segunda-feira, 28 de março de 2016

Compartilhe

NYG x ND 2

No “A Liga e a História” de hoje, faremos outra incrível viagem no tempo para conhecer um dos capítulos mais importantes da história do Futebol Americano. O cenário? Nova York, Estados Unidos, ano de 1930. Nesse período, os norte americanos se viam mergulhados na Crise de 29, também conhecida como A Grande Depressão, vendo os índices de desemprego chegarem a níveis alarmantes e o Produto Interno Bruto sofrendo uma queda drástica.

Quando a “Grande Depressão” começou a afetar a vida dos nova-iorquinos no ano seguinte, os representantes da cidade decidiram tomar uma atitude. No mês de Outubro, Jimmy Walker –  prefeito de Nova York na época – convocou o comitê oficial em busca de uma solução para combater o desemprego. Walker sugeriu então que os times locais fizessem partidas de exibição para angariar fundos em prol da causa e o New York Giants, da recém-criada NFL, se ofereceu para fazer sua parte.

O Giants fazia uma boa temporada naquele ano, ainda com chances de ser campeão caso triunfasse nos dois jogos restantes contra Stapleton e o Brooklyn Dodgers, mas terminaria em segundo lugar ao fim do campeonato. O futebol americano profissional ainda engatinhava na época e os representantes decidiram que o adversário do Big Blue seria um time do College. “Por que não Notre Dame?” sugeriu brilhantemente Bill Abbott, um dos editores do New York World.

NYG x ND 1Em 1930, nenhum programa tinha a reputação de Notre Dame no College Football e o Giants não pensou duas vezes antes de fazer o convite ao lendário técnico Knute Rockne, que comandava o Fighting Irish. Atualmente, um jogo entre um time da NFL contra um do College pareceria absurdo, mas em 1930, muitos analistas consideravam os times universitários bastante superiores aos recentes “pros”. Notre Dame vinha de duas temporadas invictas, atuando em uma competição que a maioria dos fãs acreditava ser mais difícil que a NFL. Enfrentar o poderoso Irish representava uma grande chance de ser um total fiasco para a franquia, que tinha sido criada apenas cinco anos antes.

Rockne estava aberto à ideia de um jogo beneficente, marcado para o dia 14 de Dezembro, mas havia um problema. Notre Dame faria um jogo contra USC na California – Vencido por eles pelo placar de  27-0 – em 6 de dezembro, e uma viagem para as duas costas dos EUA em apenas 8 dias parecia muito cansativa para o time. Rockne encontrou logo outra solução; Ao invés de levar o elenco de 1930, por que não montar um All-Star team com as estrelas do passado e do presente? O Giants adorou a ideia e o treinador se prontificou para reunir os famosos “Quatro Cavaleiros” no backfield, que tinham dominado o Football universitário de 1922 a 1924. Cinco das “Sete Mulas”, linha ofensiva do Cavaleiros, também foram chamados.

A maioria dos jogadores de Rockne já não jogava futebol americano ativamente, inclusive os quatro cavaleiros. O FB Elmer Layden era HC em Duquesne, o RB Jim Crowley era HC em Michigan State, o QB Harry Stuhldreher era HC em Villanova e o RB Don Miller era técnico da secundária de Ohio State. Mesmo fora do campo,  eles ainda não eram velhos, já que nenhum dos 4 havia passado dos 30 anos. Charles Stoneham, dono do New York Baseball Giants, ofereceu o uso do extinto Polo Grounds como palco para o grande jogo, e os fãs logo começaram a comprar ingressos. Mesmo em tempos de crise, o interesse pelo jogo foi grande, apesar das entrafas chegar a 100 doláres cada. Era difícil resistir a oportunidade de rever as lendas de Notre Dame massacrarem um time profissional inferior.

Quase 50.000 pessoas compareceram ao Polo Grounds naquele dia para ver o embate. No discurso antes do apito inicial, Rockne disse aos seus jogadores que o time do Giants era muito grande e lento para conseguir alcançar suas estrelas e que se conseguissem marcar apenas um ou dois touchdowns, a fatura estaria liquidada. Rockne conseguiu subir a moral de seus jogadores, mas ao entrar em campo e ver o time adversário, percebeu que o seu Irish estava com problemas. No tradicional aperto de mãos antes do jogo com o QB do Giants Benny Friedman, primeiro grande passador da NFL e futuro Hall da Fama, Rockne pediu apenas uma coisa: “Pelo amor de Deus, pegue leve”.

Notre Dame era a grande favorita para o confronto até o início da partida, mas a forte linha defensiva do Giants destruiu a linha ofensiva rival.  Na primeira campanha do jogo, o RB Johnny Law, de 77 kg, levou um tackle do DL Steve Owen, 37 kg mais forte, que o jogou próximo a sua própria goal line. Depois de se recuperar do lance, o atleta levantou e perguntou para o árbitro Tom Thorp: “Falta muito pra acabar?”. Na próxima jogada, o QB Stuhldreher seria derrubado na endzone e o Giants abriria 2 a 0 no marcador com um safety.

O placar só ficou próximo no inicio da partida. Notre Dame não conseguia completar primeiras descidas ou marcar pontos, e os times foram para o intervalo com 15-0 para o Giants no placar, vantagem que não representava o massacre que estava acontecendo.  Preocupado com sua equipe, Rockne mandou uma mensagem para o vestiário rival no intervalo: “Pelo amor de Deus, eu vim aqui para ajudar em um jogo de caridade. Vocês estão nos deixando mal. Peguem leve, ok? Eu não quero voltar para casa e ser motivo de chacota”. O recado do treinador de Notre Dame fez efeito e o Giants demonstrou solidariedade, colocando os reservas para jogar no segundo tempo. O único problema é que eles se mostraram tão eficazes quanto os titulares e ao fim do jogo, o placar marcava 22-0 para os profissionais. New York conseguiu oito primeiras descidas contra apenas 1 de Notre Dame. Foram 134 jardas corridas e sete passes completados em 19 tentativas para o Giants, enquanto o Irish só conseguiu 34 jardas pelo chão e não completou nenhum dos nove passes lançados, sendo interceptado por duas vezes.

Rockne sempre foi conhecido por ser rude após os jogos e extremamente cético sobre o Football profissional. Porém, depois do confronto, até mesmo o rigoroso técnico de Notre Dame decidiu tirar o seu chapéu para o Giants. “Aquela foi a maior máquina de jogar Football que eu já vi em minha vida. Estou feliz que nenhum de vocês se machucou”, disse ele aos seus atletas. Pelo propósito inicial, o jogo acabou sendo um sucesso. O Giants entregou um cheque de 115.000 doláres ao prefeito Walker, que foi utilizado na compra de roupas e comida para os desempregados. A iniciativa deu tão certo que no outro verão, um jogo entre o Yankees e o Giants do baseball foi marcado.

Para alguns historiadores, o episódio representou o maior marco da legitimidade da NFL. A partir desse dia, os atletas profissionais começaram a ser vistos com outros olhos e a Liga passou a crescer rapidamente, ganhando muita popularidade. Todos haviam ficado impressionados com a superioridade daqueles atletas e certamente gostaram do espetáculo. Menos os jogadores de Notre Dame.

NYG x ND 4

Compartilhe

Comments are closed.