quinta-feira, 7 de maio de 2015

Compartilhe

NFL 2011: NFL Draft APR 28

Após o Draft, principal evento da offseason, ser realizado, nós temos novos jogadores entrando na liga e equipes sendo reformuladas. Depois de avaliar as escolhas da AFC, hoje, a Liga dos 32 apresenta a análise e as notas para os jogadores selecionados pelas franquias da NFC! Confira o texto logo abaixo:

NFC EAST

Dallas Cowboys

CB Byron Jones (Connecticut)

LB Randy Gregory (Nebraska)

OT Chaz Green (Florida)

LB Damien Wilson (Minnesota)

DE Ryan Russell (Purdue)

LB Mark Nzeocha (Wyoming)

OT Laurence Gibson (Virginia Tech)

TE Geoff Swaim (Texas)

Durante o período de free agency, o Cowboys perdeu DeMarco Murray, o “Offensive Player of the Year” da última temporada. Ao invés de buscar um novo RB, a franquia resolveu preencher outra necessidade e selecionou, na 1ª rodada do Draft, o CB Byron Jones. Concordo que a equipe precisava de reforços na posição, mas o jogador não era o melhor nome disponível. A grande escolha do Cowboys aconteceu na 2ª rodada, com o LB Randy Gregory. Dentro de campo, Dallas ganhou um baita nome para repor as peças da defesa que foram embora; se ele ficar longe de problemas tem tudo para dar certo na NFL. Em relação aos outros selecionados, destaque para os dois jogadores de linha ofensiva que devem fazer parte da rotação da equipe. Num Draft recheado de bons RBs, o Dallas Cowboys ignorou isso e vai com Darren McFadden e Joseph Randle para a temporada de 2015.

Nota: 5,5

Philadelphia Eagles

WR Nelson Agholor (USC)

CB Eric Rowe (Utah)

LB Jordan Hicks (Texas)

CB JaCorey Shepherd (Kansas)

CB Randall Evans (Kansas State)

DE Brian Mihalik (Boston College)

Depois de uma offseason cheia de trocas, dispensas e contratações, todos esperavam alguma loucura de Chip Kelly no Draft; uma troca para escolher o seu tão querido ex-jogador de Oregon, Marcus Mariota? Nada disso. O Draft do Philadelphia Eagles foi bem calmo e a franquia usou suas escolhas para reforçar setores que precisavam de novos nomes. Com apenas seis escolhas em 2015, destaque para as duas primeiras: Nelson Agholor chega para substituir Jeremy Maclin, principal recebedor da franquia em 2014 e que foi para o Kansas City Chiefs. O jogador é um WR muito rápido, ótimo fazendo rotas e oferece perigo após a recepção, podendo ser usado como alvo em profundidade, Já o CB Eric Rowe é muito físico e não tem medo de enfrentar jogadores maiores e mais fortes, buscando sempre o tackle para acabar com a jogada; será muito útil na secundária reformulada do Eagles e deve brigar por vaga no time titular. As outras escolhas da equipes foram voltadas para a defesa, com jogadores que podem ser importantes na rotação, já que o sistema de jogo do Eagles exige muito de todos os atletas do elenco.

Nota: 7

New York Giants

OT Ereck Flowers (Miami)

SS Landon Collins (Alabama)

DE Owamagbe Odighizuwa (UCLA)

FS Mykkele Thompson (Texas)

WR Geremy Davis (Connecticut)

OG Bobby Hart (Florida State)

O New York Giants fez um baita Draft. Na 1ª rodada, escolheu o OT Ereck Flowers, um jogador seguro que dará tempo e proteção para Eli Manning, o que, em tese, reduzirá o número de turnovers da equipe. O SS Landon Collins caiu para a 2ª rodada e a franquia aproveitou; o melhor de sua posição no Draft de 2015 já chega para ser o titular do time, além disso, a comissão técnica com certeza aproveitará o físico de Collins e usará o jogador em várias situações de blitz. Ainda é cedo, mas podemos apontar o atleta como um candidato ao premio de “Defensive Rookie of the Year” em 2015. Para completar, na 3ª rodada, o Giants conseguiu selecionar o DE Owamagbe Odighizuwa; um dos bons nomes em sua posição, ele é muito ágil e explosivo, sendo assim uma grande arma para a defesa da franquia. Os outros jogadores selecionados devem apenas fazer parte da rotação durante o jogo.

Nota: 8,5

Washington Redskins

OT Brandon Scherff (Iowa)

DE Preston Smith (Mississippi State)

RB Matt Jones (Florida)

WR Jamison Crowder (Duke)

OG Arie Kouandjio (Alabama)

LB Martrell Spaight (Arkansas)

SS Kyshoen Jarrett (Virginia Tech)

CB Tevin Mitchel (Arkansas)

WR Evan Spencer (Ohio State)

C Austin Reiter (South Florida)

Depois de dois anos com poucas escolhas, finalmente o Redskins pôde trabalhar bem no Draft. Determinado a acabar com as lesões de Robert Griffin III e protegê-lo, a franquia usou sua escolha de 1ª rodada para escolher Brandon Scherff, o melhor OT de todo Draft que promete ser a solução para os buracos na linha ofensiva. O OG Arie Kouandjo pode aparecer como uma possível surpresa e ganhar uma vaga na equipe titular, porém nas primeiras semanas deve aparecer apenas como um jogador para a rotação. Outro destaque foi a escolha de Preston Smith, um DE muito bom que não tinha a mesma “grife” dos outros jogadores da posição e por isso caiu para a 2ª rodada; ele é um atleta forte, rápido e capaz de forçar fumbles e somar sacks. O RB Matt Jones chega para completar o jogo terrestre da franquia e tirar um pouco da responsabilidade colocada em Alfred Morris, que carrega o jogo corrido praticamente sozinho. Se reforçando em todas as posições, o Washinghton Redskins fez um Draft bem completo e os jogadores escolhidos tem condições para crescer na NFL.

Nota: 9

NFC NORTH

Green Bay Packers

FS Damarious Randall (Arizona State)

CB Quinten Rollins (Miami-OH)

WR Ty Montgomery (Stanford)

LB Jake Ryan (Michigan)

QB Brett Hundley (UCLA)

FB Aaron Ripkowski (Oklahoma)

DE Christian Ringo (Louisiana-Lafayette)

TE Kennard Backman (UAB)

O Green Bay Packers manteve a “tradição” de montar os seus times através do Draft. Sem contratar ninguém durante a offseason, a equipe foi atrás de peças para repor substituir Tramon Williams e A.J. Hawk. Com uma escolha de 1ª rodada surpreendente, a franquia trouxe Damarious Randall, um atleta muito agressivo e rápido, para ser titular ou revezar a posição com Ha Ha Clinton-Dix. Na 2ª rodada, Quinten Rollins foi um bom nome selecionado pelo Packers; o jogador é rápido, consegue marcar os recebedores por todo o campo e já chega para brigar pela condição de titular na posição. A escolha de 4ª rodada, LB Jake Ryan, pode aproveitar a saída de A.J. Hawk e a companhia de Clay Matthews para melhorar o seu jogo e ter um papel importante. Gostei do QB Brett Hundley sendo escolhido na 5ª rodada, pois a franquia precisava de um reserva para Aaron Rodgers.

Nota: 7,5

Detroit Lions

OG Laken Tomlinson (Duke)

RB Ameer Abdullah (Nebraska)

CB Alex Carter (Stanford)

DT Gabe Wright (Auburn)

FB Michael Burton (Rutgers)

CB Quandre Diggs (Texas)

OT Corey Robinson (South Carolina)

O Detroit Lions teve perdas significativas em sua defesa durante a offseason. Ndamukong Suh e Nick Fairley foram embora e o poderoso front seven da franquia ficou enfraquecido. Podendo usar o Draft para substituir as peças perdidas, a franquia decepcionou um pouco. A escolha de Laken Tomlinson gerou algumas criticas, mas eu, particularmente, gostei; o jogador é bem forte, alto, muito inteligente e pode dar uma boa segurança a Matthew Sttaford dentro do pocket. Outro nome que me agradou foi o de Ameer Abdullah; o RB chega para dividir as corridas com Joique Bell, que após a saída de Reggie Bush se tornou o principal jogador da posição. Abdullah é um atleta forte e que recebe passes muito bem, característica essa que o Lions gosta e usa muito em seu sistema de ataque. Apesar das duas primeiras escolhas terem sido, de certa forma, satisfatórias, o resto não empolgou. A franquia poderia ter dado um pouco mais de atenção para as posições onde perdeu jogadores importantes. Mesmo assim, acredito numa equipe ainda competitiva na próxima temporada.

Nota: 6

Minnesota Vikings

CB Trae Waynes (Michigan State)

LB Eric Kendricks (UCLA)

DE Danielle Hunter (LSU)

OT T.J. Clemmings (Pittsburgh)

TE MyCole Pruitt (Southern Illinois)

WR Stefon Diggs (Maryland)

OT Tyrus Thompson (Oklahoma)

DE B.J. Dubose (Louisville)

OT Austin Shepherd (Alabama)

LB Edmond Robinson (Newberry)

Se eu pudesse em apostar em uma surpresa para 2015 apostaria no Minnesota Vikings. Depois de uma campanha regular em 2014, a equipe deu indícios de que grandes coisas estão por vir. A franquia usou sua escolha de 1ª rodada para trazer Trae Waynes, o melhor CB do Draft. O atleta é ágil, rápido, consegue acompanhar o recebedor por toda rota e chega para acabar com um problema na secundária. Na 2ª rodada, a escolha de Eric Kendricks foi um grande achado; o jogador agressivo será um grande reforço e fará, junto com Anthony Barr, uma dupla de LB com muito potencial. Completando as escolhas de destaque, o Vikings conseguiu, na 4ª rodada, um grande valor: o OT T.J. Clemmings, um bom atleta e capaz de oferecer mais proteção e segurança ao QB, Teddy Bridgewater.

Nota: 8,5

Chicago Bears

WR Kevin White (West Virginia)

DT Eddie Goldman (Florida State)

C Hroniss Grasu C (Oregon)

RB Jeremy Langford (Michigan State)

FS Adrian Amos (Penn State)

OT Tayo Fabuluje (TCU)

Por mais que eu tenha achado que faltou um bom jogador de secundária para o Bears, o saldo do Draft de 2015 foi mais do que positivo. A escolha de Kevin White foi uma das melhores de todo o evento; o atleta vem para assumir o lugar deixado por Brandon Marshall e será o principal recebedor da franquia. Alto, forte e rápido, White tem tudo para ser um sucesso desde o primeiro jogo da temporada. Na 2ª rodada, mais um grande jogador, o DT Eddie Goldman; podendo atuar em todas as posições da linha defensiva, o atleta chega para ser a peça que faltava ao Bears na pressão ao QB adversário. Além dos dois, o RB Jeremy Langford também foi uma boa escolha; o corredor não será titular, mas vai ajudar a tirar a pressão do titular Matt Forte, que carrega, praticamente sozinho, o jogo corrido do Bears. O FS Adrian Amos chega para fazer parte da rotação, mas pela falta de atletas com qualidade na posição, pode até beliscar uma vaga no time titular.

Nota: 8

NFC SOUTH

Carolina Panthers

LB Shaq Thompson (Washington)

WR Devin Funchess (Michigan)

OG Daryl Williams (Oklahoma)

LB David Mayo (Texas State)

RB Cameron Artis-Payne (Auburn)

Com apenas cinco escolhas em 2015, o Carolina Panthers não teve muitas possibilidades para reforçar o seu elenco. Porém, os dois primeiros jogadores escolhidos devem ser titulares e podem ser ótimas figuras da equipe na próxima temporada. A primeira, o LB Shaq Thompson, é uma ameaça de “big plays” a cada jogada; muito rápido, o atleta anotou 4 touchdowns em seu último ano de faculdade e, jogando ao lado de Luke Kuechly, crescerá muito na NFL. A segunda escolha, o WR Devin Funchess, foi para reforçar um setor que por muito tempo foi um problema na franquia. Com a boa temporada de Kelvin Benjamin em 2014, a equipe buscou um segundo WR para manter o nível nos próximos anos. Funchess é um jogador muito alto (1,93 de altura) e será um bom alvo dentro da end zone, dando uma possibilidade de jogada que, até então, não existia no Carolina Panthers. Os outros três nomes foram escolhidos apenas para compor elenco, mas o RB Cameron Artis-Payne, pode aparecer como surpresa em 2015.

Nota: 6

New Orleans Saints

OT Andrus Peat (Stanford)

LB Stephone Anthony (Clemson)

LB Hau’oli Kikaha (Washington)

QB Garrett Grayson (Colorado State)

CB P.J Williams (Florida State)

LB Davis Tull (Tennessee-Chattanooga)

DT Tyeler Davison (Fresno State)

CB Damian Swann (Georgia)

RB Marcus Murphy (Missouri)

Depois de perder Jimmy Graham e Kenny Stllis durante a offseason, muitos esperavam um WR ou jogador para melhorar a secundária (pior setor da equipe). Porém, com a escolha de 1ª rodada, o Saints foi de Andrus Peat, um dos melhores jogadores de linha ofensiva de todo o Draft; o jogador chega para proteger e dar tranquilidade à Drew Bress. Falando em QB, a franquia de New Orleans já está pensando no futuro e trouxe Garrett Grayson para aprender com Brees e evoluir o seu estilo de jogo. Stephone Anthony foi outro bom nome selecionado pelo Saints e já deve assumir a titularidade logo na primeira semana da temporada. Num Draft com tantos WRs bons, acredito que a equipe poderia ter escolhido pelo menos um para reparar as perdas que tiveram; Brandin Cooks e o veterano Marques Colston podem dar conta do recado, mas um novo nome para a posição não seria nada mal.

Nota: 6,5

Atlanta Falcons

LB Vic Beasley (Clemson)

CB Jalen Collins (LSU)

RB Tevin Coleman (Indiana)

WR Justin Hardy (East Carolina)

DT Grady Jarrett (Clemson)

OT Jake Rodgers (Eastern Washington)

SS Akeem King (San Jose State)

O Atlanta Falcons foi outra equipe da NFC a fazer um grande Draft. A escolha de 1ª rodada foi simplesmente sensacional. Vic Beasley é um excelente jogador e pode ser colocado para jogar como DE, OLB ou até ILB. Ele chega para ser titular numa defesa que precisava de reforços. Na 2ª rodada, a franquia selecionou Jalen Collins; bom na cobertura e melhor ainda contra o jogo corrido, o atleta deve com os problemas da secundária do Falcons. Para completar os nomes de qualidade, na 3ª rodada, Tevin Coleman foi escolhido. Com a saída de Steven Jackson e Jacquizz Rodgers, sobrou apenas Devonta Freeman como RB em Atlanta, ou seja, Coleman já chega para brigar pela titularidade e ser um grande complemento para o ataque. As demais escolhas serviram para completar o elenco nas posições que careciam de jogadores.

Nota: 8,5

Tampa Bay Buccaneers

QB Jameis Winston (Florida State)

OT Donovan Smith (Penn State)

C Ali Marpet (Hobart & William Smith)

LB Kwon Alexander (LSU)

WR Kenny Bell (Nebraska)

WR Kaelin Clay (Utah)

FB Joey Iosefa (Hawaii)

A pior equipe da NFL na temporada passada, o Tampa Bay Buccaneers, com apenas sete escolhas, não poderia suprir todas as suas deficiências. Porém, começou com a principal figura de um time de futebol americano, um QB. Jameis Winston foi a aposta da franquia para a temporada que vem e para o futuro; o atleta já chega como titular absoluto e tem todas as qualidades necessárias para tornar o Buccaneers uma equipe mais competitiva. Outro grande segredo para obter sucesso na NFL é ter uma boa linha ofensiva para proteger o seu QB. A equipe de Tampa Bay foi atrás disso e selecionou Donavan Smith e Ali Marpet (jogador da terceira divisão da NCAA que ainda não foi testado contra grandes defesas, mas mostrou jogar em um nível bem mais alto do que se esperava dele). A franquia também trouxe dois WRs para entrar na rotação e fazer companhia a Mike Evans e Vincent Jackson. Acredito que faltaram nomes para a secundária, mas com os jogadores escolhidos no Draft de 2015, os torcedores do Buccaneers já podem ficar um pouco mais aliviados.

Nota: 7,5

NFC WEST

Seattle Seahawks

 DE Frank Clark (Michigan)

WR Tyler Lockett (Kansas State)

OG Terry Poole (San Diego State)

OG Mark Glowinski (West Virginia)

CB Tye Smith (Towson)

DE Obum Gwacham (Oregon State)

DT Kristjan Sokoli (Buffalo)

FS Ryan Murphy (Oregon State)

Sem escolhas na 1ª rodada em 2015, o finalista do último Super Bowl fez um Draft bem mais ou menos. Com uma filosofia de tornar jogadores escolhidos no fim do Draft em grandes atletas na NFL, o Seahawks não teve nenhuma escolha muito impactante. Sem maiores necessidades no elenco, a equipe selecionou o WR Tyler Lockett, um dos jogadores mais rápidos do Draft e que se encaixa perfeitamente no estilo de jogo da franquia, podendo também servir como retornador de chutes. Os demais jogadores escolhidos servirão, num primeiro momento, apenas para rotação de elenco (coisa que o Seattle Seahawks faz muito) e opções para jogar no special team da equipe.

Nota: 6

Arizona Cardinals

OT D.J Humphries (Florida)

DE Markus Golden (Missouri)

RB David Johnson (Northern Iowa)

DT Rodney Gunter (Delaware State)

DE Shaquille Riddick (West Virginia)

WR J.J Nelson (UAB)

TE Gerald Christian (Louisville)

A necessidade de proteger o QB falou mais alto do que achar um RB de confiança. Na 1ª rodada, o Cardinals selecionou o OT D.J. Humphries; o jogador é uma boa combinação de altura e agilidade (essenciais para a sua posição). A escolha foi feita devido a temporada passada, quando Carson Palmer se machucou após sofrer um sack e a franquia não conseguiu manter o nível nos jogos restantes. Na 3ª rodada, a equipe selecionou o RB David Johnson para dividir o jogo corrido com Andre Ellington e, no fim do Draft, escolheu J.J. Nelson, um jogador que lembra muito o WR John Brown, do próprio Cardinals; talvez por isso a franquia tenha feito essa escolha.

Nota: 6,5

San Francisco 49ers

DT Arik Armstead (Oregon)

SS Jaquiski Tartt (Samford)

LB Eli Harold (Virginia)

TE Blake Bell (Oklahoma)

RB Mike Davis (South Carolina)

WR DeAndre Smelter (Georgia Tech)

P Bradley Pinion (Clemson)

OG Ian Silberman (Boston College)

OG Trenton Brown (Florida)

TE Rory ‘Busta’ Anderson (South Carolina)

Depois de perder nomes importantes na secundária, no front seven e na linha ofensiva, o mínimo que a equipe poderia fazer era selecionar, no Draft, jogadores para essas posições. Arik Armstead e Eli Harold foram duas boas escolhas da equipe e podem se sair muito bem na próxima temporada. O SS Jaquiski Tartt foi uma surpresa na 2ª rodada, mas pode usar muito bem o seu físico e sua agressividade para pressionar o QB adversário. Mesmo trazendo esses três bons jogadores, acredito que o Draft de 2015 do 49ers deveria ter como objetivo repor a saída dos atletas que foram embora na offseason, que não foram poucos. Selecionar um Punter (já tendo Andy Lee na equipe) e dois TE (um só já estava de bom tamanho, Vernon Davis ainda consegue render em bom nível) não foram as melhores opções feitas pela franquia.

Nota: 6

St. Louis Rams

RB Todd Gurley (Georgia)

OT Rob Havenstein (Wisconsin)

OT Jamon Brown (Louisville)

QB Sean Mannion (Oregon State)

OT Andrew Donnal (Iowa)

OG Cody Wichmann (Fresno State)

LB Bryce Hager (Baylor)

DE Martin Ifedi (Memphis)

Proteção, muita proteção! Esse foi o lema do St. Louis Rams no Draft de 2015. Com quatro jogadores de linha ofensiva escolhidos, a franquia reforçou um dos setores mais importantes para um time de futebol americano e eles darão segurança ao novo QB titular, Nick Foles. Porém, sem sombra de dúvidas, a minha escolha favorita foi a de Todd Gurley na 1ª rodada. O RB já chegou “mandando” Zac Stacy embora (o jogador pediu para ser trocado logo após a escolha de Gurley) e será o titular da equipe e principal nome do jogo corrido em St. Louis por alguns anos. Se o atleta mostrar que está 100% recuperado da lesão que sofreu no joelho em 2014, ele é sério candidato ao prêmio de “Offensive Rookie of the Year” na próxima temporada e pode levar o Rams até o título da divisão. Outro bom nome escolhido foi o do QB Sean Mannion, selecionado para servir como uma espécie de “plano B” caso Foles se machuque, já que não dá para contar com Austin Davis e Case Keenum para serem o titular.

Nota: 9

E aí, concorda com as notas? Discorda? Pode deixar a sua opinião aqui nos comentários!

Compartilhe

Leave A Reply