimo Chris Jones. Tanto Tillery como Dre’Mont Jones conseguem atuar tanto de DTs como DE.

LB Mack Wilson (Michigan)
Dorian O’Daniel não é um LB confiável, Raggland é bastante inconstante e Hitchens que chegou com status , não teve uma temporada boa. A necessidade de um líder defensivo para o Chiefs é grande e Mack Wilson poderia ser esse cara, caso chegue para a escolha e o Chiefs opte por um LB.

30. logo packers  Green Bay Packers –

LB Mack Wilson (Michigan)
Embora não tenha tido um periodo pré-draft muito bom, não dá para esquecer o talento de Mack Wilson em todo seu ano com Alabama. Em Green Bay, o jogador seria muito útil com suas habilidades no meio do campo ao lado do ótimo Blake Martinez.

SS Johnathan Abram (Mississippi State)
A posição de Strong Safety é uma necessidade para a equipe de Green Bay, já que a de Free Safety parece estar resolvida com Adrian Amos. Abram é um jogador bastante agressivo que invade o box com frequência e usa muito bem seu talento físico.

OG Cody Ford (Oklahoma)
Não gosto da contratação de Billy Turner para ser o Guard titular do Packers, e se Cody Ford ainda estiver disponível na escolha 30, o time poderá sim usar em um Guard que com certeza teria um impacto bem maior que Turner.

TE Irv Smith Jr (Alabama)
Embora acredite em uma melhor sintonia entre Jimmy Graham e Aaron Rodgers nesse ano, o veterano TE é bastante caro para a equipe de Green Bay e escolher Irv Smith Jr é estar apostando em uma arma que deverá ser praticamente fatal contra Linebackers, Nickel Cornerbacks e Safeties e deixar seu ataque muito mais dinâmico.

WR A.J. Brown (Ole Miss)
Embora não seja uma necessidade clara para o Packers, o time ainda precisa de um WR 2 mais sólido. A.J. Brown cairia como uma luva no Packers, assumindo principalmente as rotas que eram de Randall Cobb, com o plus de ser mais veloz, maior e mais físico.

31. STLLos Angeles Rams – 

OLs Cody Ford (Oklahoma)Chris Lindstrom (Boston College) e Garrett Bradbury (NC State)

O Rams precisa melhorar o interior de sua linha ofensiva, mais especificamente a posição de Guard, já que Austin Blythe está bem longe de ser um jogador sólido. Cody Ford é um ótimo prospecto da posição, Chris Lindstrom subiu muito nesses ultimos dias de pré-draft graças a sua capacidade física e Garrett Bradburry é um jogador que pode atuar tanto de Center como de Guard com uma ótima capacidade física.

DT Dexter Lawrence (Clemson) e Jeffery Simmons (Mississippi State)

A equipe que perdeu Ndamukong Suh, poderá muito bem substituir o jogador no draft. Dexter Lawrence pode ser uma opção caso o Rams queira um Nose Tackle clássico e Jeffery Simmons é uma opção caso a equipe opte por um jogador mais explosivo e que consiga pressionar a OL adversária pelo interior.

32.Resultado de imagem para new england patriots logo pngNew England Patriots –

WRs A.J. Brown (Ole Miss), Hakeem Butler (Iowa State) e Marquise Brown (Oklahoma)

Mesmo com a contratação de Demaryius Thomas e o sonho de Josh Gordon conseguir atuar em 2019, o Patriots precisa de um autentico WR 1, um outside. A.J. Brown é uma opção caso a Belichick queira um jogador mais dinâmico pelo meio do campo e em rotas curtas e intermediarias. Hakeem Butler poderá ser uma opção caso a equipe busque um jogador de mais força física e redzone e Marquise Brown caso o BB procure um “batedor de home run”, que possa correr rotas longas com muita velocidade.

TE Irv Smith Jr (Alabama)

Gronk aposentou, e Sefarian-Jenkins nem de longe vai conseguir ser a reposição. O Patriots deve buscar um novo TE em algum lugar do draft, e pode fazer isso já na escolha 32, caso Irv Smith esteja disponível. No time o encaixe seria ótimo, já que assim como Gronk, é um TE que vai sempre atacar o MisMatch.

DT Jeffery Simmons (Mississippi State)

Patriots precisa adicionar pressão pelo interior da linha e de um jogador que seja constante contra o jogo terrestre. Jeffery Simmons poderá estar disponivel e ser um encaixe perfeito para a equipe de New England.

 


Acompanhe nosso conteúdo mais de perto e fique por dentro de tudo o que rola na NFL e NCAA: Siga nosso Twitter e curta nossa página no Facebook. Para ganhar DEZENAS de benefícios e se tornar um apoiador do site.

Compartilhe

Comments are closed.